conecte-se conosco


MATO GROSSO

Governo de MT repassa R$ 9,2 milhões para custeio das escolas do Estado

Publicado


A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) realizou o primeiro repasse deste ano, referente ao Projeto Político Pedagógico (PPP), às 731 escolas de Mato Grosso, totalizando R$ 9.228.651,69.

Deste montante, R$ 7.699.311,87 são para custeio, ou seja, o recurso deve ser usado pelas escolas para cobrir despesas relacionadas à aquisição de materiais de consumo, como de expediente, de limpeza e de construção, e contratação de serviços, como manutenção de hidráulica, elétrica e jardinagem.

O restante, R$ 1.529.339,82 é para capital e deve ser empregado na aquisição de materiais permanentes, como ar-condicionado, computador, geladeira e mobiliário.

Os repasses são feitos em quatro parcelas, sendo a primeira em março, a segunda em junho, a terceira em setembro e a quarta em dezembro e cai diretamente na conta do Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar (CDCE).

Secretário de Estado de Educação, Alan Porto explica que o valor destinado a cada escola é de acordo com o número de estudantes matriculados e enfatiza a importância deste repasse para o andamento dos projetos e dos trabalhos das escolas, sempre visando a melhoria na aprendizagem.

Alan Porto destaca que há outros recursos disponíveis para as escolas, como os recursos descentralizados que devem ser solicitados pelos diretores para pequenas intervenções. Este recurso, no máximo R$ 33 mil, pode ser solicitado a cada seis meses pelos gestores. Ele pode ser usado para melhorias na rede hidráulica e elétrica, no telhado, entre tantos outros serviços.

Além disso a Seduc já fez repasses este ano para a compra dos kits alimentação escolar e está com várias obras de reformas, manutenção e construção de novas escolas em andamento.

“Serão investidos R$ 936 milhões na educação em 2021 e 2022, sendo R$ 449,4 milhões no sistema pedagógico. Os outros R$ 442 milhões serão aplicados nas obras de modernização da infraestrutura dos prédios escolares. Todos estes investimentos visam melhorar os índices de aprendizagem no nosso Estado”.

Leia mais:  Confaz restringe, mas Governo vai propor extensão da isenção do ICMS da energia solar
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Confaz restringe, mas Governo vai propor extensão da isenção do ICMS da energia solar

Publicado


A respeito das dúvidas surgidas sobre a energia elétrica de fonte fotovoltaica (energia solar), nos últimos dias, o Governo do Estado informa que:

1) Não há incidência do ICMS sobre a energia fotovoltaica produzida e imediatamente consumida pela unidade consumidora;

2) Porém, durante o período do dia, em que se tem maior incidência solar, a usina fotovoltaica produz mais energia elétrica do que consome;

3) Esse excesso de energia elétrica produzida durante o dia pela usina fotovoltaica é injetado na rede de distribuição e será compensado com a energia consumida pela unidade;

4) É importante o registro de que o faturamento da energia elétrica pela concessionária abrange o preço da energia propriamente dita e o de uso do sistema de distribuição;

5) O Conselho Nacional de Política Fazendária (CONFAZ), desde o Convênio 16, de 22 de abril de 2015, desonerou a incidência do ICMS sobre a energia produzida que é injetada na rede de distribuição e, posteriormente, compensada pela unidade consumidora;

6) Contudo, no inc. I do § 1° da Cláusula Primeira do referido Convênio 16, de 2015, o CONFAZ decidiu, desde o ano de 2015, que a isenção do ICMS sobre a energia elétrica produzida a partir de fonte fotovoltaica injetada e compensada “não se aplica (…) aos encargos de conexão ou uso do sistema de distribuição”;

7) Assim, a concessionária distribuidora de energia elétrica em Mato Grosso, verificando que não estava observando o disposto na referida cláusula do Convênio n° 16, de 2015, passou a cobrar, a partir de abril deste ano, o ICMS incidente sobre o uso do sistema de distribuição da energia elétrica produzida pela unidade consumidora e injetada na rede;

8) O Governo do Estado reitera que não alterou nenhuma regra da sua legislação para aumentar a incidência do ICMS sobre a energia fotovoltaica e afirma que proporá ao CONFAZ alteração do inc. I do § 1° da Cláusula Primeira do referido Convênio 16, de 2015, para que o ICMS passe a não incidir também sobre o uso do sistema de distribuição da energia elétrica injetada na rede;

Leia mais:  Irregularidades e falta de enquadramento são principais motivos para negativa de crédito emergencial

9) Sem a autorização do CONFAZ, nenhum Estado pode isentar o ICMS incidente sobre o uso do sistema de distribuição por energia fotovoltaica injetada na rede, de acordo com o disposto no art. 155, § 2°, XII, ‘g’, da Constituição Federal.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Mauro Mendes defende que vacinas compradas pelo Estado fiquem em Mato Grosso

Publicado


Em reunião com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o governador Mauro Mendes defendeu que as doses da vacina Sputnik V, adquiridas pelo Governo do Estado, sejam pagas pelo estado e aplicadas exclusivamente em Mato Grosso. Ao todo, o Estado adquiriu 1,2 milhão de doses da vacina contra a covid-19.

A reunião ocorreu na tarde desta terça-feira (20.04), por videoconferência, com a participação dos governadores do Norte, Nordeste e Centro-Oeste que compraram a Sputnik V.

De acordo com Mauro Mendes, o ministro da Saúde demonstrou intenção de requisitar as vacinas compradas pelos estados, pagar pelas doses, e incluí-las no Plano Nacional de Imunização (PNI).

“Eu tenho defendido que o Estado de Mato Grosso prefere, em primeiro lugar, pagar pelas vacinas para que nós fiquemos com essas vacinas aqui no estado”, afirmou o governador.

Mauro relatou que, caso não seja possível essa primeira alternativa, que o Ministério da Saúde inclua no PNI as doses, mas as entregue apenas aos estados que fizeram a compra, como forma de antecipar as doses que já o Ministério já iria entregar.

“Ou seja, nós recebemos as vacinas aqui, aplicamos na nossa população, e as futuras entregas do PNI seriam descontadas e mandadas para os demais estados para poder futuramente reequilibrar essa conta em todo o país”, explicou.

A proposta de antecipação das doses, com a compensação, foi defendida por todos os governadores que adquiriram a Sputnik V. Marcelo Queiroga adiantou que irá encaminhar a proposta para análise da procuradoria do ministério.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Terça-feira (20): Mato Grosso registra 346.743 casos e 9.233 óbitos por Covid-19
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana