conecte-se conosco


MATO GROSSO

Sinfra fecha ano com 140 ações entre obras e serviços em todas as regiões de MT

Publicado

Nos últimos 11 meses, o Governo do Estado de Mato Grosso enfrentou uma das piores crises financeiras da história, inclusive com decretação de situação de calamidade. Mesmo diante do cenário crítico, a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) encerra 2019 com balanço positivo. De janeiro a novembro, já são cerca de 140 ações, entre obras e serviços, sendo tocadas com investimentos de 460 milhões, oriundos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) Commodities e recursos de programas de financiamento.

O montante de ações executadas pela pasta engloba obras rodoviárias (estradas e pontes), pavimentação urbana, além de convênios firmados com prefeituras, associações e consórcios para construção e reforma de pontes, manutenção de estradas pavimentadas e não pavimentadas e construção de estradas novas.

 Somente na área de obras rodoviárias, carro-chefe da pasta, as obras executadas durante o ano somam 103, sendo que 37 delas já estão concluídas. São contratos de pavimentação e restauração/revitalização de rodovias, além de pontes, totalizando mais de 1.200 quilômetros atendidos.

Do montante de mais de 100 obras rodoviárias, ao menos 70% integram o pacote de 114 ordens de serviço autorizadas pelo governador Mauro Mendes no mês de março, visando a retomada de obras e o andamento de contratos. Também entram nessa lista a renovação de 10 contratos para manutenção de rodovias já pavimentadas.

O resultado, segundo o secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, é fruto de uma gestão focada, no planejamento, na transparência e no controle dos gastos públicos. Em menos de 12 meses, prossegue o titular da pasta, foi possível retomar obras rodoviárias que se arrastam há mais de oito anos oriundas de programas de financiamento e selar convênios com prefeituras, associações e consórcios, levando melhorias de infraestrutura a todas as regiões do Estado.

Ainda, conforme Marcelo de Oliveira, o ano foi de muito trabalho, primeiramente, devido também à fusão da Sinfra com a Secretaria de Estado das Cidades (Secid) e à herança do passivo das obras da Copa do Mundo.

Leia mais:  Palestra sobre Combate ao Tráfico de Animais Silvestres via aeroporto é apresentada no Marechal Rondon

“Mas também foi um ano de muita coragem por parte do governador Mauro Mendes, que propôs leis aprovadas pelos deputados estaduais e que nos deram condições de trabalho ao longo de 2019, entre elas o novo Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab). Quero inclusive agradecer aos nossos parlamentares o apoio dado logo no início da gestão”, destacou.

Asfalto

O titular da Infraestrutura acrescentou ainda que boa parte do esforço da equipe da Sinfra na área de obras rodoviárias esteve concentrado em destravar os programas de financiamento que foram herdados das duas gestões anteriores do Governo do Estado.  

Entre os programas abrangidos estão o MT Integrado, criado para interligar as cidades mato-grossenses por meio de rodovias asfaltadas; o Prodestur, que tem como alvo a realização de investimentos de infraestrutura nas regiões que formam o chamado “Corredor Turístico”; o Pró-concreto, destinado à construção de pontes de concreto no Estado; e o Restaura – voltado à restauração de rodovias.

“Essa não é uma herança que credito como salutar. Estamos empregando os recursos do Fethab em reajustamentos e aditivos, pois tratam-se de projetos antigos e de obras que foram licitadas 2011 e 2012 e que estamos pagando hoje. Isso gerou um desgaste muito grande, mas estamos vencendo”, explicou ele.

Incluindo os quatro programas, entre obras concluídas, em andamento e a licitar são 58 referentes a pontes, 32, de pavimentação e 12, de restauração.  A previsão da pasta é que os programas Pró-Restaura e o Pró-Concreto sejam concluídos no próximo ano. Somente o MT Integrado ficará para finalização em 2021.

De acordo com informações da Sinfra, Mato Grosso possui hoje 25,229 mil quilômetros de rodovias não-pavimentadas, 7.203 mil quilômetros de rodovias pavimentadas e que precisam de manutenção regular, além de 2 mil pontes de madeira para serem substituídas por pontes de concreto. A atuação da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística consiste no desafio de amenizar esse panorama.

Leia mais:  Empaer testa capim kurumi como alternativa para produtores de leite

“Estamos trabalhando para isso e os resultados começam a aparecer. Nas áreas de pavimentação e restauração de vias, entre obras concluídas e em andamento, nós temos mais de 1.100 quilômetros com ações da Sinfra. Isso é um feito inédito”, pontuou.

Os trabalhos em rodovias pavimentadas abrangem 550 quilômetros, considerando obras executadas e em execução. Os outros 550 quilômetros são referentes a restauração de estradas, incluindo serviços em andamento e finalizados.

“Temos ainda 49 obras de pontes, sendo 25 entregues e 23 em execução. Também estamos atuando em rodovias não pavimentadas, com mais de oito mil quilômetros de manutenção nas nove regiões que dividimos o Estado”, descreveu o titular da Sinfra.

Convênios

Paralelamente aos trabalhos para conclusão dos programas de financiamento, o Governo do Estado, por meio da Sinfra, atua ainda para melhorar as condições das estradas não pavimentadas e levar infraestrutura aos locais mais distantes de Mato Grosso. Nessas regiões, a secretaria prioriza a formalização de convênios com prefeituras municipais, associações (principalmente de produtores) e consórcios. Em 2019, foram 15 novas parcerias para garantir obras e serviços nos municípios.

Dentre os convênios celebrados estão contemplados 4 para manutenção de rodovias não pavimentadas, três para construção de pontes de concreto, 3 voltados à recuperação e restauração de estradas sem asfalto, 2 de pavimentação e outros 3 de fornecimento de óleo diesel para serviços de conservação de rodovias. 

Os investimentos projetados para atender as atuais parcerias são da ordem de R$ 33,26 milhões oriundos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), alcançando 800 quilômetros entre obras e serviços.

Entre os novos parceiros estão as prefeituras de Aripuanã, Carlinda, Barra do Bugres, Tapurah, Nova Santa Helena, Reserva do Cabaçal, Tabaporã, Nova Brasilândia, Nova Maringá, São José do Rio Claro, Torixoréu, Querência, Vera, Ipiranga do Norte e Juína.

Leia mais:  Estado fixa datas para início da obrigatoriedade de uso do Sigadoc por cada órgão

Somando a isso, a Sinfra tem em andamento 17 parcerias e convênios com consórcios, associações e prefeituras atendendo mais de sete mil quilômetros de rodovias não pavimentadas, com manutenção, restauração, construção de pontes e pavimentação de estradas.

“Realizamos atualmente, em parceria com as prefeituras, associações e consórcios, a manutenção de oito mil quilômetros de rodovias (entre novas e antigas parcerias) não pavimentadas nas nove regiões que dividimos o Estado, para garantir maior trafegabilidade, segurança à população e o transporte da produção”, pontuou Marcelo de Oliveira.

Imagem da MT-244 – pavimentação em parceria com a Associação Agrologística

Pavimentação Urbana

Quanto à pavimentação urbana, a Sinfra também tem contratos em andamento. São quatro no total. Três deles foram retomados neste ano e preveem o asfaltamento de ruas em 14 bairros de Cuiabá e Várzea Grande, num total de 150,68 mil metros quadrados e R$ 29,94 milhões em investimentos.

Entre as localidades atendidas na capital, com serviços de pavimentação e drenagem, estão o Jardim Gramado, Cohab São Gonçalo, Parque Geórgia, Recanto dos Pássaros (nas proximidades do condomínio Belvedere), Planalto, entre outros. Também integra a lista a pavimentação da Avenida Universitária, no bairro Chapéu do Sol, em Várzea Grande.

“As obras dos bairros Jardim Gramado e Recanto dos Pássaros estavam paradas quando a atual gestão do Governo do Estado assumiu no início de 2019. Agora, estão na reta final e serão entregues no início de 2020”, disse o secretário.

O quarto contrato em execução foi firmado em 2019 e prevê a revitalização de estacionamentos e calçadas do Centro Político Administrativo (CPA), chegando a 102,097 mil metros quadrados de obras. A obra está orçada em R$ 1,34 milhão.

Obra de estacionamento e calçadas no Centro Político Administrativo (CPA)

 

 

 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

MATO GROSSO

Polícia Civil indicia 25 criminosos por roubos de veículos, estelionato e lavagem de dinheiro na Região Metropolitana

Publicado


Investigações da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (DERFVA), que culminaram em duas fases da Operação Imperial, identificaram em 30 procedimentos instaurados na unidade a autoria de diversos crimes que envolvem, especialmente, roubos e adulterações de veículos praticados na região metropolitana de Cuiabá, além de estelionatos conexos aos roubos. 

Nas duas fases da operação, o objetivo do trabalho da DERFVA foi atuar na descapitalização e desmantelamento da organização criminosa. Para chegar aos autores e na responsabilização criminal de cada integrante, a delegacia reuniu uma farta documentação durante a investigação e também nas fases da Operação Imperial, quando foram cumpridas 84 ordens judiciais decretadas pela 7a Vara de Cuiabá, entre mandados de prisões, buscas e apreensões e medidas cautelares diversas contra a organização criminosa, além do sequestro de valores de contas bancárias e investimentos dos investigados. 

A investigação identificou que o grupo criminoso foi estruturado para atuar em três frentes diferentes. Uma era responsável por executar os roubos e providenciar a estrutura para que os roubos fossem efetivados, como locação de residências, emprego de veículos locados e roubados para apoiar outras ações criminosas. Outra frente criminosa era responsável pela adulteração dos veículos roubados, que depois eram colocados à venda em sites de comércio eletrônico, e estelionatos praticados pela organização. A terceira frente executava a lavagem de dinheiro. 

“Isso tudo estruturado em uma organização, com divisões de funções para cada integrante, cujo único objetivo era obter lucro com as ações criminosas”, apontou o delegado Gustavo Garcia, titular da DERFVA. 

Investigados e apreensões 

Ao longo das investigações que vem desde 2018, o trabalho das equipes da unidade especializada conseguiu apurar o envolvimento de 25 integrantes do grupo em diversos crimes, entre eles em 22 roubos, cinco estelionatos, três usos de documentos falsos, três crimes de falsidade ideológica e ainda lavagem de dinheiro e organização criminosa. 

Leia mais:  Mato Grosso recebe 9.348 doses de vacina contra a Covid-19 nesta quarta-feira (27)

Durante as fases da Operação Imperial foram apreendidos 36 veículos, sendo 30 carros, cinco motocicletas e uma motoaquática (jet ski). Vinte e seis aparelhos eletrônicos, entre celulares, notebooks e Ipad, e sete armas de fogo foram recolhidos durante cumprimento de mandados judiciais. 

Parte dos integrantes, 13 criminosos, foi presa durante as fases da Operação Imperial, e três deles estão foragidos. Três mulheres envolvidas com o grupo criminoso estão em cumprimento de medida cautelar de monitoramento eletrônico. 

Além dos crimes diretamente ligados ao roubo de veículos, os criminosos agiam ainda no tráfico de drogas na modalidade escambo  (troca de veículos, objetos de roubo/furto por entorpecentes) e receptação. 

Além da desarticulação do grupo criminoso, a investigação atuou na apreensão de veículos e valores movimentados pela organização criminosa, atingindo o esquema financeiro do grupo, que foi o foco da primeira fase da operação. 

O resultado das operações de crimes de roubos e furtos de veículos se reflete também nos índices criminais. A região metropolitana da Capital registrou neste ano queda nas ocorrências, sendo 63% nos roubos e 31% nos furtos de veículos em Cuiabá. Em Várzea Grande, os índices de roubo diminuíram 39% e os de furto 25%, respectivamente.

“Buscamos realizar uma investigação para identificar terceiros ligados à organização criminosa, que tinham a função de ocultar bens e valores dos roubos, estelionatos e crimes conexos. Desta forma, damos uma resposta à sociedade, reduzindo a sensação de insegurança e promovendo uma repressão qualificada, que colabora na redução dos índices criminais”, pontuou o delegado.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

MATO GROSSO

Polícia Civil instaura inquérito para apurar conduta de motorista que destruiu manifestação em homenagem a vítimas da Covid-19

Publicado


A Polícia Civil, através da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), instaurou inquérito policial para apurar a conduta do motorista que de forma intencional transitou em alta velocidade em um canteiro central da Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA), destruindo uma manifestação pacífica, em homenagem aos mais de 600 mil mortos pela Covid-19.

O motorista que conduzia um veículo Volkswagen Fox, de cor vermelha, já foi identificado e responderá por direção perigosa, direção sob a influência de álcool, além do crime de dano.

O fato ocorreu durante a madrugada de segunda-feira (25.10), quando voluntários do Observatório Social de Mato Grosso fizeram um protesto pacífico de combate à corrupção, fincando cruzes pintadas de preto com balões vermelhos em homenagem às vítimas da Covid-19, no canteiro central da Avenida do CPA.

Após o término da montagem, o motorista que estava com veículo estacionado do lado direito da avenida, em um trailler de lanches, subiu com o carro no canteiro central da via, passando por cima de várias cruzes, vandalizando a manifestação e em seguida saindo em alta velocidade.

O boletim de ocorrência foi registrado na manhã de terça-feira (26) e, imediatamente após a comunicação, a equipe da Deletran iniciou as diligências para apurar a autoria das fatos. Através de imagens de câmeras de segurança foi possível verificar que o suspeito parou em um trailer de lanches, próximo a um posto de combustível, por volta das 03h30 e ficou ingerindo bebida alcoólica no local até o início da manhã.

Segundo o delegado da Deletran, Christian Alessandro Cabral, nas duas horas em que ficou ingerindo bebida alcoólica no local, o suspeito ficou observando os voluntários montarem o protesto pacífico e possivelmente arquitetando a conduta criminosa.

Leia mais:  Empaer testa capim kurumi como alternativa para produtores de leite

O inquérito policial foi instaurado para apurar os crimes de direção perigosa, direção sob influência de álcool e também o dano. O veículo já foi identificado e os policiais da Deletran trabalham para localizar o suspeito que será intimado para prestar esclarecimentos na unidade especializada.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana