conecte-se conosco


POLÍTICA MT

Deputado defende imunização contra Covid-19 para taxistas, mototaxistas e motoristas de aplicativos

Publicado


O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) encaminhou a indicação nº 2.581 (2020) à Secretaria de Saúde de Mato Grosso (SES) e Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM) para a inclusão de taxistas, mototaxistas e motoristas de aplicativos como prioridade imediata para o recebimento da vacina contra a Covid-19. O parlamentar apresentou a proposição durante a sessão plenária desta quarta-feira (28), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

“São vários profissionais que tiveram as suas atividades econômicas prejudicadas com a Covid-19, como é o caso dos taxistas, mototaxistas e motoristas de aplicativos. Este transporte se torna mais seguro comparado à situação da superlotação do transporte público que, consequentemente, causa aglomerações de pessoas. E isso, infelizmente, intensifica a disseminação da doença”, analisa Claudinei.

Para ele é de suma importância que estes motoristas sejam imunizados para garantir a proteção de sua saúde e de familiares. “Vale lembrar, por exemplo, que tem aquelas pessoas que suspeitam que estão com a doença e não tem veículo e precisam se deslocar até os centros médicos em busca de tratamento. Com isso, os taxistas, mototaxistas e motoristas de aplicativos ficam vulneráveis em pegar o vírus, podendo disseminar para outros passageiros”, frisa o parlamentar.

Realidade – Há exatos 10 anos, Cipriano Benício da Nóbrega atua como taxista em Rondonópolis, sendo que considerou a indicação do deputado uma boa iniciativa. “Busco cuidar da melhor forma quando pego os passageiros. Sempre estou de máscara e álcool em gel. Tudo certo para não me contaminar e disseminar para outras pessoas”, informa o motorista.

Devido ao fato da cidade de Poxoréu ser pequena, o taxista Rodrigo Alves da Silva descreve que as demandas chegaram a cair cerca de 50% com a pandemia e que essa atividade é o amparo econômico para sua família. Ele diz que comprou o veículo para a esposa Neyde Diana de Araújo trabalhar, mas por ela ser asmática e com um bebê de cinco meses, ele assumiu os trabalhos no lugar dela. “Eu assumi a linha de frente. Mas, eu sou diabético e hipertenso. No nosso modo de ver, não sabemos qual passageiro pode estar infectado”, comenta.

Leia mais:  Pessoas com autismo deverão ser cadastradas pelo governo de MT

Autônomo – Para o motorista de aplicativo de Cuiabá, Arnaldo Gomes Flores, que exerce essa atividade há três anos, a pandemia provocou queda acentuada na renda, principalmente entre os meses de março e julho de 2020. “Se não fosse o auxílio emergencial que recebi entre os meses de junho e dezembro do ano passado, meus problemas financeiros seriam ainda maiores”, comenta.

“Quando chego na minha casa já vou tomar banho para evitar qualquer contaminação dentro da minha casa, já tiro o sapato antes de entrar. Quando eu regresso ao meu trabalho, faço uma limpeza rápida no carro com álcool em gel, principalmente nas maçanetas. Procuro não receber dinheiro em espécie pelo passageiro, somente pelo voucher do aplicativo ou cartão. Também, todos os passageiros ficam no banco de trás”, esclarece Gomes.

Ele acrescenta que alerta sempre os passageiros para o uso da máscara e já pegou Covid-19, em fevereiro deste ano, em que chegou a ser internado em hospital. “Na época, demorei me recuperar para voltar a exercer meu trabalho devido às sequelas da Covid-19. Ainda hoje, sinto falta de ar e uma leve perda da memória. Eu posso afirmar que eu ainda tenho muito receio de sair para trabalhar e ser novamente contaminado”, preocupa.

“É uma atitude louvável do deputado Claudinei em se preocupar com a categoria. O motorista do aplicativo, ele pode, não intencionalmente, ser um vetor da doença, uma vez que ele, no mesmo dia, pode se deslocar para diversos locais. Se for contaminado, pode disseminar a doença. Estes profissionais merecem uma atenção prioritária para a vacinação”, conclui Arnaldo.

Vacinas – Em Mato Grosso, já foram aplicadas 754.610 vacinas que estão relacionadas a 392.011 e 164.660, respectivamente, de pessoas que receberam a 1° e a 2° dose. 

Leia mais:  Famílias carentes do Médio-Norte recebem auxílio alimentação
Fonte: ALMT

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA MT

Dr. Gimenez destaca importância do Programa Ser Família Emergencial à Região Oeste

Publicado


Deputados Dr. Gimenez e Valmir Moretto

Foto: Rose Domingues Reis / Gabinete do deputado Dr. Gimenez

Foto: Rose Domingues Reis / Gabinete do deputado Dr. Gimenez

Em agenda em Pontes e Lacerda nesta sexta-feira (07), o deputado estadual Dr. Gimenez (PV) destacou a importância do Programa Ser Família Emergencial que vai contemplar aproximadamente 12,6 mil famílias dos 22 municípios da Região Oeste de Mato Grosso.

Esta é mais uma ação conjunta do Governo do Estado com o parlamento estadual no enfrentamento à pandemia. “Participei com orgulho da entrega simbólica dos cartões a algumas famílias beneficiárias em Pontes e Lacerda que estão passando por extrema necessidade, esse recurso vai garantir alimento à mesa do cidadão”, comemorou.

A cerimônia de entrega de cartões de auxílio a 349 famílias ocorreu na Câmara Municipal de Vereadores, com a presença do secretário de Estado de Segurança Pública (Sesp), Alexandre Bustamante, do deputado estadual Valmir Moretto, do prefeito Alcino Barcelos, dos vereadores e demais autoridades de Pontes e Lacerda.

“Nossa primeira-dama Virginia Mendes está de parabéns pela iniciativa, que contou com o apoio irrestrito dos 24 deputados. Como recurso assegurado pelo governo e o parlamento, vamos disponibilizar o auxílio de R$ 150 às famílias pelos próximos três meses”, acrescentou Dr. Gimenez.

Também nesta sexta-feira, a equipe do Dr. Gimenez participou da entrega de cartões às famílias em outros municípios da região, entre eles, Mirassol D’Oeste e Curvelândia, onde 1.194 famílias serão contempladas, segundo a Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

“Estamos muito felizes com o apoio do Governo e da primeira-dama a Mirassol D’Oeste, porque estamos vivendo um momento bastante difícil, de crise econômica, de saúde pública e as prefeituras realmente não têm condições de fazer frente a tantas demandas, toda ajuda é bem-vinda”, agradeceu o prefeito Héctor Alvares Bezerra.

Leia mais:  Assembleia Social faz cobertura audiovisual de Festival das Mulheres Indígenas

No total, 100 mil famílias em situação de pobreza e extrema pobreza serão atendidas pelo Programa Ser Família Emergencial, em todos os 141 municípios. Do total de R$ 45 milhões investidos, R$ 10 milhões são do Legislativo, que devolverá parte do duodécimo de 2021. Além disso, a Casa de Leis pretende distribuir cerca de 30 mil sacolões de alimentos para famílias de baixa renda no estado.

O parlamento estadual vem atuando de maneira proativa no enfrentamento à pandemia da Covid-19, com a aprovação de mais de 50 leis e investimentos que superam R$ 34 milhões. Em 2020, foram mais de R$ 14 milhões, dos quais R$ 10 milhões para abertura de novos leitos de UTI para pacientes Covid e R$ 4 milhões doados aos hospitais filantrópicos, entre eles, o Hospital de Câncer.

Ser Família Emergencial – Confira o número de famílias beneficiadas na Região Oeste, segundo a Setasc: Araputanga (729), Cáceres (5.331), Campos de Júlio (579), Comodoro (574), Conquista D’Oeste (140), Curvelândia (242), Figueirópolis D’Oeste (89), Glória D’Oeste (291), Indiavaí (24), Jauru (180), Lambari D’Oeste (416), Mirassol D’Oeste (952), Nova Lacerda (335), Porto Espiridião (190), Reserva do Cabaçal (195), Rio Branco (231), Salto do Céu (66), São José dos Quatro Marcos (453), Sapezal (152), Vale do São Domingos (202), Vila Bela da Santíssima Trindade (615).

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

POLÍTICA MT

Botelho destaca importância de projeto que garante certificação de qualidade dos alimentos artesanais

Publicado


A sessão plenária desta semana foi marcada pela aprovação do projeto de lei 51/19 que estabelece a necessidade de criação de mecanismos para a certificação de qualidade dos alimentos artesanais produzidos pelas microempresas e pela agricultura familiar. De autoria do primeiro-secretário da Mesa Diretora, deputado Eduardo Botelho (DEM), a proposta vai ajudar os pequenos produtores, já que engloba produtos alimentícios artesanais produzidos com características tradicionais, culturais e regionais.
“Aprovamos essa lei sobre os produtos de microempresas e artesanais, para facilitar e que possam colocar nos mercados para comercializar. É uma proposta que vai ajudar muito, especialmente a agricultura familiar, aquele que produz o frango caipira, o doce caseiro. Enfim, vai ajudar muito. É mais uma atitude nossa em favor dos pequenos produtores e artesãos. É isso que estamos fazendo para ajudar os que precisam!”, afirmou Botelho, ao destacar a parceria com o deputado Wilson Santos (PSDB). 
Objetivo, segundo o parlamentar, é incentivar a agricultura familiar tradicional e o processo produtivo artesanal, preservando suas características conforme a cultura regional e a atividade produtiva de microempresas e da agricultura familiar. Aguardando a sanção do governador Mauro Mendes, a nova lei determina também o estabelecimento de critérios de qualidade, garantindo a segurança alimentar.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Leia mais:  Pavimentação do Distrito Industrial de Campo Verde é discutida no Ministério de Desenvolvimento Regional
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana