conecte-se conosco


MATO GROSSO

Profissionais recomendam atenção à fibrose cística desde a triagem neonatal até a idade adulta

Publicado


Nesta terça-feira (17.11), o tema da web aula do Telessaúde Mato Grosso será a abordagem da fibrose cística na rede de Atenção à Saúde. O módulo será transmitido a partir das 14h pelo canal do YouTube do Programa Telessaúde.
 
A aula contará com a participação da coordenadora da Triagem Neonatal da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), a mestre Melissa Cristina Silva, e do médico pneumologista pediátrico, o doutor Arlan de Azevedo Ferreira.

Também chamada de Doença do Beijo Salgado ou Mucoviscidose, a fibrose cística é uma doença genética rara e ainda sem cura, que afeta principalmente os pulmões, pâncreas e o sistema digestivo. Os sintomas são tosse resistente, suor mais salgado que o normal, pneumonia de repetição, diarreia e dificuldade para ganhar peso e estatura.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento integral e gratuito para pacientes nas unidades de saúde da rede pública. No Brasil, a doenças atinge um a cada 10 mil nascidos vivos.

A triagem começa logo nos primeiros dias de vida do bebê, com a realização do teste do pezinho, que pode ser coletado em qualquer unidade básica de saúde dos munícipios. Esse exame faz parte do Programa de Triagem Neonatal do Ministério da Saúde, é obrigatório e gratuito para todos os recém-nascidos brasileiros e deve ser realizado a partir de 48h de vida do bebê.

Outro exame confirmatório dos casos suspeitos é a dosagem de cloretos no suor, conhecido como o “Teste de Suor”. Considerado como exame padrão ouro para o diagnóstico da fibrose cística, o teste é simples, indolor, não invasivo e fundamental para o diagnóstico precoce e seguro da doença. Outros exames genéticos também podem ser realizados para alcançar o diagnóstico da fibrose cística.

Leia mais:  Terça-feira (1°): Mato Grosso registra 159.726 casos e 4.152 óbitos por Covid-19

“Esta doença apresenta um índice de mortalidade elevado, porém, nos últimos anos, com o advento do teste do pezinho, o prognóstico tem melhorado muito e aponta para índices de 75% de sobrevida até o final da adolescência e de 50% até a terceira década de vida. Em Mato Grosso, temos cerca de 60 pessoas com fibrose cística”, informou a coordenadora estadual de triagem neonatal, Melissa Cristina.

Em Mato Grosso, os exames relativos à fibrose cística são realizados no Hospital Universitário Júlio Muller, que dispõe de laboratório e ambulatório referências no diagnóstico e no tratamento da doença. De maneira geral, as principais etapas que envolvem o tratamento da doença são: fisioterapia respiratória, prática de atividades físicas e dieta hipercalórica.

Serviço

A web aula sobre “Fibrose Cística na Rede de Atenção às Doenças Crônicas” será transmitida pelo canal do Telessaúde Mato Grosso no YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=LroW4_Ppbww&feature=youtu.be). A transmissão começará às 14h desta terça-feira (17.11).

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Policiais penais de Mato Grosso integram força-tarefa do Depen em Roraima

Publicado


Cinco policiais penais do Sistema Penitenciário de Mato Grosso integram a Força-tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. Os cinco servidores embarcaram nesta terça-feira (01.12) para Boa Vista (RR), onde atuarão no sistema penitenciário local, que está sob intervenção.

Os policiais penais estão entre os 22 servidores de Mato Grosso que passaram pelo processo seletivo do Depen, ocorrido em 2019, para atuarem na tropa de elite do Sistema Penitenciário Brasileiro. A força-tarefa é composta por policiais penais federais, estaduais e do Distrito Federal.

Entre as atribuições do FTIP estão os serviços de guarda, vigilância e de custódia de presos. Além disso, a Força de Cooperação apoia a execução das assistências previstas no artigo 11 da Lei de Execução Penal: assistência material, à saúde, jurídica, educacional, social e religiosa, garantindo a humanização da pena.

Compõem a nova equipe os policiais Everton Rodrigo Ribeiro, Hosiel Ferreira da Silva, Maycon Carvalho Tinan, Sebastião Ronaldo A. Ferreira e William Patricio Rodrigues.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Aumento na oferta leva a queda nos preços de hortifrúti
Continue lendo

MATO GROSSO

Terça-feira (1°): Mato Grosso registra 159.726 casos e 4.152 óbitos por Covid-19

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta terça-feira (01.12), 159.726 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 4.152 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 744 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 159.726 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 2.698 estão em isolamento domiciliar e 152.392 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 141 internações em UTIs públicas e 131 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 34,99% para UTIs adulto e em 15% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (35.437), Rondonópolis (11.775), Várzea Grande (11.309), Sinop (8.389), Sorriso (6.856), Lucas do Rio Verde (6.249), Tangará da Serra (6.147), Primavera do Leste (5.292), Cáceres (3.615) e Nova Mutum (3.392).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 126.268 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 533 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na última segunda-feira (30.11), o Governo Federal confirmou o total de 6.335.878 casos da Covid-19 no Brasil e 173.120 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 6.314.740 casos da Covid-19 no Brasil e 172.833 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus. 

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de terça-feira (01.12). 

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde. 

Leia mais:  Cidadãos podem fazer a comunicação de venda do veículo em 54 cartórios de MT

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana