conecte-se conosco


POLÍTICA MT

Escola Renilda Moraes, em Rondonópolis, receberá climatizadores de ar

Publicado


Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

A Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc) atendeu a indicação de n.º 206/2019 do deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) que solicitou a aquisição de ares-condicionados para a Escola Estadual Professora Renilda Silva Moraes, em Rondonópolis (MT). A unidade de ensino atende 188 alunos distribuídos em 34 turmas de ensino fundamental do 1° ao 9° ano.

“Mato Grosso é uma região muito quente. É insustentável ficar em um ambiente que gere desconforto térmico para os educadores e alunos. Além de não fazer bem para a saúde, obviamente interfere no aprendizado e concentração dos educandos. Fiquei satisfeito de saber que a Secretaria de Educação já está em movimento quanto a este benefício que vai abranger toda a classe educacional desta unidade”, afirma o parlamentar.

Segundo a diretora Maria José Vilela, um dos problemas que afetavam a unidade de ensino era a falta de climatizadores devido à necessidade da troca de transformadores de energia de 75 kVA para 150 kVA. “Agora, a Seduc fez a troca e já instalou o quadro geral. A escola está apta para receber os aparelhos de ares-condicionados”, comenta. 

Recentemente, ela entrou em contato com o superintendente de Infraestrutura Escolar da Seduc, Fernando Wieczoreck de David, que informou que serão 34 equipamentos e já estão providenciando, mas não estabeleceram o prazo para a entrega dos aparelhos. 

Vilela conta que no ano de 2016 foi feita a rede independente na escola, mas o transformador de 75 kVA era insuficiente para manter os aparelhos elétricos ligados. “Ano passado, conseguimos um recurso emergencial da Seduc para trocar o posto de transformação, agora a empresa já fez a instalação do quadro geral, só falta os aparelhos. Cada sala de aula terá dois pontos”, comenta a diretora.

Leia mais:  Canarana recebe verba para apoio aos povos indígenas do Xingu

Ter um ar condicionado não é luxo e, sim, uma necessidade, explica Maria José, que falou que recebeu denúncias de pais contra a escola pela ouvidoria da Seduc. “Ainda bem que, este ano, as crianças ficaram em casa, porque seria impossível ter aula com este clima. As salas são muito quentes no período da tarde, atinge diretamente a parede, fica um ambiente insuportável para os alunos. Elas ficam agitadas, não concentram. É ruim, tanto para o profissional como para as crianças”, acrescenta. 

Aulas – Devido à pandemia da Covid-19, a rede de ensino pública teve que suspender as aulas presenciais desde março deste ano. A Seduc já comunicou que prepara o início das aulas para o mês de fevereiro do próximo ano, com a presença dos alunos em salas de aula, seguindo todas as recomendações com os devidos cuidados para evitar a disseminação da doença. 

 

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA MT

ALMT mantém reuniões e sessões remotas e funcionamento em horário especial

Publicado


Nova instrução segue orientação de equipes técnicas e de estudo da Comissão de Saúde

Foto: Fablício Rodrigues / Secretaria de Comunicação Social

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) prorrogou o horário especial e temporário de funcionamento em expediente ininterrupto das 7h às 13h, de 30 de novembro até 18 de dezembro. As reuniões e sessões plenárias serão realizadas de forma remota e serão transmitidas pela TV Assembleia e por meio de plataformas digitais. A nova Instrução Normativa 067/SPMD/MD/2020 segue orientação das equipes técnicas e de estudo apresentado pela Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social.

O atendimento presencial do público externo no Espaço Cidadania, no posto de atendimento do Procon, na Defensoria Pública e no Instituto Memória do Poder Legislativo continuam suspensos até o dia 18 de dezembro, assim como as atividades realizadas no Teatro Zulmira Canavarros, pela Assembleia Social, na Escola do Legislativo, bem como as visitas guiadas na Assembleia Legislativa.

Para evitar a propagação interna da Covid-19, serão intensificadas a limpeza e a desinfecção de superfícies nas dependências da ALMT, especialmente banheiros, elevadores, corrimãos e maçanetas. Também serão adotadas providências para promover a renovação da circulação de ar nas dependências da Casa, com a abertura periódica de janelas em locais com uso de ar condicionado.

Com relação aos servidores que precisam passar por perícia médica, a Supervisão de Qualidade de Vida dará continuidade aos atendimentos e à realização de teste em caso de suspeita de Covid-19.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Leia mais:  Canarana recebe verba para apoio aos povos indígenas do Xingu
Continue lendo

POLÍTICA MT

Projeto propõe acompanhamento integral para estudantes com TDAH, TDA e TPAC

Publicado


PL do deputado João Batista propõe acompanhamento integral para estudantes

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O deputado estadual João Batista do Sindspen (Pros), durante a sessão plenária da última quarta-feira (25), apresentou o Projeto de Lei n° 982/2020, que altera dispositivos da Lei nº 10.800, de 09 de janeiro de 2019, que dispõe sobre o acompanhamento integral para educandos com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) e com Transtorno do Déficit de Atenção sem Hiperatividade (TDA), adicionando o Transtorno do Processamento Auditivo Central (TPAC).

“Este Transtorno do Processamento Auditivo Central é caracterizado por afetar as vias centrais da audição, prejudicando desde a detecção à interpretação das informações sonoras. Assim, a pessoa ouvirá claramente a fala humana, mas terá dificuldades em interpretar a mensagem recebida, por isso a necessidade de uma atenção especial para crianças diagnosticadas com este transtorno”, explicou o parlamentar.

Em parte da sua justificativa, João Batista explica que o TPAC “ainda é pouco conhecido por profissionais que atuam em escolas e até mesmo pelos próprios pais, o que acaba afetando o aprendizado e prejudicando a criança no seu desenvolvimento escolar e social”.

O transtorno costuma produzir dificuldades diárias no processo de comunicação oral, na leitura e escrita, incluindo o desempenho escolar e a compreensão da linguagem. Além dos prejuízos acadêmicos, é comum que esses indivíduos tenham algum tipo de dificuldade de adaptação social.

As causas do TPAC podem ser variadas e muitas vezes desconhecidas, contudo, as mais comuns são de origem genética, otites de repetição, lesões cerebrais por anóxia ou traumatismo craniano, presença de outros distúrbios neurológicos, atraso maturacional das vias auditivas do Sistema Nervoso Central ou por envelhecimento natural do cérebro. Por isso, a maior parte dos diagnósticos é feita em crianças e idosos.

Leia mais:  Avallone homenageia Fiemt e defende fortalecimento da indústria em MT

Os principais sintomas que podem ser percebidos na criança com TPAC são:

• Dificuldade de memorização em atividades diárias;

• Dificuldades acadêmicas para ler e escrever;

• Fadiga atencional em aulas ou palestras;

• Troca de letras na fala ou escrita;

• Demora em compreender o que foi dito;

• Dificuldades em compreender informações em ambientes ruidosos;

• Desatenção e distração;

• Solicita repetição constante da informação;

• Agitação;

• Dificuldade para entender conceitos abstratos ou duplo sentido;

• Dificuldade para executar tarefas que lhe foram solicitadas.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana