conecte-se conosco


MATO GROSSO

Profissionais recomendam atenção à doença desde a triagem neonatal até a idade adulta

Publicado


A doença fibrose cística na rede de atenção às doenças crônicas com abordagem na triagem neonatal até a idade adulta, é o tema da Web aula, dia 17, pelo canal do Youtube, a partir das 14h, realizada pelo programa Telessaúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), com palestras dos profissionais: Melissa Cristina Silva, coordenadora da Triagem Neonatal estadual (SES-MT) e do médico pneumologista pediátrico Arlan de Azevedo Ferreira (UFMT), especialistas na área.

A fibrose cística é uma doença, também conhecida como mucoviscidose, genética, crônica, rara e ainda sem cura e que afeta principalmente os pulmões, pâncreas e o sistema digestivo.

Os sintomas são tosse que não passa, suor mais salgado que o normal, pneumonia de repetição, diarreia e dificuldade para ganhar peso e estatura.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento integral e gratuito para pacientes nas unidades de saúde da rede pública. No Brasil, a doenças atinge um a cada 10 mil nascidos vivos.

De acordo com Melissa Cristina Silva (SES-MT) o diagnóstico da doença pode ser feito pelo teste do pezinho, exame realizado Hospital Universitário Júlio Muller, que dispõe de laboratório e de um ambulatório (SRTN)  referências estadual no diagnóstico e no tratamento da doença.

A triagem da Fibrose Cística começa logo nos primeiros dias de vida do bebê com a realização do Teste do Pezinho. Esse exame faz parte do Programa de Triagem Neonatal do Ministério da Saúde, é obrigatório e gratuito para todos os recém-nascidos brasileiros e deve ser realizado a partir de 48h de vida do bebê.

Outro exame confirmatório dos casos suspeitos é a dosagem de cloretos no suor “Teste de Suor”. Considerado como exame padrão ouro para o diagnóstico da Fibrose Cística, o Teste do Suor é simples, indolor, não invasivo e fundamental para o diagnóstico precoce e seguro da doença, também realizado no Serviço de referência em Triagem Neonatal funciona no Hospital Universitário Júlio Muller.

Leia mais:  Cooperativa de garimpeiros de MT recebe licença de instalação

Além do Teste do Suor, exames genéticos também podem ser realizados para alcançar o diagnóstico da Fibrose Cística.

“Esta doença apresenta um índice de mortalidade elevado, porém, nos últimos anos, com o advento do teste do pezinho o prognóstico tem melhorado muito, mostrando índices de 75% de sobrevida até o final da adolescência e de 50% até a terceira década de vida. No Mato Grosso temos cerca de 60 pessoas com Fibrose Cística”, informou a coordenadora do STN.

Tratamentos

De maneira geral, as principais etapas que envolvem o tratamento para a doença são: fisioterapia respiratória; prática de atividades físicas e dieta hipercalórica.

Serviço

Web aula sobre: Fibrose Cística na Rede de Atenção às Doenças Crônicas; Abordagem da FC na Triagem Neonatal até a Idade Adulta.

Acesso: Canal do Youtube

Dia 17 de novembro

Horário: às 14 horas

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

CGE e Seplag designan comissão para elaborar programa contra o assédio nos órgãos estaduais

Publicado


A Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) e a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) constituíram comissão para elaborar o Programa de Enfrentamento e Prevenção ao Assédio Moral e Sexual no âmbito dos órgãos e das entidades do Governo de Mato Grosso. A comissão foi designada na Portaria Conjunta nº 0012/2020/CGE/Seplag, publicada no Diário Oficial do Estado de segunda-feira (30.11).

A elaboração do programa é necessária porque o assédio moral e sexual é uma das principais infrações funcionais motivadoras da instauração de procedimentos administrativos para apuração de responsabilidade de servidores estaduais. Para se ter uma ideia, existem 49 processos relacionados a assédio moral ou sexual tramitando na CGE, órgão central da atividade de Corregedoria no Poder Executivo Estadual.

Segundo o secretário-controlador geral do Estado, Emerson Hideki Hayashida, mais do que o custo financeiro para instauração e instrução do procedimento disciplinar, este tipo de infração pode causar desordens emocionais e psicológicas não somente ao servidor assediado mas a toda a equipe, o que pode irradiar negativamente na prestação dos serviços à população.

“Por isso, o melhor a ser feito é trabalharmos na prevenção e em soluções pacificadoras para que o assédio não ocorra, não prejudique a qualidade de vida e a organização do trabalho”, destaca o titular da CGE.

A Lei Complementar nº 04 /1990 (Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado de Mato Grosso) estabelece que é proibido “ao servidor assediar sexualmente ou moralmente outro servidor público”.

A comissão designada para elaborar o programa é composta por sete servidores, dos quais quatro são da Seplag e três da CGE. Os trabalhos do grupo deverão ser concluídos em 60 dias.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Delegacia Virtual apresenta novo layout e possibilita registros por smartphones
Continue lendo

MATO GROSSO

Prédios da Seplag e da Escola de Governo passarão por desinfecção nesta quarta-feira (02)

Publicado


Os prédios da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e da Superintendência da Escola de Governo passarão pelo processo de desinfecção na tarde desta quarta-feira (02.12).

O trabalho presencial foi suspenso durante o período vespertino, porém, os servidores continuarão a desempenhar suas funções na modalidade de teletrabalho.

O procedimento visa garantir a manutenção das medidas sanitárias preventivas à disseminação da Covid-19, protegendo os servidores públicos e os demais frequentadores dos locais.

 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Seciteci ofertará sete mil vagas gratuitas para 75 cursos profissionalizantes em 2021
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana