conecte-se conosco


POLÍTICA NACIONAL

Rodrigo Maia critica “excessos” de procuradores da Lava Jato

Publicado


source
Deputado Federal Rodrigo Maia (DEM-RJ)
O Antagonista

Deputado Federal Rodrigo Maia (DEM-RJ)

O presidente da Câmara dos Deputados,  Rodrigo Maia (DEM-RJ) avaliou nesta terça-feira (12) como positivo o saldo da Operação Lava-Jato, mas criticou “excessos” cometidos por procuradores do Ministério Público (MP) e juízes.

“Acho que a Lava Jato cumpriu um papel histórico positivo, mas, em determinado momento, a ânsia por poder de procuradores e de alguns juízes, acho que acabaram gerando um excesso para perpetuação no poder no cenário nacional brasileiro”, declarou Maia em entrevista ao jornal Metrópoles.

O deputado admite que a corrupção no brasil estava “muito fora de controle” antes do início da Lava Jato , mas ponderou que a atuação de alguns procuradores e juízes tiveram excessos, e que por muitas das instituições terem um “autocontrole”, a investigação é mais difícil de ser feita:

“Quando você olha quem vai investigar um procurador, você vê que é sempre uma coisa muito frágil, sem controle. Eles (procuradores) conseguem um nível de apoio entre si que ninguém é investigado. Quando um tem problemas, você repara: transfere, aposenta, mais até do que os juízes.”

Em outubro de 2020, a Procuradoria-Geral da República ( PGR ) abriu uma investigação sobre supostos pagamentos da empreiteira OAS ao presidente da Câmara, que havia sido arquivado mais de um ano antes. 

Sobre o tema, Maia evitou polêmicas e evitou dizer que o governo federal teve influencia sobre Aras na retomada da investigação:

Leia mais:  Mourão fala que gestão de Pazuello na Saúde tem 'pontos a favor e contra'

“Não acredito que o doutor Aras tenha feito isso a pedido do presidente da República. Se eu tivesse alguma informação concreta de vinculação, já teria feito a denúncia”

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

Destino do caso ‘rachadinhas’ de Flávio Bolsonaro será definido pelo TJ do Rio

Publicado


source
Flávio de terno falando
Reprodução: ACidade ON

Flávio Bolsonaro é investigado pelo caso das “rachadinhas”

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro , desembargador Claudio de Mello Tavares, determinou que, na próxima segunda-feira o processo sobre a competência do julgamento do caso envolvendo o senador Flávio Bolsonaro seja colocado em pauta . As informações são da revista Veja .

De acordo com o portal, os desembargadores irão decidir se o processo volta para a primeira instância ou continua no Órgão Especial. Esta será a primeira sessão do Órgão Especial do ano.

O filho do presidente Jair Bolsonaro é investigado sob suspeita da prática de “rachadinhas” em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio, quando era deputado estadual.

Comentários Facebook
Leia mais:  Filho de Bolsonaro avisa que não vai se vacinar contra Covid-19 e divide a web
Continue lendo

POLÍTICA NACIONAL

Lira apresenta apoio de mais dissidentes, e PSL pode abandonar Baleia Rossi

Publicado


source
.
Divulgação

Lira e Luiz Lima trabalham para conquistar votos

Apoiado por Jair Bolsonaro na disputa à presidência da Câmara,  Arthur Lira (PP-AL) anunciou, nesta terça-feira (19), ter o apoio de 36 deputados do PSL para concorrer ao cargo. Com a apresentação de uma nova lista de assinaturas para formar a aliança, a legenda poderá abandonar o grupo de Baleia Rossi (MDB-SP), candidato apoiado por Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Para que um partido integre um bloco na Câmara, mais da metade da bancada precisa concordar com a aliança. O PSL tem 53 parlamentares, mas 17 estão suspensos pela própria sigla por infidelidade partidária.

Segundo decisão da Mesa da Casa, Lira precisaria do apoio da maioria dos 35 parlamentares que ainda estão com as atividades regulares. Com a dissidência de mais quatro deputados nos últimos dias, pertencentes a esse grupo, a quantidade mínima teria sido alcançada, com o apoio de 18 parlamentares.

“Para dirimir qualquer dúvida e encerrar uma polêmica do Rodrigo Maia, nossa maioria no PSL aumentou de 32 para 36 assinaturas. Nós somos maioria no PSL de 53 e maioria de 35 como queria o presidente Rodrigo Maia. Nosso bloco está definitivamente com o PSL e com o PTB”, escreveu o deputado, nas redes sociais.

Caso a mudança seja referendada pelo comando da Câmara, o bloco de Lira irá superar o de Rossi. De um lado, com 249 deputados, o parlamentar do PP teria o apoio de PSL, PL, PP, Republicanos, Pros, PSC, Avante e Patriota. De outro, Baleia Rossi teria 236 parlamentares, com apoio de PT, PSDB, MDB, DEM, PSB, PDT, PCdoB, Cidadania, PV e Rede.

Tanto aliados de Rossi como de Lira confirmaram que os parlamentares que mudaram de posição são Charles Evangelista (PSL-MG), Delegado Pablo (PSL-AM), Nicoletti (PSL-PR) e Luiz Lima (PSL-RJ).

Leia mais:  Ex-ministro diz que "dá para desconfiar da sanidade mental" de Bolsonaro

No início do mês, o ex-líder do governo Major Vitor Hugo (PSL-GO) apresentou uma lista de apoio ao bloco de Lira com 32 deputados do PSL . Não havia, entretanto, maioria de assinaturas entre os parlamentares com atividades regulares.

Luiz Lima, que não assinou a primeira lista, diz que está fazendo campanha para Lira desde novembro, mas só agora assinou o documento para apoiar o candidato do PP.

Declarações

“Nunca gostei de lista, mas o meu apoio ao Arthur está desde novembro. Fiquei o final de semana todo ajudando fazer contato com deputados, “disse o parlamentar.

Aliado de Maia e do presidente do PSL, Luciano Bicar (PSL-PE), Júnior Bozella (PSL-SP) diz que os novos dissidentes ainda podem mudar de ideia.

“Isso é natural. Eles vão voltar”, afirmou o deputado.

Luiz Lima, porém, diz que “a chance é zero” no seu caso.

Em reunião da Mesa da Câmara na segunda-feira, Maia concedeu vista a relatório que tratava da possibilidade de apoio de deputados suspensos do PSL à candidatura de Lira. O presidente da Câmara atendeu a um pedido de Bivar.

Desde que o presidente Jair Bolsonaro brigou com Bivar, em 2019, bolsonaristas se insurgiram contra o comando da sigla. Em decisão da Executiva do PSL, eles foram punidos por infidelidade partidária. A Câmara, então, chancelou a decisão.

Para tentar ganhar o apoio do PSL, aliados de Lira chegaram a apresentar um parecer do procurador da Câmara, o deputado Luís Tibé (Avante-MG). Segundo ele, a suspensão não é válida para o propósito de formação de blocos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana