conecte-se conosco


MATO GROSSO

Seciteci define estratégias para implantação de ensino militar em Escolas Técnicas do Estado

Publicado


Em reunião com a equipe da Diretoria de Ensino da Polícia Militar de Mato Grosso (PM-MT), o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), Nilton Borgato, alinhou estratégias e ações para a implantação de uma unidade escolar militar, junto com as Escolas Técnicas Estaduais (ETE’s).

O secretário esclarece que o objetivo principal da reunião é alinhar a parceria entre a Seciteci com as Secretarias de Estado de Educação (Seduc) e de Segurança Pública (Sesp), por meio da PM, para desenvolver projetos voltados ao ensino, a começar pela ETE que está sendo construída em Primavera do Leste.

“A escola técnica de Primavera do Leste será um modelo pioneiro no estado, com a oferta de qualificação profissional, coordenada pela Seciteci, junto com uma escola estadual militar, ambas atuando no mesmo espaço, que é amplo e comporta tranquilamente estas duas atividades. Portanto, será uma excelente unidade de ensino, com educação de qualidade, como o nosso governador, Mauro Mendes, garantiu. Será a maior escola militar do Estado”, ressaltou o gestor da Seciteci.

O diretor de ensino da PM, coronel Neto, explica que estes encontros são importantes para ampliar o ensino militar no Estado, que já se consagrou como excelente estratégia educacional no país.

“Esta parceria entre as três secretarias vai fomentar os projetos que a PM tem voltados não somente para as escolas estaduais, mas também para instituições de ensino superior. Além disso, tratamos outras pautas importantes, como o credenciamento e ainda a proposta de termos uma vaga no Conselho de Educação para que possamos ter mais espaço dentro das discussões sobre o ensino no Estado”, disse.

Na reunião estavam presentes o tenente-coronel Dorileo, que é adjunto da Diretoria de Ensino da PM e a tenente-coronel Leonel, que coordena o Centro de Pesquisas da PM.

Leia mais:  Escola usa internet, livros didáticos e apostilas para ampliar aprendizagem
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Materiais ilícitos são encontrados por cão farejador em ônibus que conduzia presos ao trabalho

Publicado


Uma denúncia anônima levou à apreensão de materiais ilícitos escondidos por recuperandos do Complexo Penitenciário Ahmenon Lemos Dantas, de Várzea Grande, no ônibus que retornava do trabalho extramuros. Com a ajuda do cão farejador “Furya”, do Setor de Operações Especializadas (SOE), foram encontrados oito aparelhos celulares, 17 carregadores, 11 fones de ouvidos, além de chips, baterias e adaptadores para cartão de memória.

O caso ocorreu no final da tarde desta terça-feira (03.03). Todo este material foi encontrado em fundos falsos, luminárias e estofados dos bancos do veículo, identificados pelo cão farejador. No total, 27 reeducandos que realizam o trabalho extramuros durante o dia estavam no ônibus.

Todo o material apreendido foi encaminhado ao setor de Inteligência da unidade, que já está identificando os presos que tiveram participação na tentativa de entrada com os ilícitos. De acordo com o diretor da unidade, Edilson Leão Cavalcante, os presos identificados serão retirados do trabalho extramuros.

Santo Antônio de Leverger

Também nesta terça-feira, policiais penais do SOE realizaram uma operação na Cadeia Pública de Santo Antônio de Leverger, onde 23 presos cumprem pena. Na ocasião, os policiais ao iniciarem o procedimento de revista nas celas, encontraram diversos celulares, carregadores, pendrives, cartões de memória, baterias de celulares, além de cadernos de anotações.

O trabalho foi acompanhado pelo setor de Inteligência da Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária, vinculada à Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Gastroenterologista do Mato Grosso Saúde chama atenção para a obesidade como fator de risco para a Covid-19
Continue lendo

MATO GROSSO

Estudo realiza diagnóstico econômico da região de Cáceres

Publicado


A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) entregou para a Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat) os resultados da pesquisa realizada “Diretrizes Estratégicas para o Desenvolvimento da Micro Região de Cáceres – MT: Diante das Potencialidades e Deficiências de Segmentos Econômicos–chaves”, ou simplesmente: “Diagnóstico Econômico da Região de Cáceres-MT”.

A pesquisa foi realizada por meio de uma articulação da Unemat com o Governo de Mato Grosso e foi desenvolvida durante o ano de 2020 por pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento da Universidade. O coordenador científico do projeto, professor doutor em Economia, Ademir Machado de Oliveira, explica que a pesquisa foi encomendada pelo Governo do Estado, e financiada pela Fapemat a fim de levantar as potencialidades e deficiências regionais a fim de contribuir para ações e planejamento estratégico que contribuam com o desenvolvimento de Cáceres, que é o foco do estudo, e de outros cinco municípios da região Oeste (Curvelândia, Glória D´Oeste, Lambari D´Oeste, Mirassol D´Oeste e Porto Esperidião) que também tem partes de suas economias analisadas.

“A ideia é que a partir desse estudo, os gestores públicos possam ter mais informações que possibilitem ampliar a qualidade de vida da população por meio de ações que promovam a geração de emprego e renda a partir das potencialidades existentes que podem ser melhor exploradas, levando em conta suas vocações produtivas e o padrão competitivo dos municípios, além das condições de infraestrutura disponíveis”, explica o pesquisador.

O relatório geral, que contém cerca de 700 páginas, resulta de diversos relatórios individuais, em que se identificam os pontos fortes e fracos de diferentes cadeias produtivas e segmentos econômicos, como: agropecuária, logística, turismo, comércio exterior, regimes aduaneiros especiais (ZPE, Free Shop, entre outros). A partir dos apontamentos dos pesquisadores em cada segmento/cadeia é que os gestores, tanto estadual como municipal, podem adotar ações que visem promover esse desenvolvimento socioeconômico.

Leia mais:  Estudo realiza diagnóstico econômico da região de Cáceres

Resultados:

Entre os pontos apontados no relatório pode-se citar a necessidade de execução de um plano turístico regional que tenha como principal produto turístico o ecossistema do Pantanal e os Free Shops integrados aos produtos turísticos, além da obtenção de alguma indicação geográfica de produtos e elementos regionais sendo contemplada.

A pesquisa apontou também a necessidade de um “Plano de atração de investimento para a ZPE/Cáceres, de forma a prospectar empresas chinesas que processem insumos mato-grossenses e bolivianos e que poderiam ser exportados para a China e Bolívia de forma a também viabilizar o corredor logístico de Cáceres a Costa do Pacífico.

O estudo destaca a importância de se adotar um “Plano de Mobilidade Urbana de Cargas e Veículos”, para Cáceres, em que os fluxos logísticos do entorno do Porto e da ZPE ocorram integrados e sem interferência aos fluxos de outros veículos, com adequações na infraestrutura urbana (estacionamento de veículos pesados, etc.).

Outro apontamento para o desenvolvimento regional é a execução de um “Plano de Agroindustrialização da Região de Cáceres”, inicialmente a partir do que já é produzido nas agroindústrias familiares, micro e pequenas e aos poucos essa industrialização vai se ampliando incorporando novos produtos agropecuários ao processamento industrial.

Em relação a instalação de lojas francas (free shops) em Cáceres, os pesquisadores sugerem se defina um “Modelo de exploração de Loja Franca”, considerando como viáveis formatos já adotados na Argentina e Uruguai, de Galerias de Lojas e Shoppings Centers, como sendo os mais atrativos, os quais devem se integrar às outras atividades comerciais e ao turismo, pois o modelo de pequenas lojas free shops não se mostraram dinamizadoras das economias onde se instalaram no Sul do Brasil.

O coordenador do projeto lembra que além desses exemplos, o relatório apresenta ainda outras medidas mais pontuais que são sugeridas em diversas áreas do estudo.

Leia mais:  Operação Lei Seca autua 32 motoristas por irregularidades em Cuiabá

Metodologia

Além de sugestões de ações que podem ser desenvolvidas em nove áreas específicas, o relatório entregue a Agência Financiadora, também traz exemplos de um plano de ações articulado estabelecendo ação/atividade, com prazos estabelecidos, responsabilidades, equipamentos/recursos necessários, locais de execução e financiamento quando for o caso. 

“Como sequência de trabalhos, e melhor aproveitamento do que foi feito até então no estudo, indicamos que se deve definir melhor e aperfeiçoar cada uma das diretrizes (orientações e sugestões de ações) listadas em cada área. Para isso, sugerimos que sejam realizadas reuniões específicas, no formato de workshop, em que seja possível expor as diretrizes e após discussões validar esses pontos. Nesses workshops devem participar gestores do governo estadual, municipal e agentes privados atuantes em cada área. O produto deste trabalho deve ser um Plano de Ações Articuladas (PAR) entre os agentes para cada diretriz”, afirma Ademir.

Produtos Gerados:

Além do relatório geral e do relatório executivo que é uma síntese dos relatório geral, foram produzidos nove relatórios individuais, e entregue a Fapemat, os pesquisadores da Universidade do Estado de Mato Grosso, também elaboraram plataformas digitais para socializar esses materiais, como por exemplo a http://derc.faepenmt.com.br e ainda no Facebook: www.facebook.com/pesquisadesenvolvimentocaceres.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana