conecte-se conosco


POLICIAL

Inquérito sobre atropelamento e morte de motociclista é concluído com indiciamento de motorista por homicídio doloso

Publicado


Camila Molina/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), concluiu nesta sexta-feira (12.02) o inquérito policial sobre o acidente ocorrido no último sábado, quando o motorista de uma camionete atropelou um motociclista e foragiu do local com o corpo da vítima preso ao veículo.

O investigado, de 49 anos, está preso preventivamente e será indiciado pelos crimes de homicídio doloso previsto no Código Penal e omissão de socorro, fuga de local de crime e embriaguez ao volante, do Código de Trânsito Brasileiro. O inquérito policial será remetido à Justiça ainda nesta sexta-feira.

O acidente envolvendo o veículo Chevrolet S10, conduzida pelo suspeito e a motocicleta Yamaha Factor 150 ocorreu na noite de sábado (06), no bairro Tijucal, em Cuiabá. Conforme a análise do local de acidente e a oitiva de testemunhas, o condutor da camionete, ao fazer uma conversão para esquerda, invadiu a faixa de circulação da motocicleta causando uma colisão frontal entre os veículos.

O motorista fugiu do local, porém, em decorrência da colisão, o corpo da vítima foi arremessado e ficou preso na parte superior da camionete que foi conduzido pelas ruas dos bairros adjacentes. Algum tempo depois, o suspeito retornou próximo ao local do acidente com o corpo da vítima que já estava na carroceria da caminhonete, ocasião em que foi detido pela Polícia Militar. O condutor da S10 foi conduzido à Central de Flagrantes de Cuiabá, onde se negou a fazer o teste de alcoolemia sob alegação de que não produziria provas contra si mesmo.

Ele foi autuado em flagrante pelos crimes de homicídio culposo na direção de veículo e omissão de socorro, previstos no Código de Trânsito Brasileiro. O procedimento foi encaminhado para Deletran, onde foi instaurado inquérito policial e com base nas novas provas coletadas foi realizado o indiciamento do suspeito de homicídio doloso, previsto no artigo 121 do Código Penal, além dos crimes de omissão de socorro, fuga de local de crime e embriaguez ao volante.

Leia mais:  Roubo em residência de idosos é esclarecido com prisão de quatro pessoas envolvidas

O delegado da Deletran, Christian Alessandro Cabral, afirmou que devido às condições apresentadas no acidente, o suspeito assumiu o risco de produzir o resultado de morte da vítima. “Desta forma, o indiciamento foi alterado de homicídio culposo no trânsito, previsto no CTB, para o homicídio doloso, cuja pena pode variar de 6 a 20 anos, além das demais condutas ilícitas praticadas pelo suspeito no momento dos fatos”, disse o delegado.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
publicidade

POLICIAL

Operação de combate à receptação de celulares prende 14 pessoas com aparelhos de origem ilícita

Publicado


Assessoria | Polícia Civil-MT

Quatorze pessoas foram presas em flagrante durante operação da Polícia Civil deflagrada na sexta-feira (26.02) pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG),com objetivo de combater o crime de receptação de aparelhos celulares de origem ilícita,

A operação “Receptador” foi finalizada nesta segunda-feira (01.03), com o cumprimento a 14 mandados de busca e apreensão domiciliar que resultaram na recuperação de 14 aparelhos celulares de diferentes marcas e modelos, todos de origem ilícita.

As ordens judiciais foram decretadas com base em investigações da Derf-VG que conseguiram identificar pessoas envolvidas com a receptação de celulares produtos de roubo/furto cometidos entre os meses de novembro de 2020 e janeiro de 2021.

Segundo a delegada titular da Derf-VG, Elaine Fernandes da Silva, o trabalho operacional mostra a intensificação das diligências investigativas para combater o crime de receptação, responsável por fomentar os índices de roubo e furtos ocorridos na região metropolitana.

“O receptador é um criminoso covarde que financia a violência e por isso precisa ser fortemente combatido. O foco da operação é tentar minimizar o prejuízo das vítimas, que geralmente são abordadas a caminho do trabalho e tem o seu bem subtraído. Em muitos casos as vítimas ainda estão pagando as parcelas do aparelho que não poderão utilizar, ficando somente com o prejuízo”, disse.

Crime e pena

O crime de receptação está previsto no artigo 180 do Código Penal Brasileiro (adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar, em proveito próprio ou alheio, coisa que sabe ser produto de crime, ou influir para que terceiro, de boa-fé, a adquira, receba ou oculte. Pena de reclusão de 1 a 4 anos, e multa).

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Polícia Civil encontra corpos de bebês gêmeos enterrados em casa na Capital
Continue lendo

POLICIAL

Mãe e padrasto são presos por estupro e maus tratos contra duas crianças

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Um casal teve a prisão temporária cumprida nesta segunda-feira (01.03) pela Polícia Civil de Pontes e Lacerda pelo crime de estupro de vulnerável cometido contra duas crianças. A menina de 12 anos e o garoto de nove anos são filhos da mulher de 31 anos e enteados do homem de 33 anos.

A Justiça também autorizou busca domiciliar para coleta de material biológico que será utilizado em exame para confronto de DNA. O casal é investigado pela Polícia Civil pelos crimes de maus tratos, estupro de vulnerável e lesão corporal.

A Delegacia da Polícia Civil tomou conhecimento dos crimes a partir da comunicação do Conselho Tutelar do município, que recebeu uma denúncia e verificou a situação das duas crianças.

O delegado Marlon Luz instaurou investigação para apurar os crimes e a partir de depoimentos especiais e a realização de laudos periciais foram constatados o estupro e as lesões sofridas pelas crianças.

As diligências realizadas no curso da investigação da Polícia Civil apuraram que o padrasto estuprou a garota sucessivas vezes e também agrediu e praticou maus tratos contra o menino, inclusive o agredido com uma mangueira de borracha.

Já a mãe, conforme apuração, agrediu a filha e a ameaçou para que a menina não contasse a ninguém sobre os abusos, a fim de proteger o marido.

“O caso foi muito impactante para a equipe da delegacia, a partir das informações que foram constatadas na investigação. A menina não aguentava mais os abusos e começou a se vestir como menino, na tentativa de afastar o agressor”, relata o delegado.

Ele acrescenta que a mãe também é responsável pelo estupro, pois tem o dever de proteger e de garantir a integridade da criança e a partir do momento que sabe da situação e não faz nada para que o abuso seja impedido, ela também responde pelo crime.

Leia mais:  Polícias Civil e Militar prendem autor de atropelamento intencional em Lucas do Rio Verde

Os dois foram encaminhados à delegacia e depois de cumprido o mandado de prisão serão encaminhados às respectivas unidades prisionais.

O inquérito segue para coletar outras informações e evidências necessárias à conclusão do caso.

As duas crianças foram encaminhadas pelo Conselho Tutelar para uma casa de acolhimento do município.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana