conecte-se conosco


ENTRETENIMENTO

Marcela Porto sobre ‘Mulher Abacaxi’: ‘Minha porta para a transição’

Publicado

source
Marcela Porto é a nova Rainha da Acadêmicos do Sossego
Divulgação/Allan Bertozzi

Marcela Porto é a nova Rainha da Acadêmicos do Sossego

Marcela Porto foi anunciada, na última semana, como a Rainha da Escola de Samba Acadêmicos do Sossego, no Rio de Janeiro. A musa, com passagens por diversas agremiações, comemorou o convite, principalmente pela escola ser localizada em Niterói, onde mora. Com exclusividade ao iG Gente, Marcela contou do convite da escola, falou da transição de gênero e o futuro da “Mulher Abacaxi”.

+ Entre no canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre celebridades, reality shows e muito mais!

Em meados de 2010, o cenário musical brasileiro viu surgir as famosas mulheres-frutas. Elas eram funkeiras que adotavam o nome de alguma fruta para evidenciar os seus atributos físicos. É nesse cenário que Marcela Porto, a Mulher Abacaxi, ganhou fama. Na época, Marcela ainda não tinha feito a transição de gênero e revela que apenas se travestia para compor a personagem. 

“Ela [Mulher Abacaxi] foi a minha porta para a transição. Eu colocava sempre a culpa nela. Eu justificava para a família e os amigos que eu ia fazer um procedimento por causa dela, que ia fazer as unhas por causa dela”, relembra.


Ao adotar a figura feminina para compor a funkeira, Marcela se encontrou e não teve mais vontade de voltar a usar roupas masculinas. “Eu deixei de ir nas festas de família ou de amigos que me conheceram enquanto menino, eu deixei de ter vida social. Se eu precisasse voltar para a roupa de homem eu não ia. Não me sentia bem”, conta. 

Leia mais:  Silvio Santos censura aplausos e gritos por Lula em programa no SBT

A musa iniciou a transição de gênero em 2018, e contou que o motivo dessa “demora” foi a violência frequente contra a comunidade trans no Brasil. A musa, que é empresária e comanda uma frota de caminhões, abandou a carreira musical após a morte da mãe.

“Eu perdi minha inspiração. Minha mãe sempre gostou de música, mas quando ela se foi eu não tive mais motivos”, explica. Sobre o ofício como caminhoneira, Marcela descartou preconceito por ser uma mulher trans: “Eles foram os que mais me abraçaram”.

Carnaval

Com passagem por diferentes escolas de samba, Marcela Porto já é uma figura reconhecida no carnaval carioca. Neste ano, a empresária foi madrinha da Unidos da Ponte e, na última semana, foi nomeada como rainha na Acadêmicos do Sossego.

Marcela, que mora em Niterói, afirma que essa é a realização de um sonho, já que sempre quis estar em uma escola com sede na cidade onde nasceu. “Era muito difícil os ensaios la [na Unidos da Ponte]. Eu moro em Niterói e a escola fica em São João de Miriti. Então, eu precisava cruzar a cidade, na madrugada, passando por regiões perigosas”, analisa.

“Aqui em Niterói estão meus amigos, minhas irmãs, as travas, as gays, o meu povo”, brinca. “Estou realizada. Se me convidassem para ocupar o cargo da Paola Oliveira, de rainha da bateria da Grande Rio, eu recusaria”, pontua.

O convite para o reinado se deu pelo presidente da agremiação, Hugo Júnior, que telefonou para Marcela após o fim do último carnaval. “Ele me convidou sem nem dizer o cargo e eu aceitei de primeira. Quando ele disse rainha, então, eu até fiquei surpresa: ‘To com tudo’”, celebra. A mulher-fruta descartou qualquer tipo pagamento pelo cargo.

Leia mais:  Aerosmith: guitarrista afirma que banda tem "bastante" material para lançar

“É claro que a gente sempre ajuda no dia a dia, compra uma água ali nos ensaios para os componentes, mas nunca precisei pagar por posto não”, garante. Sobre o enredo da Acadêmicos do Sossego para o próximo carnaval, Marcela assume que já existe um tema, mas preferiu guardar segredo, assim como o suposto convite para um reality show de alcance nacional. 


Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
publicidade

ENTRETENIMENTO

Morre Jadson Neiff, dançarino de brega-funk

Publicado

Jadson Neiff
Reprodução/ Instagram

Jadson Neiff

Nesta quarta-feira (29), o dançarino de brega-funk Jadson dos Santos Estevão, conhecido como Jadson Neiff morreu no Recife. Ele sofreu um acidente de moto na BR-232, em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mara de Pernambuco. O artista de 22 anos, que fazia parte do grupo Os Neiffs, foi levado para o Hospital da Restauração, no Centro do Recife, mas não resistiu. 

O grupo Os Neiffs era composto por jovens de comunidades no Recife que cantam e dançam brega-funk na periferia. O grupo é conhecido nas redes sociais e possui mais de 800 mil seguidores no Instagram. Jadson, por sua vez, tinha 1,5 milhão de seguidores.


Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Leia mais:  Confira as 10 músicas mais ouvidas no Brasil pelo Spotify
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

Após acidente, Rodrigo Mussi fica de cama por problema no estômago

Publicado

Nesta quarta-feira (29), Rodrigo Mussi explicou para os seguidores porque estava sumidos das redes sociais. O gerente comercial disse que estava de cama por um problema no estômago.

“Não sumi, não. É que ontem fiquei muito doente, de cama mesmo, tive um problema enorme no estômago, mas já estou melhorzinho, melhorando”, disse ele no Instagram.

Em seguida, Rodrigo falou de alguns comentários que tem recebido: “Estou vendo o pessoal falar ‘que fase’. Mas está bom, que fase, mas estou voltando. Pode vir quaquer coisa, que vou tentar até o final”.

O ex-BBB se recupera de uma grave acidente de carro, que sofreu no final de março deste ano. Na ocasião, ele sofreu traumatismo crâniano e lesões na perna, por isso ficou internado na UTI e passou por cirurgias. 

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Leia mais:  Pedro Sampaio faz sucesso em Portugal com single "Dançarina"
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana