conecte-se conosco


POLICIAL

Polícia Civil acaba com festa e prende nove pessoas ligadas a organização criminosa, entre elas um dos líderes no sul do estado

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Nove pessoas ligadas a uma facção criminosa foram presas nesta sexta-feira (09.07), pela Polícia Civil, em Rondonópolis, durante cumprimento de mandados judiciais em uma investigação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF) para apurar a atuação do grupo em diversos crimes praticados no município, entre eles, tráfico de drogas. Um dos presos é um dos principais líderes da facção criminosa na região sul do estado. 

Sete homens e duas mulheres foram autuados em flagrante e vão responder por constituir organização criminosa, posse irregular de arma de fogo e munição de uso permitido, uso de documento falso corrupção de menores. Duas das prisões são decorrentes de mandados judiciais decretados pela 5a Vara Criminal de Rondonópolis. 

As prisões foram efetuadas em uma residência na Rodovia do Peixe, onde os policiais civis flagraram diversas pessoas em uma festa regada a muita bebida alcoólica e narguilé. Três veículos foram apreendidos, além de armas de fogo, celulares, anotações sobre movimentação do tráfico de entorpecentes, cartões de crédito e joias. 

A operação foi batizada de New Life em alusão às alegações de recomeço de uma nova vida pelo principal alvo da investigação. 

Cumprimento dos mandados 

A equipe da Derf cumpriu os mandados judiciais cujos alvos estavam em três diferentes endereços da cidade. Em um deles, o suspeito é investigado por tráfico de entorpecentes e de acordo com a apuração da Polícia Civil arrecadava o dinheiro da venda de drogas administrava a caixinha da taxa de segurança cobrada pela facção. Ele costumava guardar o dinheiro das drogas em locais que não chamavam a atenção da polícia e ainda burlava o sistema da tornozeleira eletrônica que devia usar por determinação judicial, sem acusar rompimento do equipamento. Ele não foi encontrado em sua residência, mas, foi localizado durante em outras buscas na residência na Rodovia do Peixe. 

Leia mais:  Polícia Civil apreende 32 tabletes de pasta base e de cloridrato de cocaína na fronteira

Em uma casa no Residencial Magnólia, os investigadores da DERF prenderam um suspeito, que já tem passagens por tráfico, em posse de porções de entorpecentes, dinheiro, além de anotações fazem menção à venda de veículos, valores e especificações técnicas comumente utilizadas para aplicar golpes pela internet. 

No terceiro local alvo das buscas, na Rodovia do Peixe, cuja investigação apontava como um ponto usado pela facção criminosa para guardar dinheiro do tráfico e promover reuniões de integrantes da organização, os policiais avistaram, logo na entrada, diversos veículos e um grupo realizando uma festa. 

Durante a abordagem, alguns suspeitos tentaram fugir dos policiais. Na residência foram encontradas diversas garrafas de bebida alcoólica, entre cerveja e uísque, energéticos e narguilés. 

O suspeito, alvo da primeira busca, foi encontrado no local e não portava a tornozeleira eletrônica. Adolescentes de diversas idades também participavam da festa.

Um dos suspeitos se identificou como dono da casa, contudo, os policiais o reconheceram como o investigado que é líder da facção e tem diversas passagens por crimes como receptação, posse irregular de arma de fogo de uso permitido, tráfico de drogas e associação ao tráfico. No quarto dele foi apreendida uma pistola calibre 9mm carregada, além de mais munições do mesmo calibre e carregadores de pistola calibre .380. 

Nascer de novo

O investigado preso, de 41 anos, disse aos policiais que a intenção dele era nascer de novo, com uma ficha totalmente limpa que possibilitasse circular livremente e, para isso, utilizou documentos falsos, inclusive para abrir uma empresa de transportes. Com ele foi apreendido um veículo sedan de luxo, avaliado em aproximadamente R$ 190 mil, cujo documento está em nome de um policial militar. 

Leia mais:  Polícia Civil prende homem reincidente que traficava entorpecentes no bairro Vila União

Os investigadores encontraram um documento de identificação com nome de uma pessoa, mas a foto que constava no RG era do homem que se apresentou como proprietário da residência. Em entrevista na DERF, ele argumentou que tirou um novo documento para ficar ‘limpo’ na praça, sem qualquer passagem criminal, viajar e montar uma empresa, sediada em Cuiabá e destinada a transportes rodoviários. A empresa foi aberta por ele com um CPF emitido em nome da mesma pessoa cujos dados constavam no RG. 

Durante as buscas nessa casa na Rodovia do Peixe, a equipe da Derf identificou ainda um suspeito que estava com mandado de prisão em aberto decretado em outra operação deflagrada pela unidade especializada. Na época da operação ele conseguiu escapar e mantinha-se foragido até esta sexta-feira. 

Em um dos veículos aprendidos na residência constava um adesivo utilizado para identificar quem é protegido pela facção e que o proprietário paga a ‘caixinha’ da organização. 

Informações apuradas pelas equipes apontaram que as duas mulheres presas seriam as responsáveis por organizar a ida das menores de idade para participarem da festa.

A casa onde os suspeitos estavam possui piscina, todos os quartos com ar-condicionado e televisores e uma passarela que leva até a beira do rio, além de diversos eletrodomésticos.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
publicidade

POLICIAL

Polícia Civil cumpre 31 ordens judiciais contra grupo criminoso investigado por sonegação e ameaças contra servidores de posto fiscal em MT

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil de Mato Grosso deflagrou na manhã desta terça-feira (27.07), a Operação Mustela Putorius para cumprimento de 31 ordens judiciais dentro do inquérito que apura crimes contra a ordem tributária e de organização criminosa praticados em um posto fiscal da Secretaria de Estado de Fazenda no município de Barra do Garças (509 km a leste de Cuiabá). As ordens judiciais são cumpridas em Mato Grosso, Goiás e Santa Catarina.

Com apoio da Sefaz, a operação cumpre 11 mandados de busca e apreensão, seis instalações de tornozeleira eletrônica, 10 mandados de intimações visando à proibição de frequentar o pátio do Posto Fiscal; duas suspensões do exercício da função pública na Unidade de Fiscalização de Barra do Garças e duas proibições atividade econômica ou financeira no raio de mil metros das intermediações do posto de fiscalização.

A investigação tem por objetivo desarticular uma organização criminosa responsável por um esquema de sonegação fiscal consolidado com o “furo” de posto, cujo fato gerou prejuízo aos cofres estaduais. Conforme a apuração da Defaz, a ação dos batedores/atravessadores investigados auxiliou de 15 a 20 caminhões diariamente, que deixaram de recolher, aproximadamente, R$ 50 milhões no último ano, a maior parte de ICMS incidente sobre o grão escoado a outros estados da federação.

Com a deflagração da operação e coibindo a prática criminosa investigada, o Governo do Estado estima um aumento de receita aos cofres públicos.

Furo de posto

A investigação conduzida pela Defaz contou com auxílio da Delegacia Regional de Barra do Garças e teve início a partir do recebimento de informações da Corregedoria Fazendária e Superintendência de Controle e Fiscalização de Trânsito sobre irregularidades detectadas no Posto Fiscal da Sefaz em Barra do Garças. Os dados indicavam indícios de ações articuladas por um grupo criminoso, liderado por um ex-colaborador, voltado para a prática de sonegação fiscal. Além disso, os integrantes da organização criminosa ameaçaram colaboradores e servidores do Posto Fiscal durante as atividades funcionais.

Leia mais:  Investigador de MT é o primeiro a se formar instrutor de armamento e tiro pela Academia Nacional de Polícia

Durante a investigação da Polícia Civil, foram reunidos indícios robustos contras os grupos criminosos responsáveis por orientar condutores de caminhão a simular a parada no Posto Fiscal, passando pela unidade sem a devida fiscalização, além de transmitir aos motoristas os melhores horários e rotas alternativas para escaparem da atuação fiscalizatória.

Diante dos elementos coletados durante a investigação, a Defaz representou pelos mandados judiciais, que tiveram manifestação favorável da 14ª Promotoria de Justiça da Capital, e foram deferidos pela 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá. As ordens judiciais estão sendo cumpridas nas cidades de Barra do Garças, Aragarças (GO) e Balneário Barra Sul (SC).

A Operação Mustela Putorius tem apoio de equipes da Delegacia de Combate à Corrupção, Gerência de Operações Especiais, Delegacias Regionais de Barra do Garças e Água Boa. No  cumprimento de mandado judicial em Santa Catarina, a Defaz contou com apoio da Polícia Civil de Balneário Barra Sul.

Mustela Putorius é o nome científico do furão, remetendo à ideia de “furo” ao Posto Fiscal.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

POLICIAL

Investigador de MT é o primeiro a se formar instrutor de armamento e tiro pela Academia Nacional de Polícia

Publicado


Assessoria | Polícia Civil-MT

Um investigador da Polícia Civil de Mato Grosso é o primeiro profissional de segurança pública do Estado a se formar como professor no curso de Armamento e Tiro da Polícia Federal, promovido pela Academia Nacional de Polícia em Brasília (ANP).

Vinícius Alves Câmara está lotado na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá) e é formado em Operações Táticas Especiais, Operador do Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra), Car System, entre outras capacitações.

A ida do servidor para o curso e intercâmbio na ANP faz parte do planejamento da Diretoria Geral instituição, com intuito de formar policiais para atualização em técnicas de tiro e manuseio de armas em Mato Grosso, em razão da mudança da plataforma de armas curtas da Polícia Civil, com a aquisição das pistolas Glock G19 geração 5.

Para ingressar no curso na Academia Nacional de Polícia, ele participou de um processo seletivo que contou com mais de 350 policiais de diversas forças de segurança do País, como Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Agência Brasileira de Inteligência, Polícia Civil e Polícia Militar, sendo que somente 87 policiais foram aprovados.

Qualificação

O curso de tiro teve a duração de três semanas, sendo realizado o pré-teste, onde os candidatos foram submetidos à realização de tiro, montagem e desmontagem de armas da Polícia Federal (pistola Glock G17, submetralhadora HK MP5, Fuzil HK G36 e espingarda Benelli M3), nomenclatura de peças, manejo (inspeção, municiamento e desmuniciamento) de acordo com as notas técnicas, teste físico, prova teórica e entrevista.

O curso ocorreu de 28 de junho a 16 de julho, com 150 horas-aula. Foram abordadas diversas disciplinas dirigidas a professores de armamento e tiro, como didática: funcionamento das armas; legislação; fundamentos de tiro e regras de segurança; posições de tiro; pronto-socorro em atividade policial; ópticos e optrônicos; autodefesa; postura e condutas de professor; saque com uso velado de arma; características do treinamento de tiro; tiro em baixa luminosidade; tiro de precisão e balística; manutenção de armas de fogo; recarga de munições; resolução de panes no armamento; balístico terminal; simulador noturno; transição de armas e tiro esportivo.

Leia mais:  Polícia Civil prende homem reincidente que traficava entorpecentes no bairro Vila União

Entusiasmado pela oportunidade de aprendizado e experiência, o investigador agradeceu a Polícia Civil de Mato Grosso pela oportunidade em participar do 21º CFPAT – ANP. “O empenho da atual gestão demonstra seu compromisso com a segurança pública no sentido de buscar não só o melhor armamento para a Polícia Civil, mas também o melhor conhecimento para seus policiais. Essa capacitação proporcionará um nivelamento de técnicas e procedimentos aos policiais de Mato Grosso. Também agradeço aos colegas da Polícia Federal de Rondonópolis que muito ajudaram durante os treinamentos ao longo deste ano e, sem essa parceira, jamais conseguiria alcançar o objetivo de ser um camisa vermelha”, disse o investigador Vinícius Câmara.

A Academia Nacional de Polícia (ANP), coordenada pela Polícia Federal, é referência na América Latina no quesito Armamento e Tiro, em padronização de procedimentos e das técnicas aplicadas desde a formação do policial federal até o treinamento continuado, que ocorre várias vezes ao ano, e que são levados aos profissionais pelos professores do Serviço de Armamento e Tiro.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana