conecte-se conosco


CUIABÁ

Operação Carnaval: Secretaria de Ordem Pública lavra 19 autos de infração

Publicado


Assessoria Sorp

Clique para ampliar

A Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria de Ordem Pública (Sorp) em conjunto com a  Polícia Militar, lavrou durante o período de Carnaval (12 a 16 de fevereiro) 19 autos de infração, 9  de notificação, 2  termos de apreensão e um termo de suspensão de atividade sonora. O  funcionamento de estabelecimentos fora do horário permitido, acima de  zero hora, e aglomerações foram as denúncias registradas em maior percentual.  

Todas as denúncias foram recebidas via Ciosp da Polícia Militar.  No total,  foram 113, sendo a maior parte referente ao mesmo caso ou sobre conflitos entre vizinhos por causa de som alto. Durante as cinco noites, equipes de fiscalização ficaram em pontos estratégicos nos quatro cantos da capital.
O secretário  de Ordem Pública, Leovaldo Sales, destaca que o decreto de Carnaval, a reunião com os proprietários de bares e restaurantes e a grande divulgação por parte da imprensa sobre a intensificação da fiscalização foram fatores inibidores que contribuíram muito para não ocorrer eventos nesse período. 
“A decisão do prefeito de não considerar ponto facultativo os dias de carnaval, a reunião feita na secretaria com a Associação e o Sindicato de proprietários de bares e restaurantes com boa participação de empresários do setor, a intensa divulgação por parte da imprensa sobre a intensificação da fiscalização integrada entre a ordem pública e polícia militar foram fatores inibidores que contribuíram muito para a tranquilidade nesses dias carnavalescos”, pontuou ele. 
Na capital, os festejos foram suspensos após o prefeito Emanuel Pinheiro assinar um decreto suspendendo a comemoração do evento carnavalesco e ainda, transformou as datas 15, 16 e 17 em dias úteis. A medida, conforme Emanuel, foi tomada por causa do crescente número de casos confirmados, bem como de óbitos decorrentes do vírus. A festa, que é uma tradição no país, evidencia uma probabilidade de alta transmissibilidade e risco de agravamento do atual quadro de saúde pública vivenciada, decorrente da pandemia do Coronavírus. 
Após o término da validade do decreto do Carnaval, as medidas restritivas para realização de eventos conforme consta no Decreto 8.204, de 19 de novembro de 2020, ou seja até 70 % da capacidade do local, existência de materiais de higienização, ventilação adequada do local e também a atenção às medidas de biossegurança: uso obrigatório de máscara, distância entre as pessoas continuarão valendo. 

Leia mais:  Semob leiloa veículos apreendidos e não retirados por proprietários 

Comentários Facebook
publicidade

CUIABÁ

Secretária de Saúde e equipe técnica se reúnem com Estado para solicitar doses de vacinas pendentes

Publicado


Reprodução

Clique para ampliar

A secretária municipal de Saúde, Ozenira Félix e as coordenadoras da campanha de vacinação contra o coronavírus, Valéria de Oliveira e Flávia Guimarães vão se reunir nesta segunda-feira (1º) com o secretário estadual de Saúde Gilberto Figueiredo. A gestora solicitou a reunião para solicitar ao Estado as 3.030 doses do imunizante Coronavac destinados para a segunda dose dos trabalhadores da saúde.

“Nós vamos nos reunir na segunda-feira com o secretário Gilberto para tratarmos sobre a vacinação. Temos um grupo que deve começar imediatamente a segunda dose, que não foi encaminhada para nós. Vamos discutir com o secretário Gilberto para tomarmos decisões em relação a isto. Possivelmente na terça-feira vamos retomar a vacinação e até lá divulgaremos qual grupo vamos atender e qual o quantitativo de doses disponíveis. Assim que fizermos as definições sobre a segunda dose junto com a SES, vamos divulgar o que ficou decidido”, disse a secretária Ozenira.

Valéria de Oliveira explicou que todas as doses de vacinas recebidas em Cuiabá já vieram com a especificação sobre o grupo a ser vacinado e quais eram primeira ou segunda dose e que as 3030 segundas doses dos trabalhadores de saúde não foram entregues para Cuiabá até o momento. “Temos no nosso estoque as 3120 doses destinadas à segunda dose dos idosos, que começarão a ser aplicadas em 11 de março. Na especificação das doses de Coronavac que recebemos nesta sexta-feira (26) não consta que devam ser usadas para este público já imunizado com a primeira dose. Estamos seguindo à risca as diretrizes do Plano Nacional de Imunização e precisamos das doses que ainda não foram entregues para que possamos contemplar todo este grupo apropriadamente”, disse.

Leia mais:  Semob vai atuar contra motoristas que estacionam em vagas de idosos e deficientes em supermercados e shoppings

A coordenadora esclarece que parte das estratégias para esta nova fase da campanha dependem do recebimento destas doses que faltam. “Nós temos grupos específicos para vacinar, de acordo com o Plano Nacional de Imunização e dependemos destas vacinas para prosseguirmos corretamente. Caso essas doses não sejam entregues para Cuiabá, precisaremos fazer adaptações para prosseguirmos com a campanha, com o temor de faltar doses para os grupos subsequentes”, concluiu.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

CUIABÁ

Prefeito estuda retomar toque de recolher em Cuiabá para conter disseminação da Covid-19

Publicado


Luiz Alves

Clique para ampliar

Luiz Alves/ Secom

O prefeito Emanuel Pinheiro informou que estuda a possibilidade de retomar o toque de recolher em Cuiabá. A medida foi pauta em reunião realizada nesta sexta-feira (26), com o Comitê Municipal de Enfrentamento contra a Covid-19.

“Cresce uma onda alarmante e preocupante na nossa Capital, bem como detectamos a sobrecarga na rede municipal de saúde, na atenção secundária (upas e policlínicas), e nos leitos de enfermarias e UTIs [Unidade de Terapia Intensiva]”.

De acordo com o gestor da Capital, ainda aguarda informações essenciais de pneumologistas, sanitaristas, médicos e do Ministério da Saúde para saber como e quais medidas que podem ser tomadas.

“É hora de buscarmos tomar medidas que visem dar uma certa segurança e tranquilidade à sociedade, porque estamos trabalhando para garantir a proteção, a saúde e a vida da população cuiabana”, informou Pinheiro.

O prefeito também afirmou que após ter tomado conhecimento do pedido do Ministério Público Estadual (MPE) na Justiça sobre a adoção de medidas sanitárias mais restritivas, por 14 dias, vai aguardar a decisão judicial.

“Como eu entendo que o momento é de união, não vamos sobrepor uma decisão. Eu vou aguardar a decisão da Justiça para anunciar as medidas que Cuiabá irá tomar, que terá como base o toque de recolher”, afirmou.

Comentários Facebook
Leia mais:  Limpurb e Obras Públicas realizam operação de limpeza na "Ilha da Banana"
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana