conecte-se conosco


POLÍTICA NACIONAL

Após café da manhã recusado, Bolsonaro convoca TCU para videoconferência

Publicado


source
Bolsonaro quer conversar com membros do Tribunal de Contas da União para prestar contas de ações do governo durante a pandemia
O Antagonista

Bolsonaro quer conversar com membros do Tribunal de Contas da União para prestar contas de ações do governo durante a pandemia

Após ouvir o ‘não’ de alguns dos nove ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) para um café da manhã nesta terça-feira (27) , Bolsonaro mudará o formato do convite e chamará a Corte para um encontro por videoconferência . As informações são da jornalista Mônica Bergamo , da Folha de S. Paulo.

Mudando o formato, Bolsonaro tenta evitar um fiasco que já se desenhava, já que apenas quatro dos nove ministros haviam confirmado presença no encontro promovido pelo presidente.

A intenção de Bolsonaro é prestar contas ao TCU sobre as ações de combate à Covid-19 antes da CPI ser instalada, o que ocorrerá também na terça-feira.

O TCU já tem abastecido senadores com os relatórios de investigação sobre a gestão do governo federal, apontando uma série de problemas.

Você viu?

A recusa dos ministros para um encontro presencial seria motivada pela aglomeração que seria causada no Planalto. Além disso, segundo a Folha, membros da Corte acreditam que um café da manhã criaria um ambiente de congraçamento no momento em que o TCU fiscaliza os erros do Planalto na gestão da crise sanitária.

Como a reunião será por videoconferência, a expectativa é de que todos os ministros do TCU estejam presentes.


Leia mais:  Yamagushi diz que Barra Torres mentiu sobre ela apoiar mudar bula da cloroquina

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

CPI vai ouvir Wajngarten sobre filhos de Bolsonaro

Publicado


source
CPI vai interrogar Wajngarten sobre filhos de Bolsonaro
O Antagonista

CPI vai interrogar Wajngarten sobre filhos de Bolsonaro

“A influência dos filhos do presidente da República sobre as decisões do governo poderá ser destrinchada por Fabio Wajngarten na CPI da Covid “, diz a Crusoé.

“O ex-chefe da Secom , que trabalhou na campanha eleitoral de Jair Bolsonaro em 2018, conhece a fundo a atuação da prole do presidente e será questionado sobre o papel de Flávio, Carlos e Eduardo no governo sobretudo durante a pandemia .”

Comentários Facebook
Leia mais:  PF pede ao STF que abra inquérito contra Toffoli, acusado de vender decisões
Continue lendo

POLÍTICA NACIONAL

Pazuello terá habeas corpus produzido pela AGU para poder manter silêncio na CPI

Publicado


source
AGU prepara habeas corpus para Pazuello, como aval de Bolsonaro
O Antagonista

AGU prepara habeas corpus para Pazuello, como aval de Bolsonaro

Com o aval do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a Advocacia-Geral da União (AGU) está preparando um habeas corpus que será apresentado ao Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello tenha o direito de ficar calado durante seu depoimento na CPI da Covid, respondendo apenas as perguntas que quiser. A presença de Pazuello no Senado está marcada para o dia 19.

Um ex-ministro da Saúde ser assessorado pela AGU é um fato inédito. O Planalto avalia que proteger Pazuello na CPI seria proteger também Jair Bolsonaro. Segundo apuração da CNN Brasil, o Planalto avalia que a CPI já condenou o governo e, principalmente, a gestão Pazuello.

Apesar de o general ter sido convocado como testemunha, o que lhe obriga a falar, há jurisprudência no STF para que tenha o direito do silêncio. Em 2019, o ex-ministro Celso de Mello autorizou que uma ex-funcionária da Câmara de Comércio Exterior ficasse em silêncio durante depoimento na CPI do BNDES. O presidente da Vale, Fábio Schvartsman, também conseguiu o mesmo direito na época. 

Comentários Facebook
Leia mais:  Pazuello terá habeas corpus produzido pela AGU para poder manter silêncio na CPI
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana