conecte-se conosco


MATO GROSSO

Registros de feminicídios aumentam 59% em Mato Grosso

Publicado


Os casos de feminicídio em Mato Grosso aumentaram 59% em 2020, em relação a 2019. Foram registrados 62 crimes de homicídios com esta qualificadora entre janeiro e dezembro do ano passado, contra 39 no mesmo período do ano anterior. Já em 2018 houve 42 casos. Os dados são da Superintendência do Observatório de Segurança da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

No total, foram registrados 104 homicídios de mulheres em 2020 (62 feminicídios e 42 sem essa qualificação). O número corresponde a um aumento de 19% em relação a 2019, quando foram regitrados 87 homicídios (39 feminicídios e 48 não qualificados dessa forma).

A maioria dos casos totais de homicídios, incluindo feminicídios, registrados em 2020 foram consumados com uso de arma cortante ou perfurante (36%), seguidos de arma de fogo (28%), outros (20%), e força muscula e arma contundente, ambos com 8%.

A Sesp-MT também fechou os dados das principais ocorrências criminais envolvendo mulheres de 18 a 59 anos de idade. No estado, os crimes de ameaça, lesão corporal e injúria continuam liderando os registros, mas também apresentaram reduções.

Em 2020 foram identificados 18.076 crimes de ameaças, contra 20.600 no ano passado (-12%); enquanto houve 9.649 e 10.334 registros de lesão corporal, respectivamente (-7%); e 5.161 ocorrências de injúria em 2020 e 6.153 em 2019 (-16%). Alguns crimes tiveram aumento, como estupro, com 6% (442 casos no ano passado e 418 no ano retrasado); violação de domicílio (5%) e importunação sexual, que passou de 176 para 220 casos.

Região metropolitana

Já em Cuiabá, os crimes de ameaça reduziram 13%, injúria 12% e lesão corporal 6%. O crime de importunação sexual foi responsável por 51 casos em 2020, contra 52 em 2019, enquanto assédio sexual passou de 54 para 34 casos (-37%). Apresentou aumento de 11% o crime de estupro, com 84 casos no ano passado e 76 no ano anterior.

Leia mais:  Sema participa de reuniões temáticas sobre Plano Estadual de Resíduos Sólidos

Com relação a Várzea Grande, as reduções chegam a 15% nos crimes de ameaça; 2% em lesão corporal e 30% nos casos de injúria. O crime de estupro também reduziu 5% (37 casos em 2020 contra 35 em 2019). Houve aumento de 14% nas ocorrências de importunação sexual, sendo que foram registrados 16 casos no ano passado e 14 no ano anterior.

Canais de ajuda

O número de emergência em situações graves e que exigem socorro imediato é sempre o 190. Para registrar qualquer denúncia, basta ligar para 197, 180 e 181. Vale lembrar que todas as denúncias são sigilosas. Além disso, as denúncias também podem ser registradas presencialmente nas delegacias (PJC-MT) de Mato Grosso, ou qualquer delegacia do município em que a vítima reside.

Em Cuiabá, entrou em funcionamento este ano o Plantão de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica e Sexual, na Av. Dante Martins de Oliveira s/n, bairro Planalto, anexo ao prédio da 2ª Delegacia da Capital.

Também na Capital, a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) funciona na Rua Joaquim Murtinho, nº 789, Centro-Sul. Já em Várzea Grande, a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, da Criança e do Idoso funciona na Rua Almirante Barroso, 298, Centro Sul (próximo do Terminal André Maggi).

Algumas Delegacias Especializadas de Defesa da Mulher criaram, em função da pandemia que aumentou o isolamento social, canais para denúncias e atendimento psicológico pelo serviço de WhatsApp. Em Cuiabá, o número (65) 99966-0611 está disponível para as vítimas. Em Várzea Grande, a Delegacia criou o número (65) 98408-7445 para receber denúncias via WhatsApp.

Já a unidade especializada de Rondonópolis (215 km ao Sul de Cuiabá) tem o número (66) 99937-5462 para atendimentos. Além do telefone celular, a delegacia possui ainda um número fixo pelo qual as vítimas podem acionar o atendimento policial: (66) 3423-1754.

Leia mais:  8,6 mil doses de vacina já foram entregues a Cuiabá e Várzea Grande
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Alunos da escola militar de Rondonópolis ganham 18 medalhas; 4 de ouro

Publicado


Quatro alunos da Escola Estadual Militar Tiradentes Major PM Ernestino Veríssimo da Silva, em Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá), ganharam medalhas de ouro na Olimpíada Nacional de Ciências (ONC) de 2020. Outros sete estudantes conquistaram medalhas de prata, sete medalhas de bronze e quatro receberam menção honrosa. O resultado foi divulgado nessa quinta-feira (25.02).

O diretor da escola, tenente-coronel Kleber Franklin de Lima Ferreira, celebrou a conquista dos estudantes e a parceria entre a Polícia Militar, responsável pela gestão da unidade, e a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), responsável pela parte pedagógica.

“Isso ocorreu com muita determinação de todos, porque ninguém constrói nada sozinho. Assim conseguimos atingir o êxito mesmo nesse período de pandemia. Fiquei muito feliz com os resultados conquistados. Houve muita dedicação por parte de alunos, pais de alunos, professores, e trabalho conjunto entre PM e Seduc”, disse.

A escola foi criada em julho de 2019 e tem 549 alunos matriculados no Ensino Fundamental (a partir do 7º ano) e Ensino Médio (1º e 2º ano). Ferreira, que assumiu a direção em janeiro do ano passado, atribui a premiação dos alunos à filosofia que é aplicada na escola militar.

“Honra, disciplina, busca pelos preceitos éticos, cívicos e resgatar nesses estudantes a responsabilidade nos estudos. Tudo isso ajudou a atingir os resultados e queremos que os estudantes participem em mais competições”, afirmou.

Secretário de Estado de Educação, Alan Porto lembra que em Mato Grosso já são 12 escolas militares e a meta do Governo é criar mais 12 até o fim deste ano. “A parceria Seduc e Polícia Militar tem apresentado ótimos resultados, tanto que as escolas militares são as que tiveram os melhores resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)”.

Leia mais:  Governo de Mato Grosso vai encaminhar projeto que beneficia aposentados com doenças raras

O secretário enfatiza que a parte pedagógica e os professores destas escolas continuam sob responsabilidade da Seduc. “Estamos em um momento de grandes mudanças, com diversas ações sendo implantadas para melhorar a aprendizagem de nossos estudantes. A criação das escolas militares é uma destas ações e ocorre com apoio da sociedade. Em 2020 tínhamos cerca de 3 mil estudantes nas escolas militares e para 2021 já são quase 9 mil”, exemplifica.

A Olimpíada

A olimpíada integra o programa Ciência na Escola, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Ministério da Educação (MEC), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (capes).

Premiados

Os alunos que receberam as medalhas de ouro foram: Rafael Correa Pereira, do 8º ano; Pedro Henrique Coterli, 1º ano EM, Deborah Laruany de Castro Petry, 9º ano; e Luangabriel Demoura Duarte, do 8º ano.

Os outros premiados da escola militar foram:

Medalha de prata

Ana Beatriz Viana Melo – 8º ano

Renê Dias Tunes – 8º ano

Vitória Souza da Silva – 8º ano

Nadine Kauany Rodrigues dos Santos – 1º ano EM

João Guilherme Arruda Ferreguti – 9º ano

Gabriel Henrique de Jesus Oliveira – 9º ano

Aaron Gabriel Maciel Nascimento – 8º ano

Medalha de bronze

Lucas Rivelo Campos Almeida – 9º ano

Giovana Matos Ribeiro – 9º ano

Pedro Lucas Rodrigues Cabral – 8º ano

Kawãn Vinnicyus Soares dos Santos – 1º ano EM

Murilo Rodrigues da Silva – 9º ano

Julia Ribeiro Lima – 1º ano EM

Felipe Viveiros Montanhini – 8º ano

Menção honrosa

Emanuelly Handyara Silva Lopes – 1º ano EM

Leia mais:  8,6 mil doses de vacina já foram entregues a Cuiabá e Várzea Grande

Luiz Ricardo Miranda – 8º ano

Sebastião Miranda de Almeida Silva Lima – 8º ano

Eber Carlos de Arruda Dias Junior – 8º ano

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Sema participa de reuniões temáticas sobre Plano Estadual de Resíduos Sólidos

Publicado


A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) está participando de uma série de reuniões temáticas sobre o Plano Estadual de Resíduos Sólidos (PERS) entre os dias 25 de fevereiro e 3 de março. As videoconferências são coordenadas pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), por meio da Uniselva, responsável pela elaboração do Plano. Os debates têm o objetivo de continuar a coleta de dados antes do processo de autenticação.

Os debates iniciaram na quinta-feira (25.02) com reuniões pela manhã com órgãos do Governo Estadual de Mato Grosso e a tarde com representantes das prefeituras, câmaras municipais, universidades e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Assembleia Legislativa e Consórcios Intermunicipais.

Nesta sexta (26.02), continuaram as reuniões com o enfoque para apresentação e visão geral do projeto com a participação da Sema, Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Defensoria, Prefeituras, Câmaras Municipais, Ministério Público do Trabalho e instituições representantes de catadores de recicláveis.

Já nos dias 1, 2 e 3 de março serão realizados debates com as partes envolvidas com objetivo de receber últimas informações e contribuições para melhoria do documento final. uma última rodada de apresentações acontecerá no mês de abril, em cinco regiões do estado, para aprovação e autenticação do plano pela sociedade.

Na próxima semana, duas reuniões acontecerão no dia 1º com os temas Resíduos Sólidos Urbanos e Resíduos de Saneamento. No dia 2 o debate é sobre Resíduos de Serviços de Saúde e Resíduos de Construção e Demolição.

Entre as entidades que participarão destes debates, além de Sema, UFMT e AMM, estão Instituições que trabalham com o saneamento básico, agências reguladoras municipais, Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso (Ager), entidades com foco em saúde pública, Conselho Estadual de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea) e construtoras.

Leia mais:  8,6 mil doses de vacina já foram entregues a Cuiabá e Várzea Grande

O tema Resíduos Agrossilvipastoris, que será debatido no dia 2, contará com a participação de diversos órgãos do setor produtivo como Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja), Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), União Nacional do Etanol de Milho (Unem), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), Sindicato Madeireiro, Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) e Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat).

No mesmo dia serão discutidos os Resíduos Mineração com participação da Agência Nacional de Mineração (ANM), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) entre outras empresas e entidades representantes.

As discussões se encerram no dia 3 com debates sobre Resíduos de Transporte, Resíduos de Logística Reversa e Resíduos Industriais com a participação, entre outros, da Receita Federal, Sindicatos, Prefeituras, Ministério Público, entidades gestoras, Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), Ibama, empresas e Sindicato da Indústria de Reciclagem do Estado de Mato Grosso (Sindirecicle).

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana