conecte-se conosco


MATO GROSSO

Artes visuais retratam personagens da Cáceres histórica e contemporânea

Publicado


Colagens digitais impressas em suportes artesanais são atração do projeto “Das margens do Rio Paraguai: vultos que ecoam de um centro histórico pantaneiro”, contemplado no Edital MT Nascentes, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT). As obras retratam figuras da Cáceres contemporânea e personalidades marginalizadas da história “oficial” do município – mas que, ao mesmo tempo, se fazem presentes no cotidiano e imaginário da cidade.

Ao todo, são 20 artes visuais destacando representantes da cultura popular, figuras que compõem o cenário urbano, educadores, ativistas e artistas que movimentam a cena underground local. O público já pode conferir 15 obras na exposição virtual, disponível nas redes sociais Facebook e Instagram. É pelas redes sociais que as obras “circulam” enquanto a cidade e o estado mantém as restrições e decretos que visam o controle da pandemia de covid-19.

Está prevista uma “ocupação artística”, que deverá tomar as ruas para a realização de registros, que dará origem a um material audiovisual. O curta documental mostrará a confecção das obras e molduras até a exposição itinerante pelos cenários da cidade. “Achamos que seria imprescindível ‘virtualizar’ a exposição dessas obras em um momento de conscientização pelo isolamento social. Uma medida tomada em segurança da equipe e do público”, destaca o artista Diego Vicente, proponente do projeto.

Entre as inspirações do projeto, está o mestre cururueiro Seu Lourenço, artesão da viola de cocho; a guerrilheira Jane Vanini, que deu a vida na luta contra ditaduras na América Latina; o andarilho-artista conhecido como Johnnie Walker; a comerciante Maria Aparecida e o pipoqueiro Vanderlei Oliveira, trabalhadores da Praça Barão.

Também estão entre os homenageados, jovens que fazem a Cáceres contemporânea, como a poeta Renata Marçala e o ator e dançarino Cadu (em memória) – pessoas queridas na cena LGBTQI+ cacerense -, o músico e pesquisador Henrique Maluf, que tem como missão espalhar o legado da cultura popular a novas gerações através da música, entre outros.

Leia mais:  Motoristas de aplicativo podem comprovar cadastro com "print", mas devem ter veículo registrado em seu nome

Arte das margens

Para realizar o projeto foram escalados artistas que têm Cáceres como principal fonte de inspiração nas suas expressões em diferentes linguagens: a música, a poesia, as artes visuais e o artesanato. O projeto parte do trabalho de Rauni Vilaboas, do @lab_lamb, página de colagens no Instagram. Somam a ele os artistas e artesãos Diego Vicente e Ronaldo Gonçalves.

Para a concepção das obras, eles se dividiram entre a criação das colagens digitais, o entalhe artesanal e a pintura das molduras e cavaletes, suportes produzidos sob medida para o projeto. Os artistas são amigos de longa data e companheiros de composições musicais na banda “O Mormaço Severino”. Durante suas trajetórias artísticas, se dedicam a reconstruir a cidade por meio de olhares periféricos.

Com o projeto “Das margens do Rio Paraguai: vultos que ecoam de um centro histórico pantaneiro”, eles pretendem contribuir para reposicionar o olhar de uma cidade histórica, universitária e tradicional, colocando pessoas comuns, em suas mais diversas vivências, ofícios e gerações como figuras centrais de uma obra artística.

“Neste projeto buscamos dar visibilidade às pessoas ‘invisíveis’, as representando a partir de uma estética poética, humana e sensível para não deixar que elas caiam no esquecimento da história. Cáceres é uma cidade antiga e oficialmente lembrada apenas pelas famílias tradicionais, mas o cacerense vai além: ele é o pipoqueiro da praça, a travesti, o músico, a guerrilheira, todas essas pessoas renegadas também são cacerenses”, destaca Rauni Vilasboas.

Acesse a exposição virtual pelas redes sociais do projeto no Instagram e Facebook.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Trabalho ostensivo prende dois homens com armas de fogo e identifica desmatamento ilegal

Publicado


Dois homens de 31 e 40 anos foram presos nesta sexta-feira (07.05), por porte ilegal de arma de fogo na zona rural da cidade de Novo Mundo (a 785 km de Cuiabá). Na ação, foram apreendidos uma espingarda calibre 36, um revólver calibre 38 e sete munições de ambos os calibres.

A região vem sendo monitorada pela equipe do 15º Comando Regional devido a denúncias de intimidação por parte de grileiros que vem ameaçando moradores da localidade.

Em diligências constantes foram identificados desmate ilegal e construções de barracos e um trator sem numeração. Durante os trabalhos, três homens armados foram vistos. Um deles fugiu, abandonando uma espingarda. Ele não foi localizado.

Com a dupla que ficou foi apreendido o revólver. Um deles alegou que estava construindo uma estrada para ter acesso ao seu lote, onde vai construir uma casa.

Foram anexadas no boletim de ocorrência as imagens do desmatamento ilegal na área para as devidas providências.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 08000.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Trabalho ostensivo prende dois homens com armas de fogo e identifica desmatamento ilegal
Continue lendo

MATO GROSSO

Auxílio estará disponível a partir deste sábado (08); Veja lista dos estabelecimentos credenciados

Publicado


O valor de R$ 150 do Ser Família Emergencial será creditado nos cartões do programa a partir deste sábado (08.05). Por cinco meses, as famílias beneficiadas com o auxílio poderão adquirir alimentos em mais de 700 estabelecimentos cadastrados. A lista dos supermercados está disponível no site da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

As famílias contempladas com o auxílio emergencial deverão usar o benefício para a compra exclusiva de alimentos, sendo proibida a aquisição de bebidas alcoólicas, produtos a base de tabaco, cosméticos e combustíveis.

O estabelecimento que for identificado comercializando produtos que não sejam de gênero alimentício, através do cartão do Ser Família Emegencial, poderá ser descredenciado, e a situação relatada aos órgãos de controle.

Em todo o Estado, serão beneficiadas 100 mil famílias mato-grossenses que vivem abaixo da linha da pobreza. O auxilio emergencial foi criado pelo Governo do Estado após pedido da primeira-dama Virginia Mendes. 

Os contemplados fazem parte do Cadastro Único das Políticas Sociais Brasileiras do Ministério da Cidadania (CadÚnico), e recebem até R$ 70 per capita por mês.

Para tornar possível o programa Ser Família Emergencial, o Governo contou com o apoio da Assembleia Legislativa e do senador Jayme Campos. Serão mais de R$ 75 milhões destinados para ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social. 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Novo single de Paula Shaira está disponível nas plataformas streaming
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana