conecte-se conosco


MATO GROSSO

Homem que descumpriu medida protetiva e ameaçou ex-companheira é preso pela Polícia Civil

Publicado


Equipe da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso de Várzea Grande cumpriu nesta terça-feira (29.12) a prisão de um homem de 33 anos por descumprimento de medida protetiva contra a ex-companheira. Conforme apuração da delegacia, a vítima, de 35 anos, sofreu também ameaças e houve violação de domicílio.

A delegada titular da unidade, Mariell Antonini Dias Viana, verificando que as medidas protetivas à vítima se mostraram ineficientes, representou pela prisão preventiva, que foi deferida pelo juiz plantonista e cumprida nesta terça-feira.

Desde que a vítima divulgou via rede social o pedido de ajuda, a Polícia Civil e a rede de acolhimento de Várzea Grande se mobilizaram para prestar atendimento à mulher que se apresentava em situação de vulnerabilidade.

Foram fornecidos acompanhamento pela Patrulha Maria da Penha e atendimento psicológico pela Rede Lírios e ela recebeu também acolhimento qualificado na Delegacia da Mulher, resultando na salvaguarda dos direitos fundamentais da vítima.

“Trabalhamos com afinco, em rede, para evitar aumento nos índices de feminicídio, dando atenção individualizada a cada caso que aporta na unidade”, explicou a delegada.

O suspeito será encaminhado a uma unidade prisional de Várzea Grande, onde ficará à disposição da Justiça.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  "Temos seringas suficientes para fazer a vacinação de todo o Estado", tranquiliza secretário de Saúde
publicidade

MATO GROSSO

Ação conjunta resulta em cinco prisões e apreensão de 500 quilos de maconha

Publicado


Na noite desta sexta-feira(15.01), uma ação conjunta de policiais militares de Mato Grosso, de Goiás e agentes da Polícia Rodoviária Federal levou à apreensão de cerca de 500 quilos de maconha, precisamente 499 tabletes, e prisão de cinco suspeitos, sendo duas mulheres (de 19 e 31 anos), e três homens (de 33, 36 e 47 anos).

A droga estava na carroceria de uma caminhonete S10, coberta com lona preta. O veículo havia sido carregado com a droga do município de Camapuã, Mato Grosso do Sul, e teria como destino final a cidade de Rio Branco, capital do Acre.

Essa ação policial começou na BR-364, com uma equipe de policiais do 15º Batalhão da PM de Alto Araguaia, Mato Grosso, a partir de informações levantadas pelo serviço de inteligência sobre dois veículos suspeitos, uma S10 e um Fiat Toro. O segundo veículo, Toro, foi o primeiro a ser visto, em um restaurante na rodovia. Policiais das três instituições já haviam se organizado para a possibilidade de abordagens em diferentes pontos de MT e Goiás.

As prisões acabaram ocorrendo no estacionamento de um hotel a margem da rodovia no município goiano de Santa Rita do Araguaia. O Toro visto antes, depois descoberto como carro de apoio, estava parado próximo da caminhonete carregada com a droga.

Os dois veículos estavam locados em nome da mulher de 31 anos que viajava na caminhonete Toro ao lado do marido, e 36. O outro casal e um terceiro envolvido estavam na caminhonete S10. Os cinco admitiram o tráfico e disseram que receberiam R$ 10 mil dividir entre eles depois de entregar a droga no Acre, mas não revelaram que os contratou para essa missão criminosa.

Leia mais:  Comitês de Bacias Hidrográficas de MT definem datas das reuniões de 2021

Todos suspeitos, os dois veículos e a droga foram entregues pelas equipes da PMMT, PMGO e PRF na Delegacia de Polícia Civil Judiciária da cidade goiana de Mineiros.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Estado vistoria Baía de Chacororé e identifica intervenções para mitigar seca

Publicado


Uma comitiva do Governo de Mato Grosso identificou os pontos que necessitam de intervenção para assegurar o fluxo das águas da Baía de Chacororé, localizada em Barão de Melgaço (113km de Cuiabá). A vistoria foi realizada nesta sexta-feira (15) por representantes das secretarias de Meio Ambiente, Infraestutura e Logística, e da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

A equipe percorreu cada um dos pontos de entrada de água na região de Chacororé e identificou ao menos sete aterros em locais indevidos que interrompem a passagem da água pelos corixos – canais de água que ligam rios à baía. Além da verificação por terra, técnicos da Sinfra utilizaram drones para acompanhar o curso dos rios e captar imagens e interrupções do fluxo da água.

Após a visita, o Estado irá solicitar apoio do Ministério Público para possibilitar ações em áreas particulares, e a responsabilização por irregularidades encontradas.

“O que estiver ao alcance do Estado nós vamos fazer o mais breve possível em uma força tarefa entre diversos órgãos. Vamos solicitar audiência com o MP para elaborarmos uma agenda conjunta de ações, visto que alguns pontos de intervenção estão dentro de propriedades privadas, e precisaríamos de autorização para realizar as ações necessárias”, explica o secretário Executivo da Sema, Alex Marega. 

A seca severa do último ano também é um fator importante para que o nível da água esteja abaixo do esperado, apesar disso, o nível das chuvas já começa a encher a baía. Nesta época, a área alagada deveria ter em média 11 mil hectares, no entanto, é possível ver vegetação onde a paisagem deveria ser um espelho d’água. 

“Quando a gente chega na Baía, percebemos que não é só por causa das irregularidades que o local está nesta situação. A área está com água abaixo da média que costuma ter nas outras épocas do ano. Vemos que a seca deste ano é uma das principais causas”, afirma o secretário executivo. 

Leia mais:  Parque Tecnológico é considerado apoiador de empreendedores pela Associação Brasileira de Startups

O engenheiro e professor aposentado Rubem Mauro conta que conhece o Pantanal há décadas, e viu a biodiversidade do local se alterar, e a situação do esvaziamento da Baía de Chacororé se agravar no último ano. Ele percorreu a localidade representando a Comissão de Meio Ambiente da Assembleia. 

“Estou otimista porque estou vendo uma mobilização de todo o governo, não só da Sinfra, como da Sema. Estava faltando essa visão do que é o Pantanal, e das coisas que precisavam ser feitas”, comentou o professor.

O superintendente de obras da Sinfra, Zenildo de Castro, aponta que a secretaria já está trabalhando desde novembro do ano passado na reconstrução de uma barragem, com pedras e areia, o que deve diminuir a vazão da água e contribuir com a preservação da Baía. 

“O Governo do Estado vai recuperar parte da Baía que sofreu erosão e foi feito um trabalho lá atrás, em 2010, para levantar a barragem com pedra. Começamos no ano passado um trabalho de limpeza da estrada que dá acesso a esse local e queremos dar novamente esse suporte. Vamos fazer também um relatório detalhado com tudo o que vimos in loco para determinar quais outras ações nós vamos executar”, acrescenta o engenheiro.
 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana