conecte-se conosco


POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro se reúne com Justus para falar sobre estratégias de campanha

Publicado

Bolsonaro se reúne com Roberto Justus para tratar de ideias para a campanha
Montagem iG / Imagens: Wilson Dias/Agência Brasil e Wikimedia Commons

Bolsonaro se reúne com Roberto Justus para tratar de ideias para a campanha

Pressionado pelo mau desempenho nas pesquisas, em que aparece atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) , o presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu o empresário Roberto Justus em Brasília há cerca de duas semanas. A reunião aconteceu no Palácio da Alvorada e não foi registrada na agenda presidencial.

Na ocasião, Justus conversou por mais de uma hora com o titular do palácio do Planalto sobre as suas percepções a respeito do cenário eleitoral atual e sugeriu estratégias de comunicação que poderiam ser adotadas pela campanha. Interlocutores avaliaram que o saldo do encontro foi positivo.

O empresário, que declarou voto no presidente em 2018 , disse ao GLOBO que foi à Brasília a convite do atual coordenador de comunicação da campanha à reeleição, Fábio Wajngarten, e do empresário bolsonarista Luciano Hang.

“Fui convidado para colocar um pouco a minha visão e opiniões sobre o Brasil do momento, sobre eleição. Como eles acham que eu tenho uma boa visão das coisas, queriam que eu batesse um papo com o presidente. Eles estão ouvindo bastante gente”, contou.

Justus afirmou que Bolsonaro foi “simpático”, “receptivo” e classificou o encontro como uma “contribuição” para o presidente. O empresário conta que não tratou objetivamente sobre suas preferências eleitorais, tampouco sobre uma eventual vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições deste ano, mas disse que o presidente sabe que conta com o seu apoio.

“Ele sabe. Mas não chegamos a falar de Lula, falamos de Brasil. Se estou na frente dele dando minhas opiniões, tentando contribuir, ele sabe que eu sou totalmente contra (à eleição do Lula) […] Ele não me perguntou se eu estou apoiando ou não, mas a minha ida até lá mostra que eu tenho uma preferência”, disse Justus ao GLOBO.

Leia mais:  Veja quem é Elvis Cezar, candidato do PDT ao governo de São Paulo

Justus reiterou estar à disposição para novas contribuições, mas rechaçou a possibilidade de trabalhar para a campanha efetivamente. Ele também descartou a possibilidade de doar qualquer quantia para ajudar no projeto de reeleição.

“Isso (doação) eu nunca fiz e nunca farei. Posso ajudar com ideias, apoio, mas com doação nunca farei. Não tenho interesse”, disse.

Em 2018, Roberto Justus participou de um vídeo de apoio ao então candidato Jair Bolsonaro . Na gravação, compartilhada à época nas redes sociais de Bolsonaro, o empresário diz que o então deputado federal era “polêmico”, mas deve ter se arrependido de algumas declarações feitas. Além disso, o descreveu como um candidato “correto”, com “boas ideias” e com “liberdade” para montar uma boa equipe.

Em 2021, no entanto, Justus criticou a condução da pandemia pelo governo federal. O posicionamento, no entanto, foi adotado apenas depois de ter um áudio relativizando a gravidade da pandemia vazado . Na gravação, ele reafirmava posicionamentos de Bolsonaro, como a defesa do isolamento apenas de idosos e pessoas com comorbidade. Também criticou o lockdown por receio dos efeitos econômicos. Para se defender do conteúdo vazado, Justus chegou a dizer em entrevistas que Bolsonaro exagerou ao sair em público durante a pandemia e que teria apressado o governo por decisões se soubesse da gravidade do vírus.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Leia mais:  Religião não é para fazer política, diz Lula

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

Aprovação do governo é maior entre quem recebe auxílio, diz PoderData

Publicado

Jair Bolsonaro
Isac Nóbrega/PR – 07.06.2022

Jair Bolsonaro

A primeira rodada da pesquisa PoderData, após início do pagamento do Auxílio Brasil com reajuste para R$ 600, mostra que o governo de Jair Bolsonaro (PL) está mais bem avaliado entre quem recebe o benefício do que entre a população em geral. Segundo o levantamento, que foi realizado entre 14 e 16 de agosto de 2022, a taxa de aprovação da atual gestão atual é de 45% entre as pessoas que receberam algum pagamento do programa substituto do Bolsa Família no último mês.

Já a taxa de desaprovação do governo nesse grupo é de 51%. No entanto, a pesquisa aponta um movimento favorável à administração Bolsonaro nos últimos 15 dias.

O levantamento aponta, ainda, um crescimento de Bolsonaro entre os beneficiários em termos de intenção de voto. Há duas semanas, o mandatário tinha 25% nesse grupo. Agora, são 39%.

Os dados da pesquisa foram coletados através de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 3.500 entrevistas em 331 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais parta mais ou para menos. O intervalo de confiança é de 95%. O registro no TSE é BR-02548/2022

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Leia mais:  Moraes toma posse do TSE; cerimônia tem presença de Lula e Bolsonaro
Continue lendo

POLÍTICA NACIONAL

PoderData: 56% desaprovam governo de Jair Bolsonaro

Publicado

PoderData: 56% desaprovam governo de Jair Bolsonaro
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

PoderData: 56% desaprovam governo de Jair Bolsonaro

O governo de  Jair Bolsonaro (PL) é desaprovado por 56% do eleitorado brasileiro, de acordo pesquisa PoderData realizada de 14 a 16 de agosto. Além disso, 40% aprovam a gestão do atual presidente.

De acordo com a pesquisa, a aprovação do governo é ligeiramente mais favorável entre os beneficiários do Auxílio Brasil: 45% aprovam e 51% desaprovam.

Veja em quais grupos Bolsonaro tem mais dificuldade:

  • sexo – só 34% das mulheres aprovam o governo; entre homens, a taxa sobe para 46%
  • idade – aprovação é mais alta entre os adultos de 25 a 44 anos (47%)
  • região – moradores do Nordeste (61%) são os que mais desaprovam a gestão Bolsonaro
  • renda – desaprovação é de 61% entre os que têm renda familiar de até 2 salários mínimos

Os dados foram coletados de 14 a 16 de agosto de 2022, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 3,5 mil entrevistas em 331 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. O registro no TSE é BR-02548/2022.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Leia mais:  Veja quem é Elvis Cezar, candidato do PDT ao governo de São Paulo
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana