conecte-se conosco


ENTRETENIMENTO

Cantora e ativista Nina Simone completaria 88 anos hoje (21); relembre carreira

Publicado


source
Nina Simone completaria 88 anos, se estivesse viva
Arquivo

Nina Simone completaria 88 anos, se estivesse viva

Se estivesse viva, a cantora , pianista e ativista social estadunidense Nina Simone completaria 88 anos neste domingo (21). Cantora é lembrada até hoje como uma das maiores artistas de jazz e por seu ativismo social em prol dos direitos humanos e da comunidade negra .

Nascida em 1933 como Eunice Kathleen Waymon, Nina Simone adotou este nome porque foi apelidada assim por um antigo namorado hispânico, que a chamava de “niña Simone” como homenagem à atriz Simone Signoret.

Começou cantando e tocando piano em casas noturnas sem o conhecimento dos pais, mas logo foi reconhecida e começou a gravar músicas e discos de jazz, blues e soul. Seu primeiro álbum, ‘Little Girl Blue’, foi lançado em 1958.

Ao longo de sua carreira, recebeu 15 indicações ao Grammy e lançou faixas que até hoje são repercutidas, regravadas e relembradas. As principais são ‘I Put a Spell On You’, ‘Feeling Good’ e ‘Mississippi Goddam’, faixa que a colocou no centro do movimento dos direitos pela libertação de pessoas negras.

A faixa faz menção à explosão de uma igreja em Birmingham, Alabama, que causou a morte de quatro crianças negras. ‘Mississippi Goddam’ se tornou um single importante para o movimento negro e cobrava respostas pelos assassinatos e atentados. No sul dos Estados Unidos, a canção foi boicotada.

Você viu?

Após o lançamento de músicas mais políticas, Nina Simone começou a se engajar cada vez mais no movimento dos direitos civis e participou de eventos que se tornaram históricos e importantes, como as marchas de Selma a Montgomery, que levaram ao direito de pessoas negras ao voto em 1985.

Leia mais:  Ana Hickmann comemora nova idade em resort no interior de São Paulo

Politicamente, ela se opunha aos princípios pacifistas do ativista Martin Luther King e defendia que afro-americanos deveriam conquistar seus direitos por meio de uma rebelião armada. Ela fazia tanto manifestações artísticas para convocar ativistas como batendo de porta em porta, com o intuito de se manifestarem contra o genocídio de pessoas negras no país e em todo mundo.

Foi casada com o compositor Weldon Irvine, com quem também tinha uma relação profissional. Mas o relacionamento era conturbado e cheio de brigas. No entanto, Irvine passou muito tempo administrando a carreira da cantora e foi o principal guardião da filha dos dois.

A partir de 1981, Nina deixou os Estados Unidos e passou a viver em diversos países sozinha, em apartamentos que eram alugados – o que fez com que ela perdesse quase todos os seus bens. Gravou seu último álbum em 1993, chamado ‘A Single Woman’.

Últimos anos

Ao longo da vida, Nina Simone lidou com questões ligadas a sua saúde mental. Foi diagnosticada aos 30 anos com depressão e sempre foi considerada uma pessoa muito difícil de lidar. Por esse motivo, tinha tendências de auto isolamento e dificuldade em suas relações pessoais.

Mais tarde, a cantora foi diagnosticada com transtorno de bipolaridade, o que a levava a ter crises de agressividade de hipomania, além de diversas tentativas de suicídio, que prejudicaram a manutenção de sua carreira artística.

Em 1993, Nina Simone foi diagnosticada com câncer de mama. Realizou diversos tratamentos de radioterapia e quimioterapia, mas o câncer se espalhou por metástases para diversos outros órgãos. Passou seus últimos anos de vida em solidão e debilitada e, devido à baixa autoestima causada pelos cabelos raspados e pelo câncer, não recebia nem mesmo familiares. Em 21 de abril de 2003, ela faleceu dormindo em sua casa em Carry-le-Rouet, enquanto dormia.

Leia mais:  Com nova formação, Trevoah lança novo clipe e já é chamada de Melim gaúcha
Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
publicidade

ENTRETENIMENTO

Suzana Gullo, esposa de Marcos Mion, comemora 5 anos da cura do câncer

Publicado


source
Suzana Gullo comemora cinco anos da cura do câncer
Reprodução Instagram

Suzana Gullo comemora cinco anos da cura do câncer

Suzana Gullo, esposa de Marcos Mion , fez um post no Instagram na noite desta terça-feira (2) comemorando a cura do câncer de mama. Ela relembrou que em 2015 precisou ser operada para tratar da doença e também celebrou o fato de estar curada há meia década.

“Há cinco anos, nesse dia, eu estava sendo operada para remover o tumor. Dez horas de cirurgia mais reconstrução e uma semana de recuperação no hospital. Só quem já passou por isso sabe a importância dos cinco anos. Que alegria, hoje eu vou só comemorar. Obrigada família linda, meus Pais, irmãos, filhos, sogros, amigos e meu amor. Sem vocês eu não teria conseguido! Obrigada Dr. Frasson e Dr. Buzaid, vocês são os melhores. E viva a vida”, Suzana escreveu no Instagram. 


Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Leia mais:  Com nova formação, Trevoah lança novo clipe e já é chamada de Melim gaúcha
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

Raul Gazolla relembra o assassinato de Daniella Perez, filha de Glória Perez

Publicado


source
Raul Gazolla relembra o assassinato de Daniella Perez
Reprodução/Instagram

Raul Gazolla relembra o assassinato de Daniella Perez

A atriz Daniella Perez, filha de Glória Perez, foi morta em 1992 . Ela foi assassinada por um colega de elenco da novela “De Corpo e Alma” e a esposa dele. A artista era casada com o ator Raul Gazolla que deu uma entrevista ao programa “A Noite É Nossa”, da Record, que vai ao ar na próxima quarta-feira (3). O artista falou sobre o crime e também o relacionamento que teve com a filha da autora.

A atriz foi encontrada morta em um matal. Raul lembra que quando foi contato pela delegacia ele pensava que a esposa havia sido somente sequestrada. “Liguei para a Glória e falei que haviam encontrado o carro, mas nada da Dani. A atriz Marilu Bueno, que fazia a mãe dela na novela, que me contou. Foi muito difícil. Eu me lembro que estava no velório e que não tinha forças para nada. Eu estava há 24 horas sem comer nem dormir. Eu nem sabia como ela tinha sido assassinada porque não me deixavam ver televisão. Quando soube, fiquei doido”, recorda.

Raul conta que ele e Glória permaneceram próximos após o crime. Porém, fala que a autora só conseguiu voltar a trabalhar com ele em 2001, quase dez anos depois do assassinato. “Ela me ligou e falou: ‘Raul, eu já posso trabalhar com você’. Temos uma grande amizade, e eu tenho um carinho absurdo pela Glória. Tanto que minha filha mais nova a chama de avó. Sou amigo e fã incondicional do trabalho dela”, diz o ator, que trabalhou com a autora em novelas como “O Clone” e “América”.

Leia mais:  Raul Gazolla relembra o assassinato de Daniella Perez, filha de Glória Perez

O ator também falou sobre o começo do relacionamento com Daniella Perez. Eles se conheceram nas gravações da novela “Kananga do Japão”, da extinta TV Manchete. “A primeira vez que eu olhei a Dani, pensei: ‘Eu já sonhei com essa menina.’ Foi uma coisa incrível. Eu nunca a tinha visto, mas sabia que ela já fazia parte da minha vida”, conta.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana