conecte-se conosco


MATO GROSSO

Aulas presenciais somente retornarão se houver condições sanitárias declaradas pelas autoridades de saúde

Publicado


As aulas presenciais na rede estadual de ensino somente retornarão a partir do momento em que as autoridades estaduais de saúde declararem haver condições sanitárias. A decisão consta no Plano Pedagógico Estratégico de volta às aulas formulado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e aprovado pelo Governo do Estado.

O decreto Nº 662, de 06 de outubro de 2020, que aprova o plano, foi publicado na quarta-feira (07.10) no Diário Oficial do Estado.

O Plano Estratégico de Volta às Aulas está sendo implementado em duas etapas. A primeira já iniciou em 3 de agosto, com atividades não presenciais. A segunda etapa prevê aulas presenciais somente a partir do momento que houver condições sanitárias.

Conforme o decreto, todas as ações devem observar rigorosamente as orientações das autoridades de saúde para redução dos riscos de contágio em face da pandemia de Covid-19, devendo a Seduc emitir, de forma conjunta com a Secretaria de Estado de Saúde, protocolos específicos para atividades escolares.

Conforme a secretária de Estado de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, as duas secretarias já construíram uma nota técnica, em conjunto, com os protocolos de segurança. O documento já foi encaminhado às unidades escolares, assessorias pedagógicas e Centros de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação (Cefapros).

“A nota técnica trata de todas as etapas do retorno presencial, como, por exemplo, como será o recebimento do estudante na escola, como será o fluxo dentro da escola, a necessidade do distanciamento, o uso de máscaras e demais equipamentos de proteção individual, rotinas de limpeza, entre outras ações que são importantes para garantir a segurança dos alunos e profissionais da educação”, explica a secretária.

A partir desse protocolo, a Seduc montará uma cartilha para instruir as unidades escolares a se prepararem para o momento de retorno.

Leia mais:  MTI lança podcast para falar de cultura da informação, tecnologia e inovação

Outra ação da Seduc, que está em andamento, é a realização de uma pesquisa com os pais de alunos da rede estadual de ensino para saber a opinião deles sobre a possibilidade de retorno das aulas presenciais. A pesquisa, que termina nesta sexta-feira (09.10), é realizada online e está disponível no site da Seduc. Os dados vão orientar a Seduc na tomada de decisão quanto ao eventual retorno das aulas presenciais.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Mato Grosso realiza transplante de rim com medidas preventivas à Covid-19

Publicado


A Central Estadual de Transplantes (CET) da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) mediou um transplante de rim no último sábado (23). A cirurgia foi realizada no Hospital o Santa Rosa, em Cuiabá, que é a unidade credenciada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para esse tipo de procedimento em Mato Grosso.

O órgão foi ofertado via Central Nacional de Transplantes (CNT), sendo que o rim foi disponibilizado de outro estado. Por meio do procedimento, um paciente de Barra do Garças recebeu a doação do órgão após um ano e meio na fila nacional de transplante.

“Em janeiro, o Governo teve a felicidade de anunciar a retomada do transplante de rim pelo SUS em Mato Grosso, após cerca de dez anos paralisado. Agora, este procedimento marca a retomada do serviço, que foi prejudicado pela alta nos casos da Covid-19 no Brasil. As equipes do Estado não mediram esforços para que esse procedimento fosse realizado”, disse o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo.

O paciente transplantado, Gerson Roberto da Silva, conviveu por oito anos com os sintomas, que o obrigaram a parar de trabalhar para tratar da saúde. “Eu pesava 90 kg antes da doença nos rins. Quando os sintomas surgiram, cheguei a pesar 35 kg e passei a fazer hemodiálise. Recebi um milagre muito grande com o tratamento e agora com o transplante”.

De acordo com a equipe médica, o procedimento de transplante durou cerca de cinco horas e o paciente segue em recuperação e adaptação. “Que Deus dê um lugar bom no céu para a pessoa que fez a doação do rim, que sei que uma parte dessa pessoa vai continuar vivendo aqui dentro de mim. Eu agradeço por esse momento, que é gratificante para mim e para toda a equipe de profissionais que me atendeu”, declarou Gerson.

Leia mais:  MTI lança podcast para falar de cultura da informação, tecnologia e inovação

O receptor do rim passou por uma série de exames, dentre eles o PCR, para a possível detecção da Covid-19. A medida é necessária como forma de monitorar a saúde do paciente que será transplantado.

A secretária adjunta de Regulação da SES, Fabiana Bardi, reforçou que o transplante marca a retomada do serviço no Estado após o pico da pandemia. “Em ocasiões anteriores foram iniciadas algumas tentativas, que não se concretizaram por razões de ordem clínica seja do receptor ou do próprio doador. Neste fim de semana se concretizou na íntegra um procedimento, um grande anseio de toda a equipe para efetivar o fluxo. Inclusive já estamos sinalizando novos transplantes”, avaliou a gestora.  

Segundo Bardi, outro fator que contribuiu para a efetivação do fluxo de transplantes foi a otimização da resposta do trabalho do Laboratório Central do Estado (Lacen-MT), que passou a realizar o exame de detecção em apenas duas horas, o que é uma condição para a realização do transplante. Essa medida contribuiu para dar mais segurança para toda a equipe, para o paciente, seus familiares e para os familiares do doador.

A equipe que realizou o transplante foi composta pelo cirurgião Carlos Eduardo Bouret, pelos médicos auxiliares Pedro Ernesto Pulcherio e Valter Torezan, pelo instrumentador Luiz Carlos da Silva, pelos circulantes da sala Eulinete Sena e Márcio Benedito Moraes, pela enfermeira Melissa Cristina Lopes e pela anestesista Alexandra do Nascimento Gonzaga.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Governo aguarda apoio para interdição da trincheira do Tijucal

Publicado


A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) solicitou apoio da Secretaria de Mobilidade Urbana de Cuiabá (Semob), para a realização do bloqueio do trânsito na parte interna da trincheira do Complexo Viário do Tijucal, e assim, dar início aos serviços de restauração do asfalto e outras melhorias de infraestrutura.

A previsão era de que a Sinfra iniciasse os serviços na última segunda-feira (26.10). Porém, para garantir a segurança da equipe de engenharia no local, dos motoristas e usuários que trafegam pela via, a Sinfra solicitou o apoio dos agentes de fiscalização de trânsito do Município, o que ainda não ocorreu.

De acordo com o secretário adjunto de Obras Especiais da Sinfra, Isaac Nascimento Filho, foi protocolado na Semob o pedido de apoio dos agentes em relação às atividades de orientação do trânsito no Complexo, a fim de permitir a fluidez do tráfego de veículos pelas alças laterais da trincheira e pelo viaduto do Complexo Viário, que não serão afetadas pelas obras.

Serão realizados os serviços somente na parte interna da trincheira

Agora a Sinfra aguarda um posicionamento e a interdição da via para dar início aos trabalhos. Serão realizados reparos pontuais no pavimento, bem como a substituição de drenos das cortinas que apresentem algum tipo de comprometimento em sua eficiência. Assim que iniciados, os serviços serão executados em até 30 dias.

“Essa é uma obra da Copa do Mundo que foi liberada para o tráfego de veículos em 2017 apesar de não ter sida concluída em definitivo. Não se trata de obra nova, que precise obter novas autorizações para sua execução. O que fizemos foi um grande esforço para identificar as causas de patologias relativas à umidade excessiva do solo e as soluções de engenharia aplicáveis. Com esse diagnóstico, o Estado e a contratada entrou em acordo e celebramos novo aditivo de prazo ao contrato para que seja possível executar esse projeto de restauração”, disse o adjunto.

Leia mais:  Webinar da Sema debate políticas públicas de educação ambiental nos municípios

A trincheira do Complexo Viário do Tijucal possui 740 metros de extensão e interliga a BR-364 até a Avenida Archimedes Pereira Lima, na Capital. O valor a ser investido para a execução da recuperação faz parte do contrato firmado em 2012 para obras na trincheira, na ordem de R$ 32,9 milhões. Desse modo, o  Estado não terá custos adicionais com a execução das melhorias de infraestrutura.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana