conecte-se conosco


MATO GROSSO

Professor de educação física enfrenta o desafio de trabalhar de forma remota com seus alunos

Publicado


Lecionando educação física há mais de 30 anos e com vasta experiência em esportes coletivos, o professor Marco Antônio Mazza enfrenta o desafio de trabalhar de forma remota com seus alunos. Prestes a se aposentar, o professor admite que é preciso se reinventar para lecionar em 2020, dominando a tecnologia e novas metodologias, além de motivar os jovens.

Trabalhando há 24 anos na Escola Estadual José Salmen Hanze, localizada no município de Rondonópolis (a 212 quilômetros ao sul de Cuiabá), o professor dava suas aulas todos os sábados de manhã com treinamentos de vôlei (masculino e feminino) e futsal (masculino). Os resultados foram os melhores possíveis.

Sagrou-se vencedor, por nove anos consecutivos (2010-2018), dos Jogos Municipais de Rondonópolis na categoria B (12 a 14 anos) de vôlei feminino, por quatro anos conquistou o título de voleibol masculino, além de um vice-campeonato no futsal masculino.

“Estou começando a ter entendimento de todas estas novidades tecnológicas. Na educação física, trabalhamos com o desenvolvimento motor e cultura corporal, é difícil pensar nas aulas de forma virtual. Mas se conciliarmos, tenho certeza que os alunos só teriam a ganhar porque muitos assuntos que trabalhamos a parte teóricas com os vídeos, vem auxiliar os alunos a terem um melhor entendimento”, assegura.

Plataformas e aplicativos

Na escola, além da plataforma Microsoft Teams, o professor trabalha também com grupos de WhatsApp e, com isso, garante trabalhar de forma remota. Os alunos que não têm acesso à internet recebem material apostilado.

Mesmo com a aposentaria próxima, Marco Antônio se sente honrado em estar servindo a rede estadual de ensino como professor da educação básica e, com isso, poder contribuir com a formação intelectual de tantos estudantes.

Leia mais:  Painel de vagas do Sine MT oferta mais 1,7 mil oportunidades nesta semana

O professor relembra a sua trajetória de levar o esporte até os alunos, num período em que poucas escolas tinham quadras poliesportivas como dispõem hoje. “No início de minha carreira, usava quadra comunitária e a comunidade também participava”.

Na EE José Salmen, Marco Antônio levou seus alunos para jogos regionais e estaduais. Com isso, os alunos tiveram a oportunidade de jogar e assistir aos jogos de outras equipes e interagir com alunos de outros municípios.  No entendimento do educador, foi uma oportunidade única na vida destes estudantes como atletas e que será uma boa recordação para o resto de suas vidas.

“Estou próximo da aposentadoria, mas posso dizer que dentro da minha área de Educação Física, sou uma pessoa realizada. Não vejo a hora que tudo isto acabe pois estamos todos com saudade do calor humano dos colegas de trabalho e dos alunos”, salienta.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

MTI lança podcast para falar de cultura da informação, tecnologia e inovação

Publicado


A Empresa Mato-grossenses de Tecnologia da Informação (MTI) lança o podcast MTI TIC Talk para falar de cultura da informação, tecnologia e inovação, nesta terça-feira (27.10). O primeiro episódio do programa debate sobre a GPT-3, uma inteligência artificial generalista que vem causando polêmica no meio tecnológico.

“GPT-3: O Exterminador de Futuro!?” É com essa provocação que a MTI abre o primeiro episódio do programa que pretende debater o uso de novas tecnologias e seus desdobramentos éticos e filosóficos.

“A utilização da Inteligência artificial está se tornando cada vez mais comum no nosso dia a dia. A GPT3 levantou debates nos fóruns e comunidades de tecnologia nos últimos tempos, devido à extensa base de conteúdo utilizada para seu treinamento trazendo uma verossimilhança com a realidade nunca vista antes”, afirma um dos participantes do programa e analista da MTI, Guilherme Campos.

Traduzido do inglês- Generative Pre-training Transformer 3 (GPT3) é um modelo de linguagem autoregressivo que usa aprendizado profundo (deep learning) para produzir texto semelhante ao humano. Desenvolvido pela OpenAI baseado em machine learning (aprendizado de máquinas), possui a capacidade de escrever diversos tipos de gêneros textuais com grande verossimilhança a qualquer trabalho executado por um humano, inclusive, linguagem de programação.

Contudo, essas possibilidades também levantaram uma série de questionamentos e preocupações. Por conta de um imenso banco de dados, com todo tipo de conteúdo, o GPT-3 também pode reproduzir conteúdos de ódio, como xenofobia, racismo e machismo. “Algumas experiências mostraram o quão problemático o GPT3 pode ser e nós enquanto programadores precisamos estar atentos a seus possíveis desdobramentos”, afirmou uma das apresentadoras do programa, a analista da MTI, Sayuri Arake Joazeiro.

MTI TIC TALK

A ideia da criação de um podcast para poder abordar novas tecnologias e os seus impactos surgiu dos próprios colaborares da empresa. O MTI TIC Talk é uma das mais de 50 ideias inovadoras analisadas pela Unidade de Gestão Estratégica de Inovação da MTI no último ano.

Leia mais:  Seplag promove ações de cuidado à saúde física e mental dos servidores durante a pandemia

O nome surgiu da junção das siglas TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) e Talk (falar, traduzido do inglês). O programa terá periodicidade mensal. “Todo mês pretendemos convidar parceiros, colegas e colaboradores da MTI para debater sobre aquilo que a gente mais gosta, tecnologia”, afirmou Patrícia Ladislau, analista da MTI e uma das criadoras, do podcast.

Para ouvir o programa você pode acessar o anchor.fm/mtitictalk  ou acessar as principais plataformas de streaming de áudio.

O primeiro episódio do MTI TIC Talk contou com a participação do secretário adjunto da Seplag, Sandro Brandão, e dos analistas de TI, Guilherme Campos e Kivson Andrade. O programa contou com a mediação das analistas Sayuri Arake e Patrícia Landislau.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Governo abre licitação para recuperar Trincheira Jurumirim em Cuiabá

Publicado


O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), abriu processo licitatório para a contratação de empresa de engenharia para a restauração do pavimento e recuperação da estrutura de concreto da Trincheira Jurumirim, localizada na Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá.

A construção da Trincheira Jurumirim, idealizada para Copa do Mundo de 2014, foi entregue e liberada para o tráfego naquele ano, apesar de a obra não estar totalmente concluída, com 97,8% dos serviços executados. Na época, faltavam serviços complementares de paisagismo, mas o contrato foi encerrado em razão de embaraços jurídicos e administrativos.

No entanto, foram diagnosticadas falhas no pavimento posteriormente à entrega da obra e a Sinfra teve que fazer um levantamento técnico dos problemas existentes ao longo da estrutura, de acordo com o secretário-adjunto de Obras Especiais da Sinfra, Isaac Nascimento Filho.

Com esse diagnóstico de engenharia pronto, a obra está sendo retomada para conclusão e entrega em definitivo ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).   O valor do orçamento estimado para a execução das melhorias em 1,32 quilômetro de extensão da trincheira, entre os bairros Jardim Leblon e Bosque da Saúde, é de R$ 14,2 milhões.

“As correções tratarão não só as patologias no pavimento ao longo de toda a trincheira, mas também as infiltrações e problemas com as juntas de dilatação na parte superior, ou seja, nas pistas marginais também. Assim que fizermos essas correções poderemos entregar a obra 100% para o DNIT”, esclareceu.

O secretário explicou ainda que todos os investimentos com as melhorias na trincheira serão custeados, neste primeiro momento, pelo Estado, para finalizar o quanto antes essa obra. Porém, o Estado vai buscar ressarcimento junto à construtora responsável, em razão de as melhorias serem necessárias devido à má execução do projeto.

Leia mais:  Painel de vagas do Sine MT oferta mais 1,7 mil oportunidades nesta semana

Licitação

Conforme o edital de licitação, o processo será na modalidade concorrência pública, do tipo menor preço. A sessão pública de abertura das propostas será realizada no dia 1º de dezembro, às 9h, na sala de reuniões da própria Sinfra. A licitação também é transmitida em tempo real pelo canal do Youtube da Sinfra.

Tanto o projeto executivo, quanto demais documentações complementares, assim como o edital, encontram-se disponíveis no site da Sinfra para consulta. Eventuais esclarecimentos de dúvidas quanto ao edital poderão ser solicitados, preferencialmente, via e-mail [email protected], até cinco dias anteriores à sessão pública.

Outras melhorias

Além da trincheira Jurumirim, o Governo do Estado vai recuperar mais uma obra idealizada para a Copa do Mundo de 2014: a trincheira do Complexo Viário do Tijucal, em Cuiabá. Serão realizados serviços de restauração, com reparos pontuais no pavimento e a substituição de drenos das cortinas que apresentem algum tipo de comprometimento em sua eficiência.

Os serviços serão executados em um prazo de até 30 dias e todo o projeto de restauração será executado como parte do contrato firmado em 2012, na ordem de R$ 32 milhões. Desse modo, o Estado não terá custos adicionais com a execução das melhorias de infraestrutura.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana