conecte-se conosco


VÁRZEA GRANDE

Saúde desenvolve ações voltadas ao ‘Setembro Amarelo’ no combate ao suicídio

Publicado


A secretaria municipal de Saúde de Várzea Grande organizou uma programação alusiva ao ‘Setembro Amarelo’, que consiste numa campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com ações em diferentes esferas sociais, a fim de promover a saúde mental e dar visibilidade aos espaços que oferecem ajuda a quem precisa.

As iniciativas desenvolvidas na Campanha oferecem apoio e suporte ao público, auxiliando na identificação dos sintomas de depressão e ansiedade, entre outros sinais, e cativar os munícipes a mobilizarem-se pela saúde e bem-estar coletivo neste sentido.

“A Saúde de Várzea Grande vem trabalhando para fortalecer o atendimento e o cuidado das pessoas, através da sua rede de saúde. Entendemos que o fortalecimento das nossas políticas públicas contribuem para a prevenção ao suicídio, cuja abordagem é complexa e necessita de ações intra e intersetoriais. Com o surgimento da pandemia da COVID-19, estudos mostram que houve aumento nos casos de  transtornos mentais, bem como, o aumento do consumo de álcool e outras drogas. Então, nosso objetivo é de alertar a população sobre o assunto, mas principalmente chamar a atenção para a prevenção e promoção da saúde mental”, enfatiza Soraya Miter Simon, Coordenadora de Saúde Mental.

O secretário municipal de Saúde, Gonçalo Aparecido de Barros, salienta que “no mês de setembro a Saúde realizará várias ações, intra e intersetorial, pois entendemos que a prevenção ao suicídio é um tema que exige ações em conjunto e por ser uma área tão importante para toda a população, vamos realizar atividades voltadas para os profissionais e para a população atendida em nossas unidades. Estamos também intensificando capacitações e envolvendo as demais secretarias que também podem ajudar nestas ações, como a Assistência Social e a Educação. É um problema que afeta milhares de famílias, não só no município, como em todo o Estado e Federação”.

Leia mais:  Equipes participam de movimento em prol do Rio Cuiabá

Segundo o superintendente da Atenção Primária a Saúde, Geovani Renfro, a programação é bem extensa com destaque para a capacitação de profissionais, com oficinas, rodas de conversa, encontros que terão como objetivo a atualização de informações, construção de fluxos, estratégias de acolhimento e detecção de riscos, acompanhamento das tentativas de suicídio e apoio aos familiares.

“A capacitação para os profissionais é uma das estratégias adotada principalmente para a Atenção Básica, pois é a porta de entrada do Sistema Único de Saúde, como ponto principal, queremos ampliar o acesso da população, onde possam receber um atendimento qualificado e humanizado”, disse Geovani Renfro.

Está previsto na programação a realização de atividades nos Centros de Atenção Psicossocial para a população atendida, por meio da Coordenação de Saúde Mental, além da inclusão de ações que serão realizadas intersetorialmente, com a Educação e a Secretaria de Assistência Social.

“Fortalecer a nossa Rede de Atenção Psicossocial também faz parte das metas da Atenção Secundária, principalmente diante desse cenário atual que estamos vivenciando, muitos perderam familiares, amigos, por isso precisamos ampliar nossa oferta de serviços que promovam a saúde mental da população, enfatiza Oswaldo Rocha Prado, superintendente da atenção secundária.

Confira a programação completa e locais de atendimento:

CAPS II de Várzea Grande:

Roda de Conversa

Dia: 16 (Quinta-feira)

Horário: 8h

Roda de Conversa

Tema: A expressão através da arte na prevenção ao Suicídio

Responsável: Maclane Lino dos Santos Garcia – Fonoaudióloga

Cinema:

Dia: 23 (Quinta-feira)

Horário: 8h

Tema: ‘’O dilema das redes’’ com Teatro do Oprimido  

Responsável:  Luciana Stella – Médica

Caps Infanto Juvenil VG:

Roda de Conversa:

Dia: 10 (Sexta-feira)

Horário: 9h   

Tema: A importância do alerta ao suicídio.

Leia mais:  Saúde de Várzea Grande comemora o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência no Centro de Reabilitação

Oficina:

Dia: 15 (Quarta-feira)

Horário: 9h

Tema: Oficina de canto/ técnica vocal (usuários e equipe)

Roda de Conversa e Oficinas:

Dia: 21/09(Terça-feira) – 13h30 – Oficina de artesanato e pintura (usuários e equipe)

Dia: 23/09(Quinta-feira) – 13h- Passeio e atividades físicas e brincadeiras (Parque Berneck)

Dia: 27/09(Segunda-feira) – 13h30-Roda de conversa com a família – Papel da família no fortalecimento da saúde mental

Dia: 29/09 (Quarta-feira) – 13h30 – Assembleia geral (usuários, familiares e equipe)

01/10 – 09h- Atividade em equipe: saúde mental do servidor

Programação das atividades Intra e Intersetoriais:

Dia: 15 (Quarta-feira) – Capacitação para equipes dos CAPS no Preenchimento da Ficha de Notificação Violência Autoprovocada

Dia: 17 (Sexta-feira) – Roda de Conversa com profissionais da Assistência Social (CRAS, CREAS)

Dia: 22 (Quarta-feira) – Oficina de Saúde Mental: Dialogando e fortalecendo o papel da atenção primária na Rede de Atenção Psicossocial.

Durante o mês de Setembro – Grupo de Sala de Espera nas Unidades Básicas de Saúde.

Dia: 29 (Quarta-feira) – Palestra Escola Militar Tiradentes – Psicólogas Calita e Nely.

Comentários Facebook
publicidade

VÁRZEA GRANDE

Saúde de Várzea Grande comemora o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência no Centro de Reabilitação

Publicado


Nesta terça-feira, dia 21 de setembro, se celebra o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, e a Secretaria municipal de Saúde de Várzea Grande por meio do Centro de Reabilitação- CER II, destaca o intenso trabalho feito no dia a dia em prol deste público nesta data comemorativa, onde o Centro proporciona atendimento a mais de 300 pessoas por mês, nas diversas especialidades para esta área em ortopedia, neurologia, psicologia, fisioterapia, nutrição, assistência social, equipe de enfermagem, totalizando 38 servidores da Saúde à disposição dos pacientes frequentadores do Centro de Reabilitação.

O dia 21 de setembro traz a reflexão sobre a importância do desenvolvimento de meios de inclusão da Pessoa com Deficiência na sociedade. O preconceito e a inacessibilidade foram os pontos centrais debatidos, por meio de palestras motivacionais no Centro.

Segundo a coordenadora do Centro de Reabilitação, Gilssa Ribeiro, a Saúde além de cuidar e tratar dos problemas físicos também cuida da autoestima para assegurar que os direitos das pessoas com deficiência sejam garantidos nos atendimentos em Saúde.

“Na Administração Pública existem muitos projetos de mobilidade urbana, acessibilidade, inclusão no mercado de trabalho e atendimento humanizado na saúde às pessoas com deficiência e famílias. Trabalhamos de forma integrada com várias Pastas da Administração Pública, como por exemplo a Assistência Social, que reconhece as necessidades da população vulnerável e ela é atendida, não só em suas necessidades de saúde, como a  inserção em programas sociais e educacionais”, disse ela, informando que o Centro de Reabilitação agrega valores no atendimento a saúde e proporciona melhor qualidade de vida ao paciente.

Como experiência verdadeira desta afirmação, a mãe da pequena Lorena de 04 anos, Creusa Lina de Arruda, conta que sua filha nasceu com Síndrome Neurológica e é cega. “Comecei a frequentar o Centro de Reabilitação faz pouco tempo, e os profissionais daqui, já ensinaram minha filha a se comunicar, pegar objetos, mexer as pernas, ela vivia deitada, agora é uma criança que sorri, interage dentro das limitações dela e consegue identificar brinquedos. Mudei todo o meu comportamento, ela tem mais qualidade de vida, dou mais atenção, converso, ela consegue entender. Estou muito alegre e agradeço a dedicação de todos, médicos, enfermeiras, as nutricionistas, que me ensinaram a adotar alimentos que correspondem às necessidades dela. Sou grata a Deus e a estes profissionais”, disse a mãe emocionada.

Leia mais:  Várzea Grande fará quatro ações de vacinação para todos os públicos inclusive jovens

“Nós atendemos aproximadamente 300 pessoas/mês, dando todo tipo de assistência e informação, através do nosso WhatsApp, aos pais, por telefone, em decorrência da pandemia  e presencialmente nas áreas de reabilitação. Adotamos políticas de inclusão e de resultado. O que queremos é que nossos pacientes dentro de suas limitações tenham uma melhor qualidade de vida”, explicou a coordenadora Gilssa Ribeiro, afirmando que os pacientes são de Várzea Grande, e são encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde ao Centro de Reabilitação.

Para o palestrante, Marcione Mendes de Pinho, advogado, com limitação motora nas pernas, disse que prefere incentivar as pessoas com deficiência , a lutar pelos seus direitos e espaços, por acreditar que as verdadeiras políticas públicas , são aquelas que garantem um mundo mais acessível para todos os seres humanos.

“ Sabemos que é preciso aprimorar cada vez mais as formas de comunicação, organizar os postos de trabalhos dentro das empresas, atuar junto ao mercado de trabalho, promover acessibilidade dentro das questões arquitetônicas e na mobilidade urbana e, acima de tudo, promover a conscientização da sociedade por meio da informação e nós trabalhamos para isso. Há muito trabalho ainda a ser realizado, muito a ser percorrido para que todas as pessoas tenham seus direitos assegurados. É preciso acabar com esse ciclo perverso de exclusão social e de preconceitos aos quais todas as pessoas com deficiência estão sujeitas no país. Hoje é dia de reconhecer, reafirmar e refletir sobre as políticas e ferramentas para a inclusão das pessoas com deficiência. Temos muitos motivos para celebrar, com muita luta ainda pela frente”, afirma ele, completando que o Centro de Reabilitação de Várzea Grande é referência e uma grande conquista de acessibilidade à Saúde, com tantos serviços à disposição para a pessoa com deficiência, conforme as necessidades e realidade da cidade.

Leia mais:  Prefeitura de Várzea Grande realiza 18ª edição do Emprego Solidário

“A gente entende que essas lutas são todas nossas. Como trabalhamos com a motivação, educação e mediação, entendemos que nosso papel, como mediadores, é investir nessa cultura de acessibilidade, de inclusão, para que as pessoas com deficiência tenham o direito garantido de poder participar de qualquer ação que tenha interesse e desejo de estar junto. Falo da vida, da perseverança e vontade de viver e lutar por espaços, de coragem, e que as limitações não sejam empecilhos, por uma vida melhor”, disse Tadeu Bezerra, portador de deficiência física e militante pelas causas da Pessoa com Deficiência. 

Comentários Facebook
Continue lendo

VÁRZEA GRANDE

Saúde de Várzea Grande comemora o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência no Centro de Reabilitação

Publicado


Nesta terça-feira, dia 21 de setembro, se celebra o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, e a Secretaria municipal de Saúde de Várzea Grande por meio do Centro de Reabilitação- CER II, destaca o intenso trabalho feito no dia a dia em prol deste público nesta data comemorativa, onde o Centro proporciona atendimento a mais de 300 pessoas por mês, nas diversas especialidades para esta área em ortopedia, neurologia, psicologia, fisioterapia, nutrição, assistência social, equipe de enfermagem, totalizando 38 servidores da Saúde à disposição dos pacientes frequentadores do Centro de Reabilitação.

O dia 21 de setembro traz a reflexão sobre a importância do desenvolvimento de meios de inclusão da Pessoa com Deficiência na sociedade. O preconceito e a inacessibilidade foram os pontos centrais debatidos, por meio de palestras motivacionai no Centro.

Segundo a coordenadora do Centro de Reabilitação, Gilssa Ribeiro, a Saúde além de cuidar e tratar dos problemas físicos também cuida da autoestima para assegurar que os direitos das pessoas com deficiência sejam garantidos os atendimentos em Saúde.

“Na Administração Pública existem muitos projetos de mobilidade urbana, acessibilidade, inclusão no mercado de trabalho e atendimento humanizado na saúde às pessoas com deficiência e famílias. Trabalhamos de forma integrada com várias Pastas da Administração Pública, como por exemplo a Assistência Social, que reconhece as necessidades da população vulnerável e ela é atendida, não só em suas necessidades de saúde, como a  inserção em programas sociais e educacionais”, disse ela, informando que o Centro de Reabilitação agrega valores no atendimento a saúde e proporciona melhor qualidade de vida ao paciente.

Como experiência verdadeira desta afirmação, a mãe da pequena Lorena de 04 anos, Creusa Lina de Arruda, conta que sua filha nasceu com Síndrome Neurológica e é cega. “Comecei a frequentar o Centro de Reabilitação faz pouco tempo, e os profissionais daqui, já ensinaram minha filha a se comunicar, pegar objetos, mexer as pernas, ela vivia deitada, agora é uma criança que sorri, interage dentro das limitações dela e consegue identificar brinquedos. Mudei todo o meu comportamento, ela tem mais qualidade de vida, dou mais atenção, converso, ela consegue entender. Estou muito alegre e agradeço a dedicação de todos, médicos, enfermeiras, as nutricionistas, que me ensinaram a adotar alimentos que correspondem às necessidades dela. Sou grata a Deus e a estes profissionais”, disse a mãe emocionada.

Leia mais:  Guarda Municipal e órgãos de segurança realizam Blitz educativa

“Nós atendemos aproximadamente 300 pessoas/mês, dando todo tipo de assistência e informação, através do nosso WhatsApp, aos pais, por telefone, em decorrência da pandemia  e presencialmente nas áreas de reabilitação. Adotamos políticas de inclusão e de resultado. O que queremos é que nossos pacientes dentro de suas limitações tenham uma melhor qualidade de vida”, explicou a coordenadora Gilssa Ribeiro, afirmando que os pacientes são de Várzea Grande, e são encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde ao Centro de Reabilitação.

Para o palestrante, Marcione Mendes de Pinho, advogado, com limitação motora nas pernas, disse que prefere incentivar as pessoas com deficiência , a lutar pelos seus direitos e espaços, por acreditar que as verdadeiras políticas públicas , são aquelas que garantem um mundo mais acessível para todos os seres humanos.

“ Sabemos que é preciso aprimorar cada vez mais as formas de comunicação, organizar os postos de trabalhos dentro das empresas, atuar junto ao mercado de trabalho, promover acessibilidade dentro das questões arquitetônicas e na mobilidade urbana e, acima de tudo, promover a conscientização da sociedade por meio da informação e nós trabalhamos para isso. Há muito trabalho ainda a ser realizado, muito a ser percorrido para que todas as pessoas tenham seus direitos assegurados. É preciso acabar com esse ciclo perverso de exclusão social e de preconceitos aos quais todas as pessoas com deficiência estão sujeitas no país. Hoje é dia de reconhecer, reafirmar e refletir sobre as políticas e ferramentas para a inclusão das pessoas com deficiência. Temos muitos motivos para celebrar, com muita luta ainda pela frente”, afirma ele, completando que o Centro de Reabilitação de Várzea Grande é referência e uma grande conquista de acessibilidade à Saúde, com tantos serviços à disposição da pessoa com deficiência, conforme as necessidades e realidade da cidade.

Leia mais:  Saúde de Várzea Grande comemora o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência no Centro de Reabilitação

“A gente entende que essas lutas são todas nossas. Como trabalhamos com a motivação, educação e mediação, entendemos que nosso papel, como mediadores, é investir nessa cultura de acessibilidade, de inclusão, para que as pessoas com deficiência tenham o direito garantido de poder participar de qualquer ação que tenha interesse e desejo de estar junto. Falo da vida, da perseverança e vontade de viver e lutar por espaços, de coragem, e que as limitações não sejam empecilhos, por uma vida melhor”, disse Tadeu Bezerra, portador de deficiência física e militante pelas causas da Pessoa com Deficiência. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana