conecte-se conosco


MATO GROSSO

Em dois anos, Governo entrega 4.830 títulos registrados em cartório para a população

Publicado


O Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) entregou 4.830 títulos entre beneficiários urbanos e rurais durante os dois últimos anos. Os títulos entregues por esta gestão são definitivos, o que significa que já são registrados em cartório sem custo ao beneficiário que se enquadra no perfil social, explica o presidente do Instituto, Francisco Serafim de Barros.

Ao assumir a presidência do Intermat, Francisco Serafim se deparou com o retrabalho que acontecia por conta do não registro dos imóveis regularizados junto aos cartórios. Com a parceria com a Associação dos Notários e Registradores do Estado de Mato Grosso (Anoreg-MT), foi possível resolver este problema e garantir a posse definitiva.

“A entrega de títulos de interesse social já registrados é um avanço muito grande, e garante a segurança jurídica para o beneficiado. Com o registro o proprietário tem autonomia sobre seu imóvel, pode fazer financiamentos, fazer investimentos no imóvel, dar em garantia, vender ou deixar de herança. Além disso, há o recolhimento de impostos que retorna ao cidadão em forma de serviços públicos”, explica o presidente.

Foram entregues 2.318 títulos em 2019, entre urbanos e rurais, para 15 cidades. Os municípios contemplados foram: Alto Araguaia, Alta Floresta, Nova Guarita, Figueirópolis D’Oeste, Paranaíta, Nova Santa Helena, Juína, Guiratinga, Nova Xavantina, Peixoto de Azevedo, Campo Verde, Cuiabá, Nova Canaã do Norte, Vera e União do Sul.

Já em 2020, o número chegou a 2.512 entre urbanos e rurais, mesmo diante de um ano atípico, com a pandemia do novo coronavírus. Foram contemplados os municípios: Alta Floresta, Cáceres, Confresa, Itiquira, Jaciara, Juína, Marcelândia Peixoto de Azevedo, Nova Xavantina, Nortelâncida, Porto Alegre do Norte, São Félix do Araguaia, Tabaporã, União do Sul e Várzea Grande.

Leia mais:  Homicídio ocorrido no dia de Natal, em Cuiabá, é esclarecido e autora presa

A maioria dos processos de regularização fundiária foram concluídos por meio de uma cooperação com os municípios, que disponibilizam funcionários para auxiliar nos trâmites técnicos dos processos. Isso possibilita uma análise mais ágil, e beneficia a população.

Melhoria dos processos e gestão

O andamento moroso de processos de regularização era um problema antigo do órgão, que está implantando medidas de modernização para trazer mais rapidez no atendimento. Atualmente, a análise prévia dos processos regularização demora apenas cindo dias úteis. As notificações são enviadas em até dois dias, por e-mail, o que reduziu o tempo e os custos com os Avisos de Recebimento (AR) enviados pelos Correios.

Investimentos do Terra a Limpo

Com recursos do Programa Terra a Limpo, o Intermat está capacitando 110 servidores técnicos para atuarem na regularização fundiária, em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). São três turmas de especialização, e uma capacitação com cinco módulos. São oferecidas especializações em Regularização Fundiária e Geoprocessamento, Georreferenciamento de imóveis, e Gerenciamento de Programas e Projetos, com 360 horas de duração cada um, com a formatura prevista para 2021. 

Foram também adquiridos 77 computadores e estabilizadores para uso do Intermat e do Incra. Os equipamentos são essenciais para melhorar as condições de trabalho dos dois órgãos.

Já foi licitado o serviço de georreferenciamento para demarcação das glebas e assentamentos, com investimento previsto de R$ 34 milhões. Também com recursos do Programa o Intermat realizou a contratação para a organização, tratamento e digitalização do acervo. Também com recursos do Programa o Intermat está em fase de análise para contratar empresa especializada para organizar, tratar e digitalizar o acervo.

O Programa também entregou, no ano passado, cinco novos veículos, sendo quatro do modelo Amarock, e um Chevrolet S10. Serão utilizados em trabalho de campo nas ações de regularização das áreas públicas sejam elas estaduais ou federais, tanto pelo Intermat, quanto pelo Incra.

Leia mais:  Consórcios Intermunicipais Vale do Arinos e Vale do Juruena são reativados

O programa prevê um investimento de R$ 72,9 milhões em Mato Grosso, com o objetivo central de promover a resolução de conflitos, e a segurança jurídica pela posse da terra, beneficiando famílias de agricultores de 88 municípios que estão no bioma amazônico. Os recursos são do Fundo Amazônia, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Nova regulamentação de Terra

Durante a gestão, o Código de Terras de Mato Grosso passou pela sua primeira mudança dos últimos 40 anos, que desburocratizou a regularização de terras, com a aprovação da Lei nº 10.863/2019. Entre as principais mudanças, está a possibilidade de o ocupante da terra adquirir o imóvel do Estado por compra direta, com a possibilidade de desconto de 20% no pagamento à vista.

No novo texto, há a definição clara dos requisitos para a gratuidade do título, o que auxilia o Intermat a conceder o benefício para quem realmente possui o perfil. É preciso que seja o único imóvel, haja posse há mais de cinco anos, não deve ser beneficiado por programa de regularização, e a renda de atividade não agrária não deve ultrapassar três salários mínimos ou um salário mínimo por pessoa.

A nova Lei também favorece o cumprimento da legislação ambiental, possibilitando a regularização de áreas nas modalidades vigentes e definidas como de cultura efetiva.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Emanuele de Almeida é nomeada e assume a Presidência do Indea-MT

Publicado


A servidora Emanuele Gonçalina de Almeida (39 anos) foi nomeada presidente do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (INDEA MT). A nomeação foi publicada em edição extra do Diário Oficial desta quarta-feira (20.01).

Ela é advogada, concursada e trabalha há sete anos no órgão de defesa, exercendo anteriormente o cargo de diretora administrativa.

A nova presidente tem como objetivo dar continuidade ao trabalho iniciado no Indea na gestão do governador Mauro Mendes, valorizar o servidor do Instituto e trabalhar de forma democrática com a área técnica.

Emanuele também pretende seguir coma implantação das ações administrativas, focando na desburocratização e descentralização do órgão, dando mais agilidade às demandas dos produtores rurais mato-grossenses.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Governador dá posse ao novo presidente e vogais da Junta Comercial de Mato Grosso
Continue lendo

MATO GROSSO

Homicídio ocorrido no dia de Natal, em Cuiabá, é esclarecido e autora presa

Publicado


A Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá (DHPP) esclareceu o homicídio de José Carlos Ribeiro, 50 anos, ocorrido no dia 25 dezembro, no bairro Altos da Glória, na capital. A pessoa investigada como autora do crime, de 30 anos, foi presa na segunda-feira (18) pela Polícia Militar, no Residencial José Carlos Guimarães, em Várzea Grande, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela Comarca da Capital.

A vítima foi encontrada morta na cama, em sua residência, e o corpo apresentava lesões causadas por instrumentos contundente e cortante. Um pedaço de madeira, com um prego na ponta, foi encontrado no local.

Com o início das investigações abertas pela DHPP, a equipe coordenada pelo delegado Caio Fernando Albuquerque coletou informações de que no dia do crime uma pessoa monitorada por tornozeleira eletrônica esteve na residência da vítima.

Após ser identificada, a investigada foi ouvida em depoimento na DHPP e declarou como cometeu o crime. Segunda ela, três meses antes do fato, quando ainda não tinha relacionamento íntimo com José Carlos, estava tomando cerveja com a vítima junto com a sobrinha dela, de 14 anos. Logo após, saiu da casa para comprar e fazer uso de entorpecentes, quando momento depois sua sobrinha a procurou chorando e dizendo que a José Carlos havia tentado violentá-la sexualmente.

A investigada retornou então à casa da vítima para tomar satisfação do ocorrido, mas o homem negou o ato de violência, embora a adolescente tenha confirmado o abuso. Após isso, ainda segundo depoimento da investigada, ela decidiu que mataria a vítima e pediu que a adolescente não comentasse a ninguém o ocorrido e que resolveria a situação.

Conforme narrado no depoimento, vendo que a vítima tentava uma aproximação, a investigada começou a ter encontros amorosos com José Carlos e afirmou ao delegado que passou a fazer isso para aproveitar a oportunidade e vingar o que ocorreu com sua sobrinha. Em um dos encontros, após se relacionarem, ela golpeou a vítima com o pedaço de madeira e com uma faca.

Leia mais:  Canarana apresenta proposta para criação de unidade dos Bombeiros no município

“Os elementos de prova colhidos durante as diligências comprovam que não houve homicídio privilegiado – quando a vítima provoca o cometimento do crime pouco antes de sua prática. Mas sim, que o crime foi motivado por vingança, configurando a qualificadora de torpeza na medida em que, premeditadamente, o autor planejou a ação homicida cerca de três meses depois do referido comportamento da vítima. Além disso, ficou configurada a qualificadora de impossibilidade de defesa pois, ao que tudo indica, ao contrário da versão da investigada, a vítima dormia quando foi golpeada”, explicou o delegado Caio Albuquerque.

Com base nos elementos coletados na investigação, o delegado representou à Justiça pela prisão preventiva da investigada. O inquérito segue para conclusão e ela será indiciada por homicídio qualificado.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana