conecte-se conosco


MATO GROSSO

Bailarina e produtora de Rondonópolis é homenageada como mestre da cultura em Mato Grosso

Publicado


Neste ano em que completa 40 anos de carreira profissional, Sarah Jane Ereio Venâncio colhe os frutos de uma trajetória sólida, marcada pela entrega total à dança e laureada de muitas conquistas, tanto na formação de bailarinos, quanto na produção de espetáculos de dança e teatro. 

A artista e produtora residente em Rondonópolis (MT) será homenageada pelo projeto “Sarah Jane Venâncio –  uma referência na história da dança em Mato Grosso”, que foi contemplado no edital Conexão Mestres da Cultura promovido pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) com recursos da Leia Aldir Blanc. Os eventos artísticos do projeto, que  está em fase de produção, serão realizados entre fevereiro e abril deste ano.

De notabilidade na cena cultural local e estadual, Sarah Jane é bailarina, coreógrafa e professora.  Na programação da homenagem constam o lançamento de um filme documentário de curta-metragem, a exibição de três peças de videodança, uma exposição fotográfica e apresentações artísticas e performances com atores e bailarinos, que vão contar a história de 40 anos de sua carreira.

Além disso, como ação social do projeto, a homenageada vai contemplar estudante de 8 a 13 anos com 50 bolsas de estudos para o curso de ballet clássico. Os beneficiados são alunos da escola estadual Professora Edith Pereira Barbosa, que leva o nome de sua mãe, falecida em 2009.

Segundo Sarah, a ação social depende ainda do retorno dos alunos às aulas presenciais e da avaliação das normas e condições para a realização dessas aulas no espaço da escola. 

“Assim que for possível iremos divulgar. Eu mesma estarei ministrando essas aulas oferecendo a oportunidade para as crianças participarem do espetáculo Além do Arco Iris, caso elas queiram e os pais dêem apoio”, explica a professora.

Leia mais:  Quinta-feira (25): Mato Grosso registra 248.444 casos e 5.747 óbitos

Consciente de sua referência para quem quer fazer da dança uma profissão ou simplesmente uma expressão da vida, a artista relembra com orgulho da bem-sucedida carreira de mais de quatro décadas, iniciada em 1977, quando ainda tinha oito anos de idade.

“Ao receber essa homenagem o primeiro sentimento é de gratidão, pois ao rever as memórias registradas através de imagens, matérias jornalísticas, fitas de VHS, DVDs e outros, vejo o quanto Deus me sustentou durante toda minha trajetória e desafios propiciando oportunidades para minha capacitação”, conta Sarah.

A iniciativa de fazer a homenagem partiu da bailarina e professora Priscila Hungaro. Além de ser proponente do projeto, ela é uma das inúmeras alunas, formadas em dança sob a instrução disciplinar da mestre Sarah Jane ao longo destas últimas décadas.

“Considerando o quanto temos de carência de registros históricos sobre  a arte e a cultura em especial do setor da dança e vendo a oportunidade de homenagear a professora Sarah Jane Venâncio por tantos anos dedicados ao ensino e a formação de vários artistas, incluindo eu, decidi optar por elaborar este projeto. Estou feliz com essa oportunidade e espero que ela também”, diz Priscila, que começou a estudar dança aos 9 anos de idade com a professora Sarah Jane, por meio do projeto Arte Cidadã e hoje é proprietária de uma escola de dança em Alto Garças.

Com a experiência de quem já levou a magia de seus movimentos a palcos brasileiros, Sarah Jane Venâncio fala da dança como janela para a reflexão e uma maior valorização das  riquezas humanas e profissionais. 

“Fico feliz em ver que os arquivos poderão deixar um registro histórico de uma parte do que foi realizado em Rondonópolis, no legado artístico e cultural entre 1977 a 2020”, relembra a mestra da cultura.  

Leia mais:  Construção de fábrica vai gerar economia para prefeitura e emprego para presos
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Juiz cita situação “inadmissível” e manda Prefeitura de Cuiabá reabrir UTIs Covid-19 imediatamente

Publicado


O juiz Roberto Seror, da 5ª Vara da Fazenda Pública de Cuiabá, determinou que a Prefeitura de Cuiabá disponibilize 33 leitos de UTI para casos de covid-19, que haviam sido bloqueados pela falta de médicos e remédios nesta semana.

A decisão foi concedida na noite desta quinta-feira (24.02), e atendeu pedido feito pelo Governo de Mato Grosso. O magistrado ainda determinou multa diária de R$ 50 mil ao prefeito e ao secretário municipal de Saúde de Cuiabá, caso não acatem a decisão, e autorizou a averiguação de possível ato de improbidade ou crime nas condutas de ambos.

Na ação, movida via Procuradoria Geral do Estado, o Governo de Mato Grosso relatou que a Prefeitura bloqueou 33 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo 30 para adultos e três pediátricos, para o tratamento de pacientes da Covid-19, no Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá.

O Estado explicou que o bloqueio dos leitos de UTI Covid-19 impacta na taxa de ocupação hospitalar e acarreta no descumprimento do Plano de Contingência Municipal. Nesta quinta-feira, a taxa de ocupação de UTIs é de 83%. O município recebe R$ 1,6 mil por leito de UTI pactuado com o Governo do Estado e Ministério da Saúde.

“Caso a conduta do Município persista, o principal prejudicado será o cidadão que venha a necessitar dos leitos de UTI, uma vez que o Estado terá de suspender o repasse de elevado valor referente ao cofinanciamento das diárias dos citados leitos, o que poderá impactar na própria manutenção ou na diminuição do número de leitos destinados aos pacientes Covid-19”, diz trecho do processo.

“Inerte”

Ao analisar o pedido, o juiz Roberto Seror verificou que a Prefeitura de Cuiabá tem recebido os recursos para manter as UTIs abertas, mas, ainda assim, “está descumprindo, de forma imotivada, o Plano de Contingência Municipal, permanecendo inerte perante sua obrigação de fornecer equipamentos e pessoal, bem como quaisquer outros meios necessários para garantir a manutenção e disponibilização dos leitos de UTI destinados exclusivamente ao atendimento de pacientes acometidos pela COVID-19”.

Leia mais:  Construção de fábrica vai gerar economia para prefeitura e emprego para presos

“Inclusive, o Ofício nº 04/GBSAREG/SES/MT (ID nº 49834120) registrou que a equipe de supervisão administrativa da Central de Regulação de Urgência e Emergência Estadual, ao realizar supervisão in loco no Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, constatou que os leitos de UTI pediátrica, na data da visita, estavam com 07 (sete) pacientes internados, e 05 (cinco) leitos disponíveis (correspondendo à 58,33% de taxa de ocupação) e 03 (três) leitos bloqueados, por falta de equipamentos”, mencionou Seror.

Conforme o magistrado, a Prefeitura de Cuiabá descumpriu os termos do cofinanciamento firmado com o Estado e, ao bloquear os 33 leitos, promoveu uma “deliberada e inadmissível diminuição do número de leitos de UTI disponíveis à população e causando enorme prejuízo ao cidadão que necessita do amparo à sua saúde”. 

“Veja-se que numa capital de Estado tem-se um quadro alarmante hoje, no qual embora existam 33 leitos que poderiam estar funcionando, tem-se apenas 7 leitos de UTI adulto disponíveis para toda a população !!! Mantida essa situação, em pouquíssimos dias ou atés mesmo horas, vai se saber, o sistema de saúde entrará em total colapso e não haverá sequer número de aviões de UTI aéreas suficientes para encaminhar os casos mais graves a outros Estados, isso se houver recursos para esse serviço. Há um periculum in mora de alta gravidade e dimensão social que não pode mais esperar, sob pena de perecimento de vidas humanas !!!!”, ressaltou. 

Desta forma, o juiz concluiu por atender à solicitação do Estado e determinou que as UTIs sejam disponibilizadas imediatamente. Seror também mandou que o prefeito e o secretário sejam intimados ainda hoje para cumprirem a decisão. 

“Deste modo, à vista do exposto, sobejam presentes os requisitos da tutela de urgência, sendo dever deste magistrado o deferimento da medida pleiteada. ISTO POSTO, consoante a fundamentação supra, DEFIRO A TUTELA PROVISÓRIA DE URGÊNCIA vindicada, como requerida, para o fim determinar ao Requerido que proceda imediatamente à todas as providências necessárias ao imediato desbloqueio/disponibilização dos leitos de UTI de atendimento exclusivo de pacientes acometidos pela COVID-19, até ulterior decisão de mérito a ser proferida na presente demanda. Em caso de descumprimento da presente decisão, arbitro, desde já, a aplicação de multa diária conforme previsão disposta no art. 537 do CPC a ser suportado pela pessoa do Prefeito municipal e Secretário de saúde no valor de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais), a cada um dos agentes públicos, sem prejuízo de caracterização de outros delitos de natureza civil ( improbidade administrativa ) e criminal”, decidiu.

Leia mais:  Quinta-feira (25): Mato Grosso registra 248.444 casos e 5.747 óbitos
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Estado aciona Justiça para que Prefeitura de Cuiabá desbloqueie imediatamente leitos de UTI Covid-19

Publicado


A Procuradoria-Geral do Estado (PGE) acionou a Prefeitura de Cuiabá para o desbloqueio imediato de 33 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo 30 para adultos e três pediátricos, para o tratamento de pacientes da Covid-19, no Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá.

A ação por obrigação de fazer foi protocolada na Vara Especializada de Fazenda Pública, nesta quinta-feira (25.02), após a gestão municipal não cumprir notificação do Governo do Estado para o desbloqueio dos leitos UTI Covid-19.

Relatório de supervisão da Secretaria de Estado de Saúde (SES) apontou que o bloqueio se dá por falta de medicamentos e falta de médico cirurgião pediátrico.

Conforme a ação, o bloqueio dos leitos de UTI Covid-19 impacta na taxa de ocupação hospitalar e acarreta no descumprimento do Plano de Contingência Municipal. Nesta quinta-feira, a taxa de ocupação de UTIs é de 83%.

“Caso a conduta do Município persista, o principal prejudicado será o cidadão que venha a necessitar dos leitos de UTI, uma vez que o Estado terá de suspender o repasse de elevado valor referente ao cofinanciamento das diárias dos citados leitos, o que poderá impactar na própria manutenção ou na diminuição do número de leitos destinados aos pacientes Covid-19”, de acordo com trecho extraído da petição.

O município recebe R$ 1,6 mil por leito de UTI pactuado com o Governo do Estado e Ministério da Saúde.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Primeira edição do Literarte abordará obras de Manoel de Barros e Zuma
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana