conecte-se conosco


POLÍTICA MT

Lúdio Cabral alerta que toque de recolher é inapropriado e explica necessidade de quarentena

Publicado


Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O deputado estadual e médico sanitarista Lúdio Cabral (PT) reforçou, mais uma vez, a necessidade de decretar quarentena obrigatória em todo o território de Mato Grosso, com restrição de funcionamento das atividades não essenciais, por pelo menos 14 dias, para reduzir as taxas de transmissão da covid-19. Lúdio argumentou que o toque de recolher decretado pelo governador nesta semana é insuficiente e inapropriado para conter a transmissão do coronavírus.
“O governador de Mato Grosso precisa, imediatamente, converter esse decreto de toque de recolher em um decreto de quarentena, por algumas razões. Primeiro: o vírus não circula só à noite, o vírus circula 24 horas por dia e é exatamente durante o dia que a população circula mais. Então o efeito do toque de recolher é muito pequeno. Segundo: toque de recolher tem um ranço autoritário, porque proíbe as pessoas de circularem em determinados horários. O direito de ir e vir tem que ser preservado. Além disso, o toque de recolher tem o efeito colateral de gerar aglomerações nos serviços essenciais, como aconteceu nesta semana em supermercados”, afirmou Lúdio.
Para frear a pandemia, Lúdio explicou que é necessário decretar uma quarentena que suspenda as atividades não essenciais e que permita que as atividades essenciais funcionem sem restrição de horário, para evitar aglomerações. Ele observou que a quarentena vai permitir que as pessoas que não trabalham nos serviços essenciais fiquem em casa, diferente do toque de recolher, que proíbe as pessoas de saírem às ruas em determinados horários.
Uma quarentena planejada e organizada vai reduzir a necessidade de as pessoas circularem. As atividades econômicas não essenciais precisam ser paralisadas, para que as pessoas tenham o direito de ficar em casa e se proteger do contágio. Para que elas não precisem entrar no ônibus, aglomerar, se expor, ficar em ambiente fechado, sem ventilação, expostas ao risco de adoecer. É o direito das pessoas não circularem que precisa ser assegurado por meio de uma quarentena”, explicou Lúdio.
A recomendação de quarentena foi feita por Lúdio ao governador em ofício no dia 21 de janeiro, quando Mato Grosso chegou a um platô elevado da segunda onda da pandemia, e reforçada no dia 26 de fevereiro. Lúdio vem monitorando a evolução da pandemia de covid-19 em Mato Grosso e fazendo projeções da tendência da curva epidêmica desde março de 2020, e alertou o governador por diversas sobre as medidas que deveriam ser tomadas. Em janeiro, Lúdio detectou a necessidade de quarentena, em função do alto número de casos novos e de óbitos, a possibilidades de variantes mais contagiosas do coronavírus circulando no estado e a lentidão na vacinação.
“Quarentena já, 24 horas por dia, com suspensão de atividades econômicas e serviços públicos não essenciais, para que as pessoas tenham o direito de ficar em casa e se proteger, preservado o direito de ir e vir. E os serviços essenciais têm que funcionar sem restrição de horário. O que não pode é ter aglomeração de forma alguma. É essa reivindicação que venho fazendo desde 21 de janeiro, quando os indicadores epidemiológicos da pandemia já desenhavam o quadro de colapso que estamos vivendo hoje”, afirmou Lúdio.

Leia mais:  Projeto de lei incentiva vacinação em empresas privadas
Fonte: ALMT

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA MT

Deputado Dr. Gimenez toma primeira dose da vacina contra Covid-19

Publicado


Foto: Rose Domingues Reis / Gabinete do deputado Dr. Gimenez

O deputado estadual Dr. Gimenez (PV), de 69 anos, tomou a primeira dose da vacina a contra a Covid-19 na tarde de quarta-feira (21) no Sesi Papa, em Cuiabá. O parlamentar, que é o mais idoso da Assembleia Legislativa, já foi infectado pela doença em dezembro do ano passado, porém na forma mais branda.  

 Enquanto se preparava para a receber a primeira dose da Astrazeneca, aos cuidados das servidoras da Prefeitura de Cuiabá, Dr. Gimenez afirmou estar emocionado e esperançoso por ser um dos mato-grossenses a ter acesso à vacina e espera trabalhar para que todos os cidadãos se imunizem nos próximos meses.  

“Não existe cura para a doença, apenas prevenção e tratamento, por isso a importância de continuar seguindo todas as normas de biossegurança, eu, por exemplo, vou manter o trabalho em casa o máximo possível. E quero apelar para que a população faça o mesmo: se vacine e mantenha os cuidados, porque quem ama cuida”.  

Como médico e vice-presidente da Comissão da Saúde da Casa de Leis, o parlamentar orienta que a vacinação contra a Covid-19 é de extrema importância para que o Brasil supere este momento crítico da pandemia. Independente do percentual de eficácia da Astrazeneca (da Fiocruz) e Coronavac (do Butantan), ambas são eficientes e reduzem em até 100% as internações pela doença.   

“Mundialmente, observamos que após a vacinação, há uma queda brusca na necessidade de leitos de UTI, ou seja, os casos se tornam menos graves. Além disso, onde já se iniciou a vacinação o número de óbitos diminuiu drasticamente. Por isso, sou totalmente favorável à vacinação porque salva vidas e salva a economia”.  

Leia mais:  Projeto de lei incentiva vacinação em empresas privadas

Dr. Gimenez diz estar ansioso pela segunda dose da vacina, que já está agendada para o mês de julho deste ano também na Capital. Sobre o trabalho da Assembleia Legislativa para apoiar a vacinação em Mato Grosso, ele diz que ao invés de críticas e divergências políticas é momento de unir esforços para que o estado avance. 

“Nós observamos que Cuiabá estava com dificuldade em sua logística, com muitas filas, por isso estamos apoiando na articulação de novos postos de vacinação, entre eles, o Centro de Eventos do Pantanal, o próprio Sesi Papa, onde me vacinei, a UFMT, o Balneário Dr. Meirelles (Osmar Cabral) e em breve o estacionamento da Casa de Leis”. 

O deputado visitou na terça-feira (20) as obras de adaptação do estacionamento da Assembleia Legislativa e disse que o espaço está quase pronto e adequado para receber com segurança os moradores de Cuiabá. “Também há um projeto para fazer um Corujão da Vacina, ainda com o intuito de reduzir ou evitar filas, aglomerações e agilizar o processo de imunização”.  

O parlamento estadual também liberou neste ano recursos para a aquisição de cilindros de oxigênio e busca viabilidade para a doação de pelo menos 30 mil sacolões de alimentos para famílias em vulnerabilidade social. Desde o ano passado, foram aprovadas 49 leis e destinados mais de R$ 34 milhões em recursos para o enfrentamento à pandemia.  

Em 2020, o total destinado somou R$ 14 milhões, dos quais R$ 10 milhões ao governo estadual para abertura de novos leitos a pacientes com Covid-19 e R$ 4 milhões aos hospitais filantrópicos, entre eles, o Hospital de Câncer recebeu R$ 3 milhões. Em 2021, serão destinados mais R$ 10 milhões para apoiar dois projetos do estado: auxílio emergencial para 100 mil famílias e crédito especial para micro e pequenas empresas. 

Leia mais:  Projeto sobre liberdade econômica passa a ser realidade em Mato Grosso
Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

POLÍTICA MT

Projeto de lei visa suporte psicológico aos servidores públicos durante a pandemia

Publicado


O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) é o autor do projeto de lei (PL 215/2021) que institui um programa de suporte psiquiátrico e psicológico aos servidores públicos estaduais que atuam na linha de frente de atendimento aos pacientes diagnosticados com coronavírus (Covid-19).

Para garantir a plena execução do projeto, o governo do Estado poderá firmar convênios ou parcerias com as Prefeituras e o governo federal bem como empresas privadas, cooperativas, associações e outras entidades voltadas a saúde pública.

O parlamentar cita a alteração drástica gerada pela pandemia da Covid-19 no convívio social, o que leva a necessidade de acompanhamento psicológico dos profissionais.

“Os cuidados de prevenção aumentaram a atenção dos servidores nas medidas de higiene e uso de equipamento de proteção individual, sem contar o medo cotidiano no contato com pacientes. Isto devasta, sem dúvidas, o psicológico desses servidores.

Uma pesquisa aponta que sintomas de ansiedade e depressão afetam 47,3% dos trabalhadores de serviços essenciais durante a pandemia de Covid-19, no Brasil e na Espanha. Mais da metade deles — e 27,4% do total de entrevistados — sofre de ansiedade e depressão ao mesmo tempo. Além disso, 44,3% têm abusado de bebidas alcoólicas; 42,9% sofreram mudanças nos hábitos de sono; e 30,9% foram diagnosticados ou se trataram de doenças mentais no ano anterior a uma pesquisa coordenada pela Fiocruz, e feita em parceria com outras instituições.

Esses são os principais resultados apresentados no artigo Depressão e Ansiedade entre trabalhadores essenciais do Brasil e da Espanha durante a Pandemia de Covid-19: uma pesquisa pela Web (Depression and Anxiety Among Essential Workers From Brazil And Spain During The Covid-19 Pandemic:a websurvey), aceito na revista cientifica Journal of Medical Internet Research.

Leia mais:  Projeto de lei incentiva vacinação em empresas privadas

Os resultados referem-se a pesquisa feita pela web no início da pandemia na Espanha (entre 15 de abril e 15 de maio) e no Brasil (entre 20 de abril e 20 de maio), contabilizando 22.876 questionários preenchidos. Da amostra total, pouco mais de 16% (3.745) eram trabalhadores em serviços essenciais (principal foco do estudo), sendo 2.842 (76%) brasileiros e 903 (24%) espanhóis. Esses 3.745 responderam “sim” à pergunta: “Você está atualmente trabalhando como profissional de saúde ou de outros serviços essenciais (transportes, alimentação, limpeza)?”.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana