conecte-se conosco


MATO GROSSO

III Mostra de Cerâmica do Mato será aberta nesta quinta-feira (10)

Publicado


Uma ação cultural voltada ao segmento da cerâmica tem movimentado ateliês de artistas em Mato Grosso. Ela é fruto de iniciativas do Coletivo Ceramistas do Mato que tem como objetivo, valorizar a cerâmica artística e fomentar o mercado consumidor de peças que nascem da argila.

Ao todo 23 artistas que moram em Cuiabá, Várzea Grande, Chapada dos Guimarães, Tangará da Serra e Sorriso produziram peças que vão integrar a “III Mostra de Cerâmica do Mato”. A mostra foi contemplada no edital MT Nascentes, realizado pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

A exposição virtual “Pantanal: das águas, das matas, do barro” ficará em cartaz por três meses, a partir de 10 de junho, no site www.ceramistasdomato.com.br. Neste mesmo dia, haverá live de abertura da mostra, às 19h30, no canal da Paratudo Artes, no YouTube.

Cada artista produziu até três peças a serem exibidas na mostra virtual. Eles foram remunerados pelo trabalho e os que têm na produção da cerâmica, sua única fonte de renda, ainda receberam pró-labore.

A proponente Paty Wolff explica que antes de iniciarem a produção, tiveram orientação da curadoria sobre a temática e, após a conclusão das peças, esta mesma curadoria fez a seleção das produções que vão ser exibidas na “vitrine virtual”. Neste caso, decisão de Nice Aretê. Já a produção executiva da mostra é realizada pela professora doutora Ludmila Brandão, que assim como elas, é ceramista e integra o coletivo.

“No Coletivo faço parte de uma comissão criada para movimentá-lo e expandi-lo, objetivos que vêm sendo consolidados desde a primeira edição da Mostra do Coletivo. E agora, com a aprovação pelo edital MT Nascentes, podemos dizer que alcançamos um amadurecimento”, observa Paty.

Leia mais:  Documentário sobre Santo Antônio de Leverger será exibido em TV aberta neste sábado (12)

Ela explica que com a criação do Coletivo, os ateliês individuais foram fortalecidos. “E outros mais nasceram neste processo. Com a proposta de levar a arte produzida nestes espaços para a vitrine virtual, certamente que expandiremos ainda mais nosso trabalho, para além das fronteiras físicas. Assim, a cerâmica mato-grossense ganhará espaço no mundo”.

De Cuiabá, participam Anailde Gomes, Cleide Rodrigues, Irani Laccal Gomes, Jac Barroso, Leandro da Silva Oliveira, Ludmila Brandão, Mariza Mendes Fiorenza, Nice Aretê, Osmar Virgílio, Patty Wolff, Regina Lucia Ortega Calazans, Rhori Pereira, Rosylene Pinto e Tula Kirst. De Várzea Grande, Domiciano Marques dos Santos e Maria Oliveira. Representando Chapada, Lucileika da Silva David; Sorriso, Rosangela Maria de Jesus e Tangará da Serra, as artesãs Maria Sebastiana de Jesus Pinheiro (Dona Fia), Valéria dos Santos Menezes, Maria da Penha Dias, Rosane Fagundes Kraemer e Orlinda Meiato Gonçalves.

O secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), Alberto Machado destaca a efervescência promovida pela mostra. “Projeta a arte mato-grossense em nível mundial, mas principalmente, agita o dia a dia dos artesãos, movimenta os ateliês em várias regiões de nosso Estado”.

Curadoria

A curadora Nice Aretê ficou entusiasmada com a agitação dos ateliês e mobilização dos artesãos mato-grossenses, especialmente, pela temática escolhida, que no seu entendimento, eleva a produção para um patamar sociopolítico.

“Escolhemos o Pantanal como tema, motivados pelos trágicos eventos recentes que ameaçam e se perdurarem, podem macular esse valioso bioma de nosso Estado”, aponta.

Sendo assim, o acervo final, além de representar parte da identidade regional mato-grossense, servirá como instrumento de reflexão, buscando despertar a consciência ambiental.

Nice é precursora do coletivo. A artesã identifica que, com o surgimento do coletivo, a produção regional se diversificou, tanto no tipo de cerâmica quanto de formas, pinturas e acabamentos.

Leia mais:  Governo prorroga prazo para recadastramento de aposentados e pensionistas

“Registramos um salto nas produções e novas características, novos designs. Mas, ainda assim, essas peças mais contemporâneas coexistem com a cerâmica tradicional, como a originada em São Gonçalo Beira Rio”.

Ampliação e difusão do trabalho dos Ceramistas

Este novo momento da arte mato-grossense em cerâmica é marcado também pela retomada da produção de eventos do Coletivo, em parceria com a Paratudo Artes.

A ceramista, arquiteta e professora aposentada Ludmila Brandão juntamente à historiadora Suzana Guimarães, às comunicadoras Giordanna Santos e Quise Brito, que atuam na área de produção cultural, e o fotógrafo Fred Gustavos integram o coletivo multidisciplinar de consultoria e produção artístico-educacional Paratudo Artes, responsável pela elaboração e produção do Projeto da III Mostra de Cerâmica, do Coletivo dos Ceramistas do Mato.

“A mostra vem atenuar os impactos da pandemia no segmento, pois ela afetou muito a comercialização de peças. Com o coletivo ganhando um site, ultrapassando a barreira física, abrem-se mais possibilidades a artistas de Mato Grosso”, explica Ludmila Brandão.

Fora isso, a mostra remunera os artesãos com R$ 1 mil pelas suas produções e, aos artistas que têm apenas na produção de cerâmica sua fonte de sustento, também foi destinado um pró-labore de R$ 500.

“O site, trazendo um recorte da diversidade artística, representa um espaço de difusão do trabalho que garantirá ainda mais oportunidades de divulgação para o artesão. Afinal, seu portfólio está disponível o tempo todo para visualização de consumidores de arte de todo o globo”, destaca Ludmila.

O artista Osmar Virgílio, por exemplo, foi contemplado com o recurso para produção e ainda, o pró-labore. “Nunca houve algo assim. Os recursos públicos dificilmente alcançam os artesãos. Esse incentivo vai me ajudar muito, não só por valorizar meu trabalho, mas também, porque vou aplicá-lo na compra de mais material e assim, produzir mais peças”.

Leia mais:  Santo Antônio comemora 121 anos com nova unidade do Corpo de Bombeiros
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Projeto Olimpus MT: Começamos a colher frutos dos investimentos no Esporte

Publicado


Os últimos dias foram de colheita. Ficou comprovado que quando o poder público investe no esporte a resposta é rápida e os resultados aparecem. Arielly Kailayne, Francielly da Silva Marcondes, Lissandra Maysa Campos, Jânio Marcos Gonçalves Varjão e Peterson Santos Ribeiro são atletas mato-grossenses, que irão participar da seleção brasileira de atletismo Sub-20. Todos, bolsistas do nosso Projeto Olimpus, do Governo de Mato Grosso.

Eles representarão não só o nosso Estado, mas o Brasil, na competição que acontece em julho, na cidade de Lima, no Peru.

Lançamos o projeto Olimpus no ano passado e pagamos mensalmente bolsas para atletas em várias categorias. O incentivo financeiro veio em um momento crucial, em ano marcado pela pandemia. Os valores certamente serviram também para que os atletas continuassem sua preparação nas suas respectivas modalidades esportivas de forma efetiva, conseguindo focar nos treinos e garantindo a permanência ativa dos atletas mato-grossenses nas competições.

Não são só esses os resultados positivos. Outra colheita que nos enche de orgulho está acontecendo nesse momento. Dos 24 atletas do Estado que estão participando do Troféu Brasil de Atletismo, 16 são bolsistas do projeto Olimpus. Essa é mais uma prova que a ação do governador Mauro Mendes em destinar recursos públicos para investirmos nas categorias de base e nos atletas profissionais foi acertada.

Nossos 16 bolsistas participam em São Paulo da competição em busca de índices olímpicos para os Jogos de Tóquio-2021. Estamos na torcida para que eles consigam conquistar mais essa façanha, o que nos permitirá ampliar o número de representantes mato-grossenses nas Olimpíadas.

Mas confesso que somente o fato de eles estarem competindo em condições de igualdade e ver o símbolo do projeto em nível nacional já é uma grande realização. E sabe por quê? É simples, esses feitos serão um exemplo para os demais atletas do projeto, para empresários que queiram investir no esporte e para toda a sociedade.

Leia mais:  Documentário sobre Santo Antônio de Leverger será exibido em TV aberta neste sábado (12)

Estamos trabalhando muito, pois sabemos que essas conquistas precisam ser não só divulgadas e difundidas, mas se transformarem em uma realidade comum, em que todos tenham acesso a atividade esportiva, em que os recursos cheguem a mais atletas e de todas as regiões do Estado.

O nosso trabalho de investir nesses garotos e garotas é porque acreditamos que o esporte é capaz de transformar a sociedade e as pessoas. Hoje são 157 atletas contemplados com as bolsas que vão de R$ 250 a R$ 1.600, dependendo da categoria. E, em breve, iremos ampliar o programa, pois sabemos que não é somente o atleta o responsável pelas conquistas. Há que se valorizar também os técnicos, que atuam de forma fundamental nesse processo.

Acredito que avançamos muito ao garantir esse investimento que rigorosamente cai na conta desse jovens todos os meses. Mas também sabemos que temos um longo caminho a percorrer até que o acesso aos recursos seja isonômico.

Fica aqui, mais uma vez, meu agradecimento ao governador Mauro Mendes que, ao incentivar as ações como o Projeto Olimpus, demonstra que entende o potencial de transformação social que o esporte representa na vida do mato-grossense. Onde tem esporte, a segurança pública é menos impactada, a saúde é menos utilizada. O esporte realmente transforma vidas.

Muita coisa boa ainda está por vir e vamos continuar o nosso trabalho para transformar Mato Grosso em um celeiro de atletas de alta performance. O que queremos e estamos construído é para propiciar que qualquer garoto ou garota possa sonhar e ter as condições para buscar essa realização. A Secel e o Governo de Mato Grosso acreditam e vão trabalhar cada vez mais em prol de ações efetivas para cada um desses atletas.

Leia mais:  Onze foragidos da Justiça por crimes sexuais contra crianças e adolescentes são presos pela Polícia Civil

Beto Dois a Um – Secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Santo Antônio comemora 121 anos com nova unidade do Corpo de Bombeiros

Publicado


Santo Antônio do Leverger, na Baixada Cuiabana, com 17 mil habitantes, 34 quilômetros distante de Cuiabá, comemora 121 anos como distrito sede neste domingo, 13 de junho, com parcerias do Governo do Estado em infraestrutura preventiva, turística e urbana; em educação, assistência social e agricultura familiar.

As parcerias vão desde a inauguração de uma nova unidade do Corpo de Bombeiros a atendimento à população carente, com ajuda financeira neste período de pandemia, passando projetos turísticos, iluminação pública, reforma de escola e reabertura de escritório da Empaer na Agrovila de Palmeiras, no município.   

Prevenção

Foi inaugurada, há dois dias, no município, a primeira unidade do 2° Pelotão Independente do Corpo de Bombeiros Militar. O novo quartel foi estruturado para auxiliar no combate aos incêndios florestais, além de possibilitar atendimentos de ocorrências em Barão de Melgaço e nos distritos de São Pedro de Joselândia e Mimoso.

O prédio da unidade funciona no aeroporto da cidade e conta com efetivo de 15 policiais, viatura Auto Rápido (modelo caminhonete) e equipamentos de busca, salvamento e incêndio, com atendimento 24 horas por dia. Foram investidos R$ 2,6 milhões em efetivo, veículos, mobiliário, radiocomunicação, materiais e equipamentos operacionais.

Prédio da nova unidade do Corpo de Bombeiros em Santo Antônio do Leverger  Christiano Santoro

Turismo

Por meio das secretarias de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e Sinfra, foi apresentado à prefeita Francieli Magalhães o projeto da orla turística para o município, cujas obras fazem parte do programa Mais MT.

O projeto, prevendo dois quiosques, playground para crianças em concreto polido, rampa mecanizada e escadas contemplativas e acessibilidade, aguarda licenciamento ambiental e autorização de órgãos como Marinha e Secretaria de Patrimônio da União (SPU). 

Leia mais:  Sábado (12): Mato Grosso registra 427.572 casos e 11.390 óbitos por Covid-19

O município também será beneficiado com o programa Mato Grosso Iluminado, com investimentos de R$ 150 milhões para implantação de iluminação com lâmpadas de LED em todo o Estado. 

Educação

A  Escola Estadual Oswaldita Eliza Teixeira Couto, no centro da cidade, que atende  440 alunos do primeiro ao sexto ano do Ensino Fundamental, nos períodos matutino e vespertino, passou por reparos na parte elétrica, hidráulica e no forro.

Recebeu pintura nova e fachada revitalizada. Os recursos são da Seduc-MT e de emenda parlamentar.

Agricultura famliar

Escola Estadual Oswaldita Elisa Teixeira Couto – Foto Seduc

Foi reaberto o escritório da Empaer, na Agrovila das Palmeiras, em parceria com a prefeitura. Serão beneficiadas cerca de 300 famílias de pequenos produtores rurais da comunidade e do entorno, que voltarão a contar com atendimento técnico em suas propriedades, evitando deslocamento. A meta é a implantação de novos projetos.

Assistência Social

Por meio da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setasc), além da recente entrega de 860 cartões do Ser Família Emergencial, foram doados a famílias carentes santo-antonienses 1.650 cestas básicas entre 2020 e 2021, pelo programa Vem Ser Mais Solidário, e 1.232 cobertores, pelo Aconchego.

Em parceria com o Tribunal de Justiça de Mato Grosso e Defensoria Pública, entre 2019 e 2020, em 52 comunidades de Santo Antônio do Leverger foram feitos 6.183 atendimentos pelo Projeto Ribeirinho Cidadão, em forma de  serviços essenciais de assistência, cidadania e de justiça. Reabertura do escritório da Empaer na Agrovila de Palmneiras, em Santo Antônio do Leverger – Preitura

Saúde e repasses

A Secretaria de Estado de Saúde repassou ao município 1.425 testes rápidos para detecção do coronavírus e medicamentos para combatê-lo, num total de 60.859 comprimidos, entre azitromicina (7.483), ivermectina (5.986) e dipirona (47.390), também distribuído em gotas, com 1.164 frascos.              

Leia mais:  Última etapa das obras de reforma na Arena Pantanal foram paralisadas para realização da Copa América

Entre 2020 e 2021, o Governo do Estado repassou R$ 20,879 milhões aos cofres municipais em ICMS, IPVA e Fethab; R$ 1,9 milhão em assistência social e transporte escolar entre 2019 e 2020; e R$ 1,27 milhão em fundos de saúde entre 2019, 2020 e 2021.

Economia

Segundo o IBGE, em 2018, agropecuária, com R$ 230,746 milhões, e administração pública (R$ 101,333 milhões) responderam por 67% do Produto Interno Bruto (PIB) municipal, de R$ 495,173 milhões. Serviços (R$ 94,107 milhões), indústria (R$ 36,692 milhões) e impostos (R$ 32,294 milhões) fecham a soma. O PIB per capita é de R$ 30.132,88.

No mesmo ano, 256 empresas ou outras organizações ativas pagaram R$ 56,829 milhões a 2.254 pessoas ocupadas (13,7% da população), das quais 1.942 assalariados. Média de 2,2 salários mínimos mensais.   

Pelos dados de 2019, Santo Antônio do Leverger possui o 11º maior rebanho bovino mato-grossense, com 524,8 mil cabeças, das quais 1.049 vacas ordenhadas, 1,03 milhão de litros de leite; o maior rebanho estadual de ovinos, com 21,69 mil cabeças; quinto de bubalinos, com 917 cabeças; e oitavo de equinos com 8,7 mil cabeças.

Detém ainda um rebanho galináceo com 414,2 mil cabeças, das quais 10 mil galinhas, com 200 mil dúzias de ovos, além 12,04 mil suínos (902 matrizes) e 3,58 mil caprinos e 297 toneladas de peixes em cativeiro.

Na agricultura, o IBGE registra a produção de algodão (25,15 mil toneladas), banana, limão, mamão, maracujá, cana de açúcar, mandioca, melancia, milho e soja. Já, no extrativismo, colheu 16 toneladas de pequi e possui 10 mil hectares de eucalipto plantados.     

História

Distrito criado com o nome Santo Antônio do Rio Abaixo, por lei provincial em agosto de 1835. Com o mesmo nome, foi elevada à vila em julho de 1890, desmembrada de Cuiabá; e distrito sede instalado em 13 de junho de 1900. Elevada a cidade em setembro  de 1929.

Leia mais:  Santo Antônio comemora 121 anos com nova unidade do Corpo de Bombeiros

Em outubro de 1938, o nome foi alterado para Santo Antônio; em dezembro de 1942, para Leverger; e, em setembro de 1948, para Santo Antônio do Leverger, sobrenome de Augusto João Manoel Leverger, o Barão de Melgaço.

Um de seus distritos é Mimoso, onde nasceu Marechal Cândido Rondon, com três indicações ao Prêmio Nobel da Paz, uma delas de Albert Einstein, um dos principais cientistas do século passado.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana