conecte-se conosco


POLÍTICA NACIONAL

Três ministros militares já se vacinaram “escondidos” contra a Covid-19; confira

Publicado


source
Ministro da Casa Civil Luiz Eduardo Ramos
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Ministro da Casa Civil Luiz Eduardo Ramos

O ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos , não foi o único a tomar a vacina contra o coronavírus sem divulgar o ato. Além dele, dois outros ministros, questionados pelo GLOBO, confirmaram que já tomaram o imunizante: Walter Braga Netto, da Defesa, e Bento Albuquerque, de Minas e Energia. A informação foi passada pela assessoria dos dois ministérios.

Nesta terça-feira (27), sem saber que estava sendo gravado, o ministro Luiz Eduardo Ramos afirmou que tomou a vacina “escondido” e citou uma possível orientação para “não criar caso.”

“Tomei escondido, né, porque a orientação era para, não criar caso, mas vazou. Eu não tenho vergonha, não. Tomei e vou ser sincero. Como qualquer ser humano, eu quero viver, pô. E se a ciência está dizendo que é a vacina, como eu posso me contrapor?”, questionou Ramos.

Dos oito ministros do governo federal que já estão em idade para tomar a vacina contra a Covid-19 no Distrito Federal, ao menos seis já receberam a primeira dose.

O ministro Onyx Lorenzoni, da Secretaria-Geral, afirmou que decidiu não tomar a vacina, apesar de já ter direito. Segundo sua assessoria, Onyx está “controlando sua imunidade e, a princípio, tomará quando todos estiverem vacinados”.

O discurso é igual ao do presidente Jair Bolsonaro , que repetiu nesta quarta-feira (28) que só irá receber o imunizante depois que “o último do Brasil tomar”, reconhecendo a escassez de doses no Brasil.

Três ministros já haviam divulgado que tomaram a vacina: Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Tereza Cristina (Agricultura) publicaram fotos em suas contas no Twitter, enquanto Paulo Guedes (Economia) foi filmado enquanto recebia o imunizante e deu uma entrevista depois.

Leia mais:  Bolsonaro pede para CPI "não encher o saco" ao defender uso da Cloroquina

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, que tem 63, pode se vacinar no Distrito Federal desde a última sexta-feira. Procurada, a assessoria de imprensa do MEC não informou se ele já recebeu o imunizante.

Você viu?

O vice-presidente Hamilton Mourão também já foi imunizado contra o coronavírus. Ele foi fotografado e divulgou em suas redes sociais o momento da vacinação. Nesta quarta-feira, em conversa com jornalistas, ele negou que exista uma orientação para esconder a vacinação.

“Essa recomendação não existe, porque o ministro Paulo Guedes foi filmado tomando vacina. Eu também. Outros ministros também. Uma turma mais nova aí. A ministra Tereza Cristina também foi vacinada, então acho que é bobagem isso aí”, disse o vice-presidente.

Durante a reunião em que foi gravado, Ramos admitiu que procura convencer o presidente Jair Bolsonaro a já se vacinar . Aos 66 anos, Bolsonaro faz parte do grupo prioritário de vacinação e já poderia ser imunizado há um mês.

“Eu estou envolvido pessoalmente tentando convencer o nosso presidente (a tomar a vacina), independente de todos os posicionamentos. Nós não podemos perder o presidente por um vírus desse. A vida dele, no momento, corre risco”, disse Ramos.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

Doria ironiza após ser vacinado contra Covid: “Não virei jacaré”

Publicado


source
Governador de São Paulo João Doria é vacinado pela enfermeira Mônica Calazans
Reprodução: ACidade ON

Governador de São Paulo João Doria é vacinado pela enfermeira Mônica Calazans

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) ironizou nas redes sociais após receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19 nesta sexta-feira (7).

Aplicando um filtro de jacaré na foto, Doria posou com o cartão de vacinação, que indica que ele recebeu o imunizante CoronaVac , produzido pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

Confira:

A piada acerca do jacaré se dá, pois em novembro do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido)  questionou eventuais efeitos colaterais que as vacinas poderiam apresentar:

“Lá no contrato da Pfizer, está bem claro nós: ‘não nos responsabilizamos por qualquer efeito colateral’. Se você virar um jacaré, é problema seu”, declarou Bolsonaro, que segundo levantamento feito por membro da CPI da Covid , recusou 11 ofertas de compras de vacina.

Aos 63 anos de idade, Doria foi vacinado nesta tarde, e teve o imunizante aplicado pela enfermeira Mônica Calazans , que em janeiro, se tornou a primeira brasileira a receber a dose da CoronaVac.

Comentários Facebook
Leia mais:  Bolsonaro diz que decreto contra medidas restritivas "já está pronto"
Continue lendo

POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro diz preferir ‘morrer lutando do que perecer em casa’

Publicado


source
Presidente Jair Bolsonaro (Sem partido)
Divulgação

Presidente Jair Bolsonaro (Sem partido)

Novamente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou tom crítico para se referir às medidas de isolamento social para conter a disseminação do novo coronavírus e voltou a convocar a população a descumpri-las. As declarações aconteceram durante o pronunciamento feito na inauguração da ponte sobre o Rio Madeira, divisa entre Rondônia e Acre, nesta sexta-feira (7). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. 

O presidente retomou o discurso de que “seu exército” não atuaria para manter a população em casa e que “todos nós preferimos morrer lutando do que (sic) perecer em casa”. Bolsonaro ainda ameaçou de novo baixar um decreto presidencial contra medidas de restrição adotadas por prefeitos e governadores. Segundo ele, o documento já está pronto e todos deverão cumpri-lo. “O nosso direito de ir e vir é sagrado. A nossa liberdade de crença também, e também o trabalho. Não se justifica daqui pra frente, depois de tudo que nós passamos, fechar qualquer ponto do Brasil”, disse.

Além disso, classificou os apoiadores presentes no evento como pessoas que fariam de tudo, até dar até a própria vida, para garantir a sua liberdade .  “O que vocês querem é muito pouco, querem respeito, querem ordem e querem justiça, e o meu dever como chefe supremo das forças armadas, como chefe da execução, é dar, é garantir esse direito a vocês” complementou.

Leia mais:  Fachin fala em possível "execução arbitrária" em operação policial no RJ

Bolsonaro disse ser necessário “reconhecer o erro e tomar um novo rumo” se referindo a governadores que queiram mudar de opinião com relação às medidas de isolamento social. “Creio até que muitos tomaram medidas por desconhecer o que estava acontecendo, mas sempre é hora de mudarmos” 

Para o presidente, as críticas que recebe “fazem parte, (mas) ignoro” afirmou. Ainda declarou não ser “politicamente incorreto”, mas sim um “brasileiro correto, como a grande maioria de vocês ou quase todos vocês”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana