conecte-se conosco


POLÍTICA NACIONAL

‘Se procurar, vai achar alguma coisa’, diz Bolsonaro sobre corrupção

Publicado

Presidente da República, Jair Bolsonaro
Alan Santos/PR

Presidente da República, Jair Bolsonaro

presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou a apoiadores nesta quinta-feira que “se procurar, vai achar alguma coisa”, fazendo referência à possíveis casos de corrupção no seu governo. Bolsonaro já havia mudado o tom sobre a possibilidade de irregularidades na sua gestão admitindo que “há casos isolados”, mas não uma “corrupção endêmica”.

“Mas se procurar, vai achar alguma coisa. Quer ver uma coisa? Ministério do Desenvolvimento Regional tem mais de 20 mil obras, será que está tudo certinho? Vai achar alguma coisa”.

A declaração ocorre um dia depois de uma operação da Polícia Federal para apurar suspeita de fraudes em contratos da empreiteira Construservice com a Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf). A PF apreendeu R$ 1,3 milhão em dinheiro vivo na casa de um dos investigados.

A empreiteira alvo da operação executa diversas obras da Codevasf em municípios do estado. A investigação da PF detectou a existência de falhas graves nas licitações dessas obras.

Os indícios obtidos apontam que empresas de fachadas ligadas ao grupo empresarial sob investigação eram criadas para simular a disputa dos contratos, que acabavam ficando com a empreiteira principal do grupo.

Antes da declaração, o presidente contou a um apoiador que era chamado de corrupto, mas que não achavam “nada”. Ele citou o caso da compra da vacina contra a covid Covaxin como exemplo. O apoiador respondeu ao presidente que políticos experientes sabem o caminho da corrupção e que por isso estariam mirando em CPIs na área da Educação e da Saúde.

“Sabe o que acontece comigo? Minha vida é revirada o tempo todo, não acham nada. Me acusam de corrupção no caso da vacina Covaxin. Pera aí, mas eu não comprei nenhuma dose, não gastei um centavo. Ah, mas você queria comprar”.

Leia mais:  Lula inicia campanha criticando a economia do governo Bolsonaro

O imunizante seria o mais caro a ser adquirido pelo governo, apesar de não ter autorização de uso no país. O valor foi empenhado, isto é, reservado, pelo Ministério da Saúde, mas não chegou a ser pago. À época, o deputado Luís Miranda (DEM-DF) afirmou que avisou ao presidente sobre as possíveis irregularidades na compra da vacina. O caso foi investigado pela CPI da Covid, que denunciou o presidente em seu relatório final.

Além da CPI da Covid, encerrada em 2021, senadores da oposição protocolaram neste ano um requerimento de abertura no Senado Federal de uma CPI para apurar irregularidades no Ministério da Educação. O ex-ministro da pasta, Milton Ribeiro, foi preso por suspeitas de envolvimento em corrupção e tráfico de influência durante sua gestão. Ribeiro foi posteriormente solto, mas segue sendo investigado.

O caso de Milton Ribeiro, no entanto, é somente um dos casos envolvendo suspeitas de corrupção no governo. No quarto ano de mandato, a gestão de Bolsonaro — que se elegeu tendo o discurso anticorrupção como tônica de sua campanha — já acumula acusações e investigações que envolvem ministros e importantes estruturas de governo.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

Lula diz que vai melhorar o país e chama Bolsonaro de “tralha”

Publicado

Lula detonou Bolsonaro
Reprodução/YouTube – 17.08.2022

Lula detonou Bolsonaro

Nesta quarta-feira (17), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que o Brasil tem totais condições para “deixar de ser pequeno” mundialmente e que o país não está conseguindo se desenvolver por “incapacidade” e pela “falta de gestão” do presidente Jair Bolsonaro (PL).

“Este país está pronto [para voltar a crescer], é só tirar essa tralha que tem lá e colocar a gente no lugar que vocês vão ver como vamos melhorar este país”, disse o petista na fundação Perseu Abramo no encontro com empresários de micro, pequenos e médios empreendimentos.

Ele relatou que tem muita experiência porque governo o Brasil por oito anos e agora terá a “a experiência” de Geraldo Alckmin (PSB), que foi governador de São Paulo em quatro oportunidades. “A vantagem é que vai ter dois caras que gostam de conversar, então é o momento oportuno de fazer a pauta de reivindicações”, destacou.

O ex-presidente ressaltou que sua maior preocupação é a questão econômica. Na avaliação dele, seu plano é controlar a inflação, diminuir o desemprego e permitir com que as empresas se desenvolvam.

“Vamos voltar a fazer com que os bancos públicos atuem como bancos públicos. Não queremos que eles deem prejuízo, mas que prestem uma função social a este país. O BNDES, por exemplo, vai ter que deixar de fazer empréstimos para grandes empresas e vai ter que se dedicar a pequenos e médios negócios, porque o restante pode pegar empréstimo em dólar em qualquer banco”, completou.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Continue lendo

POLÍTICA NACIONAL

Lula afirma que planeja criar Ministério da Pequena e Média Empresa

Publicado

O candidato à presidência da República Lula (PT)
Reprodução/Twitter – 16.08.2022

O candidato à presidência da República Lula (PT)

Em encontro com empresários de micro e pequenas empresas nesta quarta-feira, em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato à Presidência da República, disse querer criar o Ministério da Pequena e Média Empresa caso eleito.

Ele voltou a afirmar que pretende criar algumas pastas, como a dos Povos Indígenas, e recriar outras, como a do Turismo.

“Vamos recriar alguns ministérios. O Ministério da Pequena e Média Empresa precisa funcionar.”

Após ouvir dos empresários presentes sobre o endividamento acumulado pelo setor ao longo da pandemia, Lula defendeu “enquadrar” o Banco do Brasil.

Para ele, os bancos públicos precisam reduzir a margem de lucro — não podem, disse ele, lucrar como empresas privadas — para beneficiar pequenos negócios.

“A gente não pode deixar que vocês morram por causa de dívida contraída na pandemia”, afirmou.

Participaram do encontro empresários de setores diversos, como construção civil, artesanato, química, restaurantes e outros pequenos negócios. O evento foi organizado pela Fundação Perseu Abramo, ligada ao PT.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Leia mais:  Resultado das eleições não preocupa, diz Augusto Aras
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana