conecte-se conosco


POLÍTICA NACIONAL

Sobe para 18 o número de mortos após ônibus cair de viaduto em Minas Gerais

Publicado


source
Ônibus caído em Minas Gerais
Reprodução/redes sociais

Veículo caiu de viaduto na cidade de João Monlevade, em Minas Gerais, por suspeita de falha mecânica nos freios

Subiu para 18 o número de mortos no acidente com um ônibus que caiu de um viaduto na cidade de João Monlevade, no interior de Minas Gerais, nesta sexta-feira (4) . A vítima se trata de um homem de 59 anos que estava internado desde ontem e havia sido transferido para o Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Santa Margarida. As informações são da CNN Brasil .

De acordo com o último balanço da Secretaria de Estado de governo de Minas Gerais, 23 pessoas ficaram feridas e outros três passageiros não precisaram de atendimento médico.

O paradeiro do motorista do ônibus, assim como sua identidade, ainda é desconhecida. Testemunhas da tragédia informam que o homem teria pulado antes do carro tombar e fugiu. Segundo o Corpo de Bombeiros, ele gritou que teria “perdido os freios” antes da queda, o que levanta a suspeita de uma falha mecânica.

De acordo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o ônibus não tinha autorização para transporte de passageiros. Já a empresa Localima Turismo, responsável pelo veículo, afirmou em nota que arrenda o veículo para a JS Turismo e que o transporte de passageiros é feito “dentro das regras dos órgãos fiscalizadores – ANTT e Polícia Rodoviária Federal”.

Em 2019, esse mesmo ônibus já tinha sido autuado três vezes pelo transporte irregular de passageiros.

Leia mais:  Senadores propõem leis que punem 'fura-filas' da vacina em até 6 anos de prisão

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

Flávio Bolsonaro ataca Maia e o acusa de “articular a derrubada do presidente”

Publicado


source
Flávio saiu em defesa do pai nesta quarta-feira e acusou Maia de mentir sobre eleição na Câmara
Reprodução

Flávio saiu em defesa do pai nesta quarta-feira e acusou Maia de mentir sobre eleição na Câmara

Nesta quarta-feira (27), o senador Flávio Bolsonaro utilizou suas redes sociais para atacar Rodrigo Maia . Em postagens, ele chamou o deputado federal e presidente da Câmara de mentiroso e o acusou de tentar articular queda de Jair Bolsonaro.

“Rodrigo Maia mente! Tanto na bancada do Rio como dentro do DEM, dá Arthur Lira . Maia ferrou Davi Alcolumbre,está ferrando o DEM e tem gente da foto abaixo que ainda não entendeu que a relação que precisa ser construída é com o governo federal, e não com o ex-presidente da Câmara”, disparou Flávio Bolsonaro em publicação no Twitter.

“Rodrigo Maia não pauta  impeachment de Bolsonaro pq não tem motivo, perderia no plenário e a população iria pra cima do Congresso! Então o “defensor da democracia” fica ligando para autoridades da cúpula de Brasília para articular a derrubada do presidente Bolsonaro! Que feio!”, concluiu o filho do presidente .

Você viu?

A crítica de Flávio se deu após  declaração de Maia sobre possível divisão dentro do DEM e no estado do Rio na eleição para o próximo presidente da Câmara, na qual apoia o deputado Baleia Rossi, principal adversário de Lira, o “homem de Bolsonaro”. Ao todo, a bancada do estado conta com 44 deputados .

“Têm alguns que não querem se expor, por essas pressões do governo. Tirando os votos do PSOL e do Novo, a eleição do Rio vai estar mais ou menos pau a pau. Tem três ou quatro indecisos. Acho que vai dar empate a eleição no Rio”, disse Maia, em fala divulgada pelo jornal O Globo, após encontro com o prefeito do Rio, Eduardo Paes, e 16 deputados do estado.

Leia mais:  PSOL entra com ação para que PGR investigue os R$1,8 bilhão gastos pelo governo

Nos últimos dias, as “trocas de farpas” entre os dois lados da disputa têm se intensificado por conta da aproximação da votação na Câmara , que ocorre na próxima segunda-feira. Por se tratar de uma eleição com voto fechado, os candidatos temem possíveis “traições”, algo que não é incomum mesmo após o posicionamento dos partidos.

Comentários Facebook
Continue lendo

POLÍTICA NACIONAL

PDT envia ação ao SFT pedindo que investigue gastos do governo federal

Publicado


source
Vice-presidente do PDT, Ciro Gomes
Reprodução/Youtube

Vice-presidente do PDT, Ciro Gomes

O Partido Democrático Trabalhista ( PDT ), entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF), pedindo que os gastos do governo federal no ano de 2020 sejam investigados. O partido declara que os números são “exorbitantes”. As informações foram apuradas pelo Uol. 

“Como se vê, o montante de dinheiro público gasto nas aludidas compras não guarda sintonia com a natureza, nem tampouco com a quantidade de pessoas que porventura consumirão os produtos, o que indica a ocorrência de prática criminosa”, declara ação entregue pelo PDT, que acredita que o presidente Jair Bolsonaro cometeu peculato e prevaricação. 

Consta no documento entregue ao STF que, os gastos registrados são preocupantes pelo momento de crise sanitária em que o país se encontra desde o início da proliferação do novo coronavírus . A ação também diz que o governo foi omisso em relação as medidas. 

Você viu?

O vice-presidente do partido, Ciro Gomes , se manifestou em sua rede social sobre o andamento do documento no STF. “Leite condensado aos milhões enquanto falta oxigênio? Que os responsáveis sejam punidos!”, declara Gomes. 

O Metrópole divulgou as informações sobre os gastos do atual presidente e aponta que os números tiveram um aumento de 20% em comparação ao ano de 2019. Por exemplo, R$ 2,5 milhões foram designados a compra de vinhos para o Ministério da Defesa, R$ 15 milhões em leite condensado e R$ 2,2 milhões em gomas de mascar. 

Nesta quarta-feira (27), o senador Alessandro Vieira (Cidadania – SE) e os deputados federais Tabata Amaral (PDT – SP) e Felipe Rigoni (PSB -ES), entraram com um pedido para que o Tribunal de Contas da União (TCU) apure o caso. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana