conecte-se conosco


ESPORTES

Chapecoense faz história e confirma retorno à Série A do Campeonato Brasileiro

Publicado


Em 2013, quando a marca da nossa primeira ascensão foi sacramentada, uma palavra – e todo o peso do seu significado – foi fundamental para nortear o trabalho e a conquista: merecimento. Na temporada 20/21, outro substantivo foi usado – e repetido de forma incansável antes e depois de cada partida – para que todos os envolvidos no processo de fazer girar a engrenagem verde e branca lembrassem o motivo de estarem ali: renúncia. E se o merecimento fala sobre as coisas das quais somos dignos, a renúncia fala, exatamente, de tudo o que abdicamos para conquistá-las.

A temporada atípica – que casou o final de um ano com o início de outro – não foi fácil. Se em tempos normais o universo do futebol já apresenta seus desafios, imagine em tempos de pandemia? E mais: em tempos de pandemia e crise financeira… O calendário reformulado, no entanto, – que exigiu logísticas mirabolantes, viagens desgastantes e longos períodos longe do lar e das pessoas amadas – fez com que o grupo encontrasse casa, família e motivação nos próprios companheiros de peleja. E a certeza de que todos estavam ali lutando pelo mesmo objetivo e por algo maior para a instituição Chapecoense – muito além das ambições individuais – fez com que a fórmula do sucesso estivesse ao alcance das mãos e dos pés.

Não foi fácil chegar até aqui. Foi muito mais duro do que imaginávamos, aliás. Mas com trabalho, humildade, dedicação, união e, principalmente, com a FORÇA QUE VEM DE CIMA, a Chapecoense cumpriu a promessa. A Chapecoense – feita de pessoas para pessoas – retornou ao lugar do qual jamais deveria ter saído. É a Chape, do impossível, do surpreendente, da resiliência e da superação, novamente entre gigantes. Pode comemorar, torcedor. Pode comemorar, presidente! Com 66 pontos e com cinco rodadas de carimbamos o nosso passaporte. A nossa passagem de volta. O início de mais uma grande história.

Leia mais:  Guarani luta, mas perde com gol no fim para o Avaí fora de casa
A partida: 
Foto: Márcio Cunha/ACF
Foto: Márcio Cunha/ACF

Após as derrotas de Juventude e CSA na 34ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, a Chapecoense iniciou a partida contra o Figueirense ciente de que uma vitória diante do rival da capital catarinense a confirmaria – matematicamente – na Série A de 2021 e não decepcionou o torcedor que, mesmo sem poder marcar presença na Arena Condá, enviou a energia e as vibrações que garantiram a flechada.

Superior desde o início do embate, o time alviverde chegou ao primeiro gol aos 21 do primeiro tempo, com Paulinho Moccelin: após jogada ensaiada na cobrança de escanteio, Matheus Ribeiro ficou com a bola, cruzou na área e o camisa 94, de cabeça, estufou as redes. A vantagem parcial do Verdão foi ampliada aos 20 da etapa complementar, com o zagueiro artilheiro Derlan. Na bola parada, Paulinho Moccelin mandou na área, o goleiro fez a defesa, mas no rebote, o defensor alviverde – com oportunismo de atacante – mandou para o gol e sacramentou o segundo. Aos 38, o time adversário diminuiu – após converter cobrança de pênalti – mas não foi o suficiente para tirar os três pontos, a vitória, e o acesso do Verdão.

Após a partida, o técnico Umberto Louzer relembrou o início do seu trabalho no clube e exaltou, ainda mais, a conquista. “Eu confesso que eu vim com uma fome de vencer, aceitando esse desafio e entendendo que ele era gigantesco. Acreditanto na oportunidade que também era gigante, acreditando no trabalho da equipe que veio comigo, de todo estafe que aqui eu encontrei. Aqui é um clube diferente. De fato, é uma família. Eu pude viver isso e o que eu procurei fazer foi resgatar o DNA da Chapecoense. Mostrar para o torcedor uma equipe que competia do início ao fim. Hoje é agradecer a todas as pessoas envolvidas e comemorar esse feito que a gente conquistou.

Leia mais:  Furacão terá 23 jogadores à disposição para a partida contra o Flamengo

Com o acesso garantido, o Verdão volta a campo, agora, em busca do título. No próximo domingo (17), a equipe alviverde enfrenta o Vitória, às 16h, no Barradão.

Comentários Facebook
publicidade

ESPORTES

América não supera o Confiança e empata sem gols

Publicado


O América empatou em 0 a 0 com o Confiança-SE, em Aracaju, mais uma vez sofrendo com erro da arbitragem nesse Campeonato Brasileiro da Série B – desta vez pênalti não marcado em Rodolfo.

Com o resultado, o Coelho chega aos 70 pontos na competição nacional. O América volta a campo na próxima sexta-feira, na Arena Independência, para receber o Avaí na rodada final da Série B.

O JOGO

O primeiro tempo foi de bastante estudo e chegadas efetivas, principalmente pelo lado de campo. A defesa do Coelho segurava o ímpeto adversário, enquanto o ataque mostrava perigo com rápidas trocas de passes entre Rodolfo, Alê, Juninho e Zé Ricardo, e investidas de Felipe Azevedo e Ademir, além dos laterais Daniel Borges e Sávio.

O camisa 7 do Coelho, inclusive, quase anotou o gol após cruzamento de Rodolfo, aos 32 minutos. Já aos 43 foi a vez de Ademir limpar a marcação e chutar cruzado, assustando o goleiro rival.

A segunda etapa iniciou com mais um pênalti não marcado para o América nesta Série B: Rodolfo foi lançado, Nirley esqueceu da bola e, com as mãos nas costas do camisa 9 americano, deslocou o atacante do Coelho dentro da área. Penalidade máxima não assinalada pelo árbitro Paulo Roberto Alves Junior.

Rodolfo ainda chegou a marcar aos 25 minutos após passe de Eduardo Bauermann, mas a arbitragem assinalou corretamente o impedimento. O América continuou pressionando e o técnico Lisca acionou o banco de reservas com as entradas de Calyson e Geovane, aos 27 minutos, e de Neto Berola, Lohan e Marcelo Toscano, aos 40.

O ataque americano manteve sua força contra a retranca adversária, mas não conseguiu tirar o zero do placar.

Leia mais:  Galinho tem domingo de decisão em Curitiba

Comentários Facebook
Continue lendo

ESPORTES

Guarani luta, mas perde com gol no fim para o Avaí fora de casa

Publicado


Jogando fora de casa, o Guarani perdeu para o Avaí na noite de sábado, por 2 a 1 na Ressacada, pela 37ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Alemão abriu o placar para os mandantes, Todinho deixou tudo igual para o Bugre, mas Jonathan deu números finais ao jogo no último lance da partida.

Com o resultado, o Guarani permanece com 48 pontos, na parte intermediária da tabela. Na próxima sexta-feira, a equipe do técnico Felipe Conceição encerra sua participação na competição nacional às 21h30, contra o Juventude, no Brinco de Ouro.

A partida
O primeiro tempo foi extremamente movimentado. Mesmo atuando longe de seus domínios, o Bugre aproveitava bem os espaços dados pela equipe adversária, para buscar o gol. Aos 17′, Rickson apareceu de surpresa na área após belo passe e quase abriu o placar, parando no goleiro. Na sobra, foi Murilo Rangel quem por pouco não fez.

Poucos minutos depois, entretanto, o Avaí marcou com Alemão. Mesmo atrás do marcador, o Guarani não se abalou e foi para cima do adversário. Pablo aos 24′ teve duas chances. Na primeira viu o goleiro salvar. Já na segunda, acertou a trave, assim como Todinho, que aos 29′ carimbou o travessão.

Mas se não marcou no primeiro tempo, Todinho pôde comemorar logo aos 7′ do segundo, quando recebeu bom passe de Rickson e finalizou para o gol. A bola ainda desviou no zagueiro antes de entrar. A partida ficou aberta, com chances para os dois lados. Aos 22′, Renanzinho mandou um foguete, no ângulo, só que Glédson defendeu. Já aos 52′, no último lance da partida, Jonathan fez o segundo do Avaí em contra-ataque.

Leia mais:  Cuiabá conquista ato histórico e representará Mato Grosso na série A do Brasileirão

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana