conecte-se conosco


CUIABÁ

Secretaria de Assistência Social garante alimento e produtos de higiene para trabalhadores do Aterro Sanitário de Cuiabá durante pandemia

Publicado


Vicente Aquino

Clique para ampliar

Coordenado pela primeira-dama de Cuiabá, Marcia Pinheiro, o trabalho de atendimento realizado pela Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência – SMASDH no Aterro Sanitário da capital tem sido de extrema importância para os trabalhadores que buscam seu sustento no local. Além da entrega diária de marmitas, há alguns meses a SMASDH tem feito entregas mensais de cestas básicas e produtos de higiene para as famílias cadastradas. “Humanização é a premissa principal da gestão Emanuel Pinheiro, então não poderíamos fechar os olhos para a situação de vulnerabilidade desta população que trabalha no Aterro Sanitário. Realizamos entregas de marmitas todos os dias e mensalmente as famílias cadastradas recebem uma cesta básica e produtos de higiene, para que possam atravessar este momento tão difícil de pandemia com um pouco mais de dignidade”, disse a primeira-dama.

A senhora Miguelina Gonçalina da Silva,  70 anos, trabalha no Aterro há 8 e foi uma das beneficiadas na última entrega de alimentos e produtos no local, ocorrida recentemente. “Essa ação da Prefeitura de trazer sacolão e produtos de limpeza para gente é uma bênção. O que a gente ganha com o trabalho aqui não dá para comprar esse tipo de coisa. É muito importante mesmo para a gente. Só Deus para recompensar vocês da Prefeitura por isso. Agradeço muito ao prefeito Emanuel Pinheiro, Jesus vai contribuir muito com ele e com sua família. Deus vai iluminar o prefeito na sua carreira, pois é um prefeito maravilhoso. Jesus vai pagar tudo o que ele tem feito por nós. O que não ganhamos aqui, a Prefeitura traz para nós”, agradeceu a idosa.

Leia mais:  Campeonato 'Xomaninho' ocorre na manhã deste sábado no ginásio Dom Aquino 

Deiseane Moraes da Silva, de 27 anos, trabalha com o esposo no Aterro há 9 anos e também agradeceu muito a ajuda da Prefeitura. “Essa doação da Prefeitura é muito boa para nós, ajuda em casa, muitas famílias precisam. Veio em boa hora essa ajuda, também por causa dos produtos de higiene, que estão muito caros. Pelo menos esse material e a cesta básica não vamos nos preocupar em comprar, pois temos que pagar as outras contas ainda”, comemorou.

A coordenadora técnica de Gestão e Políticas Sociais da SMASDH, Patrícia Cavalcante, explicou como funciona o trabalho realizado no Aterro Sanitário. “É uma ação conjunta, com o Ministério Público e a Defensoria Pública para contemplar os trabalhadores do Aterro Sanitário pelo período de 1 ano com entrega de cestas básicas por parte da Secretaria de Assistência Social. Essa iniciativa para esta população intervém direto neste contexto da pandemia, onde muitas pessoas ficaram desempregadas e hoje retiram seu sustento do trabalho no Aterro. Também realizamos o Cadastro Único das pessoas que se encontram no local todas as vezes que a ação acontece. O objetivo é promover a inclusão social, por meio dos serviços socioassistenciais, assegurando os mínimos sociais a essa população. Todas as vezes levamos uma equipe técnica do CRAS, que atendem os cidadãos esclarecendo acerca dos serviços que são disponibilizados na rede da Assistência Social no município. A cada vinda nossa aqui, percebemos que o número de famílias está aumentando. Iniciamos com 279 famílias, hoje temos 371 cadastradas.

PROGRAMA AMOR

Na ocasião, a SMASDH contou com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde – SMS, por meio do Programa AMOR – Assistência Médica e Odontológica Rural, que atendeu os trabalhadores do Aterro. “As duas equipes do Programa AMOR desenvolveram as ações de saúde a pedido da Assistência Social. Fizemos consultas médicas, distribuição de medicamentos conforme prescrição médica, vacinação com vacinas de rotina, visando captar aqueles pacientes que estão com o seu calendário vacinal ou irregular, bem como orientações e entrega de kit de saúde bucal e toda a gama de procedimentos oferecidos pela atenção básica”, explicou Marcelo Coelho, enfermeiro da equipe 1 do Programa AMOR.

Leia mais:  USF São João Del Rey e Novo Milênio realiza 'Dia D' de consultas e exames preventivos do câncer

O profissional da saúde enfatizou a importância da vacinação deste público com as vacinas de rotina. “Este é um público que vai gerar bastante resultado. Eles trabalham com resíduos onde podem encontrar perfuro cortantes, resíduos contaminados, que trazem risco de tétano, hepatite e outras doenças. Pela natureza do trabalho deles, que lidam com coisas que podem cortar a mão no vidro ou qualquer coisa do resíduo que pode vir a machucá-los, a vacina oferece essa proteção”, comentou Marcelo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários Facebook
publicidade

CUIABÁ

HMC atende a 90 pacientes oriundos de 44 municípios de Mato Grosso

Publicado


Luiz Alves/Secom

Clique para ampliar

Censo realizado nesse sábado (23) revela que o Hospital Municipal de Cuiabá Dr. Leony Palma de Carvalho – HMC mantém internados 90 pacientes vindos de 44 municípios do interior de Mato Grosso. Os que mais têm munícipes sendo atendidos no HMC são Várzea Grande (15 pacientes), Diamantino, Tangará da Serra, Rosário Oeste (5 pacientes cada), Brasnorte (4 pacientes), Arenápolis, Barra do Bugres, Rondonópolis, Sapezal e Sinop (3 pacientes cada), Campo Verde, Colniza, Nobres, Nova Mutum, Pontes e Lacerda, Santo Antônio de Leverger e Vila Rica (2 pacientes cada). As cidades de Chapada dos Guimarães, Comodoro, Paranatinga, Nova Lacerda, Juruena, Lucas do Rio Verde, Tabaporã, Aripuanã, Juína, Lambari D’Oeste, Nova Olímpia, Cotriguaçu, Porto Estrela, Nova Marilândia, Confresa, Santo Ângelo, Nova Bandeirantes, Acorizal, Colíder, Sorriso, Água Boa, Cáceres, Juara, Poconé, Nova Nazaré, Jaciara e Matupá também não puderam oferecer a assistência necessária a seus munícipes, que foram acolhidos no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC). 

Esses pacientes ocupam 40,9% dos leitos de enfermaria adulto e pediátrica, UTI adulto e pediátrica e do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) da unidade, sem contar a urgência e emergência. 

Desde o início da pandemia de covid-19, o HMC tem atuado em seu limite máximo de capacidade, atendendo a pacientes de Cuiabá, do interior e, por vezes, até mesmo de estados vizinhos, uma vez que o sistema de saúde ficou voltado majoritariamente para casos de covid-19 e o HMC tem mantido os demais atendimentos. 

O diretor da Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP), que administra o HMC, Vinícius Gatto, relata que, mesmo não sendo o fluxo regular, por vezes o HMC tem recebido demandas de porta aberta. “É corriqueiro chegar à porta do novo Pronto Socorro ambulâncias que vêm do interior com pacientes que sequer foram encaminhados pela Central de Regulação Estadual e que não conseguiram atendimento em suas cidades de origem. Para não negar atendimento e salvar vidas, recebemos essas pessoas que precisam de ajuda”, afirma. 

Leia mais:  HMC atende a 90 pacientes oriundos de 44 municípios de Mato Grosso

O diretor destaca ainda que há seis pacientes internados no HMC que já poderiam ter voltado para suas casas, o que não foi possível pois estão à espera do serviço de home care, de responsabilidade do governo estadual. “Enquanto esses pacientes não são liberados, a admissão de novos pacientes na internação fica prejudicada e muitos pacientes ficam aguardando na urgência e emergência, mas sempre recebendo toda a assistência”, relata o gestor da unidade hospitalar.  Em relação a esses pacientes, e equipe gestora do HMC entrou em contato com reguladores da Central de Regulação do Estado neste final de semana, inclusive convidando-os para verificar in loco a realidade e encontrar uma solução conjunta. Depois dessa interlocução, dois pacientes já estão sendo encaminhados para o serviço de home care.

Desde a inauguração total, em 2019, até a segunda semana de outubro de 2021, o HMC realizou 106.968 atendimentos, sendo 56.355 de urgência e emergência, 33.593 no ambulatório, 14.993 nas internações e UTIs, 407 no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), 2.027 no setor de Pediatria. Também foram realizados 13.465 cirurgias e 1.123.191 exames. A unidade hospitalar também conta, desde julho de 2020, com o Espaço de Acolhimento da Mulher Vítima de Violência, que já ultrapassou 400 acolhimentos às mulheres e seus filhos. Mais recentemente, com a transferência do programa SOS AVC do São Benedito (que ficou exclusivo para casos de covid-19, em março de 2021) para o HMC, 267 pacientes já tiveram suas vidas salvas pela equipe especializada, algo único em todo o estado. 

Além disso, o HMC tem oferecido serviços de qualidade, mesmo sem contar com o cofinanciamento do governo do Estado. Somente no último 29 de setembro é que a Comissão Intergestores Bipartite (CIB) aprovou a pactuação de 40 leitos de UTI adulto no HMC. Antes disso, a Prefeitura de Cuiabá é que vinha custeando toda a estrutura, contando apenas com aporte da União, ao passo que o financiamento deveria ser tripartite, ou seja, federal, estadual e municipal. 

Leia mais:  Evento 'Beco das Crianças' é adiado por causa da chuva

Comentários Facebook
Continue lendo

CUIABÁ

Evento ‘Beco das Crianças’ é adiado por causa da chuva

Publicado


A Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esportes e Lazer, informa que devido a forte chuva irá suspender o evento ‘Beco das Crianças’ , que iria  ocorrer na tarde deste deste domingo (24). Uma nova data para realização do evento será marcada e divulgada em breve.  A programação conta com a parceria do grupo artístico Tibanaré.  E o fomento a valorização da cultura cuiabana é parte da gestão Emanuel Pìnheiro

 

Comentários Facebook
Leia mais:  HMC atende a 90 pacientes oriundos de 44 municípios de Mato Grosso
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana