conecte-se conosco


MATO GROSSO

Mato Grosso registra queda de 45% nas infrações de trânsito em 2020

Publicado


Em 2020, foram registrados 554.505 autos de infração de trânsito em Mato Grosso, uma redução de 45% se comparada ao ano de 2019, quando foram contabilizadas 1.017.243 infrações. Os dados são do setor de Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito (Renaest) do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT).

As duas maiores cidades do Estado, Cuiabá e Várzea Grande, também apresentaram redução significativa na quantidade de registro de infração de trânsito. Em Cuiabá, houve uma queda de 50%, somando 242.106 autuações em 2020, contra 489.008 em 2019.

Na cidade vizinha, Várzea Grande, os motoristas também cometeram menos infrações de trânsito em 2020. Foram 63% de registros de infrações de trânsito a menos, 25 mil, em relação ao ano de 2019, quando foram 69.140.  

Conforme os dados do Renaest, transitar com veículo em velocidade superior à máxima permitida para o local, em até 20%, continua sendo a infração mais cometida por motoristas tanto na capital quanto no interior do Estado, totalizando 337.178 registros. Essa é uma infração considerada média pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) com penalidade de multa no valor de R$ 130,16.

Outras infrações praticadas pelos condutores de forma recorrente em todo Estado são: transitar com veículo em velocidade superior à máxima permitida para o local, entre 20% e 50%; avançar o sinal vermelho do semáforo eletrônico, o condutor não usar o cinto segurança e deixar de manter acesa a luz baixa do veículo nas rodovias durante o dia.

Como forma de conscientizar os condutores quanto à importância da segurança no trânsito, o Detran-MT realiza frequentemente diversas atividades através das gerências de Ação Educativa de Trânsito e de Escola Pública de Trânsito, com campanhas e cursos sempre no intuito de sensibilizar condutores, passageiros, pedestres e ciclistas para a adoção de comportamentos mais seguros no trânsito.

Leia mais:  Polícia Civil cumpre prisão de envolvido em roubo de gado, sequestro e cárcere privado

Segundo a gerente de Ações Educativas de Trânsito do Detran-MT, Rosane Gerda Prachthäuser Pölzl, a imprudência é um dos principais fatores de risco que acarretam acidentes.

“A menor das consequências de uma infração é a autuação ou até a prisão, como nos casos de embriaguez ao volante. A inobservância das normas de segurança gera acidentes graves e até mesmo fatais. Por isso, nas ações e cursos que realizamos convidamos a população à reflexão de que cada um tem importante função a desempenhar na construção de uma cultura de paz e segurança no trânsito”, disse Rosane.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Emanuele de Almeida é nomeada e assume a Presidência do Indea-MT

Publicado


A servidora Emanuele Gonçalina de Almeida (39 anos) foi nomeada presidente do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (INDEA MT). A nomeação foi publicada em edição extra do Diário Oficial desta quarta-feira (20.01).

Ela é advogada, concursada e trabalha há sete anos no órgão de defesa, exercendo anteriormente o cargo de diretora administrativa.

A nova presidente tem como objetivo dar continuidade ao trabalho iniciado no Indea na gestão do governador Mauro Mendes, valorizar o servidor do Instituto e trabalhar de forma democrática com a área técnica.

Emanuele também pretende seguir coma implantação das ações administrativas, focando na desburocratização e descentralização do órgão, dando mais agilidade às demandas dos produtores rurais mato-grossenses.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Governador dá posse ao novo presidente e vogais da Junta Comercial de Mato Grosso
Continue lendo

MATO GROSSO

Homicídio ocorrido no dia de Natal, em Cuiabá, é esclarecido e autora presa

Publicado


A Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá (DHPP) esclareceu o homicídio de José Carlos Ribeiro, 50 anos, ocorrido no dia 25 dezembro, no bairro Altos da Glória, na capital. A pessoa investigada como autora do crime, de 30 anos, foi presa na segunda-feira (18) pela Polícia Militar, no Residencial José Carlos Guimarães, em Várzea Grande, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela Comarca da Capital.

A vítima foi encontrada morta na cama, em sua residência, e o corpo apresentava lesões causadas por instrumentos contundente e cortante. Um pedaço de madeira, com um prego na ponta, foi encontrado no local.

Com o início das investigações abertas pela DHPP, a equipe coordenada pelo delegado Caio Fernando Albuquerque coletou informações de que no dia do crime uma pessoa monitorada por tornozeleira eletrônica esteve na residência da vítima.

Após ser identificada, a investigada foi ouvida em depoimento na DHPP e declarou como cometeu o crime. Segunda ela, três meses antes do fato, quando ainda não tinha relacionamento íntimo com José Carlos, estava tomando cerveja com a vítima junto com a sobrinha dela, de 14 anos. Logo após, saiu da casa para comprar e fazer uso de entorpecentes, quando momento depois sua sobrinha a procurou chorando e dizendo que a José Carlos havia tentado violentá-la sexualmente.

A investigada retornou então à casa da vítima para tomar satisfação do ocorrido, mas o homem negou o ato de violência, embora a adolescente tenha confirmado o abuso. Após isso, ainda segundo depoimento da investigada, ela decidiu que mataria a vítima e pediu que a adolescente não comentasse a ninguém o ocorrido e que resolveria a situação.

Conforme narrado no depoimento, vendo que a vítima tentava uma aproximação, a investigada começou a ter encontros amorosos com José Carlos e afirmou ao delegado que passou a fazer isso para aproveitar a oportunidade e vingar o que ocorreu com sua sobrinha. Em um dos encontros, após se relacionarem, ela golpeou a vítima com o pedaço de madeira e com uma faca.

Leia mais:  Quarta-feira (20): Mato Grosso registra 203.734 casos e 4.877 óbitos por Covid-19

“Os elementos de prova colhidos durante as diligências comprovam que não houve homicídio privilegiado – quando a vítima provoca o cometimento do crime pouco antes de sua prática. Mas sim, que o crime foi motivado por vingança, configurando a qualificadora de torpeza na medida em que, premeditadamente, o autor planejou a ação homicida cerca de três meses depois do referido comportamento da vítima. Além disso, ficou configurada a qualificadora de impossibilidade de defesa pois, ao que tudo indica, ao contrário da versão da investigada, a vítima dormia quando foi golpeada”, explicou o delegado Caio Albuquerque.

Com base nos elementos coletados na investigação, o delegado representou à Justiça pela prisão preventiva da investigada. O inquérito segue para conclusão e ela será indiciada por homicídio qualificado.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana