conecte-se conosco


CUIABÁ

Estudantes participam de avaliação diagnóstica presencial nas unidades da rede pública municipal

Publicado


Jorge Pinho

Clique para ampliar

Estudantes da rede pública municipal de Cuiabá estão participando de uma avaliação diagnóstica, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, para verificar o nível de aprendizagem e orientar o replanejamento pedagógico, para o segundo semestre deste ano. A avaliação acontece de forma presencial, escalonada, com a autorização dos pais ou responsáveis e adoção de todas as medidas de biossegurança, como distanciamento físico (de 1,5 m), disponibilização de álcool em gel e número restrito de estudantes por sala de aula.

A princípio, somente os estudantes dos 5º e 9º Anos do Ensino Fundamental fariam a avaliação.  Isso porque esses estudantes irão participar no período de 8 de novembro a 10 de dezembro, do SAEB – Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2021.

Entretanto, a iniciativa acabou recebendo a adesão de várias unidades, e a participação de estudantes de outros anos do ensino fundamental. A secretária Municipal de Educação, Edilene de Souza Machado falou sobre a importância da realização da avaliação diagnóstica, que não é obrigatória. “As unidades consultaram os pais, que autorizaram a participação das crianças/estudantes. Para a realização da avaliação estão sendo adotadas as medidas de biossegurança previstas no Plano Estratégico de Retorno às Atividades Presenciais da Rede Municipal de Cuiabá, garantindo a segurança dos estudantes e dos profissionais envolvidos e, a partir dos resultados, a Secretaria de Educação e as equipes gestoras das unidades poderão fazer o replanejamento pedagógico para o segundo semestre do ano letivo de 2021, definindo as habilidades a serem trabalhadas com base em dados concretos”, explicou Edilene Machado.

O coordenador de Organização Curricular, Marco Antônio Alves Braga disse que a avaliação diagnóstica vem sendo realizada por algumas unidades desde o mês de junho. “As unidades educacionais são autônomas para decidirem o momento em que vão realizar a avaliação entretanto, são orientadas e enviam suas propostas para serem homologadas e acompanhadas pela Secretaria de Educação. É de extrema importância a realização do diagnóstico e pensamos em 100% dos estudantes, pois aqueles que não o fizerem presencialmente, poderão receber a prova física. O importante é que tenhamos o maior número possível de participação e, desta forma, realizar novos olhares para o ensino e para a aprendizagem”, disse o coordenador.

Leia mais:  Arsec debate revisão ordinária do contrato de água e esgoto

Avaliação

A Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Maria Betty de Souza Pires (Irmã Maria Betty), localizada no bairro Novo Mato Grosso, é uma das escolas que realizaram a avaliação este mês.  A unidade atende 464 estudantes, matriculados na Educação Infantil – Pré I e II -, e no Ensino Fundamental, do 1º ao 6º Anos.

A diretora Flávia Fernanda Figueiredo de Magalhães e a coordenadora pedagógica, Laura Rosa da Silva Santos, contaram que havia um certo receio por parte dos pais. “Decidimos aguardar que os profissionais tomassem a primeira dose da vacina. Depois de 15 dias, por WhatsApp, encaminhamos aos pais ou responsáveis um formulário de autorização e, as professoras conversaram com eles, explicando como seria feita a avaliação e o quanto ela seria importante para a continuidade do processo ensino aprendizagem”, disse ela.

A diretora disse que a adesão dos pais foi significativa. “Mais de 70% dos pais autorizaram. A cada dia recebemos uma turma, que é dividida em duas salas. Temos o fluxo de uma só turma dentro da escola para não corrermos o risco de aglomeração. Os técnicos e professores trabalham por escala para atender os alunos que chegam às 7 horas e saem às 9h30, depois de fazer a avaliação e um lanche”, explicou Flávia Guimarães. 

Em relação as crianças cujas famílias estão em isolamento ou não participaram da avaliação por outro motivo, a escola criou um teste que está disponível no Google Forms e ainda têm a opção de fazer a avaliação no retorno das férias. 

A EMEB Irmã Maria Betty espelha bem a situação de grande parte das unidades da rede pública municipal de Cuiabá.  De acordo com o monitoramento realizado pela equipe pedagógica, o percentual de participação dos estudantes é de 80 a 90% nas devolutivas das atividades nos grupos de WhatsApp ou impressas. “Sabemos o quanto tem sido difícil para os estudantes, suas famílias e professores. Em relação as atividades remotas estamos trabalhando com as habilidades em atividades voltadas para o que o aluno pode fazer sozinho, sem a intervenção de um adulto. Sabemos que não é a mesma coisa que uma aula presencial, mas o processo ensino aprendizagem existe, há um aproveitamento. Todos os dias os professores postam aulas nas plataformas disponíveis e atendem os estudantes, orientando e tirando dúvidas”, disse a diretora.

Leia mais:  Prefeito Emanuel Pinheiro entrega 144 novos ônibus na segunda-feira; frota conta com ar-condicionado em todas as unidades

Emoção

Para estudantes e professores, a avaliação diagnóstica acabou se tornando um momento muito especial, não só do ponto de vista pedagógico, mas também emocional.

Em um ano e quatro meses foi na prática a primeira vez que os estudantes se encontram com colegas e professores. Foi muita emoção contou a professora dos 5º e 6º Anos, Gizele Ferreira do Nascimento. “Tenho contato diário com meus alunos, mas vê-los na escola foi uma grande emoção, nem consegui dormir direito na noite anterior”, disse ela.

Para Isabelly Victoria Gomes, de 10 anos, aluna da professora Gizele, a emoção foi ainda maior. “Como sou aluna nova não conheço meus colegas de classe pessoalmente, só por vídeo. Estava muito ansiosa”, disse ela. Isabelly contou que acompanha rotineiramente as atividades remotas, interage com a professora, não deixa as atividades se acumularem e achou a avaliação muito boa mas, não vê a hora de estar presencialmente na sala de aula.

Comentários Facebook
publicidade

CUIABÁ

“O servidor público é o braço direito de qualquer gestor e isso precisa ser honrado”, reafirma prefeito que quita folha salarial de julho na sexta

Publicado


Luiz Alves

Clique para ampliar

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, quita nesta sexta-feira (30), o salário dos servidores públicos referentes ao mês de julho. Com a medida, o chefe do Executivo segue com o compromisso firmado com os colaboradores em manter i o pagamento referente a  folha salarial no mês trabalhado. “Essa é uma marca que mantenho da minha gestão desde o primeiro mandato como chefe do Executivo Municipal. Um servidor valorizado, com remuneração em dia, com certeza o resultado será sempre positivo em relação à prestação de serviços à sociedade. Jamais faltarei com o meu compromisso”, enfatizou o prefeito.

De acordo com a Secretaria de Fazenda, a Prefeitura de Cuiabá conta com aproximadamente 16 mil servidores ativos e mais cinco mil beneficiários do Cuiabá-Prev, totalizando uma folha de cerca de R$ 69 milhões.

“O servidor público é o braço direito de qualquer gestor e isso precisa ser honrado. Uma das formas de fazer esse discurso se valer na prática é tendo esse compromisso com a folha salarial em dia. A gestão Emanuel Pinheiro sempre vai agir com respeito e valorização aos servidores, por entender que uma administração não se faz sozinho. Cada servidor exerce uma contribuição fundamental”, finalizou.

Comentários Facebook
Leia mais:  Gratidão e dedicação unem integrantes de força-tarefa de enfrentamento ao frio; primeira-dama coordena ação
Continue lendo

CUIABÁ

Gratidão e dedicação unem integrantes de força-tarefa de enfrentamento ao frio; primeira-dama coordena ação

Publicado


VICENTE AQUINO

Clique para ampliar

As equipes da Prefeitura de Cuiabá e da Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência continuam a percorrer os bairros da capital, na ação emergencial de atendimento as famílias em situação de vulnerabilidade social. Desde a última quarta-feira (28), a mobilização conjunta de várias secretarias municipais, tenta minimizar a situação da população mais carente, diante do frio que atingiu Cuiabá. Para as pessoas que estão atuando na força-tarefa de enfrentamento ao frio, em tempo integral, o sentimento é de solidariedade e gratidão, numa ação que pretende levar o acolhimento, com a doação de alimentos e cobertor (campanha Aquece Cuiabá). A ação é uma determinação do prefeito Emanuel Pinheiro, organizada pela primeira-dama da capital, Márcia Pinheiro, e reúne todas as secretarias do Executivo. 

Na manhã desta quinta-feira (29), no assentamento Terra Prometida, localizado na Regional Norte entre os bairros CPA e 1º de Março, cerca de cerca de 900 famílias, receberam as doações

A coordenadora do Programa Criança Feliz, da Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência, Michely Machado disse que se sente grata pela possibilidade poder ajudar a população. “Nos comove realmente ver a necessidade das famílias, ainda mais nessa época do ano que está fazendo muito frio e a gente sabe que tem muitas pessoas que não tem uma residência com estrutura para poder preservar a sua saúde. Meu sentimento é de gratidão por estarmos participando dessa ação, doando cobertores, roupas e alimentos. O sentimento é de ajudar ao próximo, de gratidão por poder fazer esse gesto de humanização”, disse Michely ao lembrar os locais já visitados como o aterro sanitário, onde foi distribuído o sopão, e bairros como Novo Milênio e Santa Laura.

Leia mais:  Famílias do bairro Altos do Humaitá recebem cestas básicas, kits de limpeza e cobertores

A coordenadora técnica de Gestão de Políticas Sociais da Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência, Patrícia Cavalcanti, destacou o trabalho conjunto das Secretarias Municipais que estão possibilitando essa grande mobilização. “Várias secretarias estão trabalhando em conjunto conosco. O objetivo central de toda essa mobilização por parte dos gestores, do nosso prefeito Emanuel Pinheiro e da primeira-dama Márcia Pinheiro, é promover os mínimos sociais, de forma humanizada, para a população em situação de vulnerabilidade de Cuiabá. Acredito que todos envolvidos nessa força tarefa, assim como eu se sentem mais humanizados, com um sentimento de afeto e preocupação, e mais generosos. São vários sentimentos externados a partir do momento que a gente realização ações como essas”, disse Patrícia.

A secretária Municipal de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência Hellen Janayna Ferreira de Jesus acompanhou as ações realizadas no assentamento Terra Prometida e disse que a força-tarefa está trazendo muitos benefícios para a política de assistência social do município. “A nossa política é responsável por mapear e identificar a população que está em situação de vulnerabilidade. Com o trabalho realizado por essa força-tarefa foi possível estarmos em mais de 54 bairros da nossa capital, isso é extremamente relevante. A gente leva serviços, leva atendimento, para toda essa população mais vulnerável, que precisa”, disse ela.

De acordo com a gestora, a política de assistência atende a população nesses casos de emergência, mas o escopo, o trabalho principal da Assistência Social é referenciar essas famílias. “Nosso intuído é estar mais presente junto às comunidades, nos nossos mutirões de atendimento que serão retomados. Aqui, no Terra Prometida, iremos referenciar essas famílias, cadastrá-las junto ao Centro de Referência de Assistência Social de abrangência para que elas sejam atendidas em suas necessidades não só hoje, mas todos os dias, meses e anos, como os nossos serviços”, ressaltou.  

Leia mais:  Trinta e oito pacientes receberam alta hospitalar após vencer a Covid-19

O presidente da Associação de moradores do assentamento, criado em 2016, Antônio Lemes de Paula, agradeceu a ação. “Essa ação iniciada neste momento é muito importante. Além da cesta básica e do cobertor precisamos do trabalho da Prefeitura em relação ao emprego, com cursos profissionalizantes, para que as pessoas possam começar a sobreviver. Essa pandemia, atrapalhou muitas famílias, inclusive o Terra Prometida foi um dos bairros mais prejudicados. Aqui somos 900 famílias assentadas, 150 delas de haitianos, o restante são de famílias vindas de todas as partes do país. O bairro tem a associação e precisamos dessa parceria com a Prefeitura para ajudar a comunidade. Essa foi uma belíssima ação. Não ficou ninguém sem receber a cesta, ninguém sem receber cobertor. Em nome da comunidade Terra Prometida eu agradeço a Prefeitura de Cuiabá”, disse Antônio Lemes.

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana