conecte-se conosco


ESPORTES

Brasil faz campanha histórica nos Jogos Pan-Americanos de Lima

Publicado

O Time Brasil fez bonito nos Jogos Pan-Americanos de Lima (Peru), realizados ente entre julho e agosto de 2019. Embora com menor número de atletas – 485 competiram na capital peruana – em relação às últimas três edições do evento, o país terminou na vice-liderança no quadro de medalhas, com 171 (55 ouros, 45 pratas e 71 bronzes), ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que subiram ao pódio 293 vezes. Foi a melhor colocação do Brasil na história do Pan desde a edição de 1963, realizada em São Paulo, quando também ficamos em segundo lugar.

O Pan de LIma reuniru 6.580 atletas de 41 paises das Américas. Foram 19 dias de disputas emocionantes e histórias de superação. Vamos relembrar agora algumas conquistas marcantes da delegação brasileira.

 

MEDALHAS INÉDITAS

Ginástica Artística

A modalidade colecionou 11 medalhas. Na prova individual geral (soma das notas de seis aparelhos) teve dobradinha inédita no pódio, com Caio Souza e Arthur Nory, ouro e a prata respectivamente. Nory ainda faturou outras duas medalhas: ouro por equipes e prata na barra fixa. Em cerimônia de premiação organizada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), ele foi eleito o Melhor Atleta do Ano pelo Prêmio Brasil Olímpico.

Ginástica Artística, O brasileiro Carlos Barretto comemora com o compatriota Arthur Nory no pódio depois de ganhar ouro e prata, respectivamente

Ginástica Artística, O brasileiro Carlos Barretto comemora com o compatriota Arthur Nory no pódio depois de ganhar ouro e prata, respectivamente – Reuters/Susana Vera/Direitos reservados

Outro feito incrível foi o do ginasta Chico Barreto, de 30 anos: ele conquistou três ouros e se tornou o primeiro brasileiro na história a garantir três medalhas douradas na modalidade. Natural de Ribeirão Preto (SP), Chico Barreto venceu as disputas por equipe, na barra fixa e no cavalo com alças – neste último aparelho a medalha também foi inédita para o país.

Vela

As campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram a primeira medalha dourada em Pan-Americanos, na classe 49erFX.  A delegação brasileira também faturou outras duas medalhas de ouro com Patrícia Freitas (classe RS:X) e com a dupla Marco Grael e Gabriel Borges (49er). E não parou por aí: foram mais duas pratas com Bruno Fontes (laser standard) e com o trio Cláudio Bierkarck, Gunnar Ficker e Isabel Ficker (lighting). Tivemos ainda dois bronzes com as duplas Samuel Albrecht/Gabriela Nicolino e Juliana Duque/Rafael Martins.

Badminton

O carioca Ygor Coelho conquistou a primeira medalha dourada para o Brasil na modalidade após vencer na final individual o canadense Brian Yang por 2 sets a 0. Além do ouro, a equipe brasileira amealhou outras quatro de bronze.

Leia mais:  Corinthians empata com Internacional no Brasileirão

Triatlo

A modalidade foi ouro, com direito a dobradinha verde e amarela no pódio: Luisa Baptista venceu com o tempo de 2h00m55s na corrida, e Vittoria assegurou a prata ao completar a prova em 2h01m27s.

Boxe

A pugilista baiana Bia Ferreira garantiu o ouro inédito na disputa feminina na categoria até 60kg. A nova geração do boxe brasileiro também faturou duas pratas com Keno Machado (87kg) e Jucielen Cerqueira (57kg), além três bronzes com Abner Teixeira (até 81 kg), Flávia Figueiredo (75kg) e Hebert Conceição (65kg).

Patinação Artística

Estreante em Pan-Americanos, Bruna Wurtz, de apenas 18 anos, conquistou a primeira medalha de ouro para o Brasil. Wurtz somou 103.17 pontos, ficando 11.02 pontos à frente da segunda colocada, a argentina Giselle Soler, campeã em Toronto 2015.

Bruna Wurts, patinação artística, medalha de ouro. Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Local: Videna, em Lima, no Peru. Data: 27.07.2019. rededoesporte.gov.br

Bruna Wurts, patinação artística, medalha de ouro. Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Local: Videna, em Lima, no Peru. Data: 27.07.2019. rededoesporte.gov.br – Divulgação Secretaria Especial do esporte

 

ESPORTES ESTREANTES

Surfe

Logo na estreia da modalidade nos Jogos Pan-Americanos, o Brasil subiu quatro vezes ao pódio. Chloé Calmon (longboard) e Lena Guimarães (stand-up paddle corrida) faturaram ouros; Vinnicius Martins foi prata (stand-up paddle corrida); e Nicole Pacelli, bronze (stand-up paddle wave).

Nicole, Chloé, Lena e Vinnicius

Nicole, Chloé, Lena e Vinnicius – Alexandre Loureiro/COB

Esqui aquático

Na primeira edição do wakeboard – uma das categorias do esqui aquático – no Pan a brasileira Mariana Nep foi a terceira melhor das Américas e levou bronze. A vencedora foi a argentina Eugênia das Armas e a norte-americana Mary Howell ficou com a prata.

 

DESTAQUES

Taekwondo

O país teve a melhor performance na história da competição. Do total de sete medalhas, duas foram de ouro, com Milena Titoneli (até 67kg) e Edival Pontes (-69kg); outas duas de prata com Ícaro Miguel (até 80kg) e Talisca Reis (até 49 kg); e também três bronzes com Maicon Andrade (+80kg), Paulo Ricardo (até 58kg) e Raiany Fidelis (até 67kg).

Milena Titoneli  (Brasil), medalha de ouro na categoria -67kg do taekwondo nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Local: Callao, em Lima, Peru. Data: 29.07.2019. Crédito obrigatório: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

Milena Titoneli (Brasil), medalha de ouro na categoria -67kg do taekwondo nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Local: Callao, em Lima, Peru. Data: 29.07.2019. Crédito obrigatório: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br – Abelardo Mendes Jr/ rededoesport.gov.br

Basquete

Após 28 anos, a seleção feminina voltou a subir no lugar mais alto do pódio, após derrotar os Estados Unidos na final. Já a seleção masculina, ouro na edição de Toronto 2015, ficou fora do Pan de Lima, pois não conseguiu se classificar para o Pan.

Leia mais:  América domina o Santos e vence fora de casa

Handebol

A seleção feminina chegou ao hexacampeonato no Pan de Lima após uma campanha invicta. Já a masculina levou o bronze.

Levantamento de peso

Fernando Reis, o Montanha, fez valer o favoritismo e se sagrou tricampeão pan-americano na categoria acima dos 109kg ao levantar 410 quilos.

Tênis de Mesa

Foram sete pódios ao todo (dois ouros, duas pratas e três bronzes). Destaque para Hugo Calderano que faturou o ouro nas duplas, ao lado de Gustavo Tsuboi, e depois também se sagrou bicampeão individual ao derrotar na final o dominicano Jiaji Wu.  Entre as mulheres, Bruna Takahashi também brilhou: foi prata ao lado de Tsuboi nas duplas mistas, e levou dois bronzes, sendo um no individual e outro nas duplas com Jéssica Yamada.

Hugo Calderano e Gustavo Tsuboi ficam com o ouro do tênis de mesa dos Jogos Pan-Americanos (Alexandre Loureiro/COB

Hugo Calderano e Gustavo Tsuboi ficam com o ouro do tênis de mesa dos Jogos Pan-Americanos (Alexandre Loureiro/COB – Alexandre Loureiro/COB

Canoagem

A modalidade também registrou a melhor participação a história do Pan: foram oito pódios- cinco ouros e três bronzes. Na canoagem de velocidade, o medalhista olímpico Isaquias Queiroz venceu no C1 1000m; também vieram dois bronzes com Ana Paula Verguz (K1 500m) e Vagner Souta (K1 1000m). 

No slalon feminino, Ana Sátila faturou o ouro no C1 e também no K1 Extremo; e no masculino Pepê Gonçalves levou dois ouros (K1 E K1 Extremo);  e Felipe Borges ficou com bronze  (C1).

Felipe Borges, Ana Sátila e Pedro "Pepê" Gonçalves conquistaram medalhas neste domingo nos jogos Pan-americanos.

Felipe Borges, Ana Sátila e Pedro “Pepê” Gonçalves conquistaram medalhas nos jogos Pan-americanos. – DANILOBORGES

Judô

O elenco brasileiro faturou dez medalhas, cinco delas de ouro. As conquistas douradas foram de Larissa Pimenta (52kg), Mayara Aguiar (78kg), Renan Torres (60kg) e Eduardo Yudy Santos (81kg). 

No dia 9 de agosto, a campeã olímpica Rafaela Silva (57kg) também subiu no lugar mais alto do pódio ao ganhar sua primeira medalha dourada em jogos Pan-Americanos. No entanto, onze dias depois, foi flagrada no exame antidoping, realizado no mesmo dia que ganhou o ouro. O resultado deu positivo para a substância fenoterol, presente em medicamentos contra a asma, que têm efeito broncodilatador. O programa antidoping dos Jogos Pan-Americanos de 2019 determinou a perda da medalha. A atleta aguarda julgamento do caso pela Federação Internacional de Judô (IJF, sigla em inglês).

Atletismo

Número três do ranking mundial, o catarinense Darlan Romani faturou o ouro e ainda quebrou o recorde pan-americano no arremesso de peso ao atingir a marca de 22,07m. Mas quem o viu competindo, nem poderia imaginar o esforço do atleta: Romani quase desistiu da disputa na véspera da prova, ao ser acometido por uma febre alta, consequência de uma infecção na garganta. 

Leia mais:  Flamengo perde para o Fluminense por 3 a 1 no Maracanã
Darlan Romani

Darlan Romani – Wagner Carmo/CBA

A delegação de atletismo conquistou ainda outras quatro medalhas douradas nos revezamentos feminino e masculino do 4 x 100m, nos 400m com barreiras (Alison Santos), na maratona de 10km (Ederson Pereira) e nos 3km com obstáculos (Atobeli Santos).  E não parou por aí: o país levou outras cinco medalhas de prata (20km de marcha atlética, lançamento de disco feminino, 100m rasos, 200m e no salto com vara) e quatro bronzes (20km de marcha atlética feminina, lançamento de disco feminino, 100m rasos feminino, e 110m com barreiras masculino) .

Maratona Aquática

Teve dobradinha brasileira no pódio. A multicampeã Ana Marcela Cunha confirmou o favoritismo e faturou o ouro na maratona feminina (10km); o bronze ficou com a gaúcha Viviane Jungblut.

Natação

O Time Brasil fez a melhor campanha das últimas três edições dos Jogos Pan-Americanos ao faturar um total de 30 medalhas em Lima (dez ouros, nove pratas e 11 bronzes), superando a marca de 26 conquistadas nas edições de 2007 e 2015. 

A equipe masculina de revezamento 4 x 100m deu show: Marcelo Chierighini, Bruno Fratus, Pedro Henrique Spajari e Breno Correia conquistaram o hexacampeonato na prova, com direito a recorde pan-americano, com o tempo de 3m12s61. Teve também recorde e ouro na prova do 4x200m livre com o quarteto (Luiz Altamir, Fernando Scheffer, João de Lucca e Breno Correia) que completaram o percurso em 7m10s66.

Marcelo Chierighini protagonizou um triunfo incrível ao vencer a prova dos 100m livre, com o tempo de 48s09, oito centésimos mais rápido que o segundo colocado, o norte-americano Nathan Adrian, campeão olímpico dos 100m nos Jogos de Londres 2012, e bronze na Rio-2016.

O fundista Guilherme Costa também foi ouro na prova dos 1500m. Ele completou a prova em 15min09seg99, deixando para trás o norte americano Nicholas Sweetser que concluiu a disputa 5seg06 depois do brasileiro.

Nos 50m livre, foram dois ouros, com vitórias de Etiene Medeiros na disputa feminina, e de Bruno Fratus na masculina.

As outras quatro medalhas douradas foram nas provas de revezamento 4x100m medley misto (Guilherme Guido, João Gomes Júnior, Giovanna Diamante e Larissa Oliveira), nos 200m livre (Fernando Scheffer), nos 100m peito (João Gomes Júnior), 200m borboleta (João de Deus).

Edição: Guilherme Neto

Comentários Facebook
publicidade

ESPORTES

Grêmio é derrotado pelo Atlético-GO, na 28ª rodada do Brasileiro

Publicado


O Grêmio entrou em campo na noite desta segunda-feira, no Estádio Antônio Accioly, em Goiânia, para disputar a 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor enfrentou o Atlético-GO e não alcançou a vitória que precisava na competição, sendo superado pelo placar de 2 a 0.

Pelos minutos iniciais, já se percebeu que seria uma partida disputada. Logo no primeiro instante do jogo, os donos da casa atacaram com André Luis, pela meia direita, que concluiu a gol, mas Brenno defendeu. Em resposta, aos 6’, Alisson foi acionado no campo de ataque, pela esquerda, mas Wanderson cortou o cruzamento feito pelo atacante. Dois minutos depois, foi a vez de Rafinha colocar na área, mas mais uma vez a zaga adversária conseguiu o corte.

A primeira chance clara de gol foi gremista, após uma cobrança de escanteio, aos 10 minutos. A bola foi colocada na área por Douglas Costa e Thiago Santos desviou de cabeça, mandando à direita da meta, com muito perigo.

Com 18’ jogados, Alisson se lançou em contra-ataque, puxou para dentro e tentou o passe, mas a zaga se recompôs e a bola chegou a Vanderson. O lateral arriscou, houve desvio e ela saiu pela linha de fundo. Na cobrança de escanteio, Diego Souza concluiu de cabeça, mas nas mãos de Fernando Miguel, que defendeu.

Passados 22 minutos, Douglas Costa recebeu na meia direita e arriscou de fora da área, mandando com perigo, mas a bola saiu. Na sequência, Alisson Diego Souza acionou Jean Pyerre, que chutou, mas em cima da marcação. Três minutos depois, o camisa 10 chutou de fora da área novamente, para outra defesa do goleiro adversário.

O Atlético-GO teve uma falta a seu favor. Janderson cobrou e Villasanti cortou. No contra-ataque, Jean Pyerre serviu Villasanti, que desviou para o gol, mas Fernando Miguel fez grande defesa, aos 30’.

Leia mais:  Corinthians empata com Internacional no Brasileirão

Na reta final, aos 43’, Igor Cariús recebeu na área e bateu por baixo do Brenno, que não conseguiu a defesa, colocando os donos da casa na frente no marcador. Já nos acréscimos, Janderson finalizou com muito perigo e Brenno fez grande defesa.

O Grêmio voltou igual para o segundo tempo e nos minutos iniciais criou. Após cobrança de escanteio, Villasanti pegou o rebote e chutou, mas para fora. Os adversários responderam de imediato com Janderson, no contra-ataque. Ele finalizou, mas Brenno defendeu.

O Atlético teve mais uma oportunidade passados 10’. Arnaldo chutou cruzado, mandando perto da meta tricolor. Já os gremistas quase empataram com um chute de Villasanti do meio, próximo a grande área, mas a bola saiu.

O técnico Vagner Mancini providenciou duas mudanças, colocando Ferreira e Borja, nos lugares de Douglas Costa e Jean Pyerre.

Aos 15’, o Grêmio teve uma sequência de escanteios. Em uma das cobranças, Ferreira colocou na área, mas defesa cortou.

Os donos da casa tiveram um pênalti a seu favor, aos 22’, de Paulo Miranda sobre André Luis. Após análise do VAR, o zagueiro foi expulso. Na cobrança, Marlon mandou no canto direito da meta gremista, assinalando o segundo gol.

Mais duas mudanças no Grêmio: Ruan e Luiz Fernando ocuparam os lugares de Diego Souza e Villasanti, aos 28’.

Já com 31 minutos, Brenno fez uma grande defesa no chute de João Paulo, impedindo o que poderia ser o terceiro gol adversário. O Tricolor tentou com Ferreira, que passou pela marcação de dois goianos, mas o chute explodiu na defesa.

Depois de uma rápida jogada pela esquerda, Luiz Fernando recebeu na meia esquerda e chutou, para grande defesa de Fernando Miguel, aos 38’.

Leia mais:  De virada, Galo vence Cuiabá e amplia vantagem na liderança

A última mudança na equipe foi providenciada, com Campaz no lugar de Alisson, aos 39’.

Com o resultado, o Tricolor não soma pontos na competição, permanecendo na penúltima posição na tabela.

Fotos: Lucas Uebel | Grêmio FBPA

fonte: https://gremio.net/noticias/detalhes/24753/gremio-e-derrotado-pelo-atletico-go–na-28–rodada-do-brasileiro-

COMENTE ABAIXO:

Comentários Facebook
Continue lendo

ESPORTES

Palmeiras bate o Sport em casa

Publicado


Pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro 2021, o Palmeiras superou a equipe do Sport por 2 a 1 com gols de Luiz Adriano, aos 7 do segundo tempo, e de Felipe Melo, aos 35, após ter saído em desvantagem logo no início do prélio, com gol de Leandro Barcia aos 3 do primeiro tempo. Esta é a quarta vitória de virada do Verdão na temporada 2021: as outras foram em 23 de abril, sobre o Guarani, pelo Campeonato Paulista (2 a 1, com gols de Mateus Ludke,contra, e Willian Bigode), no Brinco de Ouro da Princesa; em 20 de junho, pelo Brasileiro contra o América-MG (2 a 1, ambos os gols de Willian Bigode), no Allianz Parque; e em 27 de junho, novamente pelo Brasileiro, contra o Bahia (3 a 2, após sair na frente com gol de falta de Scarpa, sofrer virada para 2 a 1, mas, em seguida, virar outra vez com Raphael Veiga e Breno Lopes), no Allianz Parque.

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

Vale destacar, aliás, que o segundo gol do Verdão na partida, de Felipe Melo, foi o gol número 100 entre Palmeiras e Sport na história, pois, antes de entrar em campo, o Palmeiras acumulava 98 gols marcados contra o Leão da Ilha nos 65 jogos disputados anteriormente na história (agora são 66). No total destes 66 duelos já disputados, além dos 100 gols marcados (contra 73 sofridos), o Verdão venceu 35 vezes, empatou 12 e foi superado 19 vezes.

Além do gol 100 contra o Sport, o tento do Pitbull também teve outra marca histórica: foi o gol de número 400 do Verdão no Allianz Parque desde que a arena palmeirense fora inaugurada em 2014 – justamente contra o Sport, em 19 de novembro daquele ano. Quando entrou em campo para enfrentar o Leão da Ilha, o Alviverde somava 398 gols em sua casa com o formato atual (o 399 foi de Luiz Adriano e, portanto, o gol 400 foi do camisa 30). Além de 400 gols em casa, contra 170 que sofreu (em 215 jogos), o Maior Campeão do Brasil soma 137 vitórias, 42 empates e 36 derrotas.

  Fortaleza e Corinthians empatam sem gols pela 24ª rodada do Brasileirão

Leia mais:  Corinthians empata com Internacional no Brasileirão

Com a vitória, o Palmeiras melhorou ainda mais seu retrospecto ante o Sport: nas últimas dez vezes em que os clubes se encontraram (já considerando a desta noite), o Verdão perdeu só uma (em 2018, último revés sofrido para a equipe recifense) e venceu oito, além de um empate – agora o Verdão emplacou a terceira vitória seguida sobre o rival da vez.

O primeiro gol palmeirense da arena foi marcado por Henrique Dourado (ou Henrique Ceifador), no empate por 1 a 1 contra o Athletico-PR, em 07/12/2014, pelo Campeonato Brasileiro (aquele foi o segundo jogo da arena – no primeiro contra o Sport, 20 dias antes, o Verdão pontuou).

Já o centésimo gol foi anotado por Lucas Barrios, em duelo contra o Vitória-BA – triunfo palmeirense por 2 a 1 pelo Brasileirão de 2016. Por sua vez, o 200º tento foi marcado por Willian Bigode no empate por 1 a 1 contra o América-MG pela Copa do Brasil de 2018 (jogo que valeu classificação às quartas de final da competição). E o 300º gol fora marcado pelo meia Raphael Veiga, na goleada por 5 a 0 sobre o Bolívar-BOL, pela Libertadores de 2020, em 30 de setembro daquele ano.

Destaque individual também para Dudu. O Baixinho, ao ter atuado diante do Sport – deixou o gramado aos 44 do segundo tempo, dando lugar a Danilo Barbosa -, passou a integrar o top 10 dos jogadores que mais atuaram no estádio palmeirense em todos os tempos: hoje possui 140 partidas no local e, igualando as 140 partidas de Bianco Gambini (autor do primeiro gol da história do Verdão, em 1915) e Cléber (ídolo e zagueiro dos anos 90). Além de décimo na história do Parque Antarctica geral, ele já é o líder de partidas na era Allianz Parque (ou seja, desde que a arena – inaugurada em 2014 – possui essa configuração).

Leia mais:  Flamengo perde para o Fluminense por 3 a 1 no Maracanã

No que diz respeito ao número de vitórias, ele já aparece no top 10 da história do Palestra Italia, considerando todas as formas físicas que o estádio palmeirense já possuiu outrora: é o décimo colocado (primeiro só da era Allianz Parque), com 97 triunfos. Completam a lista: Bianco Gambini (9º, com 98 vitórias), Cléber (8º, com 105 vitórias), Carnera, zagueiro da década de 30 (7º com 106 vitórias), Junqueira, zagueiro dos anos 30 e 40 (6º, com 108 vitórias), Velloso (5º, com 110 vitórias), Galeano (4º, com 116 vitórias), Heitor, atacante das décadas de 10, 20 e 30 e maior artilheiro da história palmeirense até os dias atuais, com 327 gols (3º, com 122 vitórias), Ademir da Guia (2º da lista, com 125 triunfos) e o eterno goleiro Marcos (1º do ranking, com 135 resultados positivos).

fonte: https://www.palmeiras.com.br/pt-br/noticias/palmeiras-bate-sport-em-casa-pelo-brasileiro-e-vira-pela-quarta-vez-na-temporada/

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

DIAMANTINO

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

Mais Lidas da Semana