conecte-se conosco


CUIABÁ

Carmindo Germano de Campos Neto

Publicado


Gustavo Duarte

Clique para ampliar

Carmindo Germano de Campos Neto é economista e exerce o cargo de auditor fiscal na Prefeitura de Cuiabá há 25 anos. Com vasta experiência no cargo que ocupa, tem formação ainda na área do Direito Tributário, bem como de Gestão Pública. Além disso, Carmindo é especialista em Políticas Públicas Sociais e Meio Ambiente, pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). 

Comentários Facebook
Leia mais:  Bustos de personalidades históricas retornam a Praça Alencastro após restauração
publicidade

CUIABÁ

Vacina Covid-19: Saiba quem pode e quando buscar os serviços para se imunizar

Publicado


Luiz Alves

Clique para ampliar

A Prefeitura de Cuiabá deu início a vacinação contra a Covid-19 na última quarta-feira (19). Para a força-tarefa, a Capital destinou um polo único no Centro de Eventos do Pantanal (para evitar aglomerações) e está seguindo a deliberação e critérios técnicos em quatro grupos designados pelo Ministério da Saúde (MS).  

São eles:  1ª  Trabalhadores da Área da Saúde, população acima de 60 anos institucionalizados, indígenas aldeados, população de 75 a 79 anos.  2ª população de 70 a 74 anos, de 65 a 69 anos, 60 a 64 anos. 3ª população com comorbidades, diabetes, melitus, hipertensão, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal, cardiovasculares e cerebrovasculares. Indivíduos transplantados de órgão sólido e anemia falciforme. 4ª Trabalhadores da educação ensino básico, ensino superior, trabalhadores do sistema de privação de liberdade, forças de segurança e salvamento e forças armadas. 

O secretário adjunto de Assistência em Saúde, Luiz Gustavo Raboni e a Coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Flávia Oliveira respondem as principais perguntas que norteiam o tema. Acompanhe e veja quem e quando poderá se imunizar. 

Mesmo com as quatro fases, não vacinando todos da saúde, qual o critério de seleção? 

Luiz Gustavo: Como só recebemos cerca de oito mil doses do Governo Federal, precisamos priorizar a prioridade. Dentro do grupo da Saúde primeiro estamos imunizando os que estão atuando em linha de frente Covid. Ou seja, primeiro os que estão atuando direto no atendimento aos pacientes acometidos pela doença. 

Quando serão chamados os demais profissionais da Saúde? 

Na medida em que forem chegando mais doses, iremos chamando as demais categorias da Saúde e abrindo para os demais grupos.

Qual a idade mínima para se imunizar contra a Covid-19 e como foi definido o público alvo?

Luiz Gustavo: O Ministério da Saúde definiu o público alvo com base na faixa etária que mais foi acometida pela doença e os que mais evoluíram para óbito. Por conta disso, só poderão se vacinar pessoas acima de 18 anos, respeitando sempre as fases definidas pelo ministério da Saúde.

Leia mais:  Vacina Covid-19: Saiba quem pode e quando buscar os serviços para se imunizar

Grávidas e lactantes podem vacinar? 

Não. Esse público não foi testado pelos fabricantes da vacina. Sendo assim não há indicações de imunização de Covid -19 para grávidas e lactantes sob riscos de efeitos colaterais desconhecidos.

Quem fez bariátrica e ou, não tem 18 anos mas possui algumas das doenças descritas como comorbidade, pode ser vacinado? 

Luiz Gustavo: Neste momento não há prioridade para a pessoa que fez bariátrica. Mas se ele se enquadrar nos demais públicos ele se vacinará em sua devida fase ou vc quando for população geral. 

Quanto ao menor, mesmo com comorbidade, não serão vacinados menores de 18 anos – por não haver indicação do Ministério. 

Sou da Saúde. Como fazer para me cadastrar? 

Valéria Oliveira: Primeiro você precisa estar com o cartão do SUS em dia. Para atualizá-lo, só acessar o Conecte SUS. Feito isso, é necessário se cadastrar no Vacina Cuiabá. Com local e horário em mãos, se você estiver enquadrado na lista de aptos encaminhado pela unidade hospitalar ao qual trabalha, receberá a imunização. 

Fui pra vacinar, mas meu nome não estava na lista, posso comprovar com crachá e vacinar? 

Valéria Oliveira: Não. Os únicos aptos a vacinarem são os constantes nas listas encaminhados pelas unidades hospitalares. 

Caso os hospitais mandem listas com nomes que não estão aptos e ou, um servidor não apto vacine. O que acontecerá? 

Valéria Oliveira: Todas as listas dos hospitais serão auditadas e encaminhadas aos órgãos de controle. Caso hajam inconsistências serão punidos no rigor da lei. Quanto aos servidores serão demitidos e responderão processos. 

Vacinei e tive que esperar 30 minutos, por qual razão? 

Valéria Oliveira: O fabricante da vacina prevê que a pessoa permaneça no local por até 30 minutos para caso de haver reações adversas. Passado o período a pessoa poderá ir embora do local. 

Leia mais:  Prefeito destaca compromisso de servidores e parceria com Banco do Brasil na execução da Lei Aldir Blanc em Cuiabá

Se eu não tomar a segunda dose fico imunizado do mesmo jeito?

Valéria Oliveira: Não. Os resultados comprobatórios de imunidade da doença só acontecem após a segunda dose concluída.

Idosos serão vacinados nesta primeira fase?

Valéria Oliveira: Idosos fazem parte da primeira fase de vacinação, porém, compõem o grupo 2. O grupo 1 é composto dos profissionais de saúde, cuja população está estimada em 21 mil pessoas, em Cuiabá. Como, até o momento, a capital recebeu somente 8.027 doses da vacina CoronaVac, referente à primeira etapa da imunização, somente trabalhadores da saúde que estão no contato direto com pacientes comCovid-19 serão contemplados.                                                                                                                                                                                                Além do Centro de Eventos do Pantanal, tem mais algum ponto da Prefeitura de Cuiabá disponível para vacinação?

Valéria Oliveira: No momento, não. Conforme a quantidade de doses enviadas aumente, podem ser abertos pontos de vacinação divididos em polos regionais e, posteriormente, serem abertos postos de vacinação nas unidades básicas de saúde                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           Tem que continuar usando máscara mesmo quem foi imunizado?

Leia mais:  Secretaria de Saúde vai disponibilizar ambulância de apoio para pacientes vindos de Manaus

Valéria Oliveira: Sim, é importante manter os cuidados porque a vacina foi liberada pela Anvisa para uso emergencial, uma vez que os estudos clínicos do imunizante ainda não foram concluídos.

Comentários Facebook
Continue lendo

CUIABÁ

Espaço de Acolhimento soma mais de 100 atendimentos e se consolida como referência às mulheres vítimas de violência

Publicado


O Espaço de Acolhimento da Mulher, inaugurado pelo prefeito Emanuel Pinheiro e pela primeira-dama Márcia Pinheiro em junho de 2020, já realizou mais de 100 atendimentos. O projeto, pioneiro no Centro Oeste, funciona, durante 24 horas, em uma estrutura dentro do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) e presta toda assistência necessária às vítimas de violência doméstica.

Na estrutura, as mulheres contam com atendimento psicossocial, pelo qual a psicóloga e a assistente social fazem o acolhimento emocional e levantamento dos fatos, além de um acompanhamento contínuo. “Atualmente o espaço realiza o acompanhamento semanal de aproximadamente 30 mulheres, com terapia voltada para este trauma de violência doméstica”, explica a coordenadora psicossocial do Espaço de Acolhimento, Thayssa Ferraz.

Thayssa ressalta que os agendamentos acontecem sempre com a mesma psicóloga que atendeu no início da vítima. Ela destaca que isso acontece para que a mulher não tenha que contar e delongar o sofrimento cada vez que voltar para realizar a terapia.

Existem três formas de atendimento, o primeiro é por meio da urgência e emergência, para as mulheres que foram agredidas e precisam de atendimento médico especializado. Nessa situação, a vítima pode procurar as dependências do espaço, que foi pensado para oferecer discrição e isolamento, a fim de diminuir os impactos psicológicos da agressão.

Outra situação de atendimento é o referenciado, quando órgãos públicos como, por exemplo, Defensoria Pública, Centros Especializados de Assistência Social, dentre outros, solicitam o acolhimento da vítima de violência doméstica para determinado tipo de serviço oferecido como assistência social, jurídica, médica e psicológica. A terceira situação é o atendimento voluntário, quando a vítima de agressão familiar procura, de forma espontânea, os serviços oferecidos pelo espaço.

Leia mais:  Residencial Avelino Lima Barros ganha novo espaço de lazer e prefeito destaca meta de levar qualidade de vida a todos

De acordo com a psicóloga, as mulheres têm denunciado mais seus agressores. Um exemplo é o próprio Espaço de Acolhimento, que mesmo sendo um projeto inaugurado há poucos meses vem sendo bastante procurado. “Nossa prioridade atualmente é alcançar a zona rural, bairros periféricos, onde muitas vezes não chega informação, que existe uma Secretaria da Mulher, uma sala de acolhimento ou até mesmo uma casa de amparo”, observa.

Segundo a secretária municipal da Mulher, Luciana Zamproni, o espaço deu tão certo que as assistidas pediram uma terapia em grupo, para que elas ouvissem e contassem as histórias de superação que viveram. “Este projeto está no nosso planejamento para que possamos mostrar para essas mulheres que elas não estão sozinhas e que existem outras que também passaram por uma violência e superaram”, explica.

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana