conecte-se conosco


POLICIAL

Integrante de facção criminosa foragido de MT é preso pela Policia Civil em Goiás

Publicado


Assessoria | Polícia Civil-MT

Um foragido da Justiça do estado de Mato Grosso considerado de alta periculosidade foi preso na cidade de Luziânia, estado de Goiás, após ação integrada entre as Polícias Civis de MT e GO para cumprimento de mandado de prisão preventiva.

O trabalho conjunto foi realizado após informações trocadas pelos policiais civis da Gerência Estadual de Polinter e Capturas, de Cuiabá, com os policiais civis da 1ª Delegacia de Polícia de Luziânia.

Durante diligências para apurar o paradeiro do suspeito, os investigadores da Polinter conseguiram identificar a localização precisa onde o suspeito poderia ser encontrado, que foi repassada à equipe de Goiás.

De posse das informações recebidas, os policiais civis da 1ª Delegacia de Polícia de Luziânia foram até o local indicado, onde conseguiram abordar o suspeito escondido em um Centro Religioso.

O procurado faz parte de uma facção criminosa instalada em MT, e exercia uma função de destaque na hierarquia da organização, pois era considerado como tesoureiro na cidade de Barra Garças (509 km a leste de Cuiabá) e região, municípios que fazem divisa com Goiás. Ele era considerado o aporte financeiro da facção e um dos principais articuladores das ações criminosas cometidas pelos membros.

O suspeito estava com a ordem judicial de prisão preventiva expedida desde o dia 27 de novembro de 2020, pela 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá – Vara Especializada Contra o Crime Organizado. Conforme decretado nos autos do processo, o foragido foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por incorrer em crime de constituir, promover, financiar e/ou integrar organização criminosa.

Além do crime objeto de apuração nos autos do processo em curso, o preso possui mais antecedentes criminais por tráfico de drogas, corrupção de menores, associação ao tráfico, resistência à prisão, entre outros crimes.

Leia mais:  Polícia Civil doa equipamentos de segurança para unidade prisional de Comodoro

Após a prisão da Polícia Civil de Goiás em apoio à Polícia Civil de Mato Grosso, o suspeito será recambiado ficando à disposição da Justiça.

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
publicidade

POLICIAL

Autor de feminicídio no estado de Alagoas é preso pela Polícia Civil em Rondonópolis

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

O autor de um crime de feminicídio ocorrido no estado de Alagoas foi preso pela Polícia Civil, na sexta-feira (05.03), após denúncia anônima recebida pela equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá).

O suspeito de 35 anos estava com a ordem de prisão preventiva decretada pela Comarca de União dos Palmares (AL) apontado como autor da morte da ex-companheira, Salomé Paulino da Silva.

O crime ocorreu no mês de junho de 2020, motivado pelo fato do suspeito por não aceitar o fim do relacionamento. Na ocasião, ele abordou a vítima em uma região escura e com pouca circulação de pessoas e a matou com vários golpes de faca. Desde então o suspeito estava foragido.

Na sexta-feira (05), os policiais da Derf Rondonópolis foram acionados após denúncia via 197 de que o autor do feminicídio estava escondido em uma quitinete, no bairro Jardim das Flores, próximo a ponte de madeira.

Diante das informações, os policiais foram até o endereço, onde localizaram o suspeito que inicialmente alegou estar sem documentos. Questionado sobre os fatos e apresentado a ordem judicial, o foragido confessou a identidade apresentando em seguida a Carteira Nacional de Habilitação.

O suspeito foi conduzido à Derf para as providências de praxe e posteriormente encaminhado para unidade prisional à disposição da Justiça.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Mulher que administrava pontos de droga do marido é presa junto com a mãe, com R$ 45 mil
Continue lendo

POLICIAL

Polícia Civil prende mulher por venda de falsa ‘galinhada beneficente’ em Nova Xavantina

Publicado


Assessoria | Polícia Civil-MT

Uma mulher que estava aplicando golpes em Nova Xavantina (645 km a leste de Cuiabá) foi presa pela Polícia Civil do município na manhã desta sexta-feira (05.03), durante investigação para apurar denúncia sobre a venda falsa de um almoço “galinhada beneficente”, que seria realizado para ajudar uma suposta criança com câncer.

A suspeita de 38 anos e com passagens anteriores pelo mesmo crime foi autuada em flagrante pela prática de estelionato.

As diligências iniciaram logo após a proprietária de um buffet procurar a Delegacia de Polícia para informar que uma pessoa estava de  usando o nome do seu estabelecimento comercial como sendo o local do evento beneficente.

De acordo com a comunicante, a pessoa estava vendendo uma galinhada solidária que aconteceria no dia 22 de março (em uma segunda-feira e dia considerado incomum para eventos) em prol do tratamento de uma criança com câncer, porém o seu espaço comercial não havia sido alugado para o respectivo evento,  que também não poderia ser realizado em razão da proibição de aglomeração por conta da pandemia causada pela Covid-19.

Ela informou também que a pessoa teria confeccionado os convites e vendido 300 ingressos, além de ter procurado a gráfica para produzir mais 300 ingressos, os quais estavam sendo vendidos pelo valor de R$ 15 cada.

Com base nas informações, os policiais civis iniciaram as diligências para esclarecimento dos fatos, quando localizaram a suspeita na região central da cidade. Ela foi conduzida à Delegacia de Nova Xavantina para prestar esclarecimentos, sendo constatadas as passagens anteriores pelo crime de estelionato.

O mesmo tipo de golpe foi praticado pela suspeita no ano de 2018, no município de Tesouro, quando ela vendia rifas que dizia ser beneficentes, porém eram falsas.

Leia mais:  Policiais que atuam na região de fronteira realizam treinamento de ações de Segurança

Diante das evidências de prática criminosa, a mulher foi autuada em flagrante pelo crime de estelionato. Após a confecção dos autos, foi arbitrada a fiança no valor de R$ 3 mil, em razão da gravidade e prejuízo coletivo causado pela suspeita. 

No entanto, a presa não efetuou o pagamento da fiança alegando que não tinha condições financeiras, sendo então transferida para a Cadeia Pública de Nova Xavantina, à disposição da Justiça.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana