conecte-se conosco


POLICIAL

Homem que invadiu casa de ex-companheira e quebrou móveis é preso por descumprimento de medida

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

Equipe da Gerência Estadual de Polinter e Capturas (Gepol), em conjunto com a Delegacia de Polícia de Cáceres e Polícia Militar, localizou mais uma pessoa procurada pela justiça, que estava com mandado de prisão em aberto. O homem de 28 anos era investigado pela prática de crime de violência doméstica no âmbito familiar em Cuiabá.

Os policiais da Polinter realizaram diligências na região da Morada da Serra, em Cuiabá, na tentativa de localizá-lo. A prisão foi expedida em atendimento à representação da autoridade policial no inquérito que apura os crimes praticados pelo investigado.

De acordo com as investigações, o homem preso vinha enviando mensagens para a vítima e a mãe dela, ameaçando-as de morte. Nesta semana, ele chegou a invadir a residência de uma das vítimas violando e arrebentando a grade de proteção do muro do imóvel, danificou o veículo da vítima, quebrou um  televisor de 50 polegadas e revirou objetos da residência.

O mandado de prisão foi expedido pelo juízo da 10 ª Vara Criminal da Capital e, assim que a equipe plantonista da Polinter tomou conhecimento da ordem judicial iniciou diligências para localizar o investigado.

Em conjunto com o Núcleo de Inteligência da Polinter e da Polícia Civil de Cáceres, em menos de 48 horas, o homem foi localizado nas imediações do Hospital Regional de Cáceres, no momento em que encontrava em um estabelecimento comercial daquela localidade.

Ao ser abordado, em princípio ele omitiu o nome verdadeiro, mas ao ser questionado caiu em contradição revelando sua verdadeira identidade. Ele foi conduzido à delegacia e depois encaminhado para uma unidade prisional, onde permanecerá custodiado à disposição do Poder Judiciário.

Leia mais:  Polícia Civil cumpre mandados contra envolvidos na prática de crimes em Poconé

Ele responderá por descumprimento de medida judicial e quebra de medida protetiva de urgência conforme o processo.

A prisão contou com a participação dos policiais civis da Delegacia Regional de Cáceres e da Força Tática.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
publicidade

POLICIAL

Seis pessoas, sendo duas da mesma família, são presas por homicídio e sequestro de duas vítimas

Publicado


Assessoria | Polícia Civil-MT

Cinco mandados de prisão preventiva e um mandado de internação provisória foram cumpridos pela Polícia Civil do município de Aripuanã (1.002 km a noroeste de Cuiabá), na manhã desta quarta-feira (27.01). Uma mulher com mandado de prisão está foragida. 

As ordens judiciais foram decretadas pela Justiça da Comarca local, após investigação da Delegacia de Polícia de Aripuanã para esclarecer um crime de sequestro, cárcere privado e homicídio. 

Três dos envolvidos investigados são da mesma família, sendo dois deles a esposa e a cunhada da vítima. Dos outros quatro suspeitos, um deles é o menor de idade, que foi contratado para agir na ação criminosa.

Todos respondem o inquérito policial instaurado pelos crimes e ato infracional, respectivamente, por homicídio doloso, porte ilegal de arma de fogo de uso permitido, associação criminosa, corrupção de menores, sequestro, cárcere privado e furto.

Sequestro e morte

O crime ocorreu na madrugada do dia 13 de janeiro deste ano, em uma propriedade rural do município de Aripuanã, quando as vítimas, Marcio José Silva de 46 anos e o seu filho de 23 anos, foram rendidas pelos criminosos.

A Polícia Militar realizava rondas, quando a vítima de 23 anos procurou a guarnição e informou que dois homens armados em um carro Fiat Uno, o renderam, amarraram o obrigando a levar os suspeitos até seu pai.

Conforme o jovem, assim que os criminosos encontraram o seu pai, ele também teve as mãos e pés amarrados e ambos foram levados para uma estrada, a cerca de sete quilômetros da cidade.

Segundo relato do filho, o suspeito o deixou dentro do carro e levou o seu pai até as margens de um rio, quando então escutou barulho de disparos de arma de fogo. Logo após os suspeitos retornaram ao veículo onde o rapaz estava amarrado, retornaram para a cidade e em seguida liberaram o rapaz, quando ele então procurou a Polícia Militar.

Leia mais:  Maquinário e 3 mil litros de óleo são apreendidos em área de desmatamento ilegal

Imediatamente, os militares foram até o local indicado pela vítima e encontraram Marcio José Silva caído com perfurações na região da cabeça e costas. A vítima foi socorrida ainda com vida e encaminhada ao Hospital Municipal de Aripuanã, onde permaneceu internada sob cuidados médicos. No entanto, Márcio não resistiu e foi a óbito nesta segunda-feira (25.01).

Na ocasião dos acontecimentos, os militares conseguiram abordar o veículo utilizado no crime nas proximidades de um bar, porém os suspeitos, ao perceberem a viatura, fugiram do local, mas um deles acabou sendo preso em seguida.

Questionado sobre o crime, o homem apontou seu comparsa (um adolescente) e também indicou a residência onde estava a arma de fogo, a bateria e os pneus que haviam sido furtados por eles em outra situação criminosa.

No endereço indicado, a equipe prendeu outro rapaz, que alegou não ter envolvimento na tentativa de homicídio até então, e revelou onde era a casa do adolescente que havia escapado da polícia, que acabou sendo apreendido em uma residência.

Trama 

Diante dos fatos, os três envolvidos foram conduzidos para a Delegacia de Aripuanã. Eles informaram que o crime havia sido planejado pela esposa de Márcio, pois, segundo a mulher, a vítima a agrediu, cometia adultério e também havia tentado abusar sexualmente de sua irmã quando a garota tinha 11 anos de idade.

Ao serem indagadas sobre as acusações, a esposa e a cunhada da vítima relataram que os três presos (dois adultos e um adolescente) haviam “tomado as dores” por conta própria e que ambas não mandaram os suspeitos tentaram contra a vida de Márcio José Silva.

Na Delegacia de Aripuanã foi feita a prisão em flagrante dos dois suspeitos, das duas mulheres (esposa e cunhada da vítima) e a apreensão do menor infrator.

Durante as diligências investigativas da trama criminosa, os policiais civis descobriram a participação de todos os familiares no homicídio de Márcio e no sequestro de seu filho, o que embasou a representação do pedido de prisão preventiva dos envolvidos – além da esposa e cunhada da vítima, outras duas mulheres integrantes da família.

Leia mais:  Polícia Civil prende quatro traficantes com 47 porções de entorpecentes prontas para a venda

De acordo com o delegado de Aripuanã, Philipe de Paula da Silva Pinho, diante do aprofundamento das investigações, especialmente pelo depoimento do adolescente envolvido no crime, foi possível representar pelas prisões. O adolescente detalhou toda a dinâmica dos acontecimentos, desde a saída de Alta Floresta, em companhia do seu comparsa, a bordo de um caminhão roubado até a chegada na cidade, o pouso na residência da sogra de Márcio, até a arquitetura, planejamento e execução dos delitos perpetrados contra Márcio José da Silva e seu filho, 

“O menor afirmou de forma categórica, que na noite anterior do crime a esposa e sua irmã, tomaram ciência de que ele mataria o marido, pelas traições e tentativa de violação da dignidade sexual da praticada em desfavor da cunhada, bem como foram elas que abriram a porta da casa e lhe entregou o dinheiro pelo serviço. O infrator narrou ainda, que ao final da empreitada, ele e seu comparsa foram até a casa da mãe das duas irmãs e avisaram-na que o serviço estava feito”, explicou o delegado.

 

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

POLICIAL

Polícia Civil cumpre mandados contra envolvidos na prática de crimes em Poconé

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil de Poconé (104 km ao sul de Cuiabá) deflagrou na manhã desta quarta-feira (27.01) a Operação Dislike para cumprimento de oito ordens judiciais com objetivo de desarticular grupos criminosos e esclarecer diferentes crimes ocorridos no município.

A ação deflagrada com base em investigações da  Delegacia de Poconé conta com apoio de equipes de unidades da Regional de Várzea Grande, Polícia Militar e do Canilfron.  

Os mandados, sendo quatro de prisão e quatro de busca e apreensão domiciliar, foram decretados contra suspeitos que tiveram o envolvimento identificado em crimes de tentativa de homicídio, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e organização criminosa armada.

Entre os alvos da operação está um traficante de drogas, apontado como o autor de uma tentativa de homicídio ocorrida no dia 12 de novembro no município. Na ocasião, a vítima foi até a casa do suspeito e tentou barganhar uma pedra de crack pelo valor de R$ 8, sendo o valor cobrado R$ 10.

O traficante colocou o usuário para fora, o ameaçando de morte, porém a vítima permaneceu em frente a casa, momento em que o suspeito saiu e efetuou cinco disparos contra o rosto e o braço da vítima.

Os outros três alvos foram identificados em inquérito policial para apurar crimes de porte irregular de arma de fogo de uso permitido, integrar organização criminosa majorado pelo emprego de arma de fogo e associação criminosa armada.

Os suspeitos aparecem em um vídeo veiculado em grupos de WhatsApp em que portam armas de fogo (revólveres e pistolas) e fazem gestos em alusão à facção criminosa. Como trilha de fundo, um funk enaltece a prática de crimes e a atuação de criminosos.

Leia mais:  Polícia Civil incinera 1,2 tonelada de entorpecente apreendidos em 2020

No vídeo, foram identificados quatro suspeitos, porém um deles, João Vitor Aparecido de Arruda, foi vítima de homicídio ocorrido no dia 06 de dezembro, em Poconé.

De acordo com o delegado de Poconé, Maurício Maciel Pereira Júnior, a operação tem o objetivo de levantar novos elementos que contribuirão para as investigações, assim como impedir que os suspeitos identificados continuem atuando na prática de crimes no município.

“Os identificados possuem antecedentes criminais e segundo informações são integrantes de facção criminosa. A operação tem o objetivo de colher elementos que comprovem o envolvimento com a prática dos crimes, assim como a apreensão de drogas, armas de fogo e outros objetos de origem ilícita.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana