conecte-se conosco


MATO GROSSO

Mais de 58 mil atendimentos são realizados pelo Centro Estadual de Cidadania em 2020

Publicado


De janeiro a outubro deste ano, o Centro Estadual de Cidadania (CEC), localizado dentro do Várzea Grande Shopping, realizou 58.373 mil atendimentos à população. Desde a inauguração em 2018, a unidade é gerenciada pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc-MT) e reúne em um só espaço físico serviços públicos básicos com o objetivo de facilitar o acesso dos cidadãos.

Entre os órgãos que prestam serviços no local estão: Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran); Procon Estadual; Secretaria de Fazenda (Sefaz); Sistema Nacional de Emprego (Sine Municipal e Estadual); Justiça Comunitária e Setasc.

De acordo com o relatório nos meses de março, abril, maio, junho e julho houve uma queda nos atendimentos devido as suspenções decretadas seguindo as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) em decorrência da pandemia. Por este motivo, alguns órgãos reduziram e outros ofertaram os atendimentos presenciais somente por agendamento prévio.

Nos destaques de 2020 os serviços do Detran foram os mais solicitados. Foram prestados 34.912 mil atendimentos entre abertura de processo e protocolo de entrega de CNH, captura de imagem, exame teórico, emissão de taxas, autenticação, dentre outros.

A procura pelos serviços do Sine também teve número expressivo. O órgão prestou 12.461 mil atendimentos como emissão e entrega de carteira de trabalho, intermediação de mão-de-obra, habilitação de seguro desemprego e captação de vagas de emprego.

Já o Procon prestou 2.776 serviços como de abertura de processo de reclamação e orientações, seguido da Sefaz com 2.516 atendimentos entre informações tributárias e emissão de notas e ações de cidadania com 125 atendimentos.

A secretária adjunta de Cidadania e Inclusão Socioprodutiva da Setasc, Rosineide Porcionato, explica que a retorno das atividades ofertadas no local obedece às orientações da área de saúde.

Leia mais:  Censo previdenciário pode ser feito on-line por quem não mora nas cidades polo

“Retomamos os atendimentos seguindo o protocolo para contenção da pandemia como a disponibilidade de álcool em gel e aferição de temperatura. Continuamos com o nosso objetivo que é sempre garantir a proteção dos nossos colaboradores e usuários e prestar um bom atendimento”, finalizou.

O atendimento ao público no CEC é das 10h às 18h de segunda-feira a sexta-feira conforme Portaria nº 160/2016/SETAS. Contato: (65) 3694-0503.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Aumento na oferta leva a queda nos preços de hortifrúti

Publicado


Os preços das principais hortaliças comercializadas no atacado em Cuiabá e Várzea Grande apresentaram queda brusca nesse início de dezembro, em relação à semana anterior. É o que aponta o levantamento realizado pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), divulgado nesta terça-feira (01.12). De acordo com o comparativo de hoje com a da semana anterior, a redução nos preços das principais frutas, verduras e legumes comercializados na Central de Abastecimento de Cuiabá foi percebida em 22 dos 66 itens pesquisados.

Entre os produtos que tiveram os preços reduzidos vertiginosamente estão o tomate, a berinjela, o jiló, o chuchu e a pimenta-de-cheiro. Nesse último item o índice de queda chegou a 83% em apenas sete dias. De R$ 120, a caixa com 8kg do tempero de refogados está sendo vendida a R$ 20.

Já a berinjela que hoje custa R$ 15 a caixa com 12kg, na semana passada era vendida a R$ 35. Queda de 57% no valor de comercialização do fruto. De R$ 100 a caixa com 15kg do jiló caiu para R$ 50, representando uma redução de 50% no valor, e o chuchu teve redução de 42% no preço, passando de R$ 60 para R$ 35 a caixa com 21kg.

De acordo com técnica da Seaf, Doraci Maria Siqueira, a oferta elevada desses produtos no atacado é a causa para a redução nos preços. “A pimenta-de-cheiro por exemplo está em grande quantidade no comércio e por ser um produto com prazo de consumo curto, os comerciantes tratam de abaixar o preço significativamente para não correr o risco de perder o produto por descarte”, comenta a técnica da Seaf.

O único item que subiu de preço foi a mandioca, que de R$ 120 subiu para R$ 150. Nos últimos meses a raiz, tradicionalmente cultivada na agricultura familiar, está em escassez em Mato Grosso. A seca prolongada, a incidência de pragas e a pandemia provocaram a queda na produção da mandioca no Estado e, consequentemente, causaram a elevação do preço da raiz. Com a falta para abastecer o mercado interno, o comércio está tendo de importar mandioca de outros estados. “A grande maioria da mandioca que hoje é consumida em Mato Grosso tem vindo do Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás”, acrescenta Doraci Maria de Siqueira.

Leia mais:  Cerca de 50% dos servidores ainda não se recadastraram

Cotação

A cotação de preços dos principais produtos da agricultura familiar é realizada semanalmente, toda terça-feira, a partir 5h, por técnicos da Seaf, Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e Prefeitura de Cuiabá. A pesquisa de preço é realizada na Central de Abastecimento de Cuiabá, levando em conta o preço mínimo, mais comum e o preço máximo dos produtos encontrados nas barracas em três horários distintos durante o período matutino.

Além disso, o índice de preço médio dos 66 principais produtos da agricultura familiar em 21 estados brasileiros podem ser conferidos no site http://www.prohort.conab.gov.br/

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Mato Grosso registra redução de 37% nos crimes de roubo seguido de morte

Publicado


Mato Grosso registrou reduções nos principais índices criminais no período de janeiro a outubro deste ano. O levantamento é da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), por meio da Superintendência do Observatório de Segurança, vinculada à Adjunta de Inteligência. As maiores reduções foram nos crimes de roubo seguido de morte (-37%); roubo, quando há violência ou ameaça (-31%); e furto (-30%).

O levantamento leva em conta os registros de Boletim de Ocorrências (BO) registrados nos 141 municípios do estado e é medido em relação aos primeiros 10 meses de 2020, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Neste ano, foram registrados 24 casos de roubo seguido de morte (latrocínio). Já em 2019 foram 38 ocorrências. Também em 2020, houve 8.273 queixas de roubos, contra 11.932 em 2019. Os furtos em 2020 foram 26.092, enquanto no mesmo período de 2019 ocorreram 37.504.

“Estes resultados refletem o bom trabalho dos policiais, investimento, e são reflexos também da organização da sociedade, das operações que nós fizemos e ainda têm resquícios da operação dentro da Penitenciária Central do Estado (PCE). Recentemente, tivemos a inauguração de um raio na unidade, onde nós colocamos as principais lideranças das organizações criminosas e a ideia é continuar nessa mesma linha, construindo novos raios para poder realmente separar os presos condenados dos presos provisórios, presos de alta periculosidade dos de baixa periculosidade”, avalia o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Já no caso de homicídio doloso, a queda foi de 0,9%. Este ano morreram 685 pessoas em Mato Grosso, contra 691 no mesmo período de 2019. “Estas ações também provocaram a diminuição do homicídio doloso, mas nossa meta é reduzir ainda mais. Agora, quando se percebe os outros delitos, o roubo seguido de morte, o roubo, as reduções alcançam mais de 30%, e isso é muito bom, muito significativo. É atividade de inteligência ajudando na parte operacional. Nós melhoramos a qualidade das viaturas e isso já deu um impacto muito bom”, destaca Bustamante.

Leia mais:  Censo previdenciário pode ser feito on-line por quem não mora nas cidades polo

Ainda segundo o gestor, a meta é que no próximo ano as ações sejam ampliadas, porque o Governo de Mato Grosso vai investir ainda mais na segurança pública. “A gente espera que no ano de 2021 os números continuem em redução”.

Mais reduções

O total de veículos roubados e furtados no estado também reduziu. Foram 1.581 roubos em 2019 e 1.129 ocorrências em 2020, o que equivale a uma redução de 29%. Já os furtos de veículos saíram de 1.963 registros para 1.555, ou seja, -21%.

Quanto ao tráfico e uso de drogas, a redução foi de 14%, passando de 5.564 ocorrências no ano passado para 4.793 em 2020.

Compõem as forças de segurança a Polícia Militar (PM), Polícia Judiciária Civil (PJC), Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Perícia Técnica e Identificação Oficial (Politec), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Sistema Penitenciário e Sistema Socioeducativo.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana