conecte-se conosco


POLÍTICA NACIONAL

Lira chama Baleia Rossi de demagogo por defesa de votação urgente na saúde

Publicado


source
Lira
Agência Câmara

Lira x Baleia Rossi

A crise sanitária provocada pela pandemia virou motivo de embate na disputa à presidência da Câmara dos Deputados. No lançamento de sua candidatura, na quarta-feira, Baleia Rossi (MDB-SP) sugeriu que o Congresso fosse convocado ainda este mês para votar medidas de enfrentamento ao coronavírus. Nesta sexta-feira, o emedebista reforçou o entendimento. Candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro,  Arthur Lira (PP-AL) reagiu. Para ele, a intenção do adversário é apenas ” uma demagogia ” para ganhar votos.

Nesta sexta-feira (8), ambos os candidatos cumprem agenda fora de Brasília para angariar o apoio de deputados na eleição de fevereiro. Rossi tem compromissos em Teresina (PI), enquanto Lira está Cuiabá (MT). As atividades dos parlamentares foram interrompidas em 23 de dezembro para o recesso de fim de ano. Se não houver uma convocação extraordinária, os trabalhos só voltam no próximo mês.

“Conversei com os líderes da Câmara e com o presidente Rodrigo Maia para que façamos uma convocação do Congresso para aprovar medidas urgentes de enfrentamento ao coronavírus . Já há um requerimento colhendo assinaturas para isso. Estamos prontos pro trabalho!”, escreveu Baleia Rossi nas redes sociais.

Na quinta-feira, Rossi celebrou o anúncio da eficácia da Coronavc, vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac. No lançamento de sua candidatura, também reforçou que uma das principais preocupações de sua candidatura é o imunizante ” universal e gratuito “.

Em encontro com parlamentares em Cuiabá, Lira avisou que não aceitará a proposta de Rossi.

“Dizer que tem que ter convocação no recesso e às vésperas da eleição pra aprovar coisas sem termos nem orçamento é demagogia e irresponsabilidade e nós não vamos aceitar”, disse Lira.

Leia mais:  Doria critica Bolsonaro e defende panelaço: "Governo sem coração"

O Orçamento não foi votado em 2020 justamente pelas disputas políticas que envolvem a eleição para a presidência da Câmara. Nas redes sociais, o deputado do PP também criticou de forma indireta o atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), principal aliado do emedebista.

“A Câmara dos Deputados não tem dono e a pauta do Brasil não pode ser feita por um homem só . Todos os projetos que interessam ao Brasil serão pautados”, escreveu Lira.

Desde que começou a fazer a campanha para a sucessão de Maia, Lira tem atacado o que chama “centralismo” nas decisões do comando da Câmara. Ele diz que ouvirá todos os parlamentares, sem impor vetos a qualquer agenda de interesse do parlamento.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

Protestos contra Bolsonaro: panelaços são registrados ao redor do país; confira

Publicado


source
Projeção feita no Minhocão%2C no centro de São Paulo durante o
Reprodução Instagram

Projeção feita no Minhocão, no centro de São Paulo durante o “panelaço” contra Bolsonaro

Diversos estados do país registraram “panelaços” contra o  presidente Jair Bolsonaro na noite desta sexta-feira (15). Os protestos foram marcados e registrados pelas redes sociais.

Confira alguns registros:

Em Manaus, onde o sistema de saúde colapsou e a cidade vive o maior pico de internações de Covid-19 desde o início da pandemia, foram registrados grandes “panelaços” contra Bolsonaro:

Internauta registrou manifestação em Londrina, no norte do Paraná:

Você viu?

José Guimarães, deputado federal (PT-CE), registrou panelaço na capital do país, Brasília:

Sob gritos de “genocída”, protesto também foi visto na região central de São Paulo:

Manifestação na zona sul do Rio de Janeiro:

Comentários Facebook
Leia mais:  Luiza Erundina vai concorrer à presidência da Câmara pelo PSOL
Continue lendo

POLÍTICA NACIONAL

Maia diz que discutir impeachment de Bolsonaro será “inevitável no futuro”

Publicado


source
Rodrigo Maia%2C presidente da Câmara
Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Rodrigo Maia, presidente da Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não descartou a possibilidade de discussão de um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), mas jogou a responsabilidade para colocar o assunto em pauta pelo seu sucessor. O parlamentar afirmou que essas discussões seriam inevitáveis “no futuro”.

“Eu acho que esse tema de forma inevitável será discutido pela Casa no futuro. Temos de focar no principal, que agora é salvar o maior número de vidas, mesmo sabendo que há uma desorganização e uma falta de comando por parte do ministério da Saúde”, disse Maia ao participar de entrevista coletiva ao lado do governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Maia defendeu que, neste momento, a prioridade é retomar os trabalhos da Câmara e do Senado, que estão em recesso desde dezembro. Essa foi a justificativa dada por Maia para não discutir e protocolar um processo de impedimento neste momento.

Você viu?

“Nós estamos em recesso, desde março vivemos uma pandemia, da qual a nossa decisão não foi avaliar ou deixar de avaliar impeachment, mas, sim, compreender que a pandemia é a prioridade de todos nós”, afirmou.

Logo após a coletiva, Maia ainda conversou com jornalistas e ressaltou que não será ele quem decidirá sobre o impeachment, visto que seu mandato termina no próximo dia 1º de fevereiro.

Logo, uma discussão sobre o impedimento de Jair Bolsonaro estará na gaveta do próximo presidente da Casa, que pode ser o deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP).

Leia mais:  Mourão: "Não tem como prever o que ia acontecer em Manaus"

“Até o dia 2 de fevereiro, até a eleição, quem faz essa análise é o nosso presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Se Deus me der a oportunidade de presidir a Câmara, eu agirei de acordo com o que diz a Constituição. Qualquer e toda análise será feita dentro dos princípios da nossa Constituição Federal”, disse Rossi.

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana