conecte-se conosco


MATO GROSSO

Conselho Estadual dos Direitos da Mulher realiza ato de protesto em prol das vítimas de feminicídio

Publicado


O Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDM), órgão vinculado a Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), realizou, nesta quarta-feira (01.12), um ato em protesto pelas 40 vítimas de feminicídio em Mato Grosso em 2021.

O evento, que ocorreu na Praça Alencastro, em Cuiabá, integra a campanha internacional de 21 dias pelo fim da violência contra a mulher.

Glaucia Amaral, presidente do CEDM e uma das organizadoras do evento, conta que a escolha de realizar o ato em praça pública é fruto da intenção de estar perto da população, que não compareceria em um evento em sala fechada.

De forma artística, as organizadoras instalaram um varal com 40 peças de roupa manchadas com tinta vermelha, simbolizando as vidas perdidas pelo crime de feminicídio no Estado neste ano. No local também estavam expostas mesas com cartilhas de orientação para as mulheres. Além de apresentações culturais feitas por mulheres, como dança tradicional cuiabana e hip-hop.

Mariel Antonini Dias Viana, delegada de polícia, titular da Delegacia da Mulher em Várzea Grande e membro do CEDM, destacou a relevância de mostrar para a sociedade a importância do combate à violência contra a mulher.

“Os índices são assustadores. Somente em 2021, já tivemos 40 mulheres assassinadas por companheiros e ex-companheiros. Analisando as estatísticas, Mato Grosso teve 78 mortes de mulheres no ano, e dessas, mais da metade morreram em decorrência de violência doméstica e familiar, além disso, 56% desses feminicídios ocorreram dentro de casa”.

O termo feminicídio ganhou destaque após a Lei Federal 13.104/15, popularmente conhecida como a Lei do Feminicídio, denominando o assassinato de mulheres cometido em razão do gênero, ou seja, a vítima é morta por ser mulher.

Leia mais:  Dez motoristas são presos por embriaguez ao volante em Cuiabá

A delegada Mariel pontua que em Mato Grosso já foram expedidos aproximadamente 12 mil pedidos de medidas protetivas até agora. De acordo com ela, essas medidas possuem grande resolutividade e contribuem para diminuição dos índices de feminicídio.

“Podemos observar que das 40 vítimas deste ano, 35 não possuíam a medida restritiva. É importante que essa mulher procure uma delegacia para registrar a ocorrência, porque isso pode salvar a vida dela. Sem a denúncia, essas mulheres ficam invisíveis aos olhos do Estado”.

Ela aproveitou a oportunidade para citar o aplicativo SOS Mulher, conhecido como botão do pânico virtual, que está disponível para os municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis e Cáceres.

“Em Mato Grosso, até agora, já tivemos 63 acionamentos de vítimas em situação de risco que foram atendidas pela segurança pública. Essas medidas evitam que tenhamos índices de assassinatos maiores ainda”.

Para acionar o botão do pânico, a vítima já tem que ter solicitado uma medida protetiva, onde ela informa se deseja a ferramenta virtual, que será autorizada pela Justiça e pode ser acionada quando o agressor descumprir a medida.

Ao ligar o botão no aplicativo, em 30 segundos o pedido chega ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) da Sesp, que enviará a viatura mais próxima, em socorro à vítima.

Já pelo site sosmulher.pjc.mt.gov.br, a vítima de violência doméstica e familiar pode solicitar a medida protetiva de urgência, sem a necessidade de se deslocar até uma delegacia da Polícia Civil. Assim que a vítima preenche todos os dados no formulário do site, a medida é analisada por um delegado que, na sequência, a envia a um juiz, que vai analisar o pedido.

A medida protetiva é integrada ao Processo Judicial eletrônico (PJe), de forma ágil e segura, com resposta à vítima em poucas horas. Mato Grosso possui delegacias especializadas de Defesa da Mulher, Plantão 24h e outros serviços de proteção e atendimento a vítimas de violência doméstica.

Leia mais:  Ação integrada apreende carga de pasta base avaliada em R$ 14,3 milhões

Onde buscar ajuda:

CUIABÁ – PLANTÃO 24H DE ATENDIMENTO A VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E SEXUAL
Av. Dante Martins de Oliveira s/n bairro Planalto – Cuiabá / MT
Tel: (65) 3901-4254 / 3901-4229

DELEGACIA ESPECIALIZADA DE DEFESA DA MULHER
Funcionamento: 8 às 18h
Endereço: Avenida Carmindo de Campos, nº 2.109, esquina com Rua Bahia, bairro Jardim Paulista.
Tel: Recepção 3901-4277 / Cartório Central 3901-5344 /
Obs: (Tem equipe plantonista noturna para acompanhamento a vítimas de estupro)

VÁRZEA GRANDE
DELEGACIA ESPECIALIZADA DE DEFESA DA MULHER, DA CRIANÇA E DO IDOSO
Funcionamento: 8 às 18h
Rua Almirante Barroso, 298, Centro Sul, Várzea Grande-MT (próximo ao Terminal de ônibus André Maggi e da Defensoria Pública).
Tel: (65) 3685-1236 / 3685-2838 / 3685-8197

RONDONÓPOLIS
DELEGACIA ESPECIALIZADA DE DEFESA DA MULHER
Funcionamento: 8 às 18h
Rua Armando Farjado, 372, bairro Vila Aurora, – Rondonópolis / MT
Tel: (66) 3423-1133/ 3423-1754

BARRA DO GARÇAS
DELEGACIA ESPECIALIZADA DE DEFESA DA MULHER
Funcionamento: 8 às 18h
Rua: Carajás, nº 1156, Centro, Barra do Garças
Tel: (66) 3401 – 1388

CÁCERES

DELEGACIA ESPECIALIZADA DE DEFESA DA MULHER

Funcionamento: 8 às 18h

Av. General Osório nº. 1084 – Centro – Cáceres / MT

Tel: (65) 3223-5257/0348/ 3224- 1160

SINOP

DELEGACIA ESPECIALIZADA DE DEFESA DA MULHER, CRIANÇA, ADOLESCENTE E IDOSO

Funcionamento: 8 às 18h

Rua Colonizador Ênio Pepino, nº 3061, Setor Industrial Sul – Sinop / MT

Tel: (66) 3531 3544/ 3531 0120

TANGARÁ DA SERRA

DELEGACIA ESPECIALIZADA DE DEFESA DA MULHER

Funcionamento: 8 às 18h

Avenida Brasil esquina com Avenida Vinte e Oito, nº. 62E, Centro

Tel: (65) 3325-3413 – Tangará da Serra / MT

PRIMAVERA DO LESTE

DELEGACIA ESPECIALIZADA DE DEFESA DA MULHER, CRIANÇA E IDOSO

Leia mais:  Henrique Maluf e Cerrado Groove lançam clipe de ‘Um café num copo de extrato de tomate’

Funcionamento: 8 às 18h

Tel: (65) 99987-4074

DELEGACIA VIRTUAL (pode ser feito o pré-registro de ocorrências envolvendo violência doméstica)

https://portal.sesp.mt.gov.br/delegacia-web/pages/home.seam

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Seduc publica edital para inscrição de alfabetizadores do Programa Mais MT Muxirum

Publicado


A Secretaria Estadual de Educação (Seduc) publicou no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (28.01) o edital  01/22 que dispõe sobre o processo de indicação de coordenadores locais, inscrições para alfabetizadores e estabelece normas relativas ao funcionamento do Programa Mais MT Muxirum para o ano de 2022.

Com o objetivo de erradicar o analfabetismo nos próximos cinco anos, o programa foi lançado pelo Governo de Mato Grosso no ano passado e conta com recursos do programa Mais MT.  As ações são desenvolvidas por meio do regime de colaboração entre Estado e municípios.

“Neste ano queremos atingir a meta de ter 30 mil mato-grossenses alfabetizados. O governo vai disponibilizar todos os recursos necessários para que isso possa acontecer, além de contratar cerca de 2,6 mil professores para o programa”, destacou o governador Mauro Mendes.  

São 95 municípios em parceria com o Estado que vão indicar os coordenadores locais, no período de 14 a 18 de fevereiro de 2022. Na segunda fase, entre 22 a 25 de fevereiro, será aberta a inscrição para os alfabetizadores. A seleção dos professores será feita após entrevista agendada pelas secretarias municipais de educação e coordenadores locais. 

O resultado do seletivo de alfabetizadores deverá ser divulgado no dia 1º de março pelas secretarias municipais de Educação e Diretorias Regionais de Educação (DREs). Os alfabetizadores terão carga horária de 12 horas semanais, conforme o horário de atendimento planejado pelos coordenadores locais.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Dez motoristas são presos por embriaguez ao volante em Cuiabá
Continue lendo

MATO GROSSO

Manejo e adubação refletem em maior produção de café para agricultores de Cotriguaçu

Publicado


Assistidos há um ano pela Empresa Mato-grossense de Pesquisa e Extensão Rural (Empaer), junto ao Programa REM-MT, produtores de café de Cotriguaçu (a 940 km de Cuiabá) estão otimistas com a safra deste ano. Na segunda colheita prevista para o mês de abril, a meta é chegar a 100 sacas por hectare, 60% a mais que o total do ano passado, que chegou a 60 sacas por hectare.

O aumento na produção dos 50 produtores atendidos nesse período está relacionado ao manejo com o uso de técnicas corretas para adequação do solo, adubação, podas, manejo integrado de pragas e doenças, além do controle de plantas daninhas.

Um exemplo é a produtora Daiane Gilioli, que chegou a pensar em desistir após anos de muita dor de cabeça e despesa. Ela lembra que seu café era amarelo e já teve 70% da produção perdida por não saber como e o que fazer.

Atualmente, com 13 mil pés de café, Daiane destaca que espera ter todo investimento de anos, finalmente, revertidos em renda com a colheita de 2022. “Aprendi que tem tempo para tudo, desde a correção do solo, a adubação, a poda, até as demais técnicas. Segui todas as recomendações e vou colher o resultado de todo esse trabalho”.

O produtor Samuel dos Santos Freitas, do Projeto de Assentamento Nova Cotriguaçu, tem a mesma expectativa de aumento da produção para este ano, em que espera colher até 300 sacas em 2,4 hectares, sendo 8 mil pés de café. Além dos anos de experiência, ele destaca que a assistência da Empaer tem contribuído muito para a superação das metas.

Ainda assim, o maior temor é com as pragas, entre elas, as mais perigosas são a cochonilha e a broca. “Vi produtor perder até 40% da produção por causa dessas pragas. Em 15 dias elas se espalham pela lavoura e tudo fica comprometido. A orientação do uso e da aplicação do inseticida correto faz toda diferença”.

Leia mais:  Ação integrada apreende carga de pasta base avaliada em R$ 14,3 milhões

O engenheiro agrônomo da Empaer, Thiago Tombini, explica que todo trabalho de acompanhamento e orientações associado às práticas recomentadas vêm auxiliando na produtividade e na qualidade dos grãos colhidos.

“Tudo influencia diretamente no crescimento e produtividade do cafeeiro por fornecer nutrientes adequados à planta e, principalmente, representar alto valor no custo da produção. Além das questões técnicas sobre o cultivo, orientamos também o produtor sobre outro tema importante, que é a gestão da propriedade”.

Técnicos orientam produtores sobre o cultivo do café em Cotriguaçu – foto Empaer

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana