conecte-se conosco


POLÍTICA NACIONAL

Sem previsão de alta, Bolsonaro passará por bateria de exames hoje em SP

Publicado


source
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) internado
Reprodução / Twitter / @jairbolsonaro

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) internado

O presidente Jair Bolsonaro passará por uma nova bateria de exames clínicos e laboratoriais nesta quinta-feira (14) , segundo a assessoria de imprensa do Hospital Vila Nova Star, onde ele está internado desde a noite de quarta. Com quadro considerado “estável” pelos médicos, Bolsonaro teve cirurgia descartada neste momento e deve prosseguir com tratamento clínico conservador, que envolve remédios e hidratação.

O presidente chegou no hospital da zona sul de São Paulo por volta das 19h30, transferido do Hospital das Forças Armadas, em Brasília. Ele estava acompanhado do filho, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), e do cirurgião Antonio Luiz de Macedo, que o operou em 2018, após a facada.

De acordo com a assessoria do hospital, Macedo também acompanhará Bolsonaro nesta quinta-feira, durante os exames. Foi ele quem constatou a obstrução intestinal nesta quarta, quando o presidente foi internado no Hospital das Forças Armadas, em Brasília. Há mais de dez dias o presidente se queixava de soluços persitentes.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, o senador e filho do presidente, Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) disse pretende para São Paulo na quinta-feira. Na ocasião, ele também afirmou que Bolsonaro chegou a ser intubado por “precaução” em Brasília, mas a informação não foi confirmada.

O que é obstrução intestinal? Obstrução intestinal é um bloqueio de parte do intestino (grosso ou delgado) que impede o funcionamento normal do sistema digestivo, ou a passagem das fezes. Isso pode ser provocado por questões de saúde mais graves, como tumores, ou brandas, como desdobramentos de cirurgias abdominais. Nesse caso, o problema se assemelha a uma cicatriz na área intestinal.

Leia mais:  Em live, Bolsonaro exibe vídeo que não prova fraude nas urnas eletrônicas

A obstrução intestinal, diagnosticada no presidente Jair Bolsonaro, pode ser resultado das operações pelas quais ele passou após levar uma facada, em setembro de 2018, de acordo com médicos especialistas no sistema digestivo ouvidos pelo GLOBO. Segundo os profissionais, o quadro também explica as crises de soluço que o chefe do Executivo relatou ter há mais de dez dias.

Problemas do tipo podem ser resolvidos com a ingestão de remédios ou exigir a realização de cirurgia, quando a obstrução é mais grave. Ainda segundo os médicos, em geral, essas operações não são consideradas de risco, mas tudo depende do quadro clínico do paciente, que pode ficar até dez dias internado, em recuperação. 

Você viu?

O agravamento do problema 5 de julho – Em conversa com apoiadores no Alvorada, Bolsonaro reclamou do soluço pela primeira vez. Ele disse que o problema poderia ser fruto de uma cirurgia dentária no dia 3 de julho.

7 de julho – Em entrevista à Rádio Guaíba, o presidente voltou a se queixar do problema. “Estou com soluço há cinco dias. Fiz uma cirurgia para implante dentário no sábado. Talvez em função dos remédios que estou tomando, estou 24 horas por dia com soluço”.

8 de julho – Durante a transmissão ao vivo semanal, Bolsonaro pediu desculpas e afirmou que talvez não conseguisse se “expressar adequadamente” em função das crises.

12 de julho – Após reunião no Supremo Tribunal Federal, o presidente deu entrevista a jornalistas, e os soluços permaneciam.

13 de julho – Ao chegar no Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou a apoiadores que estava sem voz e que continuava com crises de soluço.

14 de julho – Após sentir dores abdominais na madrugada, o presidente é internado no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, para investigar a causa do soluço

Leia mais:  Lula amplia vantagem sobre Bolsonaro: 43,3% a 38,2%, mostra levantamento

Histórico de cirurgias Desde que levou a facada em 2018, Bolsonaro passou por seis cirurgias, nem todas relacionadas ao atentado. O primeiro procedimento foi feito ainda em Juiz de Fora. Dias depois, passou por nova cirurgia para desobstrução do intestino no Albert Einstein, em São Paulo.

Após assumir a Presidência, fez um procedimento para retirar a bolsa de colostomia. Em setembro de 2019, passou por uma cirurgia para tirar uma hérnia na cicatriz de uma das operações anteriores. Além disso, em 2020, Bolsonaro foi submetido a uma vasectomia e retirou um cálculo renal.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

Barroso rebate críticas de Bolsonaro a urnas eletrônicas e nega fraudes

Publicado


source
Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)
Nelson Jr./SCO/STF

Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)

Nesta quinta-feira (29), o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, rebateu as críticas feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à s urnas eletrônicas. Barroso vem sendo alvo de ataques do mandatário por ser contra a implementação do voto impresso nas eleições.

O ministro disse que a adoção do voto eletrônico permitiu acabar com o coronelismo no país e com o histórico de fraudes nas apurações. “Toda eleição no Brasil tinha a suspeição da fraude, aquelas mesas apuradoras com contagem manual de votos, os votos apareciam e os votos desapareciam”, afirmou. “Desde 1996, jamais se documentou, na vida brasileira, um episódio de fraude”.

Além disso, Barroso explicou que, para que houvesse fraude, seria necessária a participação de pessoas no TSE e na própria Justiça Eleitoral. “Não há precedente e não há razão para se mexer em time que está se ganhando”.

Durante a transmissão de hoje, Bolsonaro chegou a dizer que é “estranho” o fato do presidente do TSE continuar defendendo o voto eletrônico . Segundo Barroso, a decisão preserva a democracia e não depende de “pessoas de boa-fé”, como no caso do impresso.

De acordo com ele, a proposta não é tão boa quanto parece ser. “Você não cria um mecanismo de auditoria menos seguro que o objeto que precisa ser auditado”, afirmou.

“Estamos falando de 150 milhões de votos em um país que em muitas partes e em muitas regiões se tem problemas de roubo de carga, milícia e facções criminosas… Portanto, vamos ter de transportar 150 milhões de votos com os riscos que isso envolve; temos que armazenar estes votos para que não apareçam novos votos dentro das urnas; e depois – e isso então é o filme de terror – temos de recontar estes votos à mão”, concluiu.

Leia mais:  Bolsonaro ri do caso de Joice Hasselmann, no qual ela teve seis fraturas

Comentários Facebook
Continue lendo

POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro volta a atacar Barroso em transmissão: “onde quer chegar esse homem?”

Publicado


source
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
Reprodução / YouTube

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

Na live semanal desta quinta-feira (29), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a atacar o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso devido à sua resistência à adoção do voto impresso. 

“Onde quer chegar esse homem que atualmente preside o TSE? Quer a inquietação do povo, quer que movimentos surjam no futuro, que não condizem com a democracia?”, disse ele, afirmando que Barroso não é “o dono da verdade”.

Além disso, Bolsonaro afirmou que o presidente do TSE teria articulado a aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) instituindo o voto impresso.

“Por que o presidente do TSE, na iminência de ver a PEC da deputada Bia Kicis ser aprovada na comissão especial, ele vai para dentro do parlamento, se reúne com lideranças partidárias, e, no dia seguinte, muitos desses líderes trocam membros da comissão por parlamentares contrários à PEC. Que poder esse homem tem? Por que ele não quer uma eleição democrática?”, questionou.

Você viu?

O chefe do Executivo também teceu diversas críticas ao ministro, relacionando Barroso ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e até mesmo a governantes de países liderados pela esquerda, como Argentina e Venezuela.

Nas últimas semanas, o presidente do TSE vem sendo alvo de ataques de Bolsonaro e apoiadores por defender o voto eletrônico. Barroso destaca que não há qualquer indício de falhas no sistema atual. De acordo com ele, a adoção do voto impresso, defendido pelo chefe do Executivo, trará de volta fraudes e falhas humanas, problemas já superados com a implementação do sistema eletrônico .

Leia mais:  Em live, Bolsonaro exibe vídeo que não prova fraude nas urnas eletrônicas


*Em atualização

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana