conecte-se conosco


POLÍTICA NACIONAL

Queiroz negocia ida ao PTB e chama Jefferson de “verdadeiro patriota”

Publicado


source
Queiroz negocia ida ao PTB e chama Jefferson de
Reprodução

Queiroz negocia ida ao PTB e chama Jefferson de “verdadeiro patriota”

Ex-assessor do  senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), Fabrício Queiroz deve se filiar ao PTB, partido do  ex-deputado Roberto Jefferson, a quem chamou de “verdadeiro patriota”. Segundo o ex-policial militar, investigado no inquérito das rachadinhas, ele conversou com a presidente do partido, Graciela Nienov, e vai marcar uma reunião com o dirigente da sigla no Rio, o deputado estadual Marcus Vinicius Neskau, para tratar do assunto.

“Vou pedir uma agenda com presidente regional do Rio, o Neskau, para falarmos do assunto”, disse Queiroz.

A informação foi noticiada primeiro pela Revista Crusoé e confirmada pelo Globo. De acordo com Queiroz, a escolha pelo  PTB se deu pelo partido ser conservador. Porém, embora afirme que conversou com Graciela, a dirigente da legenda nega que tenha tratado com o ex-assessor de sua filiação e de uma eventual candidatura.

“Nunca conversei com ele nada sobre isso”, afirma Graciela, que completa: “Já encontrei ele. Não dá para dizer que nunca encontrei ele, mas nunca para falar de candidatura, para nada. Até porque quem trata disso no Rio é o Neskau. Eu não trato nem de [candidatura] federal nem de estadual, essa não é minha tarefa. Essa tarefa é do dirigente estadual.”

A presidente do PTB esteve nesta terça-feira com Flávio e com o presidente Jair Bolsonaro. Graciela afirmou que possibilidade de Queiroz se filiar ao seu partido também não foi abordada pelo senador.

Tanto o parlamentar quanto o ex-assessor são investigados no suposto esquema de “rachadinha” na época em que Flávio era deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A prática, segundo a denúncia, consistia na devolução de parte do salário dos assessores do então deputado a ele próprio.

Leia mais:  Olavo de Carvalho morre aos 74 anos

Leia Também

Questionada, Graciela disse que não poderia opinar sobre a possível filiação de Queiroz ao PTB:

“Não o conheço assim para dizer se é bom ele vir ou não vir para o partido. Não conheço a história dele e não conheço a realidade do Rio de Janeiro.”

O dirigente estadual do PTB no Rio, por sua vez, disse que ainda não foi procurado por Queiroz, mas afirmou que não vê impedimentos para sua filiação.


“Se ele pode ser candidato e vai trazer votos ao partido, não vou impedir [sua filiação]. Para mim, será tratado como um filiado comum, como qualquer outro”, afirmou Neskau.

Neskau chegou a ser preso na Operação Furna da Onça, desdobramento da Lava-Jato no Rio que investigou o pagamento e recebimento de propinas na Alerj. O inquérito trouxe à tona o caso da rachadinha envolvendo Flávio Bolsonaro e Queiroz ao investigar movimentações financeiras atípicas feitas pelo ex-assessor.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaristas lamentam a morte de Olavo de Carvalho: “Foi um gigante”

Publicado


source
Bolsonaristas lamentam a morte de Olavo de Carvalho:
Reprodução

Bolsonaristas lamentam a morte de Olavo de Carvalho: “Foi um gigante”

Com a  morte do guru bolsonarista Olavo de Carvalho, aos 74 anos de idade – em Richmond, no estado norte-americano da Virgínia -, apoiadores que integram o governo brasileiro publicaram mensagens lamentando a partida do escritor.

O presidente Jair Bolsonaro escreveu que o Brasil perdeu “um dos maiores pensadores da história” e que Olavo foi “um gigante na luta pela liberdade e um farol para milhões de brasileiros. Seu exemplo e seus ensinamentos nos marcarão para sempre”.

Eduardo Bolsonaro, deputado federal e tido como o filho mais ideológico do presidente, afirmou que os “livros, vídeos e ensinamentos” de Olavo “permanecerão por muito tempo ainda”.

Leia Também

Leia mais:  Weintraub será ouvido pela Polícia Federal a mando de Moraes

O vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro, contou que conheceu o filósofo “de forma espontânea em 2012, em seu programa de rádio” e agradeceu por Olavo ter semeado “em uma terra arrasada chamada Brasil”.


Embora tenha sido diagnosticado com Covid-19 em 16 de janeiro, a causa da morte do escritor ainda não foi anunciada.

Comentários Facebook
Continue lendo

POLÍTICA NACIONAL

Olavo de Carvalho morre aos 74 anos

Publicado


source
Olavo de Carvalho morre aos 74 anos
Reprodução/Divulgação

Olavo de Carvalho morre aos 74 anos

O escritor bolsonarista  Olavo de Carvalho faleceu, aos 74 anos, na noite de 24 de janeiro. A notícia da morte foi comunicada pela família nas redes sociais do autor. Segundo a postagem no Twitter, o guru da família Bolsonaro estava hospitalizado na região de Richmond, no estado da Virgínia (EUA).

Olavo de Carvalho foi diagnosticado com Covid-19 em 16 de janeiro. Oficialmente, porém, a causa da morte ainda não foi divulgada.


Em seu perfil, também no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro lamentou a morte: “Nos deixa hoje um dos maiores pensadores da história do nosso país, o Filósofo e Professor Olavo Luiz Pimentel de Carvalho. Olavo foi um gigante na luta pela liberdade e um farol para milhões de brasileiros. Seu exemplo e seus ensinamentos nos marcarão para sempre”, escreveu.

Em julho do ano passado, o escritor – ferrenho crítico às universidades públicas brasileiras – havia sido internado às pressas no Instituto do Coração, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (InCor), em São Paulo.

Leia Também

Leia Também

Naquela ocasião, foi submetido a uma cirurgia renal (um mês antes, Olavo tinha operado um câncer na bexiga, nos EUA). Depois de receber alta, teve novas complicações e passou mais de quatro meses internado na clínica Saint Marie, na Zona Sul da capital paulista.

Leia mais:  Rosa Weber pede à PGR apuração sobre atraso na vacinação infantil

No dia 9 de novembro, ainda internado, Olavo recebeu uma intimação para depor no inquérito sobre a existência de milícias digitais. No dia seguinte, ele fugiu da clínica e, no dia 13 de novembro, voltou para os Estados Unidos.


Olavo de Carvalho, que nasceu em Campinas, interior de SP, em 1947, era cardiopata e portador da Doença de Lyme, infecção transmitida por carrapatos. Autointitulado professor de filosofia e apoiador do conservadorismo, o escritor deixa a esposa, Roxane, oito filhos e 18 netos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana