conecte-se conosco


MATO GROSSO

Banco Mundial e Conaci colocam a CGE-MT no melhor nível de estrutura dos órgãos de controle do país

Publicado


A Controladoria Geral do Estado de Mato Grosso (CGE-MT) está no melhor nível de estrutura dos órgãos centrais de controle interno do Poder Executivo dos estados e das capitais brasileiras.  O diagnóstico foi realizado pelo Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci) e pelo Banco Mundial. A divulgação do resultado ocorreu neste mês na 34ª Reunião Técnica do Conaci.

Numa escala de cinco níveis, a CGE-MT ficou no melhor deles, o nível A1. No levantamento, realizado com base nos modelos internacionais de controle interno desenvolvidos pelo Comitê das Organizações Patrocinadoras da Comissão Treadway (Coso, na sigla em inglês) e pelo Instituto dos Auditores Internos (The IIA, na sigla em inglês), foram analisados cinco componentes: ambiente de controle; avaliação de riscos; atividades preventivas e detectivas de controle; informação e comunicação; monitoramento.

Para o secretário-controlador geral do Estado, Emerson Hideki Hayashida, o resultado positivo do diagnóstico decorre do processo de aprimoramento da estrutura e da metodologia de trabalho iniciado há pelo menos 10 anos, quando a CGE-MT ainda se chamava Auditoria-Geral do Estado.

“Nosso modelo de atuação já é referência para vários estados. Temos alcançado um bom nível de ações previstas no nosso planejamento estratégico. Crescemos em estrutura de pessoal, estrutura física, estrutura tecnológica e de inteligência da informação. Ampliamos nosso nível de profissionalismo e capacitação dos auditores. São esses elementos que fazem a CGE alcançar o melhor nível de avaliação”, pontuou.

Apesar de comemorar, a Controladoria de Mato Grosso não se acomoda com o resultado positivo, pois sabe que ainda tem muito a avançar na missão de ajudar o estado a entregar serviços de qualidade à população.

“Mesmo com nosso crescimento do ponto de vista técnico, sabemos que a sociedade exige cada vez mais. O foco do nosso trabalho tem como resultado final a melhoria da prestação do serviço público. Continuaremos perseguindo isso, aprimorando a cada dia. Buscando cada vez mais contribuir com o governo e com a melhoria dos serviços públicos por meio do aperfeiçoamento dos sistemas de controles, da ampliação da transparência, do fomento do controle social e do aperfeiçoamento da conduta dos servidores públicos e dos fornecedores”, salientou o titular da CGE-MT.

Leia mais:  Cinco motoristas são presos por embriaguez ao volante em Cuiabá

Componentes

No levantamento realizado pelo Conaci e Banco Mundial, o componente “ambiente de controle” foi medido pelas propostas e atividades adotadas para mudar a cultura organizacional em torno do controle interno, dentre eles cursos e treinamentos na área. Já a “avaliação de risco” foi mensurada por práticas de mapeamento e análise dos riscos que podem afetar o cumprimento das metas e objetivos da organização.

As “atividades de controle” foram analisadas com base no modelo utilizado pela Controladoria Geral da União (CGU), referência central de controle interno no Brasil, na qual a CGE-MT se inspirou na transformação de Auditoria Geral para Controladoria Geral do Estado.  Para tanto, foram mensuradas a existência, a eficiência e a efetividade das atividades coordenadas de Transparência, Ouvidoria, Corregedoria, Auditoria e Prevenção e Combate à Corrupção.

No componente “informação e comunicação”, a informação foi analisada sob o ponto de vista do acesso irrestrito ao conteúdo produzido pelos órgãos controlados. Já a comunicação foi analisada sob o ponto de vista da capacidade de saída dos produtos elaborados pela área de controle interno (relatórios, pareceres, manifestações, orientações técnicas etc) e pela capacidade de dialogar diretamente com o alto escalão das organizações controladas.

O componente “monitoramento” está associado à capacidade e à autonomia do órgão central de controle interno de acompanhar a efetividade dos mecanismos de controle implementados pelos órgãos analisados ou auditados.

Cada componente teve o mesmo peso na avaliação já que todos eles possuem a mesma importância na garantia de uma estrutura de controle ideal.

Questionários e evidências

O levantamento foi realizado a partir de questionários enviados aos estados e capitais. Além de responder às perguntas, os gestores dos órgãos de controle interno apresentaram evidências para as afirmações.

Dessa forma, além de analisar as respostas e as evidências apresentadas pelas instituições centrais de controle interno, os avaliadores do Banco Mundial e do Conaci também utilizaram outras bases de dados para conferir a veracidade das informações.

Leia mais:  Estado garante distribuição de vacinas contra a Covid-19 em tempo recorde aos municípios

No total, 22 estados e mais o Distrito Federal responderam ao questionário. Acre, Maranhão, São Paulo e Sergipe se abstiveram de participar do levantamento. Quanto às capitais brasileiras, 22 das 26 responderam à pesquisa.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Governo de MT lamenta falecimento de conselheiro aposentado do TCE

Publicado


O Governo de Mato Grosso lamenta a morte do conselheiro aposentado do Tribunal de Contas do Estado, Teresino Alves Ferraz.

Teresino faleceu neste sábado (16.01) vítima da Covid-19.

“Sentimos muito pela perda. Que Deus conforte o coração da família e dos amigos neste momento de grande dor”, afirmaram o governador Mauro Mendes e a primeira-dama Virginia Mendes.

Ele atuou como conselheiro de 1978 ao ano 2000.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Cinco motoristas são presos por embriaguez ao volante em Cuiabá
Continue lendo

MATO GROSSO

Sábado (16): Mato Grosso registra 198.444 casos e 4.782 óbitos por Covid-19

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde deste sábado (16.01), 198.444 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 4.782 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 1.050 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 198.444 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 8.404 estão em isolamento domiciliar e 184.244 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 270 internações em UTIs públicas e 303 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 69,05% para UTIs adulto e em 35% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (44.060), Várzea Grande (13.490), Rondonópolis (13.206), Sinop (10.605), Tangará da Serra (8.796), Sorriso (8.745), Lucas do Rio Verde (8.133), Primavera do Leste (6.137), Cáceres (4.611) e Nova Mutum (4.147).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 166.500 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 711 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na última sexta-feira (15.01), o Governo Federal confirmou o total de 8.393.492 casos da Covid-19 no Brasil e 208.246 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 8.324.294 casos da Covid-19 no Brasil e 207.095 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de sábado (16.01).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

Leia mais:  "Temos seringas suficientes para fazer a vacinação de todo o Estado", tranquiliza secretário de Saúde

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana