conecte-se conosco


MATO GROSSO

Sema solta mais de 200 tartarugas capturadas ilegalmente no Parque Estadual do Araguaia

Publicado

Mais de 200 tartarugas foram soltas durante operação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) no Parque Estadual do Araguaia, no município de Novo Santo Antônio. A fiscalização aconteceu após a Sema receber denúncia sobre irregularidades no local. 

A ação resultou na apreensão de 250 kg de pirarucu, duas embarcações de alumínio, dois motores rabeta e três tarrafas. As tartarugas libertadas estavam presas dentro de sacos que seriam usados para transportá-las para fora da Unidade de Conservação Integral.

“Nesta época que inicia o período da seca dos rios é que se começa a caça de tartaruga e a pesca de pirarucu. O parque é uma área de 223 mil hectares, o que dificulta o monitoramento intensivo, mas mantemos uma fiscalização de rotina e contamos com o apoio da população para denúncia”, afirma o gerente do Parque Estadual do Araguaia, Davilas Cavalcante.

Os pescados foram doados para o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) de São Felix do Araguaia e Novo Santo Antônio.

A operação foi coordenada pela Gerência do Parque Estadual do Araguaia no município de Novo Santo Antônio, com apoio da Polícia Militar Ambiental e da Coordenadoria de Fiscalização de Fauna da Sema.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Operação prende seis pessoas por embriaguez ao volante em Cuiabá
publicidade

MATO GROSSO

MTI realiza live sobre “Estimular o perfil inovador e empreendedor dos servidores públicos”

Publicado

A Empresa Mato-Grossense de Tecnologia da Informação (MTI) realizou na última quarta-feira (25.05), a 15° edição do Tech Talk online com o tema “Estimular o perfil inovador e empreendedor dos servidores públicos”. A live teve o propósito de aliar ações educativas, diálogo e a interação como estratégia para promover a cultura da inovação no setor público.

“O foco da área de Inovação é trabalhar com esses servidores com perfis empreendedores e entusiasmados, uma vez que, existe pesquisas que mostram que esse grupo tem o efeito de transmitir e espalhar a mudança de cultura para os conformados. Se fala que no futuro as universidades vão ser apenas certificadores de conhecimento e não promovedores de informação, porque estamos vivendo um tempo onde a informação virou “commodity” (mercadoria) e existe uma overdose de informação. O problema agora não é acessar a informação e sim saber que informação eu tenho que acessar”, destaca o superintendente e gestor governamental da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag-MT), Washington Fernando da Silva, que ministrou a live.

Segundo Paulo Márcio Pinheiro Macedo, gerente de Unidade de Gestão Estratégica de Inovação e Parcerias da MTI (Ugein), já existe uma busca para criar essa cultura de inovação dentro da MTI, sendo um deles o evento Tech Talk que procura trazer sempre assuntos relevantes e profissionais aptos para lecionar os mais diversos assuntos. “A nossa intenção é que cada vez mais o servidor desperte para um novo momento de inovação no serviço público”, disse.

“Se a inovação não muda a vida das pessoas não é inovação. Só é inovação se agregar valor de maneira significativa ao Governo, gerando economia, melhoria de qualidade ou transformação, esse é o conceito de inovação”, acrescentou.

Leia mais:  Operação prende seis pessoas por embriaguez ao volante em Cuiabá

Habilidade empreendedora é habilidade de se adaptar a novas realidades não só de fazer isso, mais de ser o próprio agente da transformação dentro do setor público, ser o protagonista e também o articulador para que outras pessoas colaborem para provocar a grande mudança dentro da esfera pública ou pequenas mudanças também. 

Criada no início do ano passado, a superintendência de Governança Digital e Inovação em Práticas Públicas, traz em seu do contexto geral como é a Trilha, as ferramentas e outros meios para estimular e desenvolver uma competência no servidor de inovação de empreendedorismo.

Para Washington Fernando da Silva, é possível empreender sendo servidor público, porque o conceito de empreendedorismo não está correlacionado a empresariar, muitas pessoas acham que empreender é só abrir empresas ou explorar comercialmente alguma ideia e não, empreendedorismo é transformar realidade é ter visões e levar a instituições para alcançar essas visões de evolução de inovação, esse conceito mais democrático é mundialmente aceito hoje e por isso se criou o termo intraempreendedorismo, que nada mais são que agentes de transformação que decidiram atuar dentro das corporações pública ou privada.

Ainda o gestor aponta que, cada vez mais, o ser humano vai ter que se concentrar em tarefas tipicamente humanas e menos tipicamente robóticas, esse é o termo que se utiliza muito. Segundo essa visão mundial, os trabalhadores vão ter que se adaptar a conviver com a máquina e, essa substituição é uma realidade.

A exemplo do sistema implantado no governo na parte de protocolos, tramitação de documentos, o Sigadoc, simplesmente não precisa mais de pessoas para ficar carregando processos, tudo é automatizado, essas novas tecnologias vão trazer outros tipos de trabalho.

Leia mais:  "Projetos que beneficiam a população estão finalmente saindo do papel neste Governo", destaca prefeito de Campos de Júlio

“A grande massa de servidores públicos ainda não acordou para isso, não percebeu que o trabalho dele vai ser modificado e está simplesmente deixando acontecer, temos que fazer um trabalho com os colaboradores para instruir de maneira inovadora esse aspecto que é delicado para nós”, pontuou.

*Assista o vídeo na íntegra no canal da MTI no YouTube clicando AQUI

Mini currículo do palestrante: Washington Fernando da Silva Gestor Governamental, atuando em projetos estratégicos de inovação no Governo de Mato Grosso desde 2007, foi premiado nos Prêmios Empreendedor Público e Inovar para Transformar. Atualmente ocupa cargo de Superintendente de Governança Digital e Inovação em Práticas Públicas.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Ciopaer capacita militares do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso e outros seis Estados

Publicado

O Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), vinculado à Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), mais uma vez se tornou referência na formação de agentes que compõe as forças de segurança. Desta vez, a unidade ministrou instrução ao 3° Curso de Busca Terrestre, realizado pelo Corpo de Bombeiros de Mato Grosso.

A capacitação foi realizada na base do Ciopaer no município de Sorriso (394 km de Cuiabá). Ao todo, participaram 29 alunos, do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso e de outros seis Estados, sendo Minas Gerais, Amazonas, Maranhão, São Paulo, Amapá, Roraima e o Distrito Federal. 

Na oportunidade, os bombeiros realizaram atividades inerentes às suas funções em conjunto com efetivo e aeronave do Ciopaer, treinamento em solo de embarque e desembarque com equipamentos e vítima em maca.

Além disso, os militares foram capacitados sobre Zona de Pouso de Helicóptero (ZPH), exercício simulado de busca à vítima desaparecida e outros pertinentes.  “Nossa unidade, mais uma vez, auxiliando na capacitação de agentes das forças de segurança de Mato Grosso e sendo referência para outros estados”, afirma o coordenador do Ciopaer, tenente-coronel Lima Júnior.

Combate aéreo em incêndios florestais

Na última semana, o Ciopaer ministrou instruções de combate a incêndios florestais com apoio de helicópteros durante o 3° Estágio de Operações Helitransportadas do CBMT em Cuiabá. A capacitação contou com a participação de nove integrantes do Corpo de Bombeiros do Estado e dois de Mato Grosso do Sul. As instruções foram realizadas no hangar do Ciopaer, na Lagoa Trevisan e na região do Coxipó do Ouro.

O capitão do CBM-MT, Felipe Mançano Sabóia, reconheceu a importância das práticas conjuntas entre as instituições. “É um treinamento de extrema importância para o sucesso das operações de combate a incêndio no estado e capacitação dos nossos militares”, disse.

Leia mais:  Operação prende seis pessoas por embriaguez ao volante em Cuiabá

O coordenador do Ciopaer, tenente-coronel Lima Júnior, enfatizou que a unidade especializada possuí característica de estar presente e ajudar a sociedade em uma gama muito grande de missões, tendo em vista que as aeronaves podem ser utilizadas de maneiras bastante ersáteis.

“Para o Ciopaer, é uma honra atender as instituições do nosso Estado e, indiretamente, a nossa sociedade. No caso das instruções ao Corpo de Bombeiros, é imprescindível que possamos trabalhar em conjunto visando mitigar os efeitos das queimadas no nosso estado”, destacou.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana