conecte-se conosco


POLÍTICA NACIONAL

Senador pego com dinheiro na cueca deve retomar mandato nesta quinta

Publicado


source
Senador Chico Rodrigues (DEM-RR)
Edilson Rodrigues/Agência Senado

Senador Chico Rodrigues (DEM-RR)

O ministro do Supremo Tribunal Federal ( STF ), Luís Roberto Barroso, autorizou nesta quarta-feira (17), que o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) , afastado do cargo desde outubro, quando foi alvo de uma operação da Polícia Federal, retome o mandato no Congresso.

Ex-vice-líder do governo Bolsonaro no Senado, Chico foi alvo da operação da PF que investigava suposto esquema de desvio de recursos públicos no combate à pandemia em Roraima.

A operação ganhou repercussão nacional pelo fato de que o senador tentou esconder dinheiro na cueca quando policiais federais cumpriam mandados de busca e apreensão em sua residência. Cerca de R$ 30 mil foram flagrados na peça íntima de Chico.

Investigado pelos crimes de peculato, organização criminosa e participação em esquema de fraude, o senador pediu licença do cargo por 121 dias. Além disso, Luís Roberto Barroso , ministro do Supremo, determinou afastamento por 90 dias.

Você viu?

Com o fim da licença nesta quinta-feira (18), Barroso analisou a situação e decidiu não prorrogar o afastamento:

“Tendo em vista não haver requerimento da PF ou da PGR, nem tendo havido, tampouco, o oferecimento de denúncia, não me parece ser o caso de prorrogar a determinação de afastamento do cargo”, escreveu na decisão.

Contudo, o ministro determinou que Chico Rodrigues não pode voltar a sua vaga na comissão que discute os valores destinados no combate à pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil.

Leia mais:  "Não deu certo em lugar nenhum": Bolsonaro "alfineta" Doria ao criticar lockdown

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

Mansão de Flávio Bolsonaro é protegida por polícia legislativa do Senado Federal

Publicado


source
Policia legislativa - paga com dinheiro público - realiza segurança particular da mansão de Flávio Bolsonaro
Reprodução: iG Minas Gerais

Policia legislativa – paga com dinheiro público – realiza segurança particular da mansão de Flávio Bolsonaro

A mansão de R$6 milhões adquirida pelo senador  Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) agitou o noticiário nesta semana. Nessa manhã, mais uma novidade. A segurança do imóvel está sendo realizada pela polícia legislativa do Senado Federal. As informações são do jornalista Guilherme Amado .

Próximo à entrada do condomínio Ouro Branco, localizado no bairro mais nobre do Distrito Federal, um carro da polícia legislativa realizava a segurança particular – paga com o dinheiro público – da mansão.


Questionada sobre o por que do carro da polícia legislativa amanhecer à frente do imóvel de Flávio Bolsonaro , o Senado Federal se recusou a dar uma resposta.

Comentários Facebook
Leia mais:  Flávio Bolsonaro ainda deve R$ 1,8 milhões de mansão de R$ 6 milhões
Continue lendo

POLÍTICA NACIONAL

Nesta 5ª, Lira e Pacheco encontram presidente do STJ

Publicado


source
Presidentes do Senado e Câmara dos Deputados, Rodrigo Pacheco e Arthur Lira
RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Presidentes do Senado e Câmara dos Deputados, Rodrigo Pacheco e Arthur Lira

Nesta quinta feira (04),  Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e Arthur Lira (PP-AL), presidentes do Senado Federal e da Câmara dos Deputados, terão um encontro as 13h, com o Humberto Martins, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), na sede do tribunal. As informações foram apuradas pelo Metrópoles. 

Tal encontro tem como objetivo tratar de assuntos da agenda prioritária do Brasil. Os parlamentares tem defendido a economia e a vacinação contra o novo coronavírus como tópicos prioritários. Porém, Martins deve abordar a questão da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 10/2017. 

Levando o nome de PEC da Relevância , que tem como função prevê, em recurso especial, que partes relevantes das questões de direito federal infraconstitucional debatidas na ação, devem ser consideradas. Essa é uma das questões principais da gestão do ministro. 

Há duas semanas, Lira e Pacheco se reuniram com o ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal ( STF ), para debaterem questões da agenda dos poderes Legislativo e Judiciário. E assim que eleitos, eles também tiveram uma reunião com o atual presidente da República, Jair Bolsonaro

Comentários Facebook
Leia mais:  Mandetta ironiza decisão do governo comprar vacinas: "Antes tarde do que nunca"
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana