conecte-se conosco


MATO GROSSO

Governador assina ordem de serviço para construção do Hospital Regional do Araguaia

Publicado

O governador Mauro Mendes assina nesta sexta-feira (10.06) a ordem de serviço para início das obras do Hospital Regional do Araguaia, em Confresa (a 1.160 km de Cuiabá). O investimento será de R$ 109 milhões.
  
“Esta é uma ação esperada, há décadas, pela população do Araguaia. Hoje, quem mora na região muitas vezes precisa se deslocar por mais de 1.000 km para conseguir um atendimento de alta complexidade ou fazer uma cirurgia. Estamos fazendo a Saúde funcionar e chegar mais próxima do cidadão”, destacou o governador Mauro Mendes.

Projetado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), o Hospital Regional do Araguaia contará com 151 leitos, sendo 111 leitos de enfermaria e 40 leitos de UTI, entre adulto, pediátrico, neonatal e unidade semi-intensiva neonatal, para atendimentos de média e alta complexidade.

A unidade também terá 10 consultórios médicos, dois consultórios para atendimento às gestantes, seis salas de centro cirúrgico e espaços para banco de sangue, banco de leite materno e para a realização de exames como tomografia e colonoscopia.

“A população dos municípios da região do Araguaia contará com um hospital mais próximo. Os pacientes não precisarão se deslocar vários quilômetros à procura de especialidades de saúde em outras cidades. O Governo do Estado prioriza a saúde, para promover um atendimento ágil, moderno e de qualidade”, concluiu a secretária estadual de Saúde, Kelluby de Oliveira.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Operação prende quatro motoristas por embriaguez ao volante em Cuiabá
publicidade

MATO GROSSO

Moradores de Alta Floresta destacam a importância do Hospital Regional para a população

Publicado

A construção do novo Hospital Regional de Alta Floresta foi iniciada nesta terça-feira (28.06), após assinatura da ordem de serviço emitida pelo governador Mauro Mendes e pela a secretária de Estado de Saúde, Kelluby de Oliveira.

A região de saúde do Alto Tapajós, que conta com seis municípios, receberá um novo hospital de média e alta complexidade. O investimento será de R$ R$ 112,3 milhões.

Funcionário de uma farmácia em Alta Floresta, Flávio Domingos comemorou o início da construção. “É uma alegria enorme ver que a população não vai precisar mais fazer o sacrifício de depender de ambulância para deslocamento para Sinop ou Cuiabá. Correndo o risco de muitas vezes nem conseguir o tratamento. Teremos a saúde de forma eficaz bem perto da gente”, disse.

Outra moradora bastante satisfeita com a notícia é a Cleci Simione, que é gerente de uma loja em Alta Floresta. Ela reforça que a cidade é muito carente de assistência em saúde e está geograficamente distante dos polos assistenciais.

A moradora ainda conta que o esposo precisou ficar 30 dias internado em Cuiabá, na tentativa de conseguir uma vaga hospitalar. “Quando precisa de UTI, tem que ir para fora. O hospital vai melhorar muito [o atual cenário], porque temos muitas pessoas carentes. Não será mais necessário sair para fora para fazer o tratamento, podendo tratar na nossa própria cidade. Isso traz uma tranquilidade para toda a população”, avaliou.

Projetado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), o Hospital Regional de Alta Floresta contará com 151 leitos, sendo 111 leitos de enfermaria e 40 leitos de UTI, entre adulto, pediátrico, neonatal e unidade semi-intensiva neonatal, para atendimentos de média e alta complexidade.

Leia mais:  Governo de MT aplica R$ 159,8 milhões em obras e ações para 9 municípios da Região Norte

A unidade também terá 10 consultórios médicos, dois consultórios para atendimento às gestantes, seis salas de centro cirúrgico e espaços para banco de sangue, banco de leite materno e para a realização de exames como tomografia e colonoscopia.

A dona Gislaine Cristina Garcia veio de São José do Rio Preto para Alta Floresta e mora no município há quase dois anos. Atualmente, ela faz doces para vender e está bastante animada com a notícia da construção do hospital em seu município de residência.

“A cidade vai ser muito beneficiada em ter um hospital aqui. O que nos preocupa hoje é a falta de atendimento devido à logística, porque Alta Floresta fica um pouco longe do polo de Sinop, então fico temerosa. Mas agora, com a construção do Hospital Regional, com toda certeza, a população vai ganhar muito com isso”, pontuou.

Além de Alta Floresta, o Hospital Regional será referência para os municípios Apiacás, Carlinda, Nova Bandeirantes, Nova Monte Verde e Paranaíta.

Novos Hospitais

Além do início das obras do Hospital Regional de Alta Floresta, o Governo de Mato Grosso também iniciou neste ano a construção dos Hospitais Regionais de Tangará da Serra, de Juína e do Araguaia, em Confresa.

Em Cuiabá, o Estado executa as obras do Hospital Central, que ficou paralisado por mais de 30 anos, e do novo Hospital Júlio Muller.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Governo de MT forma 230 brigadistas comunitários para prevenção e combate ao fogo

Publicado

Mais quatro turmas de brigadistas comunitários se formaram por meio do projeto de educação ambiental do Governo de Mato Grosso, que atua nas comunidades promovendo instruções sobre primeiros-socorros, prevenção e combate ao fogo. No total, 9 cursos foram ministrados, com a formação de 230 brigadistas em 2022.

A ação antecede o período proibitivo do fogo, que tem início em 1º de julho deste ano. As formaturas, que foram realizadas no último fim de semana (25 e 26.06), de forma simultânea em quatro comunidades de diferentes municípios do Estado, capacitou 80 moradores, que receberam um certificado de formação com carga horária de 24 horas.

As comunidades abrangidas foram: Quilombo Itambé, em Chapada dos Guimarães; Monumento Natural Morro Santo Antônio, em Santo Antônio de Leverger; Parque Estadual Serra de Ricardo Franco, em Vila Bela da Santíssima Trindade; e Parque Estadual Dom Osório Stoffel, em Rondonópolis.

“O curso de formação de brigadistas florestais é de extrema importância para as comunidades do entorno do Parque Dom Osório, pois foram ensinadas ações para evitar o início do fogo na vegetação e também mecanismos para supressão do incêndio quando já existir, que são essenciais na preservação do meio ambiente”, ressalta a gerente do Parque Estadual Dom Osório Stoffel, Dayana Velasco.
 
O curso foi promovido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Mato Grosso (CBM-MT), por meio do 3º Batalhão de Bombeiro Militar de Rondonópolis (CRBM-II), em parceria com a Superintendência de Educação Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), mobilização da Diretoria Regional de Rondonópolis e com apoio do Programa REM-MT.
 
“O objetivo é passar todas as instruções, tanto na teoria quanto na prática, para que a comunidade consiga executar de forma correta o manejo do fogo e assim evitar os incêndios florestais, e, mais do que isso, promover a preservação do meio ambiente”, explicou o 1º Tenente Bombeiro Militar do CRBM-II Wolf Tarik Souza Gomes.

Leia mais:  Governo de MT aplica R$ 159,8 milhões em obras e ações para 9 municípios da Região Norte


O assentamento Carimã, localizado no entorno do Parque Estadual Dom Osório Stoffel, no município de Rondonópolis (216 km de Cuiabá), possui cerca de 196 lotes que têm em sua maioria a atividade agropecuária e turismo ecológico como fonte de renda.
 
Emerson Alencar, zootecnista e membro do Conselho Consultivo do Parque, é morador do assentamento e acredita na iniciativa. “Já nos deparamos com várias situações de incêndio na comunidade, tanto nas matas quanto nas lavouras, e o curso veio em boa hora para nos auxiliar no combate aos incêndios, não só dentro da nossa propriedade, mas também na dos vizinhos e no próprio parque”.

Um dos moradores mais antigos do assentamento, desde 1998, Matias Xavier Moreno, 66 anos, afirma sobre a importância do curso. “O aprendizado que o curso trouxe para a comunidade, tanto de primeiros-socorros quanto na prática de apagar o fogo, serão muito úteis no dia a dia, pois já tivemos situações de queimadas com prejuízos, por não saber como conter o fogo no início”.

Matias também exalta o fato de aprenderem a utilizar as bombas d’água que possuem nos sítios, com a mesma função das mochilas costais (reservatório que transporta água e serve para combater o fogo) durante a formação de brigada em campo.
 
Na ocasião foram entregues 30 abafadores, confeccionados por reeducandos com borracha e madeira apreendidos, que serão distribuídos entre as comunidades do entorno do Parque, para o uso em caso de início de focos de calor.


Período proibitivo do fogo
 
Mato Grosso decretou o período proibitivo do fogo entre 1º de julho e 30 de outubro e declarou situação de emergência ambiental entre maio e novembro de 2022 pelo risco de propagação de focos de incêndio em áreas rurais. As normas estão dispostas no decreto nº 1.356, de 13 de abril de 2022. Com o decreto, fica proibida qualquer atividade de limpeza de pastagem com o uso do fogo nas áreas rurais até o final do período proibitivo. O uso do fogo em áreas urbanas é proibido o ano todo.

Leia mais:  Governo de Mato Grosso investe mais de R$ 43 milhões em Matupá

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana