conecte-se conosco


MATO GROSSO

‘Maratona de jornalismo cultural’ traz palestras, debates e oficinas onlines e gratuitas

Publicado


Uma “maratona” de jornalismo cultural acontece entre os dias 9 e 15 de março de 2021, de forma totalmente online e gratuita, e com ampla programação formada por palestras, oficinas e debates.

Idealizada pela jornalista Maria Clara Cabral e contemplada pela Lei Aldir Blanc, a maratona coloca em diálogo profissionais mato-grossenses, público e uma referência no país quando o assunto é jornalismo cultural, o paraibano Jotabê Medeiros, que, com mais de três décadas de profissão, atualmente comanda o “Farofa-fá” na Carta Capital.

Representando a produção jornalística mato-grossense, participam Lorenzo Falcão, do site especializado em cultura, Tyrannus Melancholicus; o diretor da Rádio Assembleia, Eduardo Ferreira e a jornalista Marianna Marimon. Ambos, criadores do site Cidadão Cultura. Também integra o quadro de colaboradores do projeto, a jornalista Lidiane Barros, que soma na produção do evento com sua bagagem e paixão pelo segmento.

A programação começa no dia 9 de março, terça-feira, às 16h, com quatro palestras: “Arte e jornalismo in(fusão)”, com Lorenzo Falcão; seguido de “Assessoria de comunicação para (in)formação de plateia” com Lidiane Barros, às 16h30; “Cultura na TV e Rádio mato-grossense”, com Eduardo Ferreira, às 17h e “A arte de fazer jornalismo literário”, com Marianna Marimon, às 17h30. Em seguida, das 18h às 19h, acontece um debate mediado por Maria Clara.

Encerrando a mostra de abertura, Jotabê Medeiros traz um “Panorama do jornalismo e da crítica cultural no Brasil”, a partir das 20h, seguido de outro debate. O jornalista já atuou na CNT/Gazeta, na Veja São Paulo e nos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, e é autor das biografias ‘Belchior – Apenas um Rapaz Latino-Americano (Todavia, 2017)’ e ‘Raul Seixas – Não diga que a canção está perdida (Todavia, 2019)’.

Leia mais:  Mato Grosso Saúde suspende atendimento presencial para diminuir avanço do coronavírus

Debates, oficinas e minicurso

Além da mostra de abertura – para a qual não é necessário se inscrever – o evento terá debates, oficinas e minicursos. Dentre elas, uma atividade com a Mídia Ninja, rede colaborativa que nasce em Cuiabá a partir de práticas do jornalismo cultural independente; uma parceria com a Laboratório de Comunicação e Cultura ‘A Lente’, com dicas para divulgação de projetos e produtos para artistas e empreendedores; e uma atividade voltada a rádios comunitárias e produtores de podcasts com o artivista multimedia Eduardo Ferreira, que também é diretor da Rádio Assembleia

Para essas atividades, as inscrições acontecem entre 25 de fevereiro e 03 de março, AQUI (https://sites.google.com/view/maratona-jornalismo-cultural/inscreva-se?authuser=0). O evento é voltado para jornalistas, estudantes, artistas e quem mais se interessar por comunicação e cultura.

O projeto

Maria Clara, jornalista, mestranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e proponente do projeto conta que a ideia nasceu junto à sua pesquisa de mestrado, em que ela estuda o jornalismo cultural em Mato Grosso.

“É um projeto que parte muito da vontade de entender as experiências desses jornalistas que escrevem sobre cultura num Estado como o nosso, que é muito pautado economicamente e culturalmente pelo agronegócio”, explica.

Dentre suas inquietações acerca do tema estava o incômodo com a ideia de que o jornalismo cultural seria somente voltado às artes, e que a arte estaria distante das vivências da população. Atualmente, é notório o espaço reduzido – em alguns casos, inexistente – para a cobertura cultural.

“Acredito que o jornalismo cultural pode ser um instrumento de pertencimento, onde a população se reconheça. É um jornalismo que pode tratar de políticas públicas, empoderamento, patrimônio histórico, economia criativa e questões afetivas que atravessam as cidades. Ainda mais em Mato Grosso. Pensa o quanto é importante a gente falar de cultura popular, cultura dos povos indígenas e outros povos tradicionais do Estado, culturas urbanas e periféricas. Não é verdade que a arte é algo distante. Muito pelo contrário”, justifica Maria.

Leia mais:  Comando Regional de Juína contará com sistema de radiocomunicação digital

O projeto “Maratona Jornalismo Cultural – (In)Formar Público” foi contemplado pelo edital da MT Nascentes na categoria de “projetos de formação em backstage”, e é realizado pela Secretaria do Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) com recursos federais da Lei Aldir Blanc concedidos pelo Governo Federal via Secretaria Nacional da Cultura do Ministério do Turismo.

Para Maria, o jornalismo é um “super elemento” do backstage cultural, tanto quando parte das redações ou das assessorias de imprensa. “É preciso que seja também, reconhecido como importante componente da cadeia produtiva da cultura”.

As atividades são voltadas principalmente para jornalistas, estudantes e artistas, mas está aberta a todos os interessados. Por ser realizada de forma online, inclusive, ela não se limita a participantes somente de Mato Grosso: todos, todas e todes são bem-vindos.

Segundo Maria Clara, a ideia é que a partir dessas atividades sejam criadas ainda mais conexões: “Conectar essas pessoas que querem pensar a cultura dentro do jornalismo, ou o jornalismo dentro da cultura, e, quem sabe, a partir dessas atividades, surgirem novos projetos conjuntos, criar essa rede de contatos e de trocas de experiências”, vislumbra.

Serviço

Maratona Jornalismo Cultural – (In) Formar Público

Inscrições: 25/02 a 02/03 AQUI

Evento: 09 a 15/03

Local: Online (site divulgado após as inscrições)

Saiba mais

Instagram – https://www.instagram.com/maratonajornalismocultural

Facebook – https://www.facebook.com/maratonajornalismocultural/

Youtube – https://www.youtube.com/channel/UCc1Qw7kF5G_e9kGuUsN0ptQ

Programação AQUI

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Governo envia para a Assembleia projeto que prevê multa a empresas e cidadãos que desrespeitaram restrições

Publicado


O Governo de Mato Grosso encaminhou projeto de lei que prevê multa para as pessoas e empresas que desrespeitarem as novas medidas restritivas contra o avanço da covid-19.

A proposição foi enviada nesta segunda-feira (01.03) para a Assembleia Legislativa, em regime de urgência, com o objetivo de “conter o aumento exponencial da contaminação causada pelo novo coronavírus, bem como evitar que o sistema de saúde estadual entre em colapso”.

De acordo com o projeto, a multa para as pessoas físicas que descumprirem as normas será de R$ 500. Já as empresas e/ou órgãos públicos que cometerem as infrações terão que pagar R$ 10 mil.

As penalidades serão aplicadas para as pessoas físicas e jurídicas que:

1 – Descumprirem a obrigação de uso de máscara facial em espaços abertos ao público ou de uso coletivo;

2 – Deixarem de realizar o controle do uso de máscaras faciais de todas as pessoas presentes no estabelecimento, sejam elas funcionários ou clientes;

3 – Participar e/ou promover atividades, reuniões ou eventos que geram aglomeração de pessoas, em descumprimento a normas editadas pela autoridade municipal, estadual e/ou federal;

4 – Descumprir a restrição de horários para circulação, conforme estabelecido em normas editadas pela autoridade municipal, estadual e/ou federal;

5 – Desrespeitar ou desacatar a autoridade administrativa, bem como obstruir ou dificultar sua ação fiscalizadora quando no exercício das atribuições previstas nesta Lei;

6 – Deixar de promover ações fiscalizatórias necessárias ao cumprimento desta Lei, quando se tratar de agente político ou de funcionário público com dever legal de determinar o cumprimento das medidas sanitárias fixadas nesta norma;

7 – Cometerem outras ações consideradas lesivas ao enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do novo Coronavírus.

Leia mais:  Dezoito municípios estão com alto risco de contaminação pela Covid-19

As multas

As infrações poderão ser registradas pelo Procon estadual e municipal; pelos órgãos de vigilância sanitária estadual e municipal; Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e outros órgãos municipais com poder fiscalizatório.

A pessoa ou empresa multada poderá recorrer em até 15 dias após a assinatura do auto de infração.

Além da multa, os infratores também poderão ser investigados pelos crimes de infração de medida sanitária preventiva e desobediência, previstos no Código Penal.

Os recursos arrecadados com eventuais multas serão destinados à compra de cestas básicas a serem distribuídas no município onde ocorreu a autuação.

Confira as novas medidas restritivas que passam a valer a partir de quarta-feira (03.03):

– De segunda à sexta, proibição de todas as atividades econômicas das 19h às 5h. Aos sábados e domingos, a proibição será após o meio-dia. A exceção fica por conta das farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de gasolina (exceto conveniências), indústrias, transporte de alimentos e grãos, e serviços de manutenção de atividades essenciais, como água, energia e telefone.

– Nos horários permitidos, as atividades econômicas deverão respeitar as medidas de segurança, como o uso de máscara, distanciamento e limitação de 50% da capacidade máxima do local.

– Eventos podem ocorrer dentro do horário permitido, respeitado o limite 30% da capacidade do local, e número máximo de 50 pessoas.

– Os serviços de entrega por delivery seguem autorizados até às 23h.

– O transporte coletivo e congêneres (Uber, 99, etc) podem funcionar normalmente.

– Toque de recolher a partir das 21h até às 5h, com proibição de circulação.

– Nos órgãos públicos estaduais, fica suspenso o atendimento presencial em todas as secretarias e órgãos do governo, com exceção das unidades finalísticas. Quanto a jornada de trabalho, cada secretaria/autarquia vai disciplinar medidas para redução do fluxo de pessoas.

Leia mais:  Assessores pedagógicos fazem visitas às escolas para orientar sobre protocolos de biossegurança
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Comando Regional de Juína contará com sistema de radiocomunicação digital

Publicado


O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante e o comandante geral da Polícia Militar, Jonildo José de Assis, assinaram nesta segunda-feira (1°.03) um termo de doação que proporcionará a radiocomunicação digital do 8º Comando Regional de Juína, abrangendo outras nove localidades da região Noroeste de Mato Grosso.

A aquisição dos equipamentos é uma contrapartida do Grupo Nexa, responsável por uma área de mineração em Aripuanã. No entanto, a iniciativa abrangerá não só o município em questão, mas também Juína, Juruena, Colniza, Castanheira, Distrito de Conselvan, Guariba, entre outros. O valor do investimento é de R$ 866.417 mil.

Na prática, a comunicação digital permitirá que a regional seja interligada ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), localizado na Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), em Cuiabá, além de impedir que criminosos se utilizem da frequência utilizada pelas forças de segurança da região.

Para o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, a medida contempla as ações de tecnologia que já estão previstas pela Pasta, por meio do Programa Mais MT, que prevê o investimento de mais de R$ 700 milhões na área de segurança pública até 2022.

“Para nós é um grande ganho e a Segurança Pública passa a atuar com mais força na região. Esse tipo de investimento faz parte do Programa Mais MT e a Nexa vem realizar essa parceria com o Executivo. Além da comunicação, essa região já cteve investimentos com reformas em unidades policiais, viaturas novas e consequentemente os índices tem melhorado bastante”, pontuou Bustamante.

Para o comandante geral da Polícia Militar, coronel PM Jonildo José de Assis, ganha a Polícia Militar, mas principalmente a região Noroeste do estado, com redução dos índices de criminalidade. “É um grande reforço, uma vez que existe não só a mineração legal, mas também ilegal na região, sendo um local com grande trânsito de pessoas e isso faz com que tenhamos um índice maior de abordagens e checagens. Com o advento do rádio digital teremos a condição de fazer essa checagem online, principalmente através do nosso Ciosp em Cuiabá”, disse o comandante.

Leia mais:  Mato Grosso Saúde suspende atendimento presencial para diminuir avanço do coronavírus

Já para o comandante regional de Juína, coronel PM Fernando Bastos, a radiocomunicação digital será um divisor de águas, em função da extensão territorial da região Noroeste, que possui alguns municípios distantes de outros. “Essa era a principal dificuldade que tínhamos na região devido a distância entre municípios e nossa comunicação era no sistema analógico, então graças a essa parceria público-privada vamos modernizar nossa rede de rádio”, destacou o coronel.

“A iniciativa é resultado do diálogo entre a Nexa, o Governo de Mato Grosso e a Polícia Militar do Estado de Mato Grosso. Ao atender a demanda apresentada pelo 20º Batalhão da Polícia Militar, toda a comunidade de Aripuanã e região se beneficia, trazendo mais segurança e qualidade de vida para todos”, pontuou Lucila Ribeiro, gerente geral de Comunicação e Relações Institucionais do Grupo Nexa.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana