conecte-se conosco


MATO GROSSO

“Mato Grosso reverte curva do crime ambiental com 25% do desmatamento legal”, afirma secretária de Meio Ambiente

Publicado


Em Mato Grosso, 25% dos alertas de desmatamento nos primeiro três meses de 2021 são de atividade com autorização legal, conforme monitoramento feito por satélite pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT). Com base no resultado de Mato Grosso, é possível eliminar o desmatamento ilegal até 2030, avalia a secretária da Sema-MT, Mauren Lazzaretti, durante entrevista à Rádio CBN nesta sexta-feira (23.04).

“Estamos revertendo a curva do desmatamento, passamos de 5% do desmatamento lícito no ano de 2019, para 25% de desmatamento dentro da legalidade em 2021. Significa que se os órgãos ambientais, o setor produtivo, o poder público e privado de um modo geral investirem no combate à ilicitude, é possível que a gente combata o desmatamento ilegal até 2030, e o desmate que ocorrer seja respeitando o Código Florestal”, afirma.

O estado manteve a redução do desmatamento geral (área total de corte raso com ou sem autorização) em 30% nos últimos 8 meses, em comparação com o mesmo período do ano anterior, o que contribuiu para o resultado.

Outros fatores que impactam diretamente no resultado é a regularização os imóveis rurais – favorecendo aqueles que querem produzir com sustentabilidade – e combate aos ilícitos pela fiscalização e responsabilização, aliados à eficiência nos mecanismos de licenciamento com um tempo médio de análise 30% menor que o tempo legal – que é de 180 dias.

Os 75% de desmatamento ilegal identificado nos últimos três meses, realizado sem autorização prévia dos órgãos ambientais, segue sendo coibido pelo Governo de Mato Grosso com o monitoramento contínuo por satélite, ações de fiscalização e repressão ao crime, apreensão de maquinários, embargo de áreas, e multas ambientais. 

Conforme a gestora, havia o desmatamento crescente desde o ano de 2012. Em 2018 e 2019 este número se ampliou na Amazônia como um todo, mas Mato Grosso utiliza tecnologia e estratégias para reverter este quadro.  

Leia mais:  Governo de MT já distribuiu 98,1% das doses recebidas; veja quanto cada município aplicou

Histórico de alertas

O levantamento realizado pela Superintendência de Regularização e Monitoramento Ambiental da Sema-MT aponta que nos primeiros três meses de 2021 foram identificados 3.875 alertas de desmatamento do tipo corte raso, totalizando uma área desmatada de 27.265,66 hectares. Deste total, 6.802,15 hectares (24,9%), recaem em áreas com autorização para desmatamento.

A tecnologia utiliza a constelação de satélites Planet, e é financiada com recursos do Programa REM-MT, que remunera e premia o esforço de mitigação das mudanças climáticas. Entre as ações financiadas, estão as de controle e fiscalização do desmatamento ilegal em MT.

A Plataforma de Monitoramento é utilizada desde 2019 pela Secretaria, e serve para identificar, com resolução espacial de 3 metros, mudanças na vegetação, gerar o alerta de desmatamento quase em tempo real, autuar e fiscalizar ilegalidades no campo. Os dados também são utilizados pela secretaria para estimar o comportamento das áreas desmatadas com mais celeridade, antes mesmo de relatórios consolidados. 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Governo começa a receber máquinas e equipamentos adquiridos para conservação de rodovias

Publicado


O Governo de Mato Grosso começou a receber as máquinas e equipamentos rodoviários adquiridos pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) e que serão destinados à conservação de rodovias não-pavimentadas. As máquinas serão alocadas no estacionamento da Arena Pantanal, em Cuiabá, até que sejam repassadas para consórcios intermunicipais e associações, mediante formalização de convênio junto à Sinfra.

No total, o Estado adquiriu 175 máquinas e equipamentos, com investimentos na ordem de R$ 96,5 milhões, cujos recursos são  próprios do Governo de Mato Grosso obtidos após assinatura de contrato de operação de crédito junto à Caixa Econômica Federal (CEF), ainda no ano passado, no valor de R$ 500 milhões.

Com esses recursos, além da compra dos equipamentos, serão substituídas pontes de madeira por pontes com estrutura de vigas metálicas, por aduelas de concreto ou por bueiros metálicos nas estradas municipais e rodovias estaduais. O programa prevê ainda a construção de 65 pontes de concreto de médio e grande portes em todas as regiões de Mato Grosso.

Das 175 máquinas e equipamentos adquiridos, 100 são motoniveladoras, 30 pás-carregadeiras, 30 escavadeiras hidráulicas e 15 pranchas. Desse montante, já foram entregues duas motoniveladoras, 17 pás-carregadeiras e 16 escavadeiras hidráulicas, totalizando 35 equipamentos. A previsão é de que outros equipamentos cheguem a Cuiabá ainda nesta semana, pois eles já foram despachados pela fábrica em Minas Gerais.

“Até o final da semana deveremos receber 18 motoniveladoras de um total de 100 maquinários que chegarão nesta primeira remessa. Hoje Mato Grosso tem uma quantidade muito grande de rodovias não-pavimentadas e, para diminuirmos um pouco das dificuldades que essas rodovias representam, esses maquinários serão repassados“, explicou a engenheira Patrícia Lima, responsável pelo recebimento dos equipamentos.

Leia mais:  Projeto de conectividade com tecnologia 5G em área rural é iniciado em Mato Grosso

De acordo com o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, uma vez adquiridos os equipamentos serão repassados para consórcios intermunicipais e associações, mediante formalização de convênio junto à Sinfra.  Eles serão destinados à manutenção de rodovias estaduais não-pavimentadas.

“Essa aquisição atende a uma determinação expressa do governador Mauro Mendes, de investir em infraestrutura rodoviária e logística. Queremos, com esses novos equipamentos, proporcionar uma melhoria na malha rodoviária não-pavimentada, assegurando a trafegabilidade e diminuindo os problemas de ir e vir por essas rodovias”, disse.

Os consórcios intermunicipais e associações que desejarem formalizar convênios junto à Sinfra para recebimento desses equipamentos devem estar devidamente regularizados, para que possam pleitear a liberação dessas máquinas. Os interessados devem apresentar um pedido junto à Sinfra, detalhando a situação atual do consórcio/associação, a situação de habilitação no Sistema de Gestão de Convênios de Mato Grosso, bem como um plano de trabalho detalhando a quantidade de rodovias, os trechos e extensões nos quais o ente faz a conservação .

Também devem informar a quantidade e descrição das máquinas atualmente existentes, a equipe que opera as máquinas e ainda fazer uma explanação sobre como o consórcio/associação atua junto aos municípios atendidos. A previsão é de que o repasse dos maquinários do Estado aos interessados ocorra no segundo semestre deste ano. 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Projeto de conectividade com tecnologia 5G em área rural é iniciado em Mato Grosso

Publicado


O projeto de conectividade com tecnologia 5G chamado 5GSA foi iniciado nesta terça-feira (11.05), em uma fazenda do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMA), em Rondonópolis (a 250km de Cuiabá), em apresentação feita pela TIM e pela Nokia. O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, participou do evento representando o governador do Estado, Mauro Mendes.

“Trazer tecnologia para o campo é sinal de melhoria social, ambiental, econômica, na produtividade do agronegócio mato-grossense. O estado é referência mundial na agropecuária e, com este investimento, terá ainda mais destaque”, disse Miranda. 

O evento contou com a presença do ministro das Comunicações, Fábio Faria, e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina. A ministra destacou que o Governo Federal trabalha para que a tecnologia 5G chegue a todos os brasileiros.

“Esse leilão [de frequências de operação da nova geração de internet móvel] vai bombar para que essa tecnologia seja democratizada, chegue a todos. É o início de uma estrada do que virá para o agronegócio brasileiro”, disse.

Instalada pela fabricante Nokia, a antena permite o sinal de internet em alta velocidade a partir de uma transmissão gerada pela própria estrutura, é a chamada 5G “pura” ou standalone.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse que assim como a 4G revolucionou a vida das pessoas, a 5G vai revolucionar as indústrias. “Para o agronegócio, que é quem está fazendo nosso Brasil crescer, mesmo nessa crise, junto às telecomunicações, será um avanço gigantesco. O 5G vai fazer nosso agro crescer 20%, em média, e esse leilão está muito próximo de acontecer”, ressaltou.

Segundo o ministro das Comunicações, até o fim deste ano serão 20 pilotos de 5G em todo o país. Para a implementação, será realizado leilão das frequências de operação da nova geração de internet móvel.

Leia mais:  Trabalho de Neri Geller representa avanços para o Meio Ambiente e vai destravar importantes projetos para MT, afirma Mauro Mendes

Também estavam presentes o senador Wellington Fagundes, o presidente da Famato, Normando Corral, o superintendente do Imea, Daniel Latorraca, o diretor executivo do AgriHub, Otávio Celidonio, o presidente da Fiemt, Gustavo de Oliveira e a senadora Margareth Buzzetti. 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana