conecte-se conosco


POLICIAL

Casal de mandantes de latrocínio em Nova Monte Verde tem prisão cumprida em Querencia

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Após cinco anos foragido, o casal apontado como articulador de um roubo seguido de morte ocorrido em Nova Monte Verde (968 km ao Norte de Cuiabá), foi preso pela Polícia Judiciária Civil, na zona rural do município de Querência (945 km a Nordeste de Cuiabá).

O trabalho para cumprimento de mandados judiciais foi deflagrado na manhã desta terça-feira (17.12), após troca entre as Delegacias de Polícia das duas cidades.

Nilson Dessbesel, 46, conhecido como “Gaúcho”, e sua esposa, Tatiana Aparecida do Nascimento Dessbesel, estavam com as ordens de prisão preventiva decretadas pela Comarca de Nova Monte Verde, por latrocínio.

O fato bárbaro aconteceu no ano de 2014, quando a mando do casal, dois indivíduos armados invadiram um estabelecimento comercial para assaltar e renderam uma família.

A Polícia Militar foi acionada e logo que chegou ao local houve troca de tiros, culminando a morte do dono do mercado. Ainda na ocasião um policial militar foi alvejado, bem como sua arma de fogo e uma viatura da PM levada pelos suspeitos. 

No decorrer das diligências, os autores do roubo acabaram presos e o casal apontado como responsável por planejar o roubo identificados, tendo os pedidos de prisão preventiva representados pela Polícia Civil. 

Conforme o delegado de Nova Monte Verde, Eugênio Rudy Junior, as investigações continuaram de forma ininterruptas para elucidação do caso. Os dois procurados, desde então, foragiram para o Estado de São Paulo onde permaneceram por certo tempo, até retornarem para Mato Grosso.

Após monitoramento foi identificado que Nilson e Tatiana estavam residindo em uma chácara na região da PA Brasil Novo, em Querencia. Com os mandados de prisão foi solicitado apoio a equipe de Querência, que rapidamente efetuou a prisão do casal  na zona rural.

Na cidade de Nova Monte Verde, foi cumprido a ordem de busca e apreensão domiciliar, tendo como endereço alvo a casa do pai da suspeita.

Leia mais:  Polícia Civil instaura inquérito para apurar conduta de motorista que destruiu manifestação em homenagem às vítimas da Covid-19

“A prisão dos intelectuais do gravíssimo crime é resultado do  empenho das equipes de policiais civis de Querencia e Nova Monte Verde, que não mediram esforços para dar fiel cumprimento aos mandados judiciais”, enalteceu o delegado Eugênio Rudy Junior.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
publicidade

POLICIAL

Polícia Civil indicia 25 criminosos por roubos de veículos, estelionato e lavagem de dinheiro na região metropolitana

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Investigações da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (DERFVA), que culminaram em duas fases da Operação Imperial, identificaram em 30 procedimentos instaurados na unidade a autoria de diversos crimes que envolvem, especialmente, roubos e adulterações de veículos praticados na região metropolitana de Cuiabá, além de estelionatos conexos aos roubos. 

Nas duas fases da operação, o objetivo do trabalho da DERFVA foi atuar na descapitalização e desmantelamento da organização criminosa. Para chegar aos autores e na responsabilização criminal de cada integrante, a delegacia reuniu uma farta documentação durante a investigação e também nas fases da Operação Imperial, quando foram cumpridas 84 ordens judiciais decretadas pela 7a Vara de Cuiabá, entre mandados de prisões, buscas e apreensões e medidas cautelares diversas contra a organização criminosa, além do sequestro de valores de contas bancárias e investimentos dos investigados. 

A investigação identificou que o grupo criminoso foi estruturado para atuar em três frentes diferentes. Uma era responsável por executar os roubos e providenciar a estrutura para que os roubos fossem efetivados, como locação de residências, emprego de veículos locados e roubados para apoiar outras ações criminosas. Outra frente criminosa era responsável pela adulteração dos veículos roubados, que depois eram colocados à venda em sites de comércio eletrônico, e estelionatos praticados pela organização. A terceira frente executava a lavagem de dinheiro. 

“Isso tudo estruturado em uma organização, com divisões de funções para cada integrante, cujo único objetivo era obter lucro com as ações criminosas”, apontou o delegado Gustavo Garcia, titular da DERFVA. 

Investigados e apreensões 

Ao longo das investigações que vem desde 2018, o trabalho das equipes da unidade especializada conseguiu apurar o envolvimento de 25 integrantes do grupo em diversos crimes, entre eles em 22 roubos, cinco estelionatos, três usos de documentos falsos, três crimes de falsidade ideológica e ainda lavagem de dinheiro e organização criminosa. 

Leia mais:  Polícia Civil prende líderes de grupo criminoso investigado por dezenas de homicídios em Rondônia

Durante as fases da Operação Imperial foram apreendidos 36 veículos, sendo 30 carros, cinco motocicletas e uma motoaquática (jet ski). Vinte e seis aparelhos eletrônicos, entre celulares, notebooks e Ipad, e sete armas de fogo foram recolhidos durante cumprimento de mandados judiciais. 

Parte dos integrantes, 13 criminosos, foi presa durante as fases da Operação Imperial, e três deles estão foragidos. Três mulheres envolvidas com o grupo criminoso estão em cumprimento de medida cautelar de monitoramento eletrônico. 

Além dos crimes diretamente ligados ao roubo de veículos, os criminosos agiam ainda no tráfico de drogas na modalidade escambo  (troca de veículos, objetos de roubo/furto por entorpecentes) e receptação. 

Além da desarticulação do grupo criminoso, a investigação atuou na apreensão de veículos e valores movimentados pela organização criminosa, atingindo o esquema financeiro do grupo, que foi o foco da primeira fase da operação. 

O resultado das operações de crimes de roubos e furtos de veículos se reflete também nos índices criminais. A região metropolitana da Capital registrou neste ano queda nas ocorrências, sendo 63% nos roubos e 31% nos furtos de veículos em Cuiabá. Em Várzea Grande, os índices de roubo diminuíram 39% e os de furto 25%, respectivamente.

“Buscamos realizar uma investigação para identificar terceiros ligados à organização criminosa, que tinham a função de ocultar bens e valores dos roubos, estelionatos e crimes conexos. Desta forma, damos uma resposta à sociedade, reduzindo a sensação de insegurança e promovendo uma repressão qualificada, que colabora na redução dos índices criminais”, pontuou o delegado.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

POLICIAL

Polícia Civil instaura inquérito para apurar conduta de motorista que destruiu manifestação em homenagem às vítimas da Covid-19

Publicado


Camila Molina/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, através da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), instaurou inquérito policial para apurar a conduta do motorista que de forma intencional transitou em alta velocidade em um canteiro central da Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA), destruindo uma manifestação pacífica em homenagem aos mais de 600 mil mortos pela Covid-19.

O motorista que conduzia um veículo Volkswagen Fox, de cor vermelha, já foi identificado e responderá por direção perigosa, direção sob a influência de álcool, além do crime de dano.

O fato ocorreu durante a madrugada de segunda-feira (25.10), quando voluntários do Observatório Social de Mato Grosso fizeram um protesto pacífico de combate à corrupção, fincando cruzes pintadas de preto com balões vermelhos em homenagem às vítimas da Covid-19, no canteiro central da Avenida do CPA.

Após o término da montagem, o motorista que estava com veículo estacionado do lado direito da avenida, em um trailler de lanches, subiu com o carro no canteiro central da via, passando por cima de várias cruzes, vandalizando a manifestação e em seguida saindo em alta velocidade.

O boletim de ocorrência foi registrado na manhã de terça-feira (26), e imediatamente após a comunicação, a equipe da Deletran iniciou as diligências para apurar a autoria das fatos. Através de imagens de câmeras de segurança foi possível verificar que o suspeito parou no trailler de lanches, próximo a um posto de combustível, por volta das 03h30 e ficou ingerindo bebida alcoólica no local até o início da manhã.

Segundo o delegado da Deletran, Christian Alessandro Cabral, nas duas horas em que ficou ingerindo bebida alcoólica no local, o suspeito ficou observando os voluntários montarem o protesto pacífico e possivelmente arquitetando a conduta criminosa.

Leia mais:  Polícia Civil indicia 25 criminosos por roubos de veículos, estelionato e lavagem de dinheiro na região metropolitana

O inquérito policial foi instaurado para apurar os crimes de direção perigosa, direção sob influência de álcool e também o dano. O veículo já foi identificado e os policiais da Deletran trabalham para localizar o suspeito que será intimado para prestar esclarecimentos na unidade especializada.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana