conecte-se conosco


POLÍTICA NACIONAL

PT adia para janeiro decisão sobre apoio a Baleia Rossi à presidência da Câmara

Publicado


source
Deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP)
Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP)

Sem consenso para formalizar o apoio a Baleia Rossi (MDB-SP) na disputa à presidência da Câmara, o PT decidiu adiar para janeiro qualquer definição partidária sobre o assunto. Nesta terça-feira (29), em reunião da bancada, parlamentares discordaram sobre a estratégia para a eleição que ocorrerá em fevereiro.

Parte dos petistas defende uma candidatura de esquerda que possa unir a oposição, enquanto outra quer uma aliança com o emedebista. A intenção do segundo grupo é evitar riscos e escolher um nome mais seguro para derrotar o candidato de Jair Bolsonaro (sem partido), o deputado federal  Arthur Lira (PP-AL).

Segundo o líder do PT, Enio Verri (PR), os petistas terão novas reuniões com o grupo de partidos de oposição e o próprio Baleia Rossi antes de o martelo ser batido. Na segunda-feira (28), Rossi participou de uma reunião virtual com líderes e presidentes de PT, PCdoB, PDT e PSB.

Após o encontro, as legendas de esquerda divulgaram uma carta em que trataram dos compromissos assumidos pelo deputado do MDB. Eles pediram ao candidato que sejam preservados os instrumentos de fiscalização e ação da oposição contra o governo. A nova reunião com Rossi vai acontecer na próxima segunda-feira (4).

Os petistas concordam em participar do bloco de partidos formado por Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Rossi, mas  ainda não se comprometeram a apoiar o emedebista à presidência. Petistas ainda resistem a colaborar com o partido do ex-presidente Michel Temer, que apoiou o impeachment de Dilma Rousseff.

“Foi boa a reunião da bancada do PT. Nós temos sempre construído as decisões da bancada com consenso. Isso tem dado muito certo. Há um ano não poderíamos sonhar em formar bloco com DEM e MDB. Estamos construindo. A bancada não está dividia em relação ao bloco. Mas a divergência na bancada é sobre a presidência. Tem um setor que defende a candidatura própria da oposição, para mantê-la unificada. Lá na frente poderia ter um acordo, se o Baleia estiver bem, para retirar a candidatura. Ou para seguir com ele em segundo turno. E há outro setor que apoia o Baleia de pronto para derrotar o projeto de Bolsonaro. Para essa parte, esse apoio de imediato seria melhor”, resumiu Enio Verri.

Hoje, o grupo de Maia e Baleia Rossi tem onze partidos, com 281 deputados. O de Arthur Lira (PP-AL) tem nove partidos, com 181 parlamentares. Na oposição, um dos alvos do assédio de Arthur Lira é o PSB. O líder da sigla, Alessandro Molon (RJ), aposta num alinhamento com o grupo de Maia. Mas o deputado Felipe Carreras (PE) garante que a maior parte dos integrantes da deseja apoiar Lira. Se essa maioria for formalizada em janeiro, o PSB poderia trocar de lado.

O PSL também está rachado, pois deputados bolsonaristas aderiram à candidatura apoiada pelo Planalto. E mesmo na legenda de Maia há desentendimentos, com parte da bancada querendo vincular o apoio a Baleia Rossi a uma retirada de candidatura do MDB no Senado em prol de Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

Tebet e Baleia unem campanhas para tentar vitória do MDB no Senado e na Câmara

Publicado


source
Baleia Rossi (DEM-SP) e Simone Tebet (DEM-MS) são candidatos à presidência da Câmara e do Senado
Divulgação

Baleia Rossi (DEM-SP) e Simone Tebet (DEM-MS) são candidatos à presidência da Câmara e do Senado

Ao lado do candidato do MDB à presidência da Câmara, Baleia Rossi (SP), a postulante do partido ao comando do Senado, Simone Tebet (MS), mudou o tom em relação ao governo e afirmou que agentes públicos podem ser responsabilizados pelo Congresso por sua atuação durante a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Baleia, por sua vez, criticou o Palácio do Planalto por tentar influenciar a disputa através de negociações que supostamente envolvem a liberação de verbas e cargos. Os dois selaram uma aliança para tocar as campanhas em conjunto a partir de agora.

“Nunca vimos o governo se empenhar tanto, liberar tanto recurso, tantos cargos, tentar influenciar tanto uma eleição na presidência da Câmara e a senadora está confirmando aqui, também no Senado. O governo exagera ao tentar influenciar no resultado”, acusou Baleia Rossi durante visita ao Mato Grosso do Sul, estado de Simone, nesta terça-feira (19).

Baleia também defendeu que o que está em jogo “não é quem vai ser o presidente da Câmara e do Senado , e sim o Brasil que nós queremos”. Em sintonia com Simone, ele reforçou compromisso com uma agenda de recuperação econômica e social.

Você viu?

Após o evento, em nota, a assessoria de imprensa de Simone classificou falas recentes de Bolsonaro como “arroubos autoritários e machistas”. O tom é diferente do adotado pela candidata no lançamento de sua campanha, na semana passada, no qual ela falou em “independência harmoniosa” com o Executivo.

Pouco antes, em conversa com jornalistas, Simone também afirmou que o Congresso pode agir para responsabilizar agentes públicos por possíveis falhas no combate à pandemia do novo coronavírus. Ela foi questionada sobre a situação do sistema de saúde de Manaus, que colapsou com a falta de oxigênio em hospitais.

Leia mais:  Filho de Bolsonaro avisa que não vai se vacinar contra Covid-19 e divide a web

“O Congresso é a caixa de ressonância da sociedade, não é a toa que temos instrumentos constitucionais que são instrumentos das minorias. Acho que nada pode ser negado neste momento, já que a situação pode exigir de nós que, ouvindo o colégio de líderes, tomemos as medidas necessárias”, declarou Simone.

“Nada impede uma análise criteriosa sobre o que está acontecendo no País, se está havendo responsabilidade ou não de servidor, de agente público A, B ou C, mas não vamos esquecer que temos outros poderes e órgãos para esse fim, temos o Ministério Público, o Poder Judiciário que também está acompanhando”, disse em seguida.

A avaliação feita pela campanha de Simone e Baleia é de que as dificuldades do governo para liderar a campanha de vacinação contra a Covid-19 representa uma derrota política ao presidente Jair Bolsonaro, o que pode melhorar as chances do MDB para reconquistar as duas Casas do Legislativo. O assunto será cada vez mais explorado pelos emedebistas da Câmara e do Senado nos próximos dias, que devem atuar em conjunto.

Comentários Facebook
Continue lendo

POLÍTICA NACIONAL

Destino do caso ‘rachadinhas’ de Flávio Bolsonaro será definido pelo TJ do Rio

Publicado


source
Flávio de terno falando
Reprodução: ACidade ON

Flávio Bolsonaro é investigado pelo caso das “rachadinhas”

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro , desembargador Claudio de Mello Tavares, determinou que, na próxima segunda-feira o processo sobre a competência do julgamento do caso envolvendo o senador Flávio Bolsonaro seja colocado em pauta . As informações são da revista Veja .

De acordo com o portal, os desembargadores irão decidir se o processo volta para a primeira instância ou continua no Órgão Especial. Esta será a primeira sessão do Órgão Especial do ano.

O filho do presidente Jair Bolsonaro é investigado sob suspeita da prática de “rachadinhas” em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio, quando era deputado estadual.

Comentários Facebook
Leia mais:  Tebet e Baleia unem campanhas para tentar vitória do MDB no Senado e na Câmara
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana