conecte-se conosco


POLICIAL

Anuário aponta que 18% dos registros de violência doméstica estão concentrados em dez bairros da Capital

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Dez bairros de Cuiabá concentram 18,5 % das ocorrências de violência doméstica atendidas pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher da Capital (Dedm) durante o ano passado. Os dados estão reunidos no 4o Anuário Estatístico 2020 da unidade divulgado nesta última sexta-feira pela Polícia Civil. O documento organizado pela delegacia especializada traz o perfil socioeconômico das vítimas atendidas, assim como dos agressores, com base nas informações coletadas pela equipe de atendimento.

Os bairros com maior número absoluto de registros são o Pedra 90, com 75 registros, seguido pelo Dom Aquino (45); Dr. Fábio e Tijucal (38); CPA 4 (37); Jardim Imperial; Santa Isabel; CPA 3; Centro Sul e Boa Esperança.

A delegada titular da DEDM Cuiabá, Jozirlethe Magalhães Criveletto explica que embora os dez bairros citados concentrem a maior parte das ocorrências, há registros de violência doméstica na maioria da cidade. “Isso não significa que não tenha havido ocorrências em outros bairros que não aparecem nas estatísticas. A violência doméstica está pulverizada e em todas as camadas sociais”, explica.

Perfil das vítimas

Em relação ao perfil das vítimas atendidas pela DEDM durante o ano passado, o anuário traz informações como declaração da cor, estado civil, faixa etária, escolaridade, profissão, se tem filhos e vínculo com o agressor.

A maioria das mulheres que busca o atendimento da DEDM está na faixa de idade entre 35 e 45 anos e se declara parda. O estado civil é solteira, o que representa aproximadamente 37% do total de vítimas atendidas. São mulheres jovens, que buscam auxílio para sair do ciclo da violência e muitas vezes necessitam de uma ocupação com rendimento financeiro para conseguir superar a situação violenta.

Leia mais:  Polícia Civil recupera motocicleta furtada em Cáceres e prende suspeito minutos após o crime

A Delegacia da Mulher não é apenas o lugar onde a mulher agredida, submetida a abusos e violência de todas as formas procura atendimento para a repressão ao crime sofrido. É o lugar onde elas buscam acolhimento e amparo para recomeçar. “A delegacia também procura trabalhar ações que possam auxiliar as vítimas nesse sentido, mas é fundamental que a rede de acolhimento, com todos os órgãos, funcione amplamente”, pontua a delegada.

A escolaridade declarada pelas mulheres atendidas pela delegacia é de ensino médio completo, concentrando 41,6% de registros. Já mulheres com ensino superior alcançou o percentual de 25,3% de registros. Somando os dois percentuais ao de vítimas que informaram ter o ensino superior incompleto, o total é de 67% das vítimas que possuem, no mínimo, o ensino médio enquanto apenas 1,8% das vítimas se declararam não alfabetizadas.

A titular da DEDM observa que mesmo que a maioria tenha uma capacitação mínima que pode buscar uma oportunidade de trabalho, há que se entender o que está por trás e impede essa mulher de buscar a independência financeira.

Em relação à ocupação, 8,2% das vítimas atendidas pela DEDM em 2020 não informou a profi­ssão na ocasião do registro e 11,4% das vítimas se declararam do lar. Um percentual de 5,6% se declarou autônoma e 19,6% definiram a ocupação em categorias secundárias.

“São muitas mulheres que necessitam de assistência para buscar uma reprogramação e recomeço de sua vida, sem depender economicamente do ex-parceiro. E muitas são submetidas a situações como: ‘meu marido não me deixa trabalhar. Quando eu era solteira, trabalhava’”, pontua Jozirlethe.

A mulher entra em um ciclo de violência que muitas vezes ela não percebe, pois não há a agressão física. Mas a agressão moral e psicológica está presente no dia a dia e a mulher também é colocada como a responsável pela educação dos filhos e cuidados com a casa.   “Até que ponto essa mulher deseja isso? Ela passa a acreditar que a vida dela é apenas aquilo, entra em um ciclo de abuso moral e psicológico, que a vítima muitas vezes não consegue enxergar como violência. E o companheiro a faz acreditar que a não precisa e nem deve trabalhar”, comenta a delegada.

Leia mais:  Duas pessoas envolvidas em esquema de desvio de cargas de soja são presas em flagrante

Anuário DEDM 2020http://www.pjc.mt.gov.br/noticia.php?id=24031

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
publicidade

POLICIAL

Duas pessoas envolvidas em esquema de desvio de cargas de soja são presas em flagrante

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Policiais civis de Brasnorte prenderam nesta quarta-feira (05.05) duas pessoas envolvidas em um esquema de desvio de cargas de soja de uma propriedade rural do município. Com apoio da equipe da Polícia Civil e Polícia Militar de Campo Novo dos Parecis, o caminhão que transportava a carga foi abordado no município e recuperada 49 toneladas de soja retiradas do armazém da vítima sem nota fisal emitida pela proprietária dos grãos. 

O proprietário da fazenda desconfiou de que estivesse sendo vítima de um esquema de desvio de cargas de soja e procurou a Delegacia de Brasnorte para registrar a ocorrência. Ele relatou que desde os primeiros meses deste ano deu falta de toneladas de soja do setor de armazenamento da fazenda e suspeitava que carretas retiravam carga de soja com notas frias. 

A partir das informações repassadas pela vítima, o delegado Heberth Hugo Montenegro instaurou investigação para apurar os fatos. 

Nesta quarta-feira (05), o proprietário da fazenda informou a Polícia Civil que uma carga saiu da fazenda e seguiu em direção ao município de Campo Novo dos Parecis, sem documentação fiscal dos grãos transportados. 

Após solicitação de apoio à Delegacia de Campo Novo dos Parecis, o caminhão foi abordado e com o motorista, de 35 anos, foram encontradas notas fiscais falsas. Ele foi preso em flagrante e conduzido à delegacia de Brasnorte. 

Depois da apreensão da carga, os policiais de Brasnorte foram até o escritório da fazenda da vítima onde indagaram uma funcionária sobre o esquema de desvio das cargas de soja. Ela confessou a participação na ação criminosa, detalhando sobre a facilitação e o despacho das notas frias de soja emitidas por ela para que as carretas pudessem sair da fazenda com as cargas. 

Leia mais:  Polícia Civil prende em flagrante mulher que furtou R$ 6 mil de amiga em Várzea Grande

A funcionária da fazenda, de 37 anos, relatou aos policiais que recebia R$ 10 mil por carreta que saía com nota fria da propriedade rural. A suspeita passou mais informações e participação de outras pessoas no esquema, que serão apuradas pela equipe da Polícia Civil de Brasnorte. Na casa dela, os policiais apreenderam um notebook e um celular que será analisado. 

De acordo com o delegado, as cargas desviadas da propriedade causaram um prejuízo estimado pela vítima em R$ 1 milhão. A carga aprendida nesta quarta-feira está avaliada em 135 mil reais.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

POLICIAL

Polícia Civil prende em flagrante mulher que furtou R$ 6 mil de amiga em Várzea Grande

Publicado


Assessoria | Polícia Civil-MT

Uma mulher suspeita de furtar R$ 6 mil de uma colega de trabalho foi presa em flagrante pela Polícia Civil, na quinta-feira (06.05), em trabalho investigativo realizado pela equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG). A suspeita de 25 anos e portadora de tornozeleira eletrônica, foi autuada em flagrante pelo crime de furto qualificado pelo abuso de confiança.

As investigações iniciaram após a vítima de 24 anos procurar a Derf-VG para registrar a ocorrência, em que narrou que a suspeita foi até a sua residência no bairro Jardim Aeroporto e furtou a grande quantia em dinheiro.

A vítima contou que o dinheiro era das suas economias e que ela estava guardando para comprar uma moto. Ela disse que confiava na amiga e achava que poderia contar com ela, uma vez que já tinham morado juntas e eram colegas de trabalho na região do zero, em Várzea Grande.

Com base nas informações a equipe iniciou as diligências para esclarecer os fatos envolvendo duas colegas de trabalho. Segundo as investigações, a suspeita ao tomar conhecimento da quantia guardada no apartamento da vítima, planejou o crime antecipadamente e cometeu o furto do dinheiro.

Durante as investigações, os policiais civis conseguiram as imagens do condomínio que mostram toda a ação da suspeita, a qual retira uma cópia da chave do apartamento de dentro do baú de uma moto e entra no prédio, logo após a vítima sair de casa. 

Diante das evidências, a suspeita foi detida em flagrante e conduzida até a Derf-VG, onde foi interrogada pelo delegado André Eduardo Ribeiro e negou o crime, porém no celular da vítima foram encontraram diversas mensagens logo após o furto, constatando que ela fez compras e pagou dívidas com o dinheiro subtraído.

Leia mais:  Polícia Civil recupera motocicleta furtada em Cáceres e prende suspeito minutos após o crime

A mãe da suspeita chegou a falar para filha devolver o dinheiro, pois ela não precisava disso para viver. A suspeita que possui passagens por organização criminosa, estelionato, roubo e faz uso de tornozeleira eletrônica, foi autuada em flagrante por furto qualificado pelo abuso de confiança.

Após a confecção dos autos a presa foi colocada à disposição da Justiça. Ela responderá por mais esse crime, podendo pegar pena de 2 a 8 anos de reclusão.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana